10

março

2017

15

Comentários

Brad Stevens demonstrou, mais uma vez, que o Celtics está em boas mãos

Após uma frustrante derrota para o Los Angeles Clippers, o principal jogador do Celtics, Isaiah Thomas, soltou a voz através da imprensa e criticou supostos “experimentos” realizados na escalação do maior campeão da NBA.

O camisa 4 de Boston fez referência ao fato de Jordan Mickey e James Young atuarem juntos, por muitos minutos, durante o terceiro quarto do duelo contra a equipe comandada por Doc Rivers. Nesses mesmos minutos, o ala-armador adversário Jamal Crawford tomou conta do jogo e o Celtics se perdeu a partir daquele momento. Thomas não gostou nada disso, afinal, ele deixou a quadra com Boston na liderança e voltou com sua equipe bem atrás no placar.

De todo modo, os comentários foram infelizes e desnecessários. O Celtics, naquela noite, estava desfalcado de Al Horford e Jonas Jerebko. Portanto, Stevens não tinha muito mais o que fazer e teve que pedir socorro aos jogadores de fundo de banco para completar a rotação. O armador celta reconheceu isso e pediu desculpas no dia seguinte, fazendo questão de dizer que não era sua intenção entregar ninguém para a Cruz.

A mídia da NBA viu oportunidade de fazer um estardalhaço em cima das palavras de Thomas: “O principal jogador do Celtics ataca seu treinador”. Essa manchete atrai atenção como osso a um cachorro. Entretanto, para a tristeza da imprensa, Stevens, como sempre, reagiu com serenidade, maturidade e, acima de tudo, inteligência.

A seguir, a declaração de Stevens sobre a polêmica:

“No fim das contas, eu não dei muita importância para esse imbróglio, até ele tomar as proporções que tomou. E quando ele virou algo grande, Thomas veio até a mim e se explicou. Logo, eu permaneci não dando muita bola para isso. Eu entendo que as emoções ficam elevadas no fim dos jogos, tanto na vitória quanto na derrota. Eu também tenho que lidar com isso todo dia, há 4 anos, e nem sempre é uma missão fácil falar as palavras certas na coletiva. Eu estou ok com o fato das pessoas fazerem uma tempestade em cima disso. Nessas horas, são necessárias aquelas conversas internas para esclarecer as coisas. Insisto, Thomas me procurou rapidamente para se justificar. Se ele não tivesse me procurado e coubesse a mim iniciar a conversa, nós poderíamos ter um problema, sim. Porém, que bom que não houve. Eu não perdi meu sono por isso”.

Por declarações como essa, além de sua reconhecida competência, obviamente, Stevens já é considerado um dos melhores treinadores da NBA, mesmo estando apenas em sua quarta temporada como técnico da melhor liga de basquete do mundo. O modo como Stevens reagiu aos comentários polêmicos de seu principal jogador só mostra como ele está preparado para ser um treinador de elite da liga por anos e anos afinco.

Esse não foi o primeiro episódio no qual Stevens precisou lidar com situações delicadas na temporada. No começo de Janeiro, Jae Crowder causou um rebuliço no Twitter, após acusar os torcedores do Celtics de torcerem para o ala Gordon Hayward, adversário da ocasião. Quando solicitado a tecer comentários sobre a polêmica, o comandante celta assegurou a todos que o time estava bem e assim permaneceria. E foi exatamente isso o que aconteceu.

O seu jeito sereno para lidar com situações adversas faz com que o treinador conquiste, cada vez mais, o respeito e a admiração do elenco celta. Essa assertiva é comprovada ao vermos que Thomas o procurou imediatamente para se justificar e dissipar quaisquer rumores de possíveis ofensas ao seu técnico.

Diante desse cenário, os torcedores do Celtics devem ficar muito felizes por terem a sorte de ver a equipe ser comandada por um treinador do nível de Stevens. Quando olhamos para o resto da NBA, percebemos muitas polêmicas cercando as franquias, seja por culpa de jogadores egoístas, treinadores explosivos ou dirigentes egocêntricos. Chicago Bulls, New York Knicks, Cleveland Cavaliers e Los Angeles Lakers passaram ou passam por momentos turbulentos internos, muito por causa da falta de respeito entre jogadores e seus superiores.

Em Boston, não vemos isso. O Celtics continuará perseguindo seus objetivos e agregando talento ao elenco, e quando o fizer, os holofotes estarão, ainda mais, na figura de Brad Stevens, responsável por lidar e administrar o ego dos jogadores. Ele será analisado e criticado a cada decisão que realizar, mas suas recentes reações demonstram que ele está preparado para o desafio e que os torcedores podem confiar que o Celtics está em boas mãos.