Celtics 114 x 105 Nets

Um dia em que tudo deu certo. Assim podemos resumir a noite desta segunda-feira (10) para o Boston Celtics e sua fanática torcida. Em partida válida pela temporada 2016/2017 da NBA e disputada no TD Garden, o Alviverde dominou completamente o Brooklyn Nets, lanterna desta edição da liga, não teve muitas dificuldades e venceu por 114 a 105, resultado que garantiu o título da Divisão do Atlântico e pelo menos a segunda posição na Conferência Leste para a equipe celta. Poucos minutos depois, outro presente veio da Flórida: com a vitória do Miami Heat sobre o Cleveland Cavaliers, o Celtics reassumiu a liderança do Leste, faltando apenas um jogo para o encerramento da fase classificatória.

Sempre na liderança do placar, o Boston Celtics abriu uma vantagem de 18 pontos antes do intervalo, com destaque para a vitória por 28 a 13 no primeiro quarto. No terceiro período, após liderar por 27 pontos, o Alviverde tirou um pouco o pé do acelerador e permitiu uma reação do Brooklyn Nets, que cortou o prejuízo para apenas cinco pontos. Entretanto, o Celtics acordou a tempo de evitar o vexame e confirmou a vitória em casa.

Mais uma vez, o destaque do Boston Celtics foi o armador Isaiah Thomas, que fez 27 pontos e pegou quatro rebotes em 29 minutos. Bastante acionado no último quarto, o pivô dominicano Al Horford também foi bem e chegou perto de um duplo-duplo, com 19 pontos e oito rebotes. Já o ala-armador Avery Bradley, após uma sequência de atuações ruins, contribuiu com 18 pontos. Outros três atletas também anotaram duplo dígito na pontuação: o ala Jae Crowder e o ala-pivô Kelly Olynyk, com 11 pontos cada, e o armador Marcus Smart, que fez 13 em 30 minutos.

Pelo lado do Brooklyn Nets, os protagonistas foram o armador Jeremy Lin e o pivô Brook Lopez. Enquanto Lin registrou um duplo-duplo, com 26 pontos e 12 rebotes, Lopez contribuiu com 25 pontos e sete rebotes. O jovem ala Rondae Hollis-Jefferson também fez um duplo-duplo, com 17 pontos e 11 rebotes em 36 minutos. Entre os reservas, destaque para os 11 pontos do pivô Justin Hamilton.

Com 52 vitórias em 81 partidas e 64,2% de aproveitamento, a equipe do Boston Celtics abriu um triunfo de distância para o Cleveland Cavaliers e vai para a última rodada da temporada regular no primeiro lugar do Leste. Já o Brooklyn Nets, com 61 derrotas em 81 compromissos, está isolado na última posição da temporada.

O Boston Celtics volta a jogar na noite desta quarta-feira (12), às 21h (horário de Brasília), contra o Milwaukee Bucks, no TD Garden, precisando de uma vitória para garantir a primeira colocação da Conferência Leste. Também nesta quarta, o Brooklyn Nets encerra a sua participação na temporada diante do Chicago Bulls, no United Center.

Destaques do Celtics

Isaiah Thomas (27 pontos e quatro rebotes)

Al Horford (19 pontos e oito rebotes)

Avery Bradley (18 pontos e cinco rebotes)

Destaques do Nets

Jeremy Lin (26 pontos e 12 rebotes / duplo-duplo)

Brook Lopez (25 pontos e sete rebotes)

Rondae Hollis-Jefferson (17 pontos e 11 rebotes / duplo-duplo)

Gustavo Arruda
Gustavo Arruda

Gustavo, 25 anos, é maranhense de São Luís, estudante de Jornalismo e repórter esportivo do Imirante.com. Fanático por esportes, principalmente futebol e basquete, é torcedor celta desde 2003, quando ouviu pela primeira vez o TD Garden lotado entoando “Let’s go, Celtics!”, e escreve no Celtics Brasil desde julho de 2011. Nas horas vagas, é goleiro, armador, consumidor de danone, tio do João Gabriel e dá seus pitacos sobre o maior campeão da NBA no Twitter: @gustavoarruda01.

10 Comentários

  1. Marco Ferreira disse:

    Quem no início da temporada poderia imaginar que chegaríamos na última rodada como lideres?
    Claro, temos consciência que não somos o melhor time do leste, mas isso mostra a grande evolução que tivemos e que na próxima temporada (com alguns reforços pontuais) somos sim candidatíssimos ao titulo da NBA!

    Go Celtics…

    0

    0
  2. O engraçado é que nem nós, torcedores, temos ciência de que não somos os melhores, que perdemos jogos idiotas que não era pra ter perdido de forma alguma e que convivemos com lesões o ano todo.

    Mesmo assim, somos lideres. Curioso isso!

    É nesse momento que o torcedor tem que fazer uma reflexão quanto as críticas em cima do Horford.
    Ele não apresenta números dignos de um All Star, mas é absurdamente evidente o quanto ele auxilia a equipe em muitas coisas que não aparecem nas stats, inclusive ajudando o Thomas a ser o jogador que foi esse ano.

    Não estamos prontos e qualificados pra ganhar ESSE ANO, mas na próxima temporada… com os reforços corretos…… sei não, hein…rs

    0

    0
    • Daniel, concordo totalmente.

      Sempre bati nessa tecla quando comentava. A evolução desse time e desse processo de rebuild foi algo extraordinário. A velocidade foi rápida, a maneira como foi feita foi impressionante(terceirização do tank foi algo genial) e as escolhas dos jogadores nas trocas foi muito eficaz (Danny Ainge acertou muito mais que errou na escolha dos jogadores, como Thomas, Crowder…)

      Terminar em primeiro no Leste não vai nos colocar como candidato ao título nesses playoffs. Mas certamente os jogadores vão olhar o Celtics com outros olhos nessa Free Agency (que vamos ter $$ para atrair bons jogadores) e nas possíveis trocas. O celtics está entre as franquias mais tradicionais da NBA, com uma das torcidas mais fanáticas. Com esse time sendo contender, não vai ser difícil atrair jogadores pra cá.

      0

      0
  3. Fernando C Silva disse:

    Daniel, talvez um reforço seja suficiente, acredito.

    Claro que precisa ser O REFORÇO e desde que.não desmanchemos o time para obte-lo.

    PG sem ceder nenhum titular, entendo que nos coloca em pé de medir forças com qualquer equipe.

    Feliz com o time mas sem ilusões: em situações normais perderemos para Cavs e Toronto e teremos dificuldade com os Wizards.

    0

    0
  4. Marcos disse:

    Na verdade, o campeonato começa agora (playoffs).
    Tão deixando o Jaison verde chegar…

    Algumas opiniões pessoais:

    – Vamos até onde I. Thomas nos levar. E agora a marcação será sempre dupla,
    – Brad Stevens vai tomar de vez seu lugar entre os melhores técnicos da Liga,
    – Wizards tem mais jogadores para chamar a responsabilidade no clutch que o Raptors. O Raptors dará pouca canseira ao Cavs,
    – Não iremos varrer os Bulls. O que nos falta em experiência, sobra a eles. E agora isso é importante (devemos vencer, no entanto),
    – Houston deve levar tunda do Oklahoma e ficar logo de cara – sem defesa não se vai a nenhum lado,
    – Clippers x Jazz será o matchup mais legal da primeira rodada
    – Spurs e Warriors será uma das séries das mais legais dos últimos anos,

    []s verdes

    0

    0
  5. David Pires disse:

    Fernando infelizmente um Reforço apenas nao é suficiente para bater de frente com o cavs ou o warriors. Parece me claro que precisamos preencher a posiçao 3 , Paul George e Buttler sao 2 grandes opçoes á frente de Gordon hayward. apesar da sua enorme evoluçao , crowder nao é uma estrela, seria optimo mante lo no time. Apenas por comparaçao cavs tem lebron e warriors tem durant na posiçao 3. Outra posiçao a reforçar é a 5, é importante resolver a nossa inferioridade ja reconhecida pelo nosso staf ,Rebotes ofensivos/defensivos… é impensavel voltar a acontecer o mesmo para o ano, precisamos de um big man que resolva este problema e que contribua com pontos. Ao mesmo tempo devemos esperar positivamente a evoluçao para o ano de brown , kelly , smart e bradley e alguma sorte no draft. Para este ano nos playoffs espero sinceramente que possamos recuperar aquela que foi a nossa principal arma o ano passado , A Defesa.

    0

    0
  6. Renato disse:

    Esse time não está pronto para ganhar o título, talvez não esteja pronto nem para passar da segunda rodada dos offs, de qualquer forma a evolução foi bem significativa.

    Precisamos de mais 1 All Star e pelo menos mais 1 pontuador vindo do banco com experiência para poder realmente desafiar Cavs e GSW, e o plus pode ser os caras vindo do draft, Zizic, Yabuselle e Fultz (ou Ball ou Jackson ou Tatum).

    Existe também a oportunidade de virar a escolha Nets em um All Star e ainda manter CAP para outro All Star, essa seria a coisa mais perfeita a se fazer, mas também a mais difícil.

    Ex: Trade de Smart + Bradley + Jerebko + escolha Nets por Butler.

    A gente ainda fica com grana para 1 All Star, ex: Blake Griffin.

    Teríamos uma equipe superior ao Cavs e no mesmo nível do GSW

    Thomas – Butler – Crowder – Griffin – Horford

    Rozier – Brown – Green – Yabuselle – Zizic

    O time teria uma segunda unidade muito jovem e aí teria que se avaliar jogadores veteranos que viessem para ganhar pouco algo normal em times contender.

    As formações mescladas de princípio ficariam algo:

    Thomas – Brown – Crowder – Yabuselle – Horford

    Rozier – Butler – Green – Griffin – Zizic

    0

    0
    • Marco Ferreira disse:

      Renato, a ideia da troca parece ser muito boa e essa primeira rotação (Thomas – Butler – Crowder – Griffin – Horford) me agrada muito, mas a segunda rotação me preocupa, precisamos reforçar nossa segunda unidade.

      Hoje quando assisto aos jogos vejo nosso time jogar de igual para igual com qualquer time da liga na primeira unidade, mas quando a segunda entra em quadra o desespero bate, precisamos muito de um pontuador na segunda unidade!

      Como o Danny Ainge é o mestre nas negociações, será que ele não consegue envolver a pick 2018 ao inves da 2017? Confesso que gostaria muito de ter o Fultz no time para uma evolução e resguardar o nosso futuro!

      0

      0
  7. Maurício Green disse:

    Evolução e clara e oso olhar o número de vitórias do Brad ano a ano 25, 40, 48, 52/53, olha que essas 4 /5 vitórias a mais esse ano não e pouco não só ver quantos times passam das 50 vitórias.

    Horford tem muito haver com isso, sim. Só que não aparece claramente no boxscore e na cara de quem só vê a assistência e o arremesso. O cara e o ponto pivô de muitos ataques e uma das ancoras defensivas do time. Quanto ele vai bem e deixá-la seus 10 pontos (média na temporada 14 carreira 14.3), 6 rebotes (média na temporada 6.9 carreira 8.7) e 5 assistências (média na temporada 5 carreira 3) é difícil de mais perdermos.

    Dai vão dizer: Mas esse números não são números de um contrato máximo!!! Aí que está o grande ponto, o cara é muito altruísta, joga para o time e faz todos ao redor dele jogarem mais.

    Por outro lado, uma crítica que faço, é que creio que ainda falta, quando o IT não está resolvendo, ele carregar um pouco mais o time em termos de pontuação.

    Contudo vamos medir o verdadeiro sucesso dessa temporada agora nos offs. Para mim sucesso será minimamente, passar da primeira rodada, que é uma obrigação ( isso com a maior parte do elenco saudável, bate na madeira). Além de fazer uma segunda rodada ao mínimo muito dura e jogando bem.

    Pessoalmente acho que vamos até a final da conferência e ainda arrancamos 2 jogos do Cavs. Mas com agente inteiro eles não estando saudáveis, por exemplo com Love fora e Kyrie com o joelho empenado e depois de jogarem 7x com o Raptores não sei não……

    0

    0
  8. Maurício Green disse:

    Hawk ganhou, assim se garantiu em 5 e decertou que o Bucks será o 6.

    Bucks não joga por nada amanhã. Vi uma notícia que eles irão descansar, o Anteokounmpo, Dellavedova ( desfalque negativo p nos, kkk), Middleton e Snell.

    Não podemos perder nem a pau. Jogar sério o 1/4 e 2/4 ( apronto para os offs), voltar com o pé no fundo no acelerador no 3/4, matar o jogo e do meio do 3 em diante descansar os titulares.

    0

    0

Deixe um comentário