28

dezembro

2015

13

Comentários

Defensor de elite, Crowder começa a se firmar no setor ofensivo de Boston

Se você perguntar para um torcedor celta o que falta para a equipe se consolidar como um postulante as finais da NBA, 9 entre 10 dirão que falta um SF pontuador e um C defensor.

Isso não parece ser um desejo apenas da torcida, mas também da gerencia de Boston.

No inicio da temporada passada, Ainge buscou a todas as custas uma negociação para Gordon Hayward, “queridinho” de Brad Stevens. Hayward no entanto aceitou uma renovação de contrato pelo salário máximo com a equipe de Utah e se tornou uma carta fora do baralho.

Durante o Draft deste ano, Danny Ainge ofereceu um pacote, que para muitos chegava a ser absurdo, para conseguir a escolha do Hornets e assim selecionar Justise Winslow, jovem e atlético SF de Duke.

Sem sucesso na transação, muitos rumores davam contas de que o Celtics ainda buscava esse SF que pudesse pontuar com regularidade. O primeiro procurado foi Tobias Haris, que acabou renovando com o Magic também por um contrato máximo e depois vieram os rumores sobre Chandler Parsons e Danilo Gallinar (que até hoje tem seu nome sondado em Boston).

Sem sucesso em todas essas investidas, coube ao Celtics dar sequencia ao trabalho e firmar Jae Crowder como titular.

Conhecido por ser um jogador “3D”, ou seja, que baseia seu jogo em defesa + bolas de 3pts pontuais, Crowder sempre teve rotulado em sua testa o estigma de um “jogador de papel”, aquele que faz pequenas coisas para a equipe, mas que nunca será um destaque ou uma das primeiras opções ofensivas.

Alheio a isso tudo, Crowder que sofreu muito com irregularidade de seus arremessos nos primeiros meses em Boston, foi aos poucos assumindo liderança dentro de quadra e se tornando mais regular ofensivamente, de forma que aos poucos, sem fazer alarde e sem que a própria torcida percebesse, se tornou o terceiro maior pontuador da equipe na temporada, atrás apenas de Isaiah Thomas e Avery Bradley.

Mas foi no último mês que Crowder deu o “pulo do gato”, ofensivamente falando.

Em Dezembro Crowder fechou o mês com médias de 16,1 pontos e 6,8 Rebotes tendo um aproveitamento de 45% nos arremessos (39,3% da linha dos 3 pontos)

Não temos bola de cristal para saber se Crowder pode manter esses números por toda a temporada daqui para frente, mas caso o faça, e devido a sua defesa de elite, podemos dizer que ele não deverá em nada em termos de impacto de quadra, para jogadores como Hayward, Tobias, Wislow, Parsons e Gallinari, o que deixaria Ainge com um problema a menos para resolver na próxima FA.

Claro…a próxima FA terá simplesmente Durant e Lebron como agentes livres, e aí a história muda completamente de figura, já que estamos falando de 2 dos 5 melhores atletas da liga, dos quais eu não tenho dúvida nenhuma que Ainge faria de tudo para adquirir.

Mas tirando isso, talvez a necessidade de adquirir um SF, tão alardeada nos últimos meses, possa estar diminuindo em muito, com a evolução de Crowder.

Vale lembrar que Crowder ainda é um atleta muito jovem, com apenas 3 anos de liga completos, o que sugere que ele ainda não chegou ao ápice de seu jogo.