Draft 2017 – Jayson Tatum

Na segunda matéria especial do Celtics Brasil sobre os principais atletas inscritos no 2017 NBA Draft, analisamos o ala Jayson Tatum, de 19 anos, que defendeu o forte time de Duke Blue Devils na temporada 2016/2017 da NCAA. Com passagens pelas seleções de base dos Estados Unidos, Tatum é apontado pelos especialistas como um dos maiores talentos ofensivos deste recrutamento. Confira o texto sobre o jovem atleta, nascido em St.Louis, Missouri.

Leia mais:

Draft 2017 – Lonzo Ball

Informações do atleta:

Posição Ala (SF)
Experiência 19 Anos | Freshman (1 ano universitário)
Altura 2,03 metro (6’8”)
Envergadura 2,10 metro (6’11”)
Peso 93 quilos (205 lbs)

Prós:

Jayson Tatum é um pontuador muito sólido, que contribui em vários cantos da quadra de ataque. Sua especialidade é o arremesso de média distância, mas os arremessos de longa distância estão sendo aprimorados e devem apresentar evolução com o passar do tempo na NBA. Tatum conduz bem a bola, sabe criar o seu próprio arremesso quando necessário e driblar os adversários, conseguindo jogadas de cesta e falta com frequência. É um jogador que consegue dificultar a vida de qualquer marcador, não importando força ou altura.

A habilidade de pontuação de Jayson Tatum é facilitada por suas ferramentas físicas, ideais para a posição. Mesmo com mais de dois metros, o camisa 0 de Duke é um jogador leve, versátil, com ótimo pulo, e usa bem essas habilidades na hora de pontuar. O jovem ala também aproveita a sua altura e agilidade para contribuir na defesa, principalmente na briga pelos rebotes. Com instintos defensivos moldados, Tatum pode atuar até mesmo como ala-pivô em uma equipe que goste de jogar no small ball.

Apesar de ser um grande jogador ofensivo, Tatum também se destaca no lado defensivo da quadra. O ala de Duke mostrou-se um sólido defensor em situações de um-contra-um, e com versatilidade para defender múltiplas posições. Sua defesa precisa de algum trabalho e atenção, mas ele já pode ajudar a equipe que o escolher em seus primeiros minutos na NBA.

Outro aspecto muito elogiado em Tatum é o comportamento: em Duke, o ala mostrou uma liderança surpreendente para a sua idade. O camisa 0 é um atleta que não gosta apenas de jogar, mas de melhorar as suas deficiências, e sempre tenta jogar para o time, apesar do faro artilheiro.

Contras:

Tatum é um pontuador sólido, mas ainda se intimida em alguns lances. Por mais que tenha capacidade e ferramenta física para superar qualquer adversário, o jovem ala sofre com marcações mais fortes, que dificultam o arremesso. O arremesso de três pontos apresenta evolução a cada ano, mas o camisa 0 ainda tem um aproveitamento baixo e precisa lapidar isso para não ter maiores problemas em uma NBA cada dia mais viciada nas jogadas de longa distância.

Na defesa, apesar de ser um jogador de bom nível no quesito, Jayson Tatum ainda peca pela falta de intensidade: em alguns momentos do jogo, o atleta de Duke se desliga e permite jogadas fáceis aos rivais. A marcação de atletas de perímetro também precisa ser trabalhada, assim como a força física, mas isso deve ser consertado com o tempo.

Outro ponto a ser aprimorado por Tatum é a sua tomada de decisão. Excelente nos arremessos e solidário aos companheiros de equipe, o camisa 0 comete erros por não saber bem o que fazer em determinados lances. Em algumas jogadas, Jayson força o arremesso e não procura o companheiro livre. Em outros, tenta um passe arriscado, quando tem espaço para chutar, e perde a posse de bola.

Resumo:

Assim como Lonzo Ball, Jayson Tatum não deve ser selecionado pelo Boston Celtics, a não ser que role uma troca e o Alviverde desça algumas posições, já que os olhos da franquia estão no armador Markelle Fultz. Entretanto, o camisa 0 de Duke é um ótimo atleta, que deve ajudar muito a franquia que o selecionar. Apesar de ser muito jovem, Tatum tem uma habilidade de pontuação impressionante e uma ética de trabalho que impressionou até mesmo Mike Krzyzewski, o lendário treinador de sua equipe no basquete universitário. Como bem falou o amigo Fábio Malet no último Mock Draft do Celtics Brasil, Tatum é um jogador com pouquíssimas falhas, que devem ser corrigidas com o tempo.

Médias em 2016-2017 (em 29 jogos):

Minutos Pts Reb Ast Stl Blk FG 3Pts FT
33,3 min 16,8 7,3 2,1 1,3 1,1 45,2% 34,2% 84,9%

Cotações para o Draft:

NBA Draft – www.nbadraft.net 5ª Escolha
Draft Express – www.draftexpress.com 5ª Escolha

Gustavo Arruda
Gustavo Arruda

Gustavo, 25 anos, é maranhense de São Luís, estudante de Jornalismo e repórter esportivo do Imirante.com. Fanático por esportes, principalmente futebol e basquete, é torcedor celta desde 2003, quando ouviu pela primeira vez o TD Garden lotado entoando “Let’s go, Celtics!”, e escreve no Celtics Brasil desde julho de 2011. Nas horas vagas, é goleiro, armador, consumidor de danone, tio do João Gabriel e dá seus pitacos sobre o maior campeão da NBA no Twitter: @gustavoarruda01.

9 Comentários

  1. Leo77 disse:

    Ótimo post, esse é um atleta, q acho q o Boston deveria ir atrás, em caso de troca da escolha.

    0

    0
  2. Barros disse:

    Esse joga demais, vai virar um grande scorer na NBA.

    0

    0
  3. R Green disse:

    Show de bola…
    Como os analistas comentam, com quem Tatum se assemelha na liga?

    0

    0
  4. Guilherme disse:

    Estilo de jogo parece muito com o t-Mac, esse tem muito futuro

    0

    0
  5. Renato disse:

    Tatum pode até se tornar muito bom, mas me parece aquele jogador bom em tudo, mas excelente em nada.

    Esse draft é muito rico de talento, fosse em outra ocasião podia ser até uma escolha número 1, mas com Fultz na jogada nem pensar, menino Fultz é o futuro e ponto.

    0

    0
  6. David Pessoa disse:

    Um dos meus preferidos nesse draft, ainda vamos ouvir falar muito sobre ele, creio eu.

    0

    0

Deixe um comentário