Integrantes do Boston Celtics são lembrados em votações do NBA Awards

Dono da melhor campanha da Conferência Leste na temporada 2016/2017 da NBA, com 53 vitórias em 82 partidas, o Boston Celtics foi muito bem avaliado nas eleições do NBA Awards, que foi realizado na segunda-feira (26) e premiou os destaques da última edição da liga. As votações significativas, entretanto, não resultaram em honrarias para os integrantes do Alviverde, que não recebe prêmios individuais desde 2007/2008: no ano em que conquistou a NBA pela última vez, Boston teve Kevin Garnett como melhor defensor (DPOY), Paul Pierce como melhor jogador das Finais (Bill Russell Finals MVP) e Danny Ainge levando o prêmio de executivo do ano (EOY).

Terceiro maior cestinha da temporada 2016/2017 da NBA, com média de 28,9 pontos por partida, o armador Isaiah Thomas ficou em quinto lugar na votação para melhor jogador da temporada (MVP). O camisa 4 celta recebeu quatro votos para a terceira posição, oito votos para a quarta colocação, e 37 votos para o quinto lugar, somando 81 pontos e superando o armador Stephen Curry, do Golden State Warriors, que levou o prêmio em 2016/2017 e ficou na sexta posição. Na votação, Thomas ficou atrás de Russell Westbrook (Oklahoma City Thunder / 888 pontos), James Harden (Houston Rockets / 753 pontos), Kawhi Leonard (San Antonio Spurs / 500 pontos) e LeBron James (Cleveland Cavaliers / 333 pontos).

Além da votação expressiva na briga para MVP, Isaiah Thomas também foi lembrado na eleição de jogador que mais evoluiu (MIP) e ficou na quinta colocação, atrás de Giannis Antetokounmpo (Milwaukee Bucks / 428 pontos), Nikola Jokic (Denver Nuggets / 161 pontos), Rudy Gobert (Utah Jazz / 113 pontos) e Otto Porter Jr (Washington Wizards / 43 pontos). Thomas teve sete votos para segundo lugar, e 14 votos para a terceira posição, somando 35 pontos. O ala-armador Avery Bradley recebeu um voto para o terceiro lugar, dado por Chris Webber, da Turner.

Sem prêmios dentro de quadra, Isaiah Thomas foi lembrado pelo comportamento fora de quadra, com o prêmio NBA Cares Community Assist Award. Durante a temporada, o armador fez muitos trabalhos pela caridade, não só em Boston, mas também em Tacoma, sua cidade natal, além de auxiliar as vítimas de um incêndio na região de East Cambridge.

Com apenas 40 anos e em sua quarta temporada no Boston Celtics, Brad Stevens ficou na quarta colocação para técnico do ano (COY), perdendo a disputa para Mike D’Antoni (Houston Rockets / 400 pontos), Erik Spoelstra (Miami Heat / 153 pontos) e Gregg Popovich (San Antonio Spurs / 115 pontos). Stevens conquistou 96 pontos, com sete votos para técnico do ano, 16 votos para a segunda posição, e 13 indicações para o terceiro lugar.

O Boston Celtics também recebeu votos na premiação de executivo do ano (EOY). Com um correto trabalho de reconstrução e a aquisição do pivô Al Horford, Danny Ainge recebeu quatro votos para o primeiro lugar, um voto para a segunda colocação, e seis votos para a terceira posição, somando 29 pontos e ficando na quarta colocação. Os três primeiros colocados foram Bob Myers (Golden State Warriors / 59 pontos), Daryl Morey (Houston Rockets / 57 pontos) e Dennis Lindsey (Utah Jazz / 49 pontos).

Por fim, o ala Jaylen Brown recebeu um voto de terceiro lugar para calouro do ano (ROY), dado pelo jornalista Jason Jones, do Sacramento Bee. O vencedor foi o ala-armador Malcolm Brogdon, atleta do Milwaukee Bucks.

Gustavo Arruda
Gustavo Arruda
Gustavo, 25 anos, é maranhense de São Luís, estudante de Jornalismo e repórter esportivo do Imirante.com. Fanático por esportes, principalmente futebol e basquete, é torcedor celta desde 2003, quando ouviu pela primeira vez o TD Garden lotado entoando "Let's go, Celtics!", e escreve no Celtics Brasil desde julho de 2011. Nas horas vagas, é goleiro, armador, consumidor de danone, tio do João Gabriel e dá seus pitacos sobre o maior campeão da NBA no Twitter: @gustavoarruda01.

Deixe um comentário