Jogo 3 – Wizards 116 x 89 Celtics

Depois de iniciar as semifinais da Conferência Leste da NBA com duas vitórias maiúsculas em casa e uma atuação histórica de Isaiah Thomas no segundo jogo, o Boston Celtics disputou, na noite desta quinta-feira (4), no Verizon Center, o seu primeiro compromisso como visitante na série contra o Washington Wizards. Na capital dos Estados Unidos, o Alviverde pretendia manter o ritmo intenso das primeiras partidas, beliscar uma vitória ou mesmo encaminhar a “varrida” do Wizards, mas os donos da casa mostraram que a missão celta não será das mais fáceis: com uma atuação impecável e sempre na liderança do placar, Washington não deu chances ao Celtics e venceu por 116 a 89.

No primeiro jogo em Washington, o cestinha do Boston Celtics foi o pivô Al Horford, que anotou 16 pontos e distribuiu três assistências em 27 minutos. Novamente improvisado como ala-pivô no quinteto titular, para a entrada do ala Gerald Green, Jae Crowder flertou com um duplo-duplo: 14 pontos e sete rebotes. Destaque celta na temporada, o armador Isaiah Thomas teve novos problemas com o dente que caiu no primeiro jogo, sofreu com a forte marcação do Wizards no perímetro e teve uma atuação discretíssima, com apenas 13 pontos e quatro assistências em 29 minutos. O ala-armador Avery Bradley, que reclamou de um problema muscular depois do Jogo 2, também encontrou dificuldades e só fez sete pontos.

Pelo lado do Washington Wizards, o armador John Wall foi mais uma vez o maestro da equipe. Além de cestinha da partida, com 24 pontos, Wall distribuiu oito assistências para seus companheiros. Principal nome da rotação de Washington, o ala croata Bojan Bogdanovic registrou um duplo-duplo, ao anotar 19 pontos e pegar 10 rebotes. O ala Otto Porter Jr também fez 19 pontos, e o pivô polonês Marcin Gortat contribuiu com um duplo-duplo de 13 pontos e 16 rebotes.

Além do domínio do Washington Wizards, a partida foi marcada também pelas cenas lamentáveis. No segundo quarto, após sofrer falta em um corta-luz do ala-pivô celta Kelly Olynyk, o ala Kelly Oubre Jr agrediu o canadense e foi expulso pela arbitragem. Já no último quarto, os armadores Terry Rozier, do Celtics, e Brandon Jennings, do Wizards, se estranharam em dois lances e também foram para o chuveiro mais cedo.

Com a derrota em Washington, o Boston Celtics viu a sua vantagem diminuir para 2 a 1 nesta semifinal. O Wizards, por sua vez, evita a “varrida” e garante pelo menos o retorno a Boston para um quinto confronto. Antes disso, entretanto, Celtics e Wizards farão o Jogo 4 neste domingo (7), às 19h30, no Verizon Center. A partida terá transmissão da ESPN para todo o Brasil.

O jogo

Na metade do primeiro quarto, o Boston Celtics jogou de igual para igual com o Washington Wizards e deu a impressão de que seria assim durante toda a partida. Entretanto, a franquia da capital marcou 20 pontos seguidos em quatro minutos e deixou o Alviverde em uma situação muito delicada na partida. Já no segundo quarto, com a rotação em quadra e a expulsão de Kelly Oubre Jr pelo Wizards, o Celtics esboçou uma reação, mas Washington esbanjou tranquilidade e levou uma vantagem de 23 pontos para o intervalo.

Com o jogo praticamente perdido, a equipe do Boston Celtics voltou do intervalo com uma pontaria melhor, mas a defesa continuou desatenta, impedindo qualquer tentativa de reação verde e branca diante de um sólido Washington Wizards. Quando a vantagem dos donos da casa chegou aos 30 pontos, as duas franquias colocaram os reservas e apenas esperaram o tempo passar.

Destaques do Wizards

John Wall (24 pontos e oito assistências)

Bojan Bogdanovic (19 pontos e 10 rebotes / duplo-duplo)

Otto Porter Jr (19 pontos e oito rebotes)

Marcin Gortat (13 pontos e 16 rebotes)

Destaques do Celtics

Al Horford (16 pontos e três assistências)

Jae Crowder (14 pontos e sete rebotes)

Isaiah Thomas (13 pontos e quatro assistências)

Gustavo Arruda
Gustavo Arruda

Gustavo, 25 anos, é maranhense de São Luís, estudante de Jornalismo e repórter esportivo do Imirante.com. Fanático por esportes, principalmente futebol e basquete, é torcedor celta desde 2003, quando ouviu pela primeira vez o TD Garden lotado entoando “Let’s go, Celtics!”, e escreve no Celtics Brasil desde julho de 2011. Nas horas vagas, é goleiro, armador, consumidor de danone, tio do João Gabriel e dá seus pitacos sobre o maior campeão da NBA no Twitter: @gustavoarruda01.

3 Comentários

  1. Rômulo Portugal disse:

    Derrota esperada, o que surpreendeu, foi o modo como ela ocorreu.

    Wizards nos vendeu caro, as duas derrotas em Boston. Precisamos fazê-los suar também.

    Enfim, é uma série pra 7 jogos. Até aqui, os mandantes fizeram o dever de casa. Tudo dentro da normalidade, exceto a disparidade no placar desse jogo 3.

    0

    0
  2. Marcos disse:

    Acho que agora o Stevens deve voltar o Green ao line-up (não vejo porque mantê-lo com minutagem tão restrita em um elenco tão imitado ofensivamente).

    O Horford é chave nesse encontro, mas o Bradley está lesionado novamente e pode comprometer a rotação dos armadores (o Smart é simplesmente terrível no ataque).

    O banco dos Wizards é curto e ficou ainda mais curto com o jogo de suspensã que deve tomar o Oubre. Temos que tirar vantagem disso.

    O Mahimni voltou, então pode esquecer o “garrafão-mãe” do time reserva de Washington.

    []s verdes

    0

    0
  3. FELIPE RESENDE disse:

    Segredo pra vencer e praticamente liquidar a série é o mesmo da rodada anterior contra o Chicago: deixar Amir Johnson cuidar do Gatorade e nada mais. Cara inútil. Time não pode tomar 20 pts todo jogo pra acordar, q não é toda hora q consegue reverter.

    0

    0

Deixe um comentário