03

janeiro

2016

4

Comentários

Jogos Inesquecíveis: Celtics x Bulls (Playoffs 2009)

Série “Jogos Inesquecíveis”

A equipe Celtics Brasil preparou uma série de 5 matérias que trará de volta alguns dos grandes jogos que ainda vivem em nossa memória como torcedores celtas.

No primeiro capítulo da série, viajamos até o ano de 2002 para relembrar a partida histórica entre Boston Celtics e New Jersey Nets.

Já no segundo, voltamos para 2012 e revivemos a rivalidade que crescia entre Celtics e Cavaliers

Obviamente, a lista não vai conseguir contemplar todos os jogos memoráveis de Boston, até porque isso seria impossível enquanto falamos da franquia mais gloriosa da NBA. São quase 70 anos de história e sempre será uma tarefa difícil eleger os melhores momentos dessa jornada. A atenção maior foi voltada para os anos mais recentes da liga já que muitos fãs puderam acompanhar algum ou alguns desses momentos, além de ser bastante difícil encontrar vídeos com boa qualidade dos grandes momentos do Celtics de décadas atrás. É importante registrar que a intenção não é estabelecer um ranking, mas sim reviver aquelas partidas que certamente mantiveram todos os celtas acordados, eletrizados e à beira de um ataque cardíaco. Com isso esperamos que você torcedor, vibre, relembre e comente a Série “Jogos Inesquecíveis”.

Jogo Inesquecível – Celtics x Bulls (Playoffs 2009)

Era a 6ª partida entre Boston Celtics e Chicago Bulls pela primeira rodada do Playoffs de 2009 na Conferência Leste. A franquia de Massachussets liderava a série por 3-2 e jogava pela classificação à próxima fase. Já a equipe de Illinois, arriscava tudo para forçar o jogo 7 e tentar a virada pra cima do adversário.

O que aconteceu nesse jogo, não foi desse planeta. Pense em absolutamente tudo que um jogo de Playoffs da NBA deve ter para ser completo. Garanto que você irá encontrar tudo isso nessa partida e até um pouco mais. Gosta de grandes atuações? Te mostro os 51 pontos de Ray Allen lá embaixo. Gosta de briga? Assista Kirk Heinrich e Rajon Rondo mostrando afeto com menos de 10 minutos de jogo. Gosta de prorrogação? Então te mostro as 3.

O time do treinador Doc Rivers vinha desfalcado de sua grande estrela Kevin Garnett, que ficou fora da pós-temporada por lesão no joelho, mas contava com uma escalação de respeito em Rajon Rondo, Ray Allen, Paul Pierce, Glen Davis e Kendrick Perkins. Nosso banco era limitado, mas conseguia trazer energia à equipe com Eddie House e seus arremessos de três, Tony Allen e sua defesa impecável e Brian Scalabrine e seu atleticismo combinado com perfeição técnica.

Do outro lado, a fortíssima equipe de Chicago apostava nos talentos de Derrick Rose que fora eleito o melhor calouro daquele ano. O time comandado por Vinny Del Negro mesclava muito bem a juventude e experiência presentes no elenco. Em quadra, os titulares eram Derrick Rose, Ben Gordon, John Salmons, Tyrus Thomas e Joakim Noah. A explosão e o atleticismo dos garotos Rose e Noah traziam dificuldades para os adversários, que ainda tinham que se preocupar com a categoria de Ben Gordon e John Salmons na tábua ofensiva.

A partida foi intensamente disputada do início ao fim, assim como todos os jogos da série. Boston demonstrava um jogo mais pensado e cadenciado, característica marcante da equipe que era armada por Rondo. O Bulls liderou a maior parte do jogo, e contou com uma surpresa vinda do banco: Brad Miller, pivô reserva de não muito destaque até então, anotou 23 pontos incluindo duas bolas de 3. Por falar nelas, Ray Allen parecia aparecer sempre na hora certa para quebrar o o clímax no United Center. Ele foi o cestinha da partida com nove bolas convertidas da linha de três pontos. Falem o que quiser desse sujeito, mas não duvidem do que ele é capaz de fazer com alguns screens e um centímetro de espaço para arremessar. Reveja abaixo a atuação memorável de Allen, particularmente uma das maiores que já tive o prazer de assistir em um jogo de playoffs.

Apesar de ter deixado a vitória da classificação escapar nesse jogo 6, o Boston Celtics retornaria ao TD Garden para fechar o caixão do Bulls (4-3) e avançar na competição. Vale ressaltar que essa série foi extremamente equilibrada e com certeza uma das mais emocionantes da história da liga. Foram 7 prorrogações ao longo de toda série. O Celtics viria a ser eliminado na rodada seguinte pelo Orlando Magic, mas a série contra Chicago, mesmo sem KG em quadra, ainda vive forte na memória dos torcedores celtas.