27

janeiro

2016

6

Comentários

Jogos Inesquecíveis: Celtics x Lakers (Finals 2008)

Série “Jogos Inesquecíveis”

A equipe Celtics Brasil preparou uma série de 5 matérias que trará de volta alguns dos grandes jogos que ainda vivem em nossa memória como torcedores celtas.

No primeiro capítulo da série, viajamos até o ano de 2002 para relembrar a partida histórica entre Boston Celtics e New Jersey Nets.

Já no segundo, voltamos para 2012 e revivemos a rivalidade que crescia entre Celtics e Cavaliers.

O terceiro trouxe de volta o disputadíssimo duelo entre Boston e Chicago nos playoffs de 2009.

Obviamente, a lista não vai conseguir contemplar todos os jogos memoráveis de Boston, até porque isso seria impossível enquanto falamos da franquia mais gloriosa da NBA. São quase 70 anos de história e sempre será uma tarefa difícil eleger os melhores momentos dessa jornada. A atenção maior foi voltada para os anos mais recentes da liga já que muitos fãs puderam acompanhar algum ou alguns desses momentos, além de ser bastante difícil encontrar vídeos com boa qualidade dos grandes momentos do Celtics de décadas atrás. É importante registrar que a intenção não é estabelecer um ranking, mas sim reviver aquelas partidas que certamente mantiveram todos os celtas acordados, eletrizados e à beira de um ataque cardíaco. Com isso esperamos que você torcedor, vibre, relembre e comente a Série “Jogos Inesquecíveis”.

Jogo Inesquecível – Celtics x Lakers (Finals 2008)

Máquina do tempo ligada. Ano de 2008. 4º jogo da série entre Celtics e Lakers válido pelas finais da liga de basquete norte-americana. A equipe de Boston vencia por 2-1 e iria fazer de tudo para não ceder o empate à franquia de Los Angeles. O treinador Doc Rivers comandava um quinteto titular formado por Rajon Rondo, Ray Allen, Paul Pierce, Kevin Garnett e Kendrick Perkins. Boston ainda se dava ao luxo de ter no banco Sam Cassel, Eddie House, Tony Allen, James Posey, Glen Davis e PJ Brown. E foi justamente esse banco, o fator que mudaria os rumos da partida. Enfrentando Derek Fisher, Radmanovic, Kobe Bryant, Lamar Odom, Pau Gasol e o mago do basquete Phil Jackson, a equipe do Celtics encarava a pressão e o desafio de sair da fila após 22 anos em jejum.

Apesar de estar vencendo a guerra, a batalha até então era toda do rival, que no primeiro quarto de jogo passou por cima de Boston por 35 x 14. Perdendo por 24 pontos no final do segundo quarto de partida, muitos já cantavam a derrota do Celtics e a torcida no Staples Center só faltou gritar olé. No entanto, apesar do cenário “irreversível” para o lado verde,  a NBA estava prestes a assistir a maior virada em uma final de campeonato desde 1971. Nos minutos finais do segundo quarto, a franquia de Massachussets começou a assustar o time da casa que em um piscar de olhos viu sua vantagem de 24 pontos ser reduzida para 12. O ginásio de Los Angeles foi sendo tomado pelo silêncio e os gritos de Kevin Garnett já ecoava pelas arquibancadas.

Nesse jogo, Pierce se destacava pela boa marcação em cima de Kobe Bryant, MVP da temporada regular. O capitão celta segurou seu matchup em 6-19 FG, um aproveitamento pífio de 31% que facilitou o caminho para a reação alviverde. Outro jogador que se destacou demais foi James Posey: espetacular vindo do banco, o veterano converteu 5 arremessos da longa distância e terminaria o jogo com um total de 18 pontos. Quando o Lakers conseguia tirar a cabeça da água para respirar, Posey surgia na zona morta para afogar o Staples Center em tensão novamente.

Restando 4 minutos para o final de jogo, o Celtics obteve sua primeira vantagem no placar desde o momento em que a partida se iniciou. Pierce e seus companheiros mostravam a definição de crescer no momento certo. E foi assim até o final de jogo. Com muita experiência e competência para segurar o resultado, os 20 pontos de Pierce, o double-double de Kevin Garnett (16 pontos, 11 rebotes) e os 36 pontos vindo do banco asseguraram a maiúscula vitória do time de Boston, que abriria 3-1 no placar da NBA Finals. O final dessa história vocês já conhecem.