03

abril

2017

6

Comentários

Knicks 94 x 110 Celtics

Sem atuar longe de casa desde o dia 19.03.2017, quando perdeu para o Philadelphia 76ers, o Boston Celtics foi até a New York e fez jus, mais uma vez, à fama de visitante indigesto.

Detentor da melhor campanha de visitante, dentre as equipes da Conferência Leste (com 22 vitórias em 39 partidas), a equipe de Boston foi dona do jogo do começo ao fim, sem nunca ter ficado atrás no placar.

O New York Knicks, desfalcado de Carmelo Anthony e Derrick Rose (este último sofreu nova lesão no joelho e está fora do restante da atual temporada), não ofereceu grande resistência, já que a derrota era o melhor resultado, tendo em vista a loteria do Draft.

O Celtics, que não tem nada a ver com isso e busca se manter na liderança de sua conferência, fez o que era esperado: foi dominante. Aliando um forte jogo coletivo com belos lances individuais, o maior campeão da NBA tratou de matar o jogo cedo, podendo se dar ao luxo de poupar seus principais jogadores no quarto derradeiro. Para ratificar o ora dito, o titular que mais tempo ficou em quadra, foi o ala Jae Crowder, que atuou por apenas 28 minutos.

Infelizmente e por ironia do destino, o mesmo Crowder sofreu uma (ainda) misteriosa lesão no cotovelo esquerdo, no 3° quarto do embate. O camisa 99 deixou a quadra imediatamente e já realizou exame de raio-X no local machucado, que nada acusou. Contudo, como as dores permanecem, o Celtics já informou que submeterá seu jogador a uma ressonância magnética. Maiores informações surgirão nesta segunda-feira.

Muitos foram os destaques individuais, mas algum merecem menção expressa. Al Horford deixou o Madison Square Garden com 14 pontos (6/9 FG) e 7 rebotes, além de ter sido dono de enterradas muito sonoras e imponentes.

Quanto ao banco de reservas, os holofotes vão para Marcus Smart e Terry Rozier. O primeiro, após um horripilante Março nos arremessos, foi muito eficiente, tendo acertado mais de metade de suas tentativas (6/11 FG) e terminou o dia também com 14 pontos. Essa maior eficiência nas finalizações, inclusive, muito se deve ao segundo jogador supracitado. O segundanista Rozier assumiu o papel de condutor principal, na ausência de Thomas, e fez seus companheiros pontuarem, além de ter conseguido suas cestas das mais diversas formas – infiltração, midrange e bola de três.

Após conquistar sua 50ª vitória, em 77 partidas, em 2016/2017 (feito que não era alcançado desde 2010/2011), o Boston Celtics se prepara para aquela que será uma “Final do Leste”: na próxima quarta-feira, o maior campeão da NBA e líder do Leste receberá o atual campeão e vice da mesma conferência, Cleveland Cavaliers, que está atrás por apenas meio jogo (49 vitórias em 76 jogos).

O New York Knicks, por sua vez, não vê a hora da atual temporada terminar, mas ainda precisará entrar em quadra em mais cinco ocasiões. A próxima será no dia 04.04, quando receberá o emergente Chicago Bulls.

Destaques do Knicks:

  • Courtney Lee: 16 pontos (5/10 FG) e 5 rebotes;
  • Kyle O’Quinn: 11 pontos (2/7 FG) e 9 rebotes;
  • Willy Hernangomez: 12 pontos (6/9 FG), 3 rebotes e 3 assistências;
  • Kristaps Porzingis: 14 pontos (6/10 FG) e 1 rebote.

Destaques do Celtics:

  • Isaiah Thomas: 19 pontos (6/11 FG) e 6 assistências;
  • Jaylen Brown: 16 pontos (5/6 FG) e 2 rebotes;
  • Al Horford: 14 pontos (6/9 FG) e 7 rebotes;
  • Marcus Smart: 14 pontos (6/11 FG) e 5 assistências;
  • Terry Rozier: 12 pontos (4/6 FG), 4 assistências, 3 roubos de bola e 2 rebotes.

Melhores Momentos: