O que a 2ª rodada do próximo Draft pode oferecer ao Celtics?

Futuro Celtics

Apesar de praticamente todas as atenções da torcida estarem voltadas à primeira escolha no próximo Draft, vale ressaltar que o Boston Celtics ainda possui três escolhas de segunda rodada no recrutamento: as picks 37, 53 e 56. Por vezes ignorada pelas franquias e pela maioria dos fãs de NBA, a segunda rodada do Draft já proporcionou diversos talentos “escondidos” à liga de basquete americana como Dennis Rodman, Paul Millsap, Draymond Green, Manu Ginóbili, sem esquecer, é claro, do armador All-Star do Boston Celtics, Isaiah Thomas. Em busca de um novo steal na segunda rodada do recrutamento, trazemos abaixo uma lista de alguns dos jogadores que estarão ao alcance do Celtics e que podem surpreender positivamente ao chegar na NBA.

 

Leia Mais

Mock Draft 2017 Celtics Brasil, com análise dos jogadores da loteria


Dwayne Bacon

Posição: Ala/Ala-Armador
Idade: 21 anos
Altura: 1,96 m
Envergadura: 2,08 m
Peso: 92 kg
Origem: Florida State (Sophomore)

Min Pts Reb Ast Stl Blk FG% 3P% FT% TOs
28,8 17,2 4,2 1,7 1,0 0,1 45,2 33,3 75,4 2,0

Dwayne Bacon é um jogador que divide opiniões entre os especialistas em draft. Muitos o consideram como um jogador de nível universitário apenas, enquanto outros o enxergam como um bom prospecto para a NBA. Pesa contra o ala de 21 anos o fato de ter alternado momentos de altos e baixos na NCAA e por ser considerado um jogador unidimensional, ou seja, especialistas apontam que Bacon é capaz de marcar pontos mas não mais do que isso. Por falar em marcar pontos, essa é a especialidade do prospecto de Florida State: com um arremesso bem polido, ele consegue pontuar saindo de screens, e gosta de utilizar seu pull-up shot para marcar. O companheiro de Jonathan Isaac também demonstra bom quadro físico para o basquete profissional, sendo capaz de jogar nas posições 2 e 3. Se aprimorar seu arremesso da longa distância, Dwayne Bacon pode ser uma grata surpresa na NBA com um eficiente arsenal ofensivo.


Jordan Bell

Posição: Ala-Pivô/Pivô
Idade: 22 anos
Altura: 2,06 m
Envergadura: 2,13 m
Peso: 103 kg
Origem: Oregon (Junior)

Min Pts Reb Ast Stl Blk FG% 3P% FT% TOs
28,8 10,9 8,8 1,8 1,3 2,2 63,6 21,4 70,1 1,9

Se você procura um ala-pivô atlético, capaz de bloquear arremessos e ainda chegar com velocidade no contra-ataque para finalizar uma ponte-aérea, então, deve considerar o nome de Jordan Bell. Com três temporadas na Universidade de Oregon, ele mostrou bom amadurecimento e na última temporada foi eleito o melhor jogador defensivo da forte conferência PAC-12. Certamente, o que mais chama a atenção na defesa de Bell é sua habilidade em proteger o aro: com menos de 29 minutos por jogo ele registrou uma incrível média de 2,2 tocos por partida. Seu tempo de bola e sua rápida elevação o permitem conseguir tocos limpos e incomodar arremessos, seja por trás do adversário ou cobrindo o weak side. Para deixar os analistas mais animados, Jordan Bell demonstrou que sua defesa não se resume à apenas bloquear arremessos. Por ter pés rápidos, ele se mostrou capaz de defender múltiplas posições e ao que tudo indica, não irá sofrer com trocas na marcação na liga profissional. Com tantos elogios defensivos, você pode estar se perguntando o porquê desse cara estar sendo cogitado apenas para a segunda rodada do draft. Bem, quando o assunto é jogo ofensivo, Jordan Bell começa a ficar para trás dos outros prospectos e acaba prejudicando suas projeções. Na carreira universitária, o bigmen de 22 anos provou-se limitado ofensivamente pois não conseguiu desenvolver um arremesso confiável e não demonstrou evolução em seu jogo de post. Os 11 pontos que ele marcava em média por jogo provinham em grande parte de contra-ataques ou jogadas de pick-and-roll. Apesar dessa deficiência, Bell ainda deverá conseguir espaço na NBA e se mostrar útil ao time que o selecionar.


Thomas Bryant

Posição: Pivô
Idade: 19 anos
Altura: 2,08 m
Envergadura: 2,29 m
Peso: 109 kg
Origem: Indiana (Sophomore)

Min Pts Reb Ast Stl Blk FG% 3P% FT% TOs
28,1 12,6 6,6 1,5 0,8 1,5 51,9 38,3 73,0 2,3

Apenas oito jogadores na NBA inteira possuem uma envergadura maior do que a de Thomas Bryant. Apesar de ser considerado um pouco baixo para a posição de pivô, o segundanista compensa na área que consegue cobrir com seus braços gigantes. Tendo facilidade de finalizar jogadas perto da cesta e ainda convertendo 38,3% dos arremessos da longa distância, Bryant se torna um prospecto de pivô interessante para a NBA moderna. Soma-se a isso o fato de ele converter 73% dos lances livres tentados, boa média para um atleta da NCAA. Como possui excelente atleticismo, o garoto de Indiana também enche os olhos dos analistas pelo potencial de proteção ao aro e sua impressionante energia para lutar por rebotes, principalmente os ofensivos. Com apenas 19 anos, Thomas ainda tem bastantes falhas em seu jogo, como posicionamento defensivo e trabalho de pés. Sem dúvida, Bryant consolida-se como um prospecto cru, mas de grande potencial.


Tyler Dorsey

Posição: Ala-Armador
Idade: 21 anos
Altura: 1,94 m
Envergadura: 1,96 m
Peso: 82 kg
Origem: Oregon (Sophomore)

Min Pts Reb Ast Stl Blk FG% 3P% FT% TOs
30,3 14,7 3,4 1,8 0,8 0,1 51,0 42,4 75,2 1,6

Outro destaque de Oregon, semifinalista do último torneio da NCAA, Tyler Dorsey é um prospecto que deve chamar a atenção dos olheiros durante a segunda rodada do próximo recrutamento. Um dos pilares dos Ducks, campeões do torneio Regional MeioOeste da NCAA, Dorsey é um jovem com bastante talento ofensivo e que é afeito a decidir partidas, como as muitas que o fez no torneio da NCAA. Do ponto de vista físico, Dorsey já tem o corpo pronto para impactar na NBA. Com seus ótimos instintos ofensivos, pontuando de inúmeras formas, e com excelente aproveitamento em arremessos de longa distância, ele deve cavar sua vaga na rotação de alguma equipe da NBA, principalmente naquelas que precisam de pontuação vinda do banco. Dorsey não é um grande defensor, e também não consegue criar jogadas para os companheiros, mas sua capacidade ofensiva é suficiente para garantir-lhe um lugar na NBA. Sua ligação com a Grécia, terra natal de sua mãe, pode ajudar-lhe a conseguir um lugar neste Draft, em especial em equipes como o Celtics, que possuem muitos jovens e gostam de desenvolver jogadores fora dos Estados Unidos, o famoso draft-and-stash.


Kyle Kuzma

Posição: Ala-Pivô
Idade: 21 anos
Altura: 2,07 m
Envergadura: 2,14 m
Peso: 100 kg
Origem: Utah (Junior)

Min Pts Reb Ast Stl Blk FG% 3P% FT% TOs
31,2 16,3 9,0 2,4 0,6 0,5 50,4 32,1 66,9 2,1

Kyle Kuzma é mais um bigmen que ganha destaque na classe por encaixar-se perfeitamente na nova era de arremessadores da NBA. Kuzma é um ala-pivô de 2,07m que espaça bem a quadra, já que trata-se de um ótimo arremessador de média distância e que mostra grande evolução nos arremessos de longa distância: em sua última temporada por Utah, ele teve 32,1% de aproveitamento nos arremessos de três pontos, no entanto, este número subiu para 40,7% em seus dez últimos jogos. Além disso, o que destaca Kuzma dos demais jogadores da posição é a grande capacidade de condução de bola e armação de jogadas. Kuzma ainda é um excelente reboteiro, registrando 9 rebotes por jogo em sua última temporada de NCAA. Defensivamente, é versátil, podendo defender alas e alas-pivôs, e faz um trabalho digno defendendo o perímetro. Porém, necessita de algum trabalho para defender dentro do garrafão, além de faltar-lhe consistência e leitura. De qualquer forma, tem ferramentas e potencial para ser um bom defensor na NBA.


Jonathan Motley

Posição: Ala-Pivô/Pivô
Idade: 22 anos
Altura: 2,06 m
Envergadura: 2,24 m
Peso: 104 kg
Origem: Baylor (Junior)

Min Pts Reb Ast Stl Blk FG% 3P% FT% TOs
30,5 17,3 9,9 2,3 0,4 1,1 52,2 28,1 69,9 2,9

Johnathan Motley é o tipo de jogador que você não gostaria de enfrentar em um jogo de basquete. Trata-se de um jogador alto, com agilidade, ótima envergadura e energia inesgotável. Resumindo de uma maneira informal, é um cara “enjoado” de se enfrentar no garrafão. Foi assim que ele chamou a atenção dos olheiros da NBA e subiu aos poucos nos mock drafts desse próximo recrutamento. Apesar de já ter 22 anos, o potencial defensivo de Motley é alto: ele consegue incomodar arremessadores com sua envergadura e também demonstra boa lateralidade para marcar jogadores mais velozes (geralmente em situações de troca). No ataque, o prospecto de Baylor não possui grande repertório mas é bastante eficiente: ele gosta de atuar próximo à cesta para aproveitar seu bom jogo de post, com destaque para seu gancho de direita. Motley também absorve bem o contato e pareceu confortável nas vezes que enfrentou garrafão povoado. O fator que mais prejudica seu jogo, se resume à sua versatilidade ofensiva, já que ele não é bom arremessador, nem infiltrador. Além disso, ele foi criticado em Baylor pelo seu alto número de turnovers.


Cameron Oliver

Posição: Ala-Pivô
Idade: 20 anos
Altura: 2,03 m
Envergadura: 2,17 m
Peso: 102kg
Origem: Nevada (Sophomore)

Min Pts Reb Ast Stl Blk FG% 3P% FT% TOs
31,9 16,0 8,7 1,8 0,8 2,6 46,5 38,4 69,2 2,4

Com habilidade para espaçar a quadra, capacidade de defender trocas e ainda proteger o aro, a vaga de Cameron Oliver na NBA parece estar praticamente garantida. Apresentando uma combinação de talentos como essa, dificilmente o ala-pivô de Nevada não será selecionado no próximo draft. Ele possui mecânica de arremesso digna de um armador e isso facilitou seu jogo ofensivo na última temporada do basquete universitário, seja arriscando da longa distância ou frente a frente com seu marcador de garrafão. Oliver também agrada os olheiros por seu quadro físico que já aparenta ser de nível profissional. Por outro lado, seu polimento ofensivo ainda está longe de ser concluído: Cameron além de não tomar boas decisões, muitas vezes tenta fazer mais do que é capaz com a bola o que se traduz em um alto índice de turnovers. Na tábua defensiva, ele apresenta dificuldades de ler o pick-and-roll e comete erros bobos de rotação. São erros comuns de se ver em jogadores universitários mas que podem dificultar bastante a transição para o profissional.


Ivan Rabb

Posição: Ala-Pivô/Pivô
Idade: 20 anos
Altura: 2,08 m
Envergadura: 2,17 m
Peso: 98 kg
Origem: California (Sophomore)

Min Pts Reb Ast Stl Blk FG% 3P% FT% TOs
32,6 14,0 10,5 1,5 0,7 1,0 48,4 40,0 66,3 2,2

Mesmo sendo cotado para ser escolhido dentro do top-15 no último draft, Ivan Rabb tomou a difícil e corajosa decisão de recusar a NBA para continuar por mais um ano no basquete universitário. Para o azar do jovem ala-pivô, a classe desse ano é recheada de talentos, o que acabou prejudicando-o, já que agora está cotado para sair no final da primeira rodada ou até no início da segunda rodada do recrutamento. Por outro lado, com mais uma temporada na NCAA, Rabb conseguiu aprimorar alguns aspectos do seu jogo, principalmente seu QI de basquete, tomando melhores decisões em quadra. Sua habilidade nos rebotes continua animando os olheiros e analistas de draft, mas com apenas 98kg, muitos apontam que o segundanista terá dificuldades na transição para o profissional, onde certamente irá encarar jogadores mais fortes que ele. Um dos fatores que mais impressionam quando analisamos Ivan Rabb é sua excelente mobilidade aliada à sua boa altura (2,08m). Ele é capaz de correr a quadra em poucos segundos e consegue saltar com facilidade, o que o garante como bom jogador em jogo de transição. Caso se torne jogador do Celtics, Ivan Rabb reencontrará seu ex-companheiro na Universidade da California, Jaylen Brown. Os dois jogaram juntos em 2015-16 e são amigos até hoje.


Caleb Swanigan

Posição: Ala-Pivô/Pivô
Idade: 20 anos
Altura: 2,06 m
Envergadura: 2,21 m
Peso: 112 kg
Origem: Purdue (Sophomore)

Min Pts Reb Ast Stl Blk FG% 3P% FT% TOs
32,5 18,5 12,5 3,0 0,4 0,8 52,7 44,7 78,1 3,4

Caleb Swanigan não é o melhor jogador desse draft, mas com certeza tem a melhor história de superação. Swanigan conviveu com um pai viciado em crack, já morou em diversos abrigos na rua e pesava 164kg quando adolescente. Ele teve a força mental de ultrapassar todos esses obstáculos para se tornar um jogador de basquete de nível de NBA. Sua vida começou a mudar quando foi adotado por um empresário esportivo, amigo de seu irmão mais velho. A partir daquele momento, com uma vida mais segura e adequada, ele pôde focar em aprimorar seu jogo. E como aprimorou! Caleb foi considerado por muitos analistas o jogador que mais evoluiu da sua primeira para segunda temporada de NCAA. Além de ser um ótimo reboteiro, ele conseguiu adicionar à seu jogo um arremesso de três pontos confiável e também mostra bons movimentos no post. Dentre os homens de garrafão da próxima classe, Swanigan teve uma das melhores médias de assistências (3,6) por jogo, o que impressiona bastante. Por tudo o que mostrou nessa temporada, ele foi eleito o Jogador do Ano da conferência BIG 10. Na contramão disso, as principais críticas à Caleb começam em seu quadro físico: ele é considerado baixo para a posição de pivô e lento para a posição de ala-pivô. Quando enfrentou adversários de maior estatura, Swanigan teve bastante dificuldade para marcar pontos no garrafão. Outro fator que limita seu potencial é sua defesa, e a dúvida que persiste nas análises é: será que ele tem agilidade para marcar alguém na NBA? Recentemente, um General Manager da liga afirmou, após assistir um treinamento que Caleb Swanigan, que ele é o jogador mais subestimado dessa classe. Veremos se ele tem razão.


Sindarius Thornwell

Posição: Ala-Armador
Idade: 22 anos
Altura: 1,95 m
Envergadura: 2,08 m
Peso: 97 kg
Origem: South Carolina (Senior)

Min Pts Reb Ast Stl Blk FG% 3P% FT% TOs
34,3 21,4 7,1 2,8 2,1 1,0 44,4 39,2 83,0 2,5

Thornwell é um dos jogadores mais subestimados desta classe. Tão subestimado que não aparece em nenhuma das 60 escolhas em alguns mock drafts e nem possui um vídeo de análise do DraftExpress. O ala-armador de South Carolina liderou os GameCocks, cabeça-de-chave número 7, ao título do torneio Regional Leste do March Madness da NCAA, levando sua universidade ao tão cobiçado Final Four do torneio. Ou seja, Sindarius lideou a 26ª universidade ranqueada no país a ser uma das 4 melhores da temporada. Thornwell é um dos principais scores da classe, e pontua de todas as formas. Sua média de 21,4 pontos por partida foi uma das 15 melhores da temporada. Sua versatilidade ofensiva, seus arremessos consistentes e sua liderança o destacam dos demais neste recrutamento. E além desta grande capacidade ofensiva, Thornwell é um ótimo e versátil defensor, que pode defender armadores, alas-armadores e alas e que ostenta médias de 2,1 roubos e 1,0 tocos por partida. Sua capacidade de angariar rebotes também é um ponto a se destacar: foram 7,1 rebotes por jogo na temporada da NCAA para um jogador de apenas 1,95m. Pode não ter o potencial de muitos, até por conta de sua idade (22 anos), mas Thornwell merece um grande olhar das equipes da NBA, e deve tornar-se um steal para a equipe que o selecionar a qualquer ponto da segunda rodada.


Colaboraram com o texto: Bruno Penna e Fábio Malet

 

Glossário

Freshman – Calouro
Sophomore – Segundanista
Junior – Terceiro-Anista
Senior Quarto-Anista
Min = Minutes Per Game – Média de minutos jogados por partida
Pts = Points Per Game – Média de pontos por jogo
Reb = Rebounds Per Game – Média de rebotes por jogo
Ast = Assists Per Game – Média de assistências por jogo
Stl = Steals Per Game – Média de roubos de bola por jogo
Blk = Blocks Per Game – Média de tocos por jogo
FG% = Field Goal Percentage – Porcentagem do aproveitamento de arremessos de quadra
3P% = 3-Point Percentage – Porcentagem do aproveitamento de arremessos de 3 pontos
FT% = Free Throw Percentage – Porcentagem do aproveitamento de lances livres
TOs = Turnovers Per Game – Média de desperdícios de bola por jogo

Bruno Penna
Bruno Penna

Nascido e criado no Rio de Janeiro, é formado em Administração e apaixonado por esportes. Começou a se interessar por basquete em 2005 ao assistir um monstro chamado Kevin Garnett em quadra. Se apaixonou pela história do Boston Celtics e desde então dividiu o fanatismo que antes era ocupado só com o Botafogo.

9 Comentários

  1. Sander disse:

    Tem bons jogadores que podem ser um achado, tbm tem uns prospectos internacionais que poderiam levar rodagem na Europa é futuramente fazer parte do plantel.

    0

    0
  2. Fabio de Abreu disse:

    Duvido que Ivan Rabb caia para segunda rodada,se aparecer acho que temos a obrigaçao de pega-lo o cara era considerado 2 melhor PF no HS atras so de Ben Simmons.
    Outro jogador que gosto pra segunda rodada é o D Bacon muito atletico rapido habilidoso, olho nele.
    O “problema” é que o Celtics tem o elenco bem recheado já com mais Picks no futuro jogadores vindo de stash enfim acho bem possível que nossas escolhas de 2 rodada sejam trocadas.

    0

    0
  3. JailtonSV disse:

    É sério que temos 3 escolhas de segundo round? Uma pena que não temos como absorver essa quantidade de jogadores. Seria realista tentar subir no draft usando essas 3 picks ou o valor de mercado delas é praticamente zero?

    0

    0
  4. Fabio de Abreu disse:

    Escolhas de começo de segundo round normalmente tem um valor ate que bom pela possobilidade que o 2nd round da de flexibilidade na hora de assinar com o calouro.
    Portanto usando as picks desse ano mais alguma futura deve dar pra subir pro fim de primeiro Round sim.Porem nao vi noticia de nenhum jogador cotado nessa faixa fazendo Workout com o Celtics

    0

    0
  5. Iago Pacifico disse:

    São todos bons nomes, mas acho realmente que qualquer um desses sobre por causa do distanciamento das nossas picks. Talvez o Oliver, mas ainda é difícil. Outro cara muito subestimado também de South Carolina é o PJ Dozier, arsenal ofensivo muito bom e atributos físico bons também.
    Meu jogador favorito junto com o Tatum.

    0

    0
  6. Oberdan Gonzalez disse:

    Acho o Thomas Bryant muito subestimado. Vejam o vídeo e me digam.
    O cara é PHODA !

    0

    0
  7. Junior disse:

    Ivan Rabb. Muito bom jogador

    0

    0
  8. Gustavo Miglioretti disse:

    Gosto muito do Bell

    0

    0
  9. marivideo disse:

    gosto do bacon e do motley !

    0

    0

Deixe um comentário