09

julho

2016

43

Comentários

Os bastidores da reunião entre Celtics e Durant

Você viu que Tom Brady acompanhou o Celtics, até o nobre bairro The Hamptons (cidade de New York), com o intuito de ajudar a franquia a trazer Kevin Durant para Boston. Você também soube que o Celtics não obteve êxito, já que o MVP de 2014 levou seus talentos para Oakland, onde vai jogar pelo Golden State Warriors.

O que você não sabe, são dos bastidores da reunião entre Boston Celtics e Golden State Warriors. Agora, você saberá.

De acordo com o GM celta Danny Ainge, tudo começou assim:

“Tom Brady e eu somos próximos. Nós já conversamos várias e várias vezes. Logo, eu o chamei e disse sobre o encontro que teríamos com Durant, no Sábado (dia 02/07). Brady só teve um dia para descanso nas últimas semanas. Ele estava com sua família, na Costa Rica, e nós ficamos trocando mensagens enquanto ele esteve lá. Na sexta (dia 01/07), ele voltou para Boston e eu disse, ‘Nós teremos uma reunião com KD, você pode vir conosco?’. Ele disse que não tinha certeza e precisava pensar. Finalmente, ele veio e respondeu ‘Sim, eu posso e quero. Vai ser divertido’.

Prosseguiu o dirigente celta:

“Bom, inicialmente, nós estávamos em Atlanta, tentando trazer Al Horford para nossa equipe. No sábado, pela manhã, alguns de nós foram de Atlanta para The Hamptons e outros foram de Atlanta para Boston. Voos particulares, obviamente. Um avião iria para Hanscom (em Bedford, Massachusetts), para buscar Brady. Nesse avião estavam Wyc Grousbeck, Steve Pagliuca e eu. Quando chegamos em Hanscom, nós buscamos Brady e Marcus Smart. De lá, nós viajamos para The Hamptons, onde outro grupo nos aguardava. Kelly Olynyk, Brad Stevens, Isaiah Thomas e Jae Crowder foram direto para The Hamptons.

Pouco antes do nosso encontro com KD, todos fomos almoçar com Tom Brady. Eu acho que foi muito divertido, para todos nós, estar tão próximo de Brady e ter a oportunidade de trocar algumas palavras com ele. Nossos jogadores estavam, realmente, entusiasmados e felizes por conhecê-lo. Eles o perguntaram sobre treinamento, disciplina e como ele consegue render em alto nível até os dias de hoje. Foi um ótimo papo durante o almoço. Foi ótimo ver Brady ensinando lições e mais lições aos nossos garotos.

Do almoço, nós fomos para o ponto de encontro com Kevin Durant. KD havia combinado que a reunião seria na casa que ele alugara para realizar esses encontros com as equipes interessadas. Chegamos lá por volta de 17h (Horário de Brasília). Salvo engano, ele já havia se reunido com Thunder, Warriors, Clippers e Spurs. Então, chegou nossa vez. Nossa reunião durou aproximadamente 3 horas.

De cara, Tom Brady e Kevin Durant cumprimentaram-se. Eles já se conheciam. Brady é um grande fã do jogo de KD. Em seguida, sentamos e logo começamos a tratar dos negócios. Brady falou um pouco sobre o Celtics, sobre a cidade de Boston e como a torcida é fã de seus times e abraça os jogadores.

Após conversamos por um tempo, os jogadores entraram e conversaram entre si. Brady, Durant e todos os nossos jogadores. Eles conversaram sem a presença de qualquer um de nós (dirigentes) ou empresários. Foi uma reunião entre nossos jogadores, Durant e Brady. Talvez, Durant tivesse perguntas sobre nós (diretoria), talvez tivesse curiosidade sobre o trabalho de Brad Stevens. Sinceramente, eu não faço ideia do que eles debateram. Esse papo durou cerca de 45 minutos. Enquanto isso, os diretores e eu estávamos aguardando, ansiosos, obviamente.

Posteriormente, os jogadores saíram e sentaram na sala de espera. Foi a vez de voltarmos e falarmos sobre Boston e discorrer sobre as qualidades da cidade. KD tinha algumas perguntas. Ele, como esperado, preparou-se bem para a reunião e mostrou bastante conhecimento sobre Boston, o que foi muito impressionante.

Em seguida, todos os jogadores – nossos e Brady – foram dispensados. Eles foram para o aeroporto. Brady retornou com todos os nossos jogadores. Eles saíram 1 hora e meia antes de nós. Daí pra frente, foram só Stevens, Pagliuca, Grousbeck e eu, além de KD e seu empresário, logicamente. Na verdade, também estavam presentes o pai de Kevin e mais um amigo pessoal dele. Nós apenas falamos sobre basquete por 1 hora e meia. Nós expomos como ele seria utilizado por nós, nós exibimos vídeos. Stevens fez um trabalho magnífico, em sua apresentação de como KD seria utilizado. Eu acho que nos saímos muito bem. Nós saímos da reunião com o sentimento de que possuíamos legítimas chances de contratá-lo.

Nós fomos de desesperançosos, ao ponto de todos acharem que tínhamos chance. Nós fizemos por onde, para acreditar, durante as próximas 48 horas, que tínhamos chance de trazê-lo para nosso lado.

Os dias se passaram e KD me ligou na segunda-feira, pela manhã. Nós tivemos um bom papo e todos expuseram o que pensavam. Ele disse que foi uma decisão muito difícil,que ele ficou impressionado com nossa equipe e com tudo que tínhamos para oferecer. Foi uma conversa saudável e eu desejei sucesso para ele.

É difícil dizer quão impactante foi a presença de Tom Brady na reunião. Obviamente, sua presença foi benéfica para nós e eu acredito que nossos jogadores também aproveitaram bem a oportunidade de conhecê-lo. Foi divertido estar próximo a ele. Eu acho que balançamos KD, mas o quanto balançamos, eu não sei dizer. Foi uma reunião de mútuo respeito. Brady fez um excelente trabalho por nós, e nós estamos muito agradecidos, independentemente do resultado final. Foi uma boa experiência para nós”.