Prévia – Quartas Mundial

Saiba tudo sobre os duelos das quartas de final do Mundial da Espanha 2014.

Desde 2006, quando o mundial passou a ser disputado por 24 equipes, é a primeira vez que os quatro classificados de um grupo avançam juntos até a fase quartas de final. O grupo A fez valer a alcunha de “grupo da morte” e conta com quatro seleções entre as oito melhores do mundo: Espanha, Brasil, França e Sérvia.

Veja abaixo prévias completas de cada confronto.

Lituânia X Turquia – Terça-feira 12h – Barcelona

Lituânia

Campanha: 4 V – 1 D (1° lugar no Grupo D)
Oitavas de final: Lituânia 76 X 71 Nova Zelândia
Títulos: Campeã Europeia (1937, 1939 e 2003)
Destaques: Jonas Valanciunas (13 pontos, 7.8 rebotes), Donatas Motiejunas (10 pontos, 4.5 rebotes) e Renaldas Seibutis (8.8 pontos, 3.2 assistências, 2 rebotes)
Técnico: Jonas Kazlauskas

Turquia

Campanha: 3 V – 2 D (2° lugar no Grupo C)
Oitavas de final: Turquia 65 X 64 Austrália
Títulos: Não tem
Destaques: Emir Preldzic (12.5 pontos, 5.3 rebotes, 3.8 assistências), Omer Asik (9.7 pontos, 8.2 rebotes), Oguz Savas (8.3 pontos, 2.7 rebotes) e Ender Arslan (8.3 pontos, 3 assistências)
Técnico: Ergin Ataman

Lituânia e Turquia já jogaram várias vezes nos últimos anos em competições internacionais, mas agora as seleções se enfrentam em um jogo de maior importância e que deve manter o equilíbrio dos últimos jogos. Desde 2005, Lituânia e Turquia se enfrentaram seis vezes em grandes competições e cada seleção venceu três partidas. Os lituanos ganharam na primeira fase dos Eurobaskets de 2011 (75 X 68), 2007 (86 X 69) e 2005 (87 X 75). Já a Turquia venceu na primeira fase do campeonato europeu de 2009 (Turquia 84 x 76) e duas vezes mo mundial de 2006 no Japão: 76 x 74 e 95 x 84.

A seleção turca mostrou poder de decisão. Especialmente o ala Preldzic, que acertou uma cesta de três pontos nos últimos segundos para derrotar a Austrália. A Lituânia também teve muito trabalho (mais do que o esperado) para vencer a Nova Zelândia. Muito graças a grande atuação do pivô Valanciunas, que conseguiu um Duplo-Duplo: 22 pontos e 13 rebotes.

Os lituanos levam vantagem para desempatar a série de jogos citada acima. O garrafão da Lituânia conta com atletas experientes como Valanciunas, os irmãos Lavrinovic e Motiejunas. Os turcos terão muito trabalho para marcar os lituanos que jogam mais próximo da cesta.

A Turquia tem um trio de atletas que vem se destacando no mundial: Asik no garrafão, Preldzic com chutes de três e Arslan na armação. Asik terá problemas para marcar pontos, pois vai enfrentar jogadores muito fortes de garrafão. Portanto, a maior parte dos pontos da Turquia devem vir em bolas de três, mas se a Lituânia acertar a marcação no perímetro a Turquia pode encontrar grandes dificuldades para pontuar.

Palpite: Lituânia

EUA X Eslovênia – Terça-Feira 16h – Barcelona

EUA

Campanha: 5 V – 0 D (1° lugar no Grupo C)
Oitavas de final: EUA 86 X 63 México
Títulos: 14 Olimpíadas (1936, 1948, 1952, 1956, 1960, 1964, 1968, 1976, 1984, 1992, 1996, 2000, 2008, 2012), 4 Mundiais (1954, 1986, 1994, 2010) e 6 Campeonatos das Américas (1992, 1993, 1997, 1999, 2003, 2007)
Destaques: Anthony Davis (13.8 pontos, 6.3 rebotes), Kenneth Faried (12.8 pontos, 7.8 rebotes), James Harden (12.5 pontos, 4 assistências, 2.5 roubos) e Stephen Curry (11.2 pontos, 3.8 assistências, 3.3 rebotes)
Técnico: Mike Krzyzewski

Eslovênia

Campanha: 4 V – 1 D (2° lugar no Grupo D)
Oitavas de final: Eslovênia 71 X 61 República Dominicana
Títulos: Não tem
Destaques: Goran Dragic (16.5 pontos, 4.3 assistências, 2.7 rebotes), Zoran Dragic (13.2 pontos, 3.8 rebotes), Domen Lorbek (11.5 pontos, 2.5 assistências) e Alen Omic (8.3 pontos, 5.8 rebotes)
Técnico: Jure Zdovsk

Essa partida promete ter um duelo bem interessante entre dois ótimos armadores, Kyrie Irving e Goran Dragic, mas não no garrafão. Davis deve dominar e conseguir muitas enterradas.

A Eslovênia vai lutar nos primeiros quartos para manter o placar equilibrado, mas o elenco e a defesa dos EUA vão fazer a diferença. Assim como nos dois últimos mundiais, quando se enfrentaram na primeira fase de 2006 (114 x 95) e 2010 (99 x 77), os EUA irão vencer. Não por uma diferença tão grande, mas ao menos de 15 pontos.

Palpite: EUA

Brasil X Sérvia – Quarta-feira 13h – Madrid

Brasil

Campanha: 4 V – 1 D (2° lugar no Grupo A)
Oitavas de final: Brasil 85 X 65 Argentina
Títulos: BiCampeão Mundial (1959, 1963) e 4 vezes da Copa das Américas (1984, 1988, 2005, 2009)
Destaques: Leandro Barbosa (13 pontos), Marquinhos Vieira (9.8 pontos, 4.8 rebotes), Tiago Splitter (8.3 pontos, 6.2 rebotes, 2.3 assistências), Anderson Varejão (8.2 pontos, 7.8 rebotes) e Raulzinho Neto (7.8 pontos, 2.5 assistências)
Técnico: Rúben Magnano

Sérvia

Campanha: 2 V – 3 D (4° lugar no Grupo A)
Oitavas de final: Sérvia 90 X 72 Grécia
Títulos: Não tem
Destaques: Miroslav Raduljica(14.5 pontos, 5 rebotes), Nemanja Bjelica (11.8 pontos, 7.3 rebotes),  Bogdan Bogdanovic (11.3 pontos, 2.7 assistências, 2.2 rebotes) e Milos Teodosic (10.8 pontos, 4.3 assistências, 2.2 rebotes)
Técnico: Sasha Djordevic

Depois do jogo emocionante e não recomendável para cardíacos da primeira fase (Brasil 81 x 73 Sérvia), as seleções voltam a se enfrentar, mas agora vale muito mais e a partida promete ter mais equilíbrio.

A Sérvia melhorou sua marcação e aproveitamento de lances livres para derrotar uma das melhores seleções da competição: Grécia. Bogdanovic teve um jogo formidável marcando 21 pontos e com 4/7 da linha de três pontos. Além dele, o Brasil deve tomar cuidado com o armador Teodosic, o pivô Raduljica e o ala-pivô Bjelica.

Vamos torcer para Raulzinho estar inspirado como contra a Argentina, quando marcou 21 pontos errando apenas um arremesso em dez tentativas. Será fundamental o time continuar produzindo bem em conjunto, sem ninguém tentar decidir o jogo sozinho. Nenê, Varejão e Splitter podem conter Raduljica e Bjelica. Já o duelo Marcelinho Huertas/Ralzinho contra Teodosic será mais equilibrado.

Bogdanovic vai dar trabalho a toda equipe. É fundamental que ele não fique livre em muitas ocasiões. Assim, marcando forte e jogando como equipe podemos chegar a uma semifinal de mundial pela primeira vez desde 1986, quando terminamos em quarto lugar.

Palpite: Brasil

Espanha X França – Quarta-feira 17h – Madrid

Espanha

Campanha: 5 V – 0 D (1° lugar no Grupo A)
Oitavas de final: Espanha 89 X 56 Senegal
Títulos: Campeã Mundial (2006), Bicampeã Europeia (2009, 2011)
Destaques: Pau Gasol (20.5 pontos, 5.5 rebotes), Marc Gasol (11.3 pontos, 6.7 rebotes, 2.5 assistências), Juan Carlos Navarro (10 pontos, 2.7 assistências, 2 rebotes) e Ricky Rubio (5.8 assistências, 5.7 pontos, 4.8 rebotes, 3.7 roubos)
Técnico: Juan Antonio Orenga

França

Campanha: 3 V – 2 D (3° lugar no Grupo A)
Oitavas de final: França 69 X 64 Croácia
Títulos: Campeã Europeia (2013)
Destaques: Joffrey Lauvergne (10.3 pontos, 4.5 rebotes), Nicolas Batum (10 pontos, 3.2 rebotes), Thomas Heurtel (8.2 pontos, 4.2 assistências, 2 rebotes) e Antoine Diot (8 pontos, 3.3 rebotes, 2.5 assistências)
Técnico: Vincent Collet

A maior rivalidade do basquete europeu nos últimos anos tem mais um capitulo. Assim como Lituânia e Turquia, Espanha e França se enfrentaram várias vezes nos últimos anos, mas em jogos de maior importância. Desde 2005, esse confronto permanece empatado em 3 x 3.

A Espanha venceu na primeira fase desse mundial (88 x 64), na final do Eurobasket de 2011 (98 x 85) e também na decisão do Eurobasket 2009 (86 x 66). Já a França venceu na semifinal do Eurobasket de 2013 (75 x 72 após prorrogação), na primeira fase do mundial de 2010 (72 x 66) e na decisão do terceiro lugar do Eurobasket de 2005 (98 x 68).

Mesmo com muitos desfalques, a França lutou e conseguiu chegar longe no mundial, mas não deve avançar mais. A Espanha tem um trio de garrafão que vai produzir muitos pontos contra os franceses. Além disso, o perímetro espanhol conta com Rudy Fernandez, Juan Carlos Navarro, Sergio Rodríguez (melhor jogador da Euroliga na temporada passada) e Ricky Rubio. Os franceses vão sentir falta de seus desfalques nesse jogo e não devem ser capazes de parar o ataque espanhol.

Como acima eu só contei os jogos dos últimos dez anos deixei uma partida fora dessa lista. Em 1986, também jogando em casa, a Espanha venceu a França na fase de grupos por 84 a 80, mas agora o placar deve ficar mais próximo ao que aconteceu na primeira fase do mundial de 2014.

Palpite: Espanha

Flávio Catandi
Flávio Catandi
Jornalista e Radialista apaixonado por basquete. Participa do Celtics Brasil desde 2008. Já foi redator, colunista e hoje é editor do site. Nas horas vagas gosta de escrever roteiros e gravar curtas e documentários. Pode ser encontrado na cidade de São Paulo com uma camiseta Celta.

1 Comentário

  1. Fábio Malet disse:

    Foi bom assistir ao Brasil vencendo a eterna carrasca Argentina. Foi um ótimo segundo tempo. O maior problema do Brasil é a falta de consistência nos jogos. Contra a própria Sérvia, foi um primeiro tempo sensacional e um segundo tempo sofrível. Contra a Argentina foi um Q1 para esquecer e um segundo tempo absurdo. Se o Brasil fizer partidas consistentes, deve passar com certa facilidade pela Sérvia e fazer jogo duro com a Espanha. Torçamos!

    Nos palpites, acompanho o relator.

    0

    0

Deixe um comentário