18

setembro

2014

14

Comentários

Tyler Zeller objetiva titularidade como pivô

Com o Celtics em um claro processo de reconstrução e com a quantidade de jovens jogadores do elenco, a franquia torna-se propícia para muitos jogadores que tiveram pouco espaço anteriormente ganhar minutos e dar um salto de qualidade na carreira. No caso da posição de pivô, há o agravante de não possuir nenhum grande nome na posição e esta ser a posição de maior carência da equipe nas últimas temporadas. Com isso, abre-se uma boa brecha para os jogadores da posição 5, tanto para ser titular, quanto para ter bons minutos vindo do banco. Neste cenário, Tyler Zeller aparece como um dos candidatos para ser titular da equipe. E é este o principal objetivo do jogador ao chegar na equipe.

“Eu acho que (a titularidade como pivô) é meu objetivo este ano. Eu tenho muito trabalho para fazer para conseguir esta vaga. Eu espero conseguí-la. Mas acho que é uma grande oportunidade.”, confessou Zeller.

O pivô de 24 anos, oriundo da faculdade de North Carolina, chegou ao Celtics por meio de uma troca com o Cleveland Cavaliers e o Brooklyn Nets. Nesta troca, o Celtics enviou uma escolha de 2ª rodada protegida até a 55ª escolha e uma exceção comercial em torno de 10 milhões de dólares. Em contrapartida, recebeu o pivô Tyler Zeller e o ala-armador Marcus Thornton, além de uma escolha de 1ª rodada do Cavaliers. Curiosamente, essa troca ocorreu apenas 4 dias antes do casamento de Zeller, tornando-se símbolo de um recomeço e de uma nova guinada na carreira do jovem pivô.

Durante a entrevista coletiva concedida esta semana, Zeller mostrava-se muito feliz em juntar-se ao Boston Celtics e por ter a oportunidade de trabalhar com Brad Stevens. Sobre Stevens, Zeller foi só elogios: “Eu sei que o treinador Stevens é um técnico de basquete muito inteligente; seu QI de basquete é fora do comum, então, estou muito animado. E trabalhar com ele nas últimas semanas, tudo foi muito emocionante, apenas ver seu conhecimento de basquete e quão detalhado é.”

Para conseguir a tão desejada vaga como pivô titular, Zeller trabalhou nas férias para ganhar massa muscular. Ele ganhou entre 5kg e 7kg de massa magra nos últimos meses. Ele espera encontrar o equilíbrio entre o ganho de massa muscular e sua habilidade de movimentar-se na quadra no esforço de ser efetivo nos dois lados da quadra.

“Eu sinto que estou indo bem. Eu sinto que no último ano eu joguei um pouco abaixo do peso e se eu ganhei de 5 a 7 quilos, estou preparado para deixar meu jogo muito melhor. Eu sou capaz de fazer isso, e espero poder contribuir para melhorar cada vez mais. Eu espero ficar melhor no que diz respeito aos rebotes e no jogo de costas para a cesta.”, completou Zeller.

Com a proximidade do começo do campo de treinamentos de preparação para a temporada, Zeller logo terá sua oportunidade de mostrar para Brad Stevens que ele pode ser o protetor de garrafão que a franquia e a comissão técnica tanto procuram. Zeller terá a concorrência do veterano Joel Anthony, do brasileiro Vitor Faverani e dos jovens Kelly Olynyk e Jared Sullinger.

Anthony é tido como azarão nessa disputa, já que trata-se de um pivô muito limitado, de contrato curto e que já tem 32 anos. Porém, é o melhor defensor de garrafão entre todos os jogadores citados e este fator pode ajudá-lo a ganhar alguns minutos na rotação da posição, embora esteja na contramão da intenção de Stevens de evoluir os jovens jogadores do elenco.

Faverani tem chances irrisórias de começar a temporada como titular. O brasileiro está no final da recuperação de uma cirurgia no joelho feita no começo do ano, que deixou-o muitos meses sem jogar. Outro fato que agrava a situação do jogador é o fato de ter causado acidente automobilístico em suas férias na Espanha, porém, durante seu tratamento. Talvez esse pequeno caso de indisciplina traga maiores consequências para o começo desta temporada.

Olynyk é justamente o oposto do que a comissão técnica está procurando em um pivô titular. Sua defesa dentro da área pintada é muito deficiente e seus melhores desempenhos têm sido jogando na posição de ala-pivô, com características de pontuação e jogando ao lado de um pivô defensivo. Por isso, deve ser pouco utilizado na posição de pivô durante a temporada.

Sullinger é ala-pivô de origem, mas tem mostrado muita eficiência ao atuar como pivô. A boa dupla formada por ele e Brandon Bass em partes das últimas duas temporadas, pode se repetir na próxima, de forma que o torna o principal candidato a ocupar a posição mais alta da equipe. Porém, os problemas físicos que tem enfrentado ultimamente, seja ele por conta de lesões ou por desleixo quanto ao seu peso, podem ser um fator que faça com que Stevens opte por outro jogador na posição. Outra possibilidade é a possível utilização de Sullinger em sua posição de origem, ala-pivô, com Brandon Bass tendo minutos reduzidos como reserva imediato de Sullinger, já que possui contrato expirante e não deve permanecer na franquia na próxima temporada. Assim, a vaga de pivô ainda estaria em aberto.

Com isso, nota-se que Zeller tem boas possibilidades de completar seu objetivo, devido ao nível de seu jogo ser superior a alguns de seus concorrentes, e a sua grande disposição e entusiasmo demonstrados em suas declarações recentes. Stevens costuma valorizar muito o esforço dos atletas, e Zeller já vem mostrando que tem se dedicado muito para conseguir essa chance, trabalhando seu jogo, sua defesa e ganhando massa muscular, e com isso, espera ser recompensado na pré-temporada que se avizinha.

Na sua opinião, qual deve ser o pivô titular na próxima temporada? Deixe seu voto na enquete ao lado e, se preferir, justifique sua escolha na caixa de comentários abaixo.