Celtics 92 x 88 Warriors

Golden State Warriors

Imbatíveis! É com este sentimento que o torcedor do Boston Celtics terminou a noite da última quinta-feira, 16 de novembro, quando sua equipe venceu, pelo placar de 92 a 88, o atual campeão da NBA, Golden State Warriors, no TD Garden, em Boston. Com o triunfo sobre os grandes favoritos ao título da temporada, o Celtics estende sua sequência de vitórias consecutivas para 14, já abrindo boa vantagem de quatro partidas sobre os principais perseguidores da conferência Leste, e três sobre a melhor equipe do Oeste, que, após este resultado, passar a ser o Houston Rockets.

A partida foi bastante difícil para o Boston Celtics, e não seria diferente contra o Warriors de Stephen Curry, Kevin Durant, Klay Thompson e Draymond Green. A equipe de Golden State chegou a abrir vantagens de 17 pontos no marcador em duas oportunidades, com 5’25” restantes no segundo quarto e com 4’59” faltando para o término do terceiro período. O jogo foi tão bem controlado pela equipe de Oakland nos três primeiros quartos, que parecia nem precisar de muita inspiração para este domínio, afinal, sua dupla de armação, os Splash Brothers, tiveram uma péssima noite nos arremessos de quadra.

Além do controle das ações por parte do Warriors, vimos uma partida bastante acidentada do Celtics na quadra ofensiva. O principal jogador ofensivo de Boston, o armador Kyrie Irving, esteve irreconhecível nos três primeiros quartos de partida. Mesmo que a proteção no rosto tenha lhe incomodado bastante, tanto que voltou sem a mesma após o intervalo, Irving teve uma atuação pavorosa, tomando péssimas decisões que culminaram em muitos desperdícios de bola (seus e de companheiros), errando e forçando muitos arremessos mal selecionados, e com enormes falhas na quadra defensiva. Trata-se, certamente, de uma das piores atuações da carreira do Uncle Drew.

Soma-se ao péssimo desempenho de Kyrie Irving, um primeiro tempo bastante apagado do calouro Jayson Tatum, as costumeiras péssimas decisões ofensivas de Marcus Smart e os aproveitamentos abaixo da média de Marcus Morris, Semi Ojeleye, Terry Rozier e Aron Baynes nos arremessos de quadra, e obtemos boas explicações para a vantagem construída pelo Warriors, mesmo sem uma atuação tão inspirada de seus principais jogadores. Apenas Jaylen Brown, com atuação estupenda do começo ao fim do confronto, e Al Horford, com a corriqueira atuação consistente e sem grandes alardes, puderam manter a equipe viva no marcador.

Com este cenário, a grande vantagem galgada pela equipe de Golden State e a má atuação ofensiva do Celtics, muitos já davam a partida como decidida e já vislumbravam os próximos confrontos de Boston, para saber o quanto a equipe se abalaria com a derrota. Mas estes não conhecem a bravura, o orgulho e o coração de quem é Boston Celtics.

A reação do Boston Celtics começou a partir do meio do terceiro quarto, alicerçada por uma estupenda atuação defensiva do esquadrão celta. O ferrolho defensivo do Celtics esteve presente desde o minuto inicial do confronto, incomodando bastante o setor ofensivo de Golden State, principalmente da dupla de armação, Stephen Curry e Klay Thompson, que combinaram para apenas 22 pontos, acertando 8 de 32 arremessos, um aproveitamento de apenas 25%. Mas foi a partir do sétimo minuto do terceiro período que tudo se encaixou: com uma sequência de 19 pontos feitos e apenas 2 sofridos nos cinco minutos finais do quarto, a equipe de Boston empatou o confronto e deixou o jogo em aberto para o último e derradeiro período.

Kyrie Irving, que descansou durante a reação do Boston Celtics no fim do terceiro quarto, dando lugar a dois especialistas defensivos em Terry Rozier e Marcus Smart, voltou à quadra para os momentos decisivos, sedento por redenção na partida e ávido por mais uma vitória na temporada, desta vez contra uma equipe que acabara de o derrotar no principal palco do basquete, as finais da NBA. Já sem a incômoda máscara protetora facial, Irving jogou mais solto e decidido, liderou a equipe, atacou a cesta, cavou faltas, marcou pontos, serviu companheiros e foi decisivo para a vitória do Celtics, contribuindo com 11 pontos no quarto período. O antes apagado Jayson Tatum também apareceu nos momentos derradeiros e adicionou 7 pontos para a equipe nos minutos finais de partida.

Com o crescimento ofensivo de seus principais pontuadores e a manutenção da sublime atuação defensiva, o Celtics acabou por derrotar o Golden State Warriors, pelo placar de 92 a 88 (pior pontuação do Warriors até então na temporada). Desta forma, o principal ataque da NBA, dos Warriors, com média de 119,5 pontos marcados por partida, sucumbiu à melhor defesa da temporada, do Boston Celtics, que permite a seus adversários apenas 94,5 pontos por jogos. No duelo da defesa contra o ataque, os discípulos de Brad Stevens levaram a melhor sobre os comandados de Steve Kerr.

Após a derrota para o Boston Celtics, o Warriors continua sua viagem pelo Leste, onde visitará o Philadelphia 76ers no próximo sábado. O Celtics, por sua vez, também jogará fora de casa no sábado, quando visitará o Atlanta Hawks.

 

Que Homem!

O melhor jogador do confronto foi Jaylen Brown. O jovem ala de Boston foi um dos grandes pilares da sufocante defesa da equipe na partida, marcando com maestria os jogadores de perímetro do Warriors. Além disso, foi o cestinha do Celtics no confronto, com 22 pontos (2 a menos do que o maior pontuador da partida, Kevin Durant, com 24 pontos), além de contribuir também com 7 rebotes, 2 roubos de bola e 2 tocos. E, não bastasse o desempenho dentro da quadra, vale ressaltar que Brown atuou após ter conhecimento da morte de seu melhor amigo desde a infância, Trevin Steede.

“Meu melhor amigo faleceu ontem à noite. É difícil de aceitar isso. Todo mundo estava meio chocado, mas eu sabia que entraria em quadra hoje e que ele gostaria que eu jogasse. Foi difícil juntar os cacos da perda, mas depois de conversar com a mãe dele e sua família, eles me inspiraram a ir e jogar. Eu não tinha qualquer condição de sair de casa. Eu não queria sair nem do meu quarto. Mas eles me inspiraram a sair para jogar. E eu saí e joguei pelo seu espírito hoje. Meus companheiros de equipe me abraçaram e nós botamos tudo para fora na quadra.”, disse, um emocionado Brown, após a partida.

 

Destaques da Partida

Boston Celtics

Jaylen Brown: 22 pontos, 7 rebotes, 2 roubos de bola, 2 tocos
Al Horford: 18 pontos, 11 rebotes
Kyrie Irving: 16 pontos, 6 assistências, 5 rebotes

Golden State Warriors

Kevin Durant: 24 pontos
Klay Thompson: 13 pontos, 7 rebotes
Draymond Green: 11 pontos, 8 rebotes, 5 assistências, 3 tocos

 

Estatísticas da Partida

Boston Celtics (14-2)

Golden State Warriors (11-4)

 

Melhores Momentos

Fábio Malet
Fábio Malet

Gaúcho de Porto Alegre, bacharel em Ciência da Computação e analista de sistemas. Apaixonado por esportes, tem o jornalismo como um hobby, e, pretende, futuramente, fazer pós-graduação na área. Acompanha NBA desde o começo de 2007 e, pé-quente, viu seu Boston Celtics ser campeão na primeira temporada inteira que assistiu. Torce também para Grêmio, Tottenham Hotspur, Green Bay Packers, e por conta da afinidade com Boston, tornou-se fã de Bruins e Red Sox.

31 Comentários

  1. Digor33 disse:

    Gosto demais de ver os J.J

    6

    0
  2. Leo77 disse:

    Não consegui assistir ao jogo todo, mas vale dizer q esse time não cansa de me surpreender, o céu é o limite! Orgulho dos Celtics!

    2

    0
  3. André disse:

    Achei exagerada a crítica ao Kyrie no primeiro tempo. Ele foi muito bem marcado pelo GSW, não achou espaço pra jogar no ISO ball. As péssimas escolhas do jogo mesmo se deve ao Smart, mais um jogo com péssima atuação ofensiva e vários erros , mas compensa fazendo uma boa defesa. Quase entregou o jogo em um erro patético dentro do garrafão.

    8

    0
    • Fábio Malet disse:

      O próprio Irving reconheceu que fez “o pior primeiro tempo da carreira”, só não quis colocar a culpa na máscara, apesar de os repórteres insistirem. Mas o mais importante foi a redenção no último quarto. Final do Q4 foi Kyrie 11-10 Warriors (além dos pontos do Tatum, claro). Insano.

      8

      0
  4. Fábio Malet disse:

    Agora com box score! (Basketball Reference só publica os box score na manhã seguinte aos jogos)

    5

    0
  5. rafael disse:

    Que jogaço!
    Esse Tatum é um fenômeno! Tá certo que no início do jogo ele foi mal, mas no final foi fundamental, impressionante sua frieza, jogo pau a pau e não pipocou!
    Cabe ressaltar que até ontem estava jogando na facu e hoje esta sendo marcado pelo KD!
    Que fase do Smart, “ALGUEM QUE ASSISTIU O JOGO INTEIRO POR FAVOR ME CONFIRMA”, eu admito que estava sob efeito do álcool, mas juro que vi ele tirando a bola de dentro da cesta.
    Mas muita calma, ele joga muito mas muito mais que ele esta jogando hoje.
    Fico imaginando se a NBA fosse um campeonato aqui do Brasil, com certeza toda vez que o Smart entrasse a torcida ia ficar gritando BURRO BURRO para o técnico e toda vez que ele pegasse na bola a torcida ia ficar vaiando. Interessante a atitude da torcida norte americana.
    Let’s Go Celtics!!!!!!!!!!!!!!

    10

    0
    • Andre disse:

      Sim! Eu tb vi isso! Nunca tinha visto algo assim no basquete! A bola já estava caindo e ele deu um toque para a bola sair da cesta! Não validaram os pontos!!! Além de não ajudar , só atrapalhou!

      1

      1
    • Fábio Malet disse:

      Sim, aconteceu de o Smart interferir em uma cesta do Irving e ela ser invalidada. Mas o Smart foi importantíssimo defensivamente, anulando a dupla de armação do Warriors. Não à toa, acabou a partida com um plus/minus de +15.

      7

      0
  6. Chiovato disse:

    Dupla Brown e Tatum foram bem! No geral o time foi bem em momentos cruciais e específicos! Não há o que falar, Morris bem, Horford cresceu muito e Irving não brilhou, mas foi crucial no fim! Smart brigou e lutou, falta infelizmente melhorar ofensivamente porque precisamos disso para sonharmos com algo mais!

    ** destaco Brown, que jogo ele fez e mesmo estando 0-6 ou 1-6 nos chutes em quadra…terminou muito bem e conduziu e foi a segurança do time em muitos momentos! Bom ver isso e espero que continue jogo a jogo sendo estável, fazendo isso, tornar-se-á muito mais importante do que já é! Ele e Tatum, torço por Rozier também, esses são nosso futuro! Imaginem esse time com Hayward…mdsss

    2

    0
  7. Marco Ferreira disse:

    Ontem eu quase infartei… KKKKKKK!
    Brown jogou muito, mais uma partida incrível dele. Horford sendo o cara da calmaria, alguém mais reparou isso? Pegávamos a bola e saiamos desesperados para o ataque e errávamos, na metade do terceiro quarto e no último período isso mudou, bola administrada na nossa mão mesmo perdendo o jogo e pronto, vitória Celta.

    Vou resumir o tão criticado Smart ontem (Me fez passar muita raiva ontem, mas…) Nota 1 no ataque (um só por que distribuiu algumas bolas e pegou um rebote super importante no final com muita raça. Nota 9 na defesa (marcou os melhores arremessadores da liga e se saiu muito bem, Curry e Thompson sofreram muito com ele). Considerando que ganhamos esse jogo devido ao alto nível da nossa defesa… Parabéns Smart, vc tem muita contribuição nisso!

    Agora o quase infarto…
    Estamos a 14 segundos do final do jogo, dois pontos a frente e bola com o Golden, lateral de quadra bola na mão do Durant e ele arremessa, a bola não cai e Horford pega o rebote, caminha para a lateral da quadra com a bola e passa a bola para o Smart (Como assim passar a bola para o Smart? Ele só acertou um arremesso livre no jogo! E se os caras fizerem a falta nele e ele errar os arremessos o Golden vai ter mais uma chance!), dois jogadores do Golden correm em direção do Smart e “ufa” ele passou a bola para o Tatum o calouro mais frio e calculista que já vi jogar e um dos mais confiáveis do nosso elenco. “Tudo isso ocorreu em apenas 8 segundos, mas pareceu uma eternidade!”

    Vitória Celta…

    Let’s Go Celtic’s

    17

    0
  8. RafaelCS disse:

    Caraca….sinceramente, nem sei o que dizer….esse time não cansa de surpreender!!! Pior que vamos ficar acostumado, pois tinha certeza de que o time não iria se entregar a derrota, eu pensei em ir dormir no Q3, mas cara….sensacional! JB foi mostro ontem! KY foi mal no primeiro tempo, mas o cara é decisivo, não tem jeito…

    Vamos ser campeões? Não sei, e claro, torço para que sim…mas para chegarmos ao titulo, devemos dar vários passos….e estamos dando alguns corretamente, excelente técnico, ótimo elenco, e o principal, time não se entrega, as bolas não estão caindo? Vamos na raça, celtics pride my brother!!! Sem falar na nossa defesa…..

    2

    0
  9. Não duvido chegarmos a final. Porém o Warriors é outro time nos playoffs. Numa suposta final o Curry não vai fazer só 9 pontos e acertar 25% dos arremessos. Acho que a chance de irmos para a final esse ano é grande! Porém quanto a título acho mais viável ano que vem com a volta do Hayward e o amadurecimento da dupla JJ. E o Irving já acostumado com o sangue verde.

    Let’s Go Celtics!

    8

    0
  10. Lucas Oliveira disse:

    Sou só eu ou essa crítica ao Smart está enchendo já? O bicho é uma negação no ataque, nunca será all star e sim ele irrita com algumas decisões ruins. Essa é a realidade e não adianta esperar mais dele, assim é o jogo, nem todos os jogadores da NBA serão estrelas e por sinal eu desafio qualquer um a achar um jogador draftado depois do Smart em 2014 que seja notavelmente melhor (foi uma classe horrorosa).

    Mas há outras duas classes de jogadores, os “carregadores de piano” – caras que podem ocupar múltiplas posições e entram para tapar buraco – e os “especialistas” – caras extremamente bons em fazer uma coisa (ex. JJ Redick). O Smart é um jogador tão estranho que ele é os dois, um especialista em defesa com físico e capacidade para ocupar múltiplas posições.

    Provavelmente o único cara da liga que erra todos os FG em uma partida e acaba minus/plus de +15 e é a esse número que devemos olhar antes de jogar o cara no fogo e não na pontuação.

    Eu também não sou super fã do cara, mas temos que entender que ele é fundamental para a profundidade deste time. Infelizmente a única coisa que podemos esperar é que ele só arremesse quando realmente esta é a melhor alternativa.

    19

    1
    • O problema é que o Smart não quer só ser carregador de piano.
      Ele colocou na mente dele que ele tem que ser o cara, e fica forçando uma infinidade de arremessos ridículos.
      Ele tem o pior FG da liga e mesmo assim é o TERCEIRO jogador celta que mais arremessa.
      Isso não pode ocorrer.
      Se ele já claramente demonstrou que não tem talento pra isso, se coloque no seu lugar e seja o quinto…o sexto … com mais arremessos, não o terceiro!
      Enquanto ele insistir em tijolar o aro sem parar, ele sempre vai receber as criticas pesadas.

      14

      0
      • Lucas Oliveira disse:

        Concordo, foi o que eu disse com “única coisa que podemos esperar é que ele só arremesse quando realmente esta é a melhor alternativa”. Mas isso não muda a importância dele para o time neste momento (talvez no futuro outro cara resolva, mas não é a realidade agora).
        Sou totalmente a favor das criticas desde que não se olhe somente para quantos pontos cada um fez… Minus/Plus, por exemplo, é uma ótimo parâmetro.

        1

        0
      • Marcos disse:

        Concordo com o Daniel.

        Queria apenas ressaltar o ponto que (ainda bem!) HOJE somos um time com bom índice de rebote (quando o Baynes joga, somos elite rebound) e que as FGs falhadas do Smart estão virando segunda chance na mão dos nossos reboteiros.

        No ano passado, o Smart era ainda mais irritante e ele ainda ficava arremessando só de fora.
        Talvez ele seja o Tony Allen piorado e não o Tony Allen melhorado, hehehe

        []s verdes
        P.S.: Ontem ganhamos do GSW no GARRAFÃO (ninguém vai me convencer que o GSW “melhor time da história” ia apanhar loucamente de um jogador como Shaq O’Neal), do Charlotte e dos Nets também ganhamos no GARRAFÃO .

        0

        3
    • Jokic é infinitamente melhor.
      Jordan Clarkson e Julius Randle até podem ser considerados.

      A classe ainda teve o Wiggins, o Embiid, Jabari Parker… Não é uma classe horrorosa não. Horrorosa foi a de 2013

      0

      1
      • Tales Paiva de Paiva disse:

        Eu só vejo o Embiid como pontecial All Star – Wiggins é ótimo jogador, mas não acho que seja All Star, a menos que o Butler mude algo nele esse ano – e uma classe com um potencial all star é uma classe ruim sim.
        Até por uma questão de posição e função o Jokic se torna discutivelmente melhor – nem de perto tão versátil, mas mais constante no que faz – agora Clarkson e Randle? Claro você pode colocar um Jeremy Lin em time horroso, olhar as estatísticas e achar que ele é um All Star, mas essa é a realidade?

        0

        0
    • Marco Ferreira disse:

      Eu acho que o Stevens está dando moral para ele chutar mais bolas por jogo.

      Parece loucura essa minha frase acima, mas pessoal agora é a hora de testar tudo, nossa conferência é fraca, devemos nos classificar em primeiro e ainda temos chance de brigar por uma posição digna na classificação geral (Entre as três melhores campanhas), sei que o Smart amassa muito o aro, mas acredito que nas Offs o Stevens chama ele num canto e fala “Acabou a brincadeira, agora é pra valer…” e pronto, Smart bem na parte defensiva e distribuindo a bola para os companheiros.

      Esses possíveis testes são permitidos em jogos de temporada regular e o Stevens está certo em faze-las, ajuda na formação dos atletas e temos um elenco muito jovem.

      Let’s Go Celtic’s…

      2

      0
    • Gustavo Rangel disse:

      Esqueça o box score e analise o que foi feito no jogo. Smart defendeu bem? Sim, claro. Como todo o time fez, a marcação se sobressai no conjunto, não nas individualidades. Cada tomada de decisão dele é um princípio de infarto. Ele cometeu uma interferência ofensiva num ataque feito pelo Kyrie que fez eu realmente repensar se ele tem capacidade técnica de integrar um elenco tão bom e vestir uma camisa tão gloriosa como a do Celtics. E ele não tem capacidade técnica, infelizmente. Você pode citar plus minus, o bom hustle que ele mostra ter nas jogadas e raça, mas isso infelizmente não é o suficiente. O sistema de jogo que o Celtics vem apresentando simplesmente faz com que qualquer jogador com características de “peladeiro” não tenha um encaixe decente. E esse é o caso do Smart. Duvido muito que ele tenha o contrato renovado, espero muito que ele seja trocado por um shooting guard competente na marcação de perímetro. Saudações Celtas!

      2

      1
  11. marcelo Paolielo disse:

    Concordo Daniel com vc….cara o Smart não para de martelar o Aro, o cara precisa ser auto crítico e entender que tem qualidades sim, mais não é de chutador….o Brad S poderia chegar nele e orienta-lo melhor pois o cara não aprende, ontem foi ridículo fez 1 ponto

    1

    0
    • Leonardo Pereira disse:

      Smart é o nosso Gattuso. Vejo ele com potencial defensivo maior ou igual ao do Bradley, e principalmente, O CARA PINGA SANGUE NO PARQUET CELTA. Realmente começou bem a temporada ofensivamente, mas o problema é que anda forçando demais jogo.

      Porém não espero que ele deixe de jogar de forma intensa no ataque e continue voando na defesa, não espero que deixe de ser o ser o Marcus Smar; ainda bem!

      2

      1
  12. Nic disse:

    Concordo com que Smart é horrível no ataque, mas ele é muito importante na parte defensiva, ontem mesmo o time com ele em quadra foi +15.

    Então até 10/12 milhões eu renovaria de boa com ele, acima disto troca.

    4

    0
  13. Christian Bugarin Mansur disse:

    Não foi apenas neste jogo que o plus minus do Smart é um dos melhores do time, em vários outros jogos também é. A capacidade defensiva dele é muito grande o que compensa as dificuldades ofensivas.
    Se ele chuta tanta bola é porque a tática e jogadas do time acabam se encaminhando para isso, as vezes inclusive para liberar a marcação em outros jogadores, confundir defesas, aliás no boston a ordem é ficou livre chuta. E claro na temporada regular é o momento de evoluir os jogadores, ver o que da certo ou que da errado para o playoff onde os jogos são mais táticos e estratégicos.
    O Smart está crescendo na sua defesa(por incrível que pareça), está melhorando nas assistências e rebotes. Vamos esperar e ver como vai a evolução ofensiva até o fim da temporada regular.
    O Smart vai caminhando de repente para ser um Bruce Bowen do San Antonio Spurs, em termos de comparação.

    6

    0
  14. Sander disse:

    Acabei de ver uma reportagem dizendo que os Celtics estão interessados no Okafor. Estão esperando os Sixers dispensar o jogador, os Sixers estão querendo uma escolha de primeira rodada ( não sei qual), mas o Ainge está esperando a pedida baixar, visto que, quanto mais tempo demorar mais desvalorizado ele vai ficar.

    Esse garoto tem um um arsenal ofensivo absurdo e, com o Stevens pode evoluir bastante na defesa. Tendo o Horford como mentor, poderia ser um baita reforço a curso, médio e longo prazo para nós.
    Com exceção do Horford, não temos um pontuador dentro do garrafão, nos jogos que estivermos amassando o aro, seu arsenal ofensivo na área pintada iria ser crucial.

    4

    1
    • Robson disse:

      Torço muito pra que dê certo e o Okafor venha parar em Boston. Quando surgiram os primeiros rumores de troca de nossa first pick com o Sixers se falava em 3′ escolha + Okafor. Ali eu já achava um movimento muito bom, trocar Fultz (que nunca me empolgou) por Tatum e Okafor. Ainge fez melhor, e conseguiu juntar uma pick muito promissora. Agora, se conseguir trazê-lo através da excessão recebida pela lesão do Hayward, perfeito. Como disse o Sander, o cara tem uma qualidade ofensiva latente, uma facilidade enorme de pontuar de diversas maneiras. Seria uma espécie de anti-Smart, pois peca na tábua defensiva e na transpiração. Creio que jamais se tornará um defensor de elite, porém com mais motivação e melhor instrução pode sim vir a ser um defensor ao menos decente. E se, jogando em Boston, com um dos melhores coachs da liga a lhe orientar e toda a mística e cultura vencedora a lhe instigar, o cara ainda assim não corresponder, bom, aí pode abandonar.

      1

      0
  15. Bruno Ferronato disse:

    Considero o Smart um jogador muito bom de se ter no elenco, já vi esse cara marcar todas posições e tendo sucesso, tem potencial pra ser um monstro defensivo. Quanto ao ataque realmente está complicado. Ele até sabe conduzir a bola e dar bons passes, mas quando vai arremessar…
    O duro que ele já teve lampejos de bons momentos no ataque (o jogo ganho contra os Cavs nas finais de conferência passada ele arremessou tudo e mais um pouco), e ele parece ser um cara com muita força de vontade, e devido a isso deve estar se recusando a admitir que não pode ser um bom atacante também.
    Mas no fim das contas prefiro muito mais que ele fique do que saia, desde que por um salário justo.

    8

    0
  16. Pedro disse:

    Concordo com o Lucas Oliveira, o Smart é isso ai e acho dificil mudar. Ele veio muito bem na pré temporada quando estava “deixando o jogo vir até ele”, com calma, sem afobação. Me parece que o coração e o sangue quente dele de competidor nessas horas atrapalha. Não vejo ele como um jogador que pensa que tem que ser o melhor do time, mas sim como um jogador que pensa que TEM que fazer de tudo para o time ganhar. ELE É COMPETIDOR, tem MUITO sangue nos olhos. Outra coisa, pra ele “aceitar” ficar no banco ele colocou na cabeça dele que seria o sexto homem do time, pra isso, ganhar relevância da liga e tal, ele tem que pontuar. É difícil mesmo, ele tem muitas dificuldades, mas acho que tem certas jogadas que ele é capaz de fazer e arrumar uns 10-12 pontos por jogo, pra mim, ele conseguindo isso, tá ótimo. Nesse momento, vejo ele com pouca confiança e isso é terrível pra um jogador que tem um jogo mental forte que nem ele.

    0

    0

Deixe um comentário