Um ano sem Pierce e Garnett e da troca com o Nets

Na última semana, completou-se 1 ano da histórica troca que enviou 2 futuros membros do Hall of Fame, e ídolos celtas, Paul Pierce e Kevin Garnett, para o Brooklyn Nets.

Sendo assim, o GM do Celtics, Danny Ainge, foi questionado pela imprensa, durante a Summer League, para declarar o que achava da grande troca, 12 meses após a sua realização. Nessa operação, o Celtics enviou Garnett, Pierce e Terry para Brooklyn, recebendo Gerald Wallace, Kris Humphries, Keith Bogans, MarShon Brooks, Kris Joseph e 3 futuras escolhas de primeira rodada de Draft.

“Eu vou deixar que vocês (jornalistas) reflitam e tirem conclusões a respeito dessa negociação”, disse Ainge. ”Eu não posso perder tempo com essas coisas. Eu estou apenas concentrando meus esforços em tornar o Celtics, novamente, candidato ao título, e é certo que aquela troca nos deixou mais próximos desse objetivo”.

Apesar da última escolha recebida pelo Celtics ser para o 2018 NBA Draft, nós não precisamos esperar até lá para afirmar que o Boston Celtics foi a equipe vencedora nessa operação. Contudo, o que é interessante discutirmos, é o grau de vantagem que o Celtics obteve ou obterá, ao longo do tempo, com a troca que entristeceu muitos torcedores em 2013.

O Brooklyn Nets apostou todas suas fichas na temporada 2013/2014, chegando a pagar US$ 90,6 milhões de luxury tax. Todavia, a franquia caiu nas semi-finais do Leste, ao ser derrotada pelo Miami Heat, em 5 jogos.

Bom, depois dessa introdução, vamos ao atual cenário da grande troca, 1 anos após a sua realização:

 O que o Nets recebeu:

big-nets-620x390

• Jason Terry vestiu a camisa do Nets em apenas 35 partidas, até ser trocado e enviado para o Sacramento Kings, junto com Reggie Evans. Em troca, o Nets recebeu Marcus Thornton, que, ironicamente, acaba de ser negociado com o Boston Celtics. Na troca tripla, entre Celtics, Nets e Cavaliers, a franquia nova-iorquina recebeu o jogador escolhido com sua pick no Draft de 2013 (Sergey Karasev) e Jarret Jack;

• Paul Pierce foi peça crucial na arrancada do Nets, na parte final da temporada regular. Já nos Playoffs, Pierce foi mais fundamental ainda, ao ser destaque na difícil série de 7 jogos contra o Toronto Raptors. Porém, o eterno camisa 34 de Boston, nessa offseason, não renovou seu contrato com o Nets e levou seus talentos para o Washington Wizards;

• Kevin Garnett, que só disputou 54 partidas na última regular season, e apresentou médias baixíssimas se comparadas às médias de sua carreira, deve disputar a sua última temporada, em 2014/2015, recebendo US$ 12 milhões.

 O que o Celtics recebeu:

bogans_brooks_humphries_jerseys_440352 Boston Celtics Media Day

• Kris Humphries, em sua única temporada com o uniforme do Celtics, recebeu o maior salário do elenco: US$ 12 milhões. Todavia, cabe destacar que o empenho e profissionalismo do jogador chamaram atenção da comissão técnica e torcida celtas. Com a considerável quantidade de jogadores para sua posição (PF), Kris Humphries teve sua saída facilitada e, através de um sign-and-trade, nessa offseason, o jogador foi enviado para o Washington Wizards, em troca de uma escolha de segunda rodada protegida para o 2015 NBA Draft (top-49) e uma exceção comercial no valor de US$ 4,3 milhões.

• Gerald Wallace apareceu em 58 jogos durante a última temporada, até sofrer lesões no joelho e tornozelo, que obrigaram a submeter-se à cirurgia e encerrar sua primeira season sob o uniforme celta. Wallace ainda tem 2 anos de contrato, vindo a receber cerca de US$ 20,2 milhões. Graças a vinda dele, que a negociação foi viável, pelas regras da NBA. Será que o Celtics conseguirá trocá-lo ou o manterá no elenco até o final de 2015/2016?

• Keith Bogans recebeu um substancial aumento em 2013, para poder ser incluído e ser a peça restante para viabilizar a negociação. O camisa 4 apareceu em apenas 6 partidas, até ser afastado do elenco por alegados ”problemas pessoais”. Muitos especulam que o Celtics usará seu contrato não-garantido para possibilitar futuras trocas, mas também é provável o cenário no qual Bogans seja dispensado, ainda nessa offseason, aliviando a folha salarial do Celtics em US$ 5,3 milhões.

• MarShon Brooks, draftado pelo Celtics em 2011, passou grande parte do seu período, em Boston, encostado no elenco. O jogador disputou apenas 10 partidas, antes de ser trocado com o Golden State Warriors, junto com Jordan Crawford. Nessa troca, o Celtics recebeu Joel Anthony (que exerceu sua player option para 2014/2015), uma escolha de primeira rodada protegida do Philadelphia 76ers, para o 2015 NBA Draft (que caso volte para Philadelphia, resultará em futuras duas escolhas de segunda rodada para o Celtics) e mais uma escolha de segunda rodada do Miami Heat, no 2016 NBA Draft.

Kris Joseph, que foi escolhido pelo Celtics, na segunda rodada do 2012 NBA Draft, foi dispensado logo após a realização da troca.

O Boston Celtics utilizou a escolha de primeira rodada, do Nets, no 2014 NBA Draft, para recrutar o ala James Young, com a 17ª escolha do recrutamento. O jogador de 18 anos assinou seu contrato durante a última semana, mas não participou da Summer League, já que se recupera de um acidente de carro sofrido pouco antes do Draft.

O Boston Celtics utilizou a exceção comercial de US$ 10,3 milhões, obtida a partir dessa operação com o Nets, para absorver os salários do ala-armador Marcus Thornton e do pivô Tyler Zeller, na recente troca tripla que envolveu-se com o Nets e Cavaliers. O Celtics também recebeu a escolha de primeira rodada do Cavaliers para o 2016 NBA Draft (top-10 protegida).

A seguir, a lista das escolhas remanescentes, do Boston Celtics, obtidas ainda graças à grande troca realizada em 2013 e às negociações ocorridas a partir da mesma:

• Escolha de primeira rodada do Philadelphia 76ers para o 2015 NBA Draft (que converter-se-á em duas de segunda rodada, caso o 76ers não chegue aos Playoffs);

• As escolhas de primeira rodada, do Brooklyn Nets, para os Drafts de 2016 e 2018. Para o 2017 NBA Draft,o Celtics terá a opção de trocar sua escolha com a do Nets);

• A escolha de primeira rodada do Cleveland Cavaliers, para o 2016 NBA Draft (top-10 protegida até o 2019 NBA Draft, quando será do Celtics de qualquer maneira);

• Escolha de segunda rodada do Miami Heat, para o 2016 NBA Draft;

Após toda essa análise, caso ainda existam dúvidas, fica a sugestão para o debate: quem saiu-se vencedor na troca realizada há 1 ano: Boston Celtics ou Brooklyn Nets? Após críticas realizadas a Danny Ainge, por trocar 2 grandes ídolos de nossa história, decorridos 12 meses, vocês também realizariam essa troca? O que esperar do futuro celta? Ao meu ver, a negociação, ainda que triste, por envolver 2 grandes ídolos, foi necessária, proveitosa e o Celtics começa a colher os frutos dessa operação, ao montar um elenco já competitivo, na segunda temporada do rebuilding.

Rômulo Portugal
Rômulo Portugal
Rômulo é carioca, advogado, e fã de futebol, NBA e NFL. Acompanha o Celtics desde 2003. Seu fanatismo pelo maior campeão da NBA o fez torcer para os demais times de Boston. Como bom carioca, é Vascaíno. Tem Paul Pierce como primeiro e grande ídolo na NBA.

15 Comentários

  1. Iago Pacífico disse:

    Foi triste apenas, mas que foi bom pro Celtics foi. Todos sabemos que eles estavam para se aposentar e que precisávamos de renovação. Conseguimos muitas picks, bons jogadores e só vejo um bom futuro pra nós.

    0

    0
  2. PHABIO PASSOS disse:

    Unica coisa, foi so perdeu idolos e referencia na equipe, mas ,de tudo tinha que nos renovar,se irmos perder 1 ou 2ano de renovaçao…

    0

    0
  3. Rodrigo disse:

    É triste, mas necessário. Teríamos dois idolos se arrastando em quadra pra cair no primeiro mata do playoff. Ainge foi o cara nessa troca. Muitos frutos virão disso.

    0

    0
  4. Augusto disse:

    Foi triste na época, mas necessário. Mesmo com PP e KG no elenco, não seriamos campeões, isso é fato.

    A troca então foi muito vantajosa para o C’s, indiscutivelmente o processo de rebuild foi acelerado e temos condições de já na temporada 15/16 brigarmos por coisas grandes.

    Isso é o que penso e espero. Essa temporada vamos desenvolver os jogadores e ver quem realmente pode continuar no elenco que em breve estará dominando o Leste e quem sabe a NBA.

    0

    0
  5. Walisson disse:

    Rodrigo e Augusto definiram bem: triste, mas necessário.

    0

    0
  6. ALEXSHIMA disse:

    Rômulo, vc está certo… mas que doeu, doeu ver esses caras irem embora…!

    0

    0
  7. Rondo disse:

    Pow Romulo, vc com esse sobrenome se fosse mulambo, ia ser decepcionante. S.V.Celtas

    0

    0
  8. Jota, do Jotaplays /SEMTANK disse:

    Sem sombra de dúvidas o Celtics foi o vencedor nessa troca. Basta observar quantos ativos conquistamos desde a troca e quantos os Nets conseguiram (Ou não conseguiram).

    Mas não só os Nets: a troca nos deu flexbilidade para agir no mercado, trocando, que é o que o Ainge faz de melhor e ainda fará. Antes ter ativos para trocar do que espaço no CAP sobrando para tentar atrair F.A, principalmente para Boston, o que se tornou uma tarefa bastante complicada nos últimos anos.

    Ninguém gostou da troca, inicialmente, na época. Os jogadores que estavam vindo eram horríveis no ponto de vista estatístico; sem contar seus contratos. Parecia que os Nets tinham passado a perna em nós em levar 2 ídolos que ainda podiam render + Terry que ainda podia ser um bom banco.

    Mas agora, com todo o sofrimento do tank passando, com a aquisição do Marcus Smart e, principalmente, o James Young oriundo dessa troca que nos deu uma pick, dá para dizer que já está valendo à pena. Não estamos começando exatamente do zero nosso rebuild… Estamos nos apoiando em jovens talentos (E outros não tão jovens assim, fazendo bem o equilíbrio), para voltarmos aos trilhos das vitórias.

    O grande problema é ter paciência para esperar. Assistir apenas derrotas, principalmente para a maioria (Pelo menos falo por mim) que comecei a acompanhar o Celtics no auge do Pierce, Garnett, Rondo(Começando), Allen, Perkins e etc, foi bom demais. Ver agora Bab’s, Wallace’s, Bogan’s… Parece até sacanagem.

    A maioria não consegue (Eu também não conseguia) separar negociações do futebol com o basquete, pensando que é apenas oferecer o que tem de melhor (Seja jovens jogadores ou dinheiro) por um outro jogador comprovadamente vencedor (Ou allstar) para melhorar o time. Não pensamos à longo prazo, ou não avaliamos talentos. Não pensamos nos motivos de um jogador escolher jogar por certa franquia. Na maioria das vezes não é só oferecer dinheiro. Uma temporada de evolução de jovens talentos é MUITO melhor que uma temporada de “não tank” para cair sempre nas primeiras rodadas dos playoffs.

    Ainge já fez o “rebuild rápido”, que foi a troca de um monte de ativos por jogadores mais velhos, comprovadamente vencedores e allstars. Agora é o momento de tentar um outro caminho. Um caminho mais “San Antonio Spurs”, como gostam de chamar hoje em dia. Ou mesmo o exemplo do Thunder, que mescla um pouco dos dois e logo-logo começará a render títulos.

    Agora é ter paciência. Estou louco para ver esse time jovem, sem vontade de tankar e sim desenvolver, jogar sem muita responsabilidade, em quadra, sim. Vai ser bem legal a temporada esse ano.

    Rondo – Bradley – Green – Sullinger – Zeller
    Smart – Young – Turner – Olynyk – Faverani
    Pressey – Thornton – Wallace – Bass – Anthony

    Já é um time no papel bem melhor que do ano passado. Não precisamos trocar ninguém para “piorar” e tankar para chegar no draft.

    Sem contar alguns bons nomes que se destacaram na Summer League:

    Mile moser
    Colton Iverson
    Chris Jonshon
    Dairis Bertans

    E por aí vai. Estamos com muitas opções esse ano, e vai dá para roubar algumas vitórias se não formos tankar (E eu espero que não); evoluir os jogadores, dar condicionamento e confiança para outros, e então atacar a próxima offseason de pivôs (Que venha um DeAndre Jordan, da vida)ou mesmo o draft. Quem sabe mesmo fora dos playoffs, e com chances na loteria, conseguimos um top 3 sem tankar? Tudo pode acontecer, basta acreditar.

    Ps: Marcus Smart ROY 2014. Podem printar.

    #BleedGreen

    0

    0
    • Thiago Reis disse:

      É isso aí rsrs, não acho que vamos tankar nessa temporada, se realmente nossa principal fonte for a FA de 2015, temos de mostrar pros jogadores da liga que temos um time forte, jovem e com potencial, do contrário ninguém vai querer assinar conosco. Acho até que é possível beliscar um oitavo lugar nos playoffs, mesmo que a gente não passe da primeira rodada, uma experiência nos playoffs será muito importante pros nossos jovens, temos que lembrar que precisamos mostrar pro Rondo que ele pode continuar conosco, a saída dele não seria o fim do mundo, mas nos coloca no rebuild por mais 2 ou 3 anos. Em termos de trocas acho que Green e Bass não terminam o ano nos Celtics, principalmente se jogarem bem!!

      0

      0
  9. Marcos disse:

    Foi mt triste e talvez houvesse outro caminho… Anyway, ainge é bom no que faz…

    Saíram os termos do acordo do Kardasha: se os Wizards estiverem entre os 11 melhores (aq n sei se conta no geral ou por conf) teremos mais uma pick de forst-round (55 overall), normalmente usada para trazer europeus…

    Mais uma pick fruto do esforço de Ainge e (sim, eu acho que foi um sacrifício da parte deles tb) KG e sempre celta Paul Pierce…

    []s verdes

    0

    0
  10. Snowball disse:

    Se comparar a nossa reconstrução com a do time lá de LA, não tem como não dar parabéns ao Ainge. O nosso futuro é muito mais promissor. Sem comparação.

    0

    0
  11. Thiago Reis disse:

    Lembro de no ano passado, praticamente TODOS no blog metendo o pau no Ainge (principalmente o queixada rsrs, perceberam que ele sumiu rsrs??), sobrava gustavo, eu e alguns poucos que não lembro defendendo a troca. Foi uma roubada do Ainge gigante, um ano depois podemos ter a certeza de dizer isso, os Nets não conseguiram nada com essa troca, já os Celtics firmaram uma base que nos deixa com opções para tomar diversos caminhos, essa pluralidade de opções é uma raridade e estamos em ótimas condições.

    0

    0
    • Marcos disse:

      Thiago, parece que foi um bom negócio e Ainge é um monstro sagrado, vai acabar na ‘cadeia’ com esses negócios criminosos com outras franquias… Mas, porém, contudo não era a única saída possível…

      Se tivessem feito um re-plan com o Pastor Waldomiro como técnico e algumas trocas inteligentes teríamos um time mais competitivo ainda que com menos picks (lembrando que poucas serão efetivamente de loteria).

      In Ainge, we trust … ( Menos o queixada, huahua)… Mas eram diversos caminhos e esse foi o escolhido, porém, não necessariamente o melhor/mais rápido…

      #TankNão

      []s verdes

      0

      0
  12. Thiago Reis disse:

    Em minha opinião foi o mais acertado, se optassemos por tentar reforçar o time não acho que seria forte o suficiente para ganhar do Heat, e seria algo pra durar duas temporadas no máximo.

    0

    0
  13. drakes disse:

    Dentro do plano realmente o rebuilding hoje se vê um horizonte em termos de flexibilidade do CAP e nomes, em termos de vitórias não acredito que o impacto seja assim tão grande, esse ano vai ser muito difícil pegar playoffs, mesmo com a possível queda do Nets.

    Como torcedor até hoje achei ruim trazer o JA, um segundo pick mais para mim foi um erro, mas é um plano bem conduzido.

    Concordo com o Marcos que também não era o único, ficar com KG e Pierce era sim possível, o Spurs está ai para provar que esperar e manter um time forte, a campanha valoriza seus jogadores em trocas e picks altas boas é possível manter-se e ter um time competitivo.

    0

    0

Deixe um comentário