Celtics pode usar artifício para substituir Gordon Hayward; entenda

A temporada 2017-18 do Boston Celtics começou da pior maneira imaginável quando Gordon Hayward fraturou seu tornozelo esquerdo com apenas alguns minutos de estreia na temporada regular.

O Celtics continua a avaliar o atleta e ainda não divulgou oficialmente uma estimativa para a recuperação dele, mas é difícil imaginar o ala regressando esta temporada, uma vez que a lesão exige bastante cautela (como a lesão de Paul George alguns anos atrás).

Enquanto todos estão torcendo para que ele faça uma recuperação rápida e completa, não resta mais nada ao Celtics exceto continuar sua temporada e descobrir o que fazer da vida sem seu All-Star. Parece provável que Danny Ainge, pelo menos, considere fazer adições ao elenco para reforçar a profundidade na posição 3.

Não é preciso dizer que ninguém será capaz de substituir completamente a produção de Hayward, uma vez que ele é um All-Star pra mais de 20 pontos por jogo de média. Há uma razão pela qual ele foi um dos free agents mais requisitados na offseason. De início, Boston provavelmente se apóia nos jovens Jayson Tatum e Jaylen Brown, bem como o versátil veterano Marcus Morris. Ainda assim, Ainge e seus assistentes devem estudar o nome de alguns jogadores disponíveis.

O pulo do gato nessa situação, é que o Boston Celtics pode recorrer à um raro dispositivo chamado  “Exceção de Jogador Desabilitado” e a NBA não deve criar problemas para atender esse pedido. Essa exceção vale algo em torno de US$ 8,4 milhões e o gerente geral do Celtics, Danny Ainge, teria até o dia 10 de março para usá-la. Mas como ela poderia ser utilizada?

Free Agents

No momento, aqui estão alguns alas que estão disponíveis no rol de agentes livres:

Gerald Green, Matt Barnes, Derrick Williams, Dorell Wright, Brandon Rush, Anthony Morrow, Alan Anderson, Mike Dunleavy Jr., Mike Miller, Sonny Weems, Georges Niang, Jordan Hamilton, PJ Hairston, Josh Childress, Chase Budinger, Elliot Williams, Shawne Williams, Nigel Hayes, Anthony Bennett, RJ Hunter, Tony Mitchell, Amile Jefferson, Durand Scott, Perry Jones III, Jarell Eddie, DeQuan Jones, Rasual Butler e Metta World Peace.

Infelizmente para Boston, muitos agentes livres já assinaram com outras equipes à essa altura e recentemente até os jogadores dispensados (como Richard Jefferson e DeAndre Liggins) foram contratados.

Vários dos jogadores listados acima já assinaram acordos no exterior, mas muitos deles tem uma cláusula em seu contrato internacional que lhes permite retornar aos EUA caso uma equipe da NBA faça uma oferta. Da lista acima, dois nomes parecem interessantes para o sistema celta e chamam a atenção.

Gerald Green: estava no elenco de Boston na temporada passada. Ele apareceu em 47 jogos de temporada regular com os Celtics durante a campanha de 2016-17, com uma média de 5,6 pontos. Ele jogou em 13 jogos de pós-temporada para Boston, com o treinador Brad Stevens. Nos playoffs do ano passado, Green anotou 7,5 pontos em 14,8 minutos e atingiu impressionantes 46,7% de aproveitamento nos arremessos de três pontos. O jogador de 31 anos assinou com o Milwaukee Bucks em Setembro, mas recentemente foi dispensado após a pré-temporada. Parece provável que ele receba alguma consideração, já que tem familiaridade com o sistema do treinador Stevens.

Derrick Williams: passou a temporada passada com o Cleveland Cavaliers, aparecendo em 25 jogos e com média de 6.2 pontos e 2.3 rebotes em 17.1 minutos. Durante seu período em Cleveland, ele arremessou para 50.5% e 40.4% nos arremessos de três pontos. Com o Cavs, ele impressionou Kyrie Irving com suas jogadas e os dois desenvolveram bom entrosamento, o que poderia fazer dele uma adição interessante para Boston. Williams também tem apenas 26 anos, ou seja, é significativamente mais jovem do que alguns dos outros jogadores no mercado.

Como mencionado anteriormente, se Ainge obter essa exceção com a NBA, não é necessário fazer um movimento imediatamente pois o prazo para usar é até 10 de março. Sendo assim, ele pode ser paciente e ver quais jogadores veteranos são dispensados após a trade deadline em fevereiro. Esperar pode ser a melhor aposta de Boston, pois isso pode permitir a aquisição de um jogador-chave que contribua significativamente mais do que qualquer um dos listados acima.

Trocas

Outra opção para o Celtics melhorar seu elenco é via troca. Boston poderia usar essa exceção de US$ 8,4 milhões para negociar com um jogador que tenha um ano restante no contrato. Isso também se alinharia com a estratégia de Ainge de colocar um time pra competir agora, mantendo sua flexibilidade a longo prazo (já que o contrato seria expirado na próxima temporada). Aqui estão alguns potenciais alvos de troca para o Celtics:

Courtney Lee: O jogador de 32 anos jogou duas temporadas em Boston no início de sua carreira e, segundo a imprensa, o New York Knicks estaria interessado em mover seu contrato na intenção de cortar custos. Lee teve uma temporada boa em  2016-17, com médias de 11 pontos, 3.3 rebotes, 2.3 assistências e 1.1 roubos de bola, registrando ainda 40,5% nos arremessos de três. No entanto, está esquecido devido às péssimas campanhas do time de Nova York. O complicado é que Lee não se encaixaria no valor da exceção, então Ainge teria que encontrar outra maneira de adquiri-lo, envolvendo jogadores do elenco celta.

Kyle Anderson: Esse se encaixa na exceção e está no último ano de seu contrato (ele será um agente livre restrito ao fim da temporada). Anderson tem apenas 24 anos, então o San Antonio Spurs talvez não se sinta disposto para o negociar. Mas, se eles decidirem que não vale abrir a carteira para pagá-lo na próxima offseason, talvez considerem trocá-lo agora. Ele ainda não fez muito com o Spurs, mas seu tempo de jogo tem sido bastante limitado. Talvez uma mudança de cenário seja boa para ele. Além disso, além de Kawhi Leonard jogar a maioria dos minutos na posição, Rudy Gay também assinou com o time e Davis Bertans tem evoluído. Anderson agora é mais dispensável do que nunca.

Resta agora saber o que o Boston Celtics fará – se é que fará alguma coisa. Foi devastador assistir Hayward se lesionar e, independentemente do que está próximo do ponto de vista da lista, essa é uma enorme perda que muda drasticamente a perspectiva da temporada.

Esperemos que Hayward possa retornar em breve e, como George, voltará ainda mais forte do que antes.

Bruno Penna
Bruno Penna

Nascido e criado no Rio de Janeiro, é formado em Administração e apaixonado por esportes. Começou a se interessar por basquete em 2005 ao assistir um monstro chamado Kevin Garnett em quadra. Se apaixonou pela história do Boston Celtics e desde então dividiu o fanatismo que antes era ocupado só com o Botafogo.

4 Comentários

  1. Matheus Lança disse:

    feels bad

    0

    0
  2. JailtonSV disse:

    Traria o Green. Por algum motivo obscuro ele foi pouco utilizado na temporada passada. É um cara experiente, bem útil, que não se importa em “perder” minutos para o desenvolvimento dos jovens, acredito que seja a melhor opção no momento.

    1

    0
  3. The Real Jay disse:

    O cara q N deveria ter saído. GREEN

    1

    0
  4. Vittos Gomes disse:

    Tentaria ver se Paul Pierce não aceitaria retornar pra mais uma temporada, fora isso, melhor deixa a vaga aberta, vai que Hayward tem uma recuperação milagrosa a tempo de jogar as finais de conferência.

    0

    0

Deixe um comentário