Jogo 1 – Celtics 102 x 106 Bulls

Aguardada com ansiedade pela torcida, a participação do Boston Celtics nos playoffs da NBA em 2016/2017 começou com uma dose gigantesca de sofrimento, dentro e fora de quadra. Além da trágica morte de Chyna J. Thomas, irmã do armador e All-Star Isaiah Thomas, o Alviverde teve que lidar, na noite deste domingo (16), com um resultado que não estava nos planos de atletas e fãs celtas. Mesmo jogando em casa, no TD Garden, o Celtics sofreu com um Chicago Bulls eficiente e concentrado, não conseguiu fazer uma boa atuação e foi derrotado por 106 a 102 no primeiro jogo da série.

Mesmo abalado com a morte da irmã, Isaiah Thomas decidiu jogar contra o Chicago Bulls e foi o destaque do Boston Celtics na partida. Além de anotar 33 pontos, melhor marca do duelo, o camisa 4 pegou seis rebotes e distribuiu seis assistências. Discreto no primeiro tempo, o pivô Al Horford fez uma boa atuação nos dois últimos quartos e encerrou o jogo com 19 pontos, oito assistências e sete rebotes. O ala-armador Avery Bradley, por sua vez, passou pela situação inversa: começou muito bem, mas depois caiu de produção. Mesmo assim, o camisa 0 fez 14 pontos e conseguiu três roubadas de bola.

Pelo lado do Chicago Bulls, o destaque foi o ala Jimmy Butler, que chamou a responsabilidade nos momentos mais difíceis do jogo e flertou com um duplo-duplo: foram 30 pontos e nove rebotes em 40 minutos. Entre os reservas, destaque para o ala-pivô Bobby Portis, que deu muito trabalho aos marcadores celtas e também ficou perto de um duplo-duplo, com 19 pontos e nove rebotes. O pivô Robin Lopez, titular, fez 14 pontos e pegou 10 rebotes, sete deles na quadra de ataque.

Além de abrir 1 a 0 na série, o Chicago Bulls quebrou a vantagem do mando de quadra do Boston Celtics com a vitória no TD Garden. Para igualar a situação e evitar um prejuízo ainda maior, o Alviverde precisa derrotar a franquia de Illinois nesta terça-feira (18), às 21h, em Boston, em partida que terá transmissão da ESPN para todo o Brasil. Depois desse jogo, Chicago atuará duas vezes seguidas diante de seus torcedores.

O jogo

Aplaudido a cada instante, um emocionado Isaiah Thomas comandou o ótimo início de jogo do Boston Celtics contra o Chicago Bulls. Com 13 pontos de seu armador, o Alviverde abriu uma vantagem de cinco pontos no primeiro quarto. No período seguinte, entretanto, o Bulls equilibrou o jogo: com boas jogadas de Rajon Rondo e Dwyane Wade, muita disposição nos rebotes ofensivos e diante da pouco inspirada rotação do Celtics, a franquia de Chicago virou o jogo. O prejuízo foi de apenas dois pontos para Boston porque o pivô Al Horford, no último lance, acertou um belo arremesso de longa distância.

Na volta do intervalo, Celtics e Bulls voltaram em um ritmo ainda mais forte. A franquia de Chicago manteve a liderança nos primeiros minutos, Boston conseguiu a virada, mas os visitantes deixaram tudo igual no fim do terceiro quarto, graças a um arremesso de três pontos de Jimmy Butler. No último quarto, o Chicago Bulls esteve mais tranquilo e encaminhou a vitória, contando com ótimas atuações de Jimmy Butler e Bobby Portis. O Celtics foi valente, lutou até o último segundo, mas não evitou a derrota em casa.

Destaques do Celtics

Isaiah Thomas (33 pontos, seis rebotes e seis assistências)

Al Horford (19 pontos, oito assistências e sete rebotes)

Avery Bradley (14 pontos e três roubadas de bola)

Destaques do Bulls

Jimmy Butler (30 pontos e nove rebotes)

Bobby Portis (19 pontos e nove rebotes)

Robin Lopez (14 pontos e 10 rebotes / duplo-duplo)

Gustavo Arruda
Gustavo Arruda
Gustavo, 25 anos, é maranhense de São Luís, estudante de Jornalismo, repórter esportivo do Imirante.com e colaborador do Futebol Maranhão. Fanático por esportes, principalmente futebol e basquete, é torcedor celta desde 2003, quando ouviu pela primeira vez o TD Garden lotado entoando "Let's go, Celtics!", e escreve no Celtics Brasil desde julho de 2011. Nas horas vagas, é goleiro, armador, consumidor de danone, tio do João Gabriel e dá seus pitacos sobre o maior campeão da NBA no Twitter: @gustavoarruda01.

15 Comentários

  1. Fernando C Silva disse:

    Alguém sabe detalhes sobre a decisão do IT de participar do jogo?

    A decisão foi dele?

    0

    0
  2. Francisco Machado disse:

    Pelo visto, é melhor começar a focar as atenções na loteria do draft……

    0

    0
  3. Barros disse:

    Olha esse Paul George, o cara é sinistro e é de jogadores assim que precisávamos, na hora do vamos ver que importa. Se queremos bater o cavs um dia, temos que ter jogadores do porte dele!

    0

    0
  4. Paulo disse:

    Somos 3, Barros e Rômulo. O que ambos acham justo o Ainge oferecer para tê-lo?

    0

    0
  5. Fernando C Silva disse:

    O PG praticamente se ofereceu para jogar aqui.

    Eu sou contra o desmanche da base do time para te-lo. Não adianta ceder demais e ter que remontar a estrutura da equipe.

    Smart, Crowder e duas first picks, ainda que a número um deste ano, eu fecharia negócio com o Pacers.

    O problema é que os caras provavelmente vão pedir Smart, Crowder, AB, 3 picks de primeira rodada, ou seja, vão querer reconstruir nas nossaa costas.

    De qualquer maneira, se perdermos para os Bulls, esqueça a atração às estrelas da liga.

    Precisamos e temos condições de bater o Bulls e bem.

    A imprensa americana não tem razão em nos chamar de.pior primeiro colocado na história, já que na verdade somos segundo ou terceiro.

    Mas melhor que o Bulls somos sim.

    0

    0
    • Paulo disse:

      Fernando, acredito que o preço dele cairá, no período que antecede a FA de 2018. Onde o mesmo terá a opção de decidir o futuro da sua carreira.

      Indiana aceitará ofertas, para não perdê-lo sem algo em troca. Bradley, Crowder e NETS18, acho justo para tê-lo.

      0

      0
    • Marcos disse:

      Se for sign-n-trade AB, Crowder e Smart + 1 pick ainda é um excelente negócio, é só olhar o desempenho dos 3 e o PG em jogos decisivos.
      Roles players tem em pencas na Liga (e D-League), craques são poucos.

      []s verdes

      0

      0
  6. David Pires disse:

    Rondo , butler , mirotic , lopez , wade , c.w. … todos sabiamos que o bulls contam com um time com qualidade ,experiencia e acima de tudo com um optimo desempenho contra times do cimo da tabela. É fundamental acelarar o jogo com transiçoes rapidas , circular melhor a bola e selecionar com melhor criterio o chute, ser agressivo em todo o processo defensivo e melhorar urgentemente o numero de rebotes ofensivos e defensivos. É clara a nossa fragilidade nos rebotes , por isso é urgente e fundamental o nosso reforço com um big que nos garanta rebotes e pontos na area pintada. E galera vamos ser sinceros , nao é com um cara comi hayward que voçe vai desafiar lebron , cavs e gws , se queremos elevar o nivel como verdadeiros contenders so com alguem como butler e principalmente como paul george na posiçao 3. Poder ter um cinco com thomas bradley george horford e griffin mudava as regras do jogo a nosso favor. Acho que so por uma vez o 1 colocado perdeu com o 8 , nao quero que o celtao entre na historia por esse motivo , vamos acreditar que vamos dar a volta e vencer essa serie , vai ser uma serie emocionante como o nosso ultimo encontro com o bulls no playoff. Vamos celtics.

    0

    0
    • Rafael Lima disse:

      Isso já aconteceu em 3 ou 4x e o problema não é esse. O que pega realmente é que só temos um jogador que decide jogos e precisamos atrair mais gente desse calibre como você disse.
      Temos o fator Markelle Fultz, se tivermos sorte no sorteio, ele pode nos render uma grande troca.
      Bradley, Crowder e Olynik + uma pick de 2019 por Paul George.
      Devolver a pick 1 para o Brooklin + Johnson por Brook Lopez.
      Trazer os irrestritos Rondo, Ezeli e Reddick e fazer algumas dispensas (Green, Zeller…).
      Teríamos o seguinte time:

      Thomas – Reddick – George – Horford – Brook Lopez
      Rondo – Smart – Brown – Jerebko – Ezeli
      Rozier – Mickey – Yabusele (+ Pivô e armador selecionados no draft)

      0

      0

Deixe um comentário