Cinquenta anos do templo do basquete

No dia 11 de setembro aconteceu a Indução da classe de 2009 no Hall da Fama, a qual conta com três jogadores (David Robinson, John Stockton e Michael Jordan) e dois técnicos (Jerry Sloan e C. Vivian Stringer). Em 2009, o Hall da Fama do Basquete completou 50 anos de existência, mas o nascimento desse templo do esporte não foi nada fácil.

A ideia de se construir um memorial para James Naismith (o invertor do basquete) já existia desde 1948 e partiu de Buck Reed, então presidente da NABC (Associação Nacional dos Técnicos de Basquete), e John Bunn, que tinha sido auxiliar técnico de Naismith. No entanto, por falta de verba e apoio, o projeto só saiu do papel em 1959 e foi construído no campus da Springfield College, em Springfield, Massachussets, o berço do esporte. O Hall da Fama foi criado para: “honrar e celebrar os grandes momentos do basquetebol, de seus jogadores, árbitros e contribuintes”. No primeiro ano, foram homenageadas 20 pessoas e dois times.

O Hall da Fama do Basquete só foi aberto para visitas públicas no dia 17 de fevereiro de 1968, nove anos depois de sua criação. Com o aumento do número de visitantes, o memorial teve de ser transferido para um prédio maior, em 1985, mas permaneceu em Springfield. No mesmo ano, o memorial foi o primeiro dentre todos os esportes a homenagear mulheres que contribuíram para o basquete. Seis anos depois, ocorreu uma cerimônia de gala no memorial, em comemoração ao centenário da invenção do basquetebol.

O grande crescimento de visitantes e o aumento da popularidade do jogo nas últimas décadas forçou uma nova mudança, o que levou à construção do terceiro Hall da Fama, também localizado em Springfield, Massachussets. O terceiro Hall da Fama do Basquete foi inaugurado em 2002 e é um verdadeiro templo do basquete, com três andares e 7.200 metros quadrados. O Hall conta com muitas atrações: um salão para cerimônias, um museu, uma loja que vende camisas, bolas e troféus assinados, uma estátua de James Naismith, e a Hickox Library, uma biblioteca com o maior acervo sobre basquete no mundo. O Hall da Fama homenageou até agora 290 pessoas e quatro times.

Requisitos para entrar no Hall da Fama

Existem alguns quesitos para se concorrer ao Hall da Fama do Basquete. Os jogadores devem estar aposentados há pelo menos cinco anos. Já os técnicos e árbitros devem ter exercido a profissão por pelo menos 25 anos. Os chamados “colaboradores”, ou seja, pessoas que contribuíram para a continuidade do basquete, são escolhidos por critérios do próprio Conselho da Instituição. Além disso, os selecionados devem passar por uma votação no comitê de seleção, onde devem obter pelo menos 18 de 24 votos, para assim ingressar no Hall da Fama.

Fontes: FOX, Larry. Illustrated History of Basketball, New York, 1974.
BOOP, Michael. Almanaque do melhor basquete do mundo, São Paulo, 2004.

Por: Flávio Catandi

Flávio Catandi
Flávio Catandi
Jornalista e Radialista apaixonado por basquete. Participa do Celtics Brasil desde 2008. Já foi redator, colunista e hoje é editor do site. Nas horas vagas gosta de escrever roteiros e gravar curtas e documentários. Pode ser encontrado na cidade de São Paulo com uma camiseta Celta.

2 Comments

  1. Guilherme Camillozzi disse:

    Otima matéria.
    Dificilmente você acha artigos tão completos sobre o Hall da Fama em português, parabéns ao Flávio, por mais essa iniciativa.

    0

    0
  2. Rafael Forner disse:

    Parabéns Flavio, ficou muito boma !! arrebentou !!!

    Se Deus quiser ano que vem irei pra lá !!!

    0

    0

Deixe um comentário