Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Kyrie Irving revela conversa com Ainge e Stevens, diz estar feliz e elogia união celta no Oeste

Após dez dias de turbulência na temporada 2018/2019 da NBA, com cinco derrotas em seis jogos, o Boston Celtics viajou para quatro compromissos consecutivos como visitante na Conferência Oeste sem maiores expectativas. Afinal de contas, o que esperar de uma equipe inconsistente e com um elenco fora de sintonia? Entretanto, para surpresa geral, o maior campeão da história da liga apresentou resultados dignos de um candidato ao título: além de bater o atual bicampeão Golden State Warriors por 33 pontos de diferença, o Celtics venceu o Sacramento Kings em um jogo eletrizante, decidido apenas nos últimos segundos. Com essas duas vitórias, o elenco celta mostrou que pode ser competitivo nesta temporada, renovou sua confiança e ganhou fôlego na briga por mando de quadra nos playoffs.

Em artigo no Boston Globe, o jornalista Gary Washburn disse que a longa viagem de seis horas de avião entre Boston e San Francisco, um treino animado antes do duelo contra o Golden State Warriors e as duas vitórias consecutivas ajudaram o elenco do Celtics a se unir nesse momento de dificuldade. Principal jogador do time verde e branco, o armador Kyrie Irving teve um auxílio especial, que foi uma conversa com o general manager Danny Ainge e o técnico Brad Stevens.

Durante a série de tropeços do Boston Celtics, Kyrie Irving foi colocado no olho do furacão. Afinal de contas, o camisa 11 viu seu nome envolvido em rumores de troca por Anthony Davis, em uma suposta parceria com Kevin Durant na próxima temporada e um crescente boato de que estaria se transferindo para o New York Knicks. Além disso, Irving teve que lidar com questionamentos sobre sua capacidade de liderança e até mesmo com teorias de que o Celtics joga melhor sem ele. Em conversa com Gary Washburn, o armador admitiu desconforto com essas especulações, mas disse que a conversa com os caciques celtas foi fundamental para que ele se concentrasse apenas em jogar basquete.

“Essa longa viagem de avião (de Boston a San Francisco) nos ajudou, vou apenas dizer isso. Nós precisávamos disso. Esse é o nosso santuário e temos que fazer de tudo para protegê-lo, não podemos deixar ninguém se infiltrar. Honestamente, a parte dos negócios é terrível para mim, é terrível lidar com isso tudo. Eu preciso manter a minha diversão na parte do basquete, é aí que sou ótimo. Eu amo jogar, estar perto dos meus companheiros de equipe, é isso o que me faz feliz. Não foi uma mudança de perspectiva, só não acho que estou em conflito com todo mundo. Não há competição nesse vestiário. Conversar com Brad e Danny foi muito útil e tornou muito fácil me divertir jogando basquete”, elogiou Irving.

Com o astral renovado, o Boston Celtics aposta a sua confiança e sua série invicta em um jogo de tirar o fôlego na noite deste sábado (9). A partir das 22h30 (horário de Brasília), o time verde e branco de Massachusetts encara o seu maior rival, o Los Angeles Lakers, em clássico que será disputado no Staples Center e terá transmissão da ESPN para todo o Brasil. Quinto colocado da Conferência Leste, o Alviverde venceu 40 das 66 partidas que disputou e tem 60,6% de aproveitamento na temporada.

Author avatar
Gustavo Arruda
Gustavo, 28 anos, é maranhense de São Luís, jornalista formado pela UFMA e repórter do Imirante.com. Fanático por esportes, principalmente futebol e basquete, é torcedor celta desde 2003, quando ouviu pela primeira vez o TD Garden lotado entoando "Let's go, Celtics!", e escreve no Celtics Brasil desde julho de 2011, com mais de 1.700 textos publicados. Nas horas vagas, é goleiro, armador, tio do João Gabriel e da Alice, e também dá seus pitacos sobre o maior campeão da NBA no Twitter: @gustavoarruda01.

4 comentários

  1. Rodrigo Ribeiro

    Boa tarde companheiros do Celtics Brasil, para quem lembra e esse recado é principalmente para o Irving, na temporada passada o departamento do Boston cuidou muito bem deste jogador, o poupando e realizando todas as intervenções cirúrgicas e de fisioterapia em seu joelho, não o forçando no final da temporada, demonstrou bastante profissionalismo e integridade na preservação do seu atleta e esperamos que o Irving reflita sobre isto, somos uma potência, o maior campeão na liga, e jogar aqui é nada mais que uma honra para qualquer atleta da NBA.

    Se liga Irving, deixa de lado essas picuinhas e faz o que tu sabes fazer, jorgar barsquete em alto nível, e vê se lê um livro sobre liderança para que se mude esta mentalidade “A arte da Guerra” pode lhe ajudar nesta condução do verdadeiro papel de um Líder.

    Abraços Celtics…

  2. Erondi Nunes

    Espero nada menos q um Golden Shower em cima dos Fakers hj.

  3. Celso Cachali Jr

    Eu ainda nao tenho uma posição definida sobre o Irving tem horas que ele quer outras não. Puta jogador esquisito.
    Seu talento é inegável, mas ainda assim acredito mais que jogamos melhor sem ele.
    Tatum nao recebeu muito a bola.

    Jogo contra os Lakers ele destruiu no jogo, mas ainda nao me convence em querer ele para o time ano que vem, sou daqueles que gostam de um jogo coletivo.

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *