14

novembro

2011

12

Comentários

Entrevista com Paulo Antunes

Hoje o Celtics Brasil entrevista o comentarista dos canais ESPN, Paulo Antunes.

Paulo morou 17 anos nos Estados Unidos, desde 2006 trabalha como comentarista, repórter e apresentador na ESPN.

É especialistas em esportes americanos e comenta a NFL e a MLB. Apresenta também os programas “The Book is on the table”, “Semana NFL” e eventualmente o “Bate-Bola”.

Na NBA, seu time é o Boston Celtics.

CELTICS BR: Você morou 17 anos nos EUA, jogou quais esportes no colegial e
universidade? parou por quê?

Paulo Antunes Joguei basquete e futebol americano no colegial e beisebol na universidade. Parei por que me formei e as prioridades mudam. Depois de me mudar para o Brasil a prática desses esportes ficou quase impossível e também desencanei de boa. Hoje, jogo basquete de vez em quando na minha academia em São Paulo.

CELTICS BR: Como começou a sua paixão pelo Boston Celtics?

PA: Meu pai fez a residência dele em Boston e adorava os Celtics. Ele me passou essa paixão e comecei a torcer mesmo em 1987.

CELTICS BR: Qual o momento mais feliz e o mais triste como torcedor?

PA: O momento mais triste da minha vida foi quando vi a notícia da morte de Reggie Lewis em 1993. Ele era o meu jogador favorito, e eu copiava tudo que ele fazia na quadra (quando eu jogava). Reggie era o meu ídolo e chorei muito quando ele morreu.

O meu momento mais feliz como torcedor é difícil falar. Sofria todo ano com os Celtics, eles nunca passavam da segunda fase dos playoffs na época do meu “fanatismo”. Nunca vou esquecer o roubo de bola de Larry Bird nos playoffs de 1987 contra os Pistons. Eu fiquei tão
feliz que rolava no chão dando risadas. Nunca vi meu pai vibrar tanto com um jogo de basquete. Foi especial.

CELTICS BR: E o locaute, há uma luz no fim do túnel?

PA: Sei lá. Acho que tudo vai se resolver em tempo. Acho que os jogadores vão acabar aceitando uma porcentagem de 51% nos lucros.
Ainda acho que teremos uma temporada esse ano.

CELTICS BR: Com um Big 3 mais envelhecido e com a falta de opções no garrafão, qual sua expectativa para a temporada, caso ela venha a acontecer?

PA: Eu acho que o locaute vai ajudar os Celtics. Eu não sei se eles têm pernas para uma temporada de 82 jogos, mas garanto que uma de 60 seria perfeito. Acho que Boston será um dos grandes favoritos ao título, mas precisa contratar um pivô atlético. Samuel Dalembert seria ideal.

CELTICS BR: O que você acha de Rajon Rondo? Acha que ele é capaz de levar a franquia ao sucesso depois da aposentadoria do Big 3?

PA: Se eu fosse ele, eu ficaria duas horas por dia praticando meus arremessos. Ele precisa arremessar melhor por que 50% da linha do lance livre é o fim do mundo, não acha? Amo a energia dele e defensivamente ele é muito bom. Ele se encaixa muito bem com o Big Three mas não acho que ele seja um “franchise player”. Depois do big three ele vai precisar de bastante ajuda.

CELTICS BR: Como você viu a troca de Perkins e Nate no momento em que foi feita, e qual avaliação faz dela para o futuro?

PA: Eu adorei a troca quando ela foi feita porque achava que Shaq (que estava jogando muito antes de se machucar) voltaria pra ajudar. O Jeff Green tem muito talento, é jovem e achava que ele ajudaria muito o clube na temporada passada e por muitas temporadas no futuro.

Perkins é bom mas ia comandar uma grana absurda depois da temporada, e não voltaria para essa. A troca fez sentido, consegui entender o lado de Ainge.

Infelizmente, não deu certo pois Shaq nunca voltou bem e os Celtics perderam um líder importante dentro do vestiário. A boa notícia é que agora eles têm o Jeff Green que vai se acostumar com o time e deve produzir por várias temporadas.

CELTICS BR: Pierce certamente terá sua camisa aposentada. E Ray e KG? Você considera que são merecedores de tal homenagem?

PA: Todo mundo tem sua camisa aposentada em Boston. Daqui a pouco não vai ter mais número pra ninguém! Paul, sim, Ray e KG tenho minhas dúvidas. Precisam ganhar mais um título.

CELTICS BR: Caso o CAP não seja alterado no novo acordo coletivo, com fins de contratos e possíveis renovações do Big 3 por valores bem inferiores ao atual, o Celtics pode adquirir um bom espaço em sua folha salarial, permitindo a contratação de um ou até dois Stars. Se você fosse GM Celta, qual ou quais jogadores você faria um esforço para contratar?

PA: Eu adoraria ver Samuel Dalembert e Jamaal Crawford nos Celtics. Com esses dois, Boston seria o favorito ao título na minha opinião. Porém, pode ter certeza que mesmo com novas regras e CAP e tudo mais, os Celts não terão grana para os dois. Se eu tivesse que escolher um, iria atrás do Dalembert.

CELTICS BR: Como você avalia o trabalho da CBB em relação ao Novo Basquete Brasil (NBB)?

PA: Admito que acompanho muito pouco o basquete nacional. Só acho que a CBB deveria fazer um trabalho melhor para atrair jogadores como Nene e Leandrinho. A seleção deveria ser melhor estruturada e deveria ser o sonho de qualquer jogador. Se não é, é porque tem problemas internos que estão afastando as estrelas.

Seu twitter e seu blog
Twitter: @pauloespn
Blog: http://espn.estadao.com.br/pauloantunes