Tabela, caldeirão e elenco: as armas do Boston Celtics na briga pelo topo do Leste

Dono da vice-liderança da Conferência Leste, com 42 vitórias em 67 partidas e 62,7% de aproveitamento, o Boston Celtics ainda tem mais 15 jogos na fase de classificação da temporada 2016/2017 da NBA. Como a confirmação da vaga para os playoffs é questão de tempo, o Alviverde se concentra agora em uma dupla disputa: além de tentar alcançar o líder Cleveland Cavaliers, que tem uma vitória a mais e dois jogos a menos, a franquia de Boston tenta se defender dos avanços de Washington Wizards e Toronto Raptors, que estão firmes na briga pela segunda posição. Para encerrar bem a temporada regular, o Celtics tem uma série de trunfos em relações aos rivais, e o Celtics Brasil analisa todos eles.

Departamento Médico vazio

Uma das equipes que mais sofreu com lesões de atletas importantes na temporada, o Boston Celtics está contando com todas as suas peças depois de muito tempo. O ala-armador Avery Bradley já está atuando normalmente, depois de uma lesão no tendão de Aquiles, e o pivô Al Horford não demorou a se recuperar de um problema no cotovelo. Seus rivais, por outro lado, sofrem com perdas: enquanto o Cleveland Cavaliers não conta com o ala-pivô Kevin Love, o Toronto Raptors tenta lidar com a ausência do armador Kyle Lowry.

O “caldeirão” do TD Garden

O Boston Celtics disputará 10 dos últimos 15 jogos da temporada regular diante de sua torcida, no TD Garden, onde tem aproveitamento de 70,9% em 31 partidas. Dos times que estão na zona de classificação para os playoffs da Conferência Leste, apenas o Toronto Raptors tem mais partidas em casa do que fora. O Washington Wizards, que está na terceira colocação, vai disputar 11 dos seus últimos 17 compromissos fora de casa.

Viagens curtas

Nesta reta final de temporada regular, o Boston Celtics fará apenas cinco partidas como visitante, todas contra equipes da Conferência Leste. Ou seja, serão viagens curtas, sem mudança de fuso horário e de desgaste reduzido. O Celtics viajará cerca de 3.000 milhas até os playoffs, enquanto os rivais terão, em média, um percurso três vezes maior.

Tabela mais tranquila

Além de jogar mais vezes em casa do que seus rivais, a equipe do Boston Celtics só enfrentará quatro times com campanha superior a 50%: Cleveland Cavaliers, Washington Wizards, Atlanta Hawks e Indiana Pacers. Somados, os últimos oponentes do Celtics têm um aproveitamento médio de 43,5% na competição.

Confrontos diretos

Os quatro times que estão na briga pela primeira posição da Conferência Leste terão compromissos muito difíceis no meio do caminho, mas apenas o Boston Celtics jogará essas partidas em casa: no dia 20 de março, o Alviverde recebe o Washington Wizards, enquanto o Cleveland Cavaliers será o oponente no dia 5 de abril. O Wizards, além de visitar o Celtics, terá que enfrentar Golden State Warriors, Los Angeles Clippers e Cleveland Cavaliers longe de seus domínios, o Cavaliers ainda tem que visitar o San Antonio Spurs, e o Raptors terá um duelo contra a franquia de Cleveland na Quicken Loans Arena.

Para conferir a tabela completa do Boston Celtics na temporada 2016/2017, é só clicar aqui. E o que você acha, torcedor? O Alviverde vai aproveitar essas vantagens e conquistar a primeira posição da Conferência Leste? Deixe o seu comentário!

Gustavo Arruda
Gustavo Arruda
Gustavo, 25 anos, é maranhense de São Luís, estudante de Jornalismo e repórter esportivo do Imirante.com. Fanático por esportes, principalmente futebol e basquete, é torcedor celta desde 2003, quando ouviu pela primeira vez o TD Garden lotado entoando "Let's go, Celtics!", e escreve no Celtics Brasil desde julho de 2011. Nas horas vagas, é goleiro, armador, consumidor de danone, tio do João Gabriel e dá seus pitacos sobre o maior campeão da NBA no Twitter: @gustavoarruda01.

12 Comentários

  1. Barros disse:

    Parabéns pelo texto Gustavo!

    0

    0
  2. Anthonny Brasil disse:

    Perfeito!

    0

    0
  3. Celso Cachali Jr disse:

    Mais uma vez o BLog do CelticsBrasil sendo o mais perfeito nas suas informações. PArabens aos responsaveis.

    0

    0
  4. Eduardo Natan disse:

    Ótimo texto, mt informativo, um dos melhores blogs esportivos que conheço

    0

    0
  5. Jefferson Pires disse:

    Tem mais uma coisa que vem ocorrendo nos últimos jogos:
    Cavs, Wizards e Raptors estão colocando os melhores jogadores do time para jogar mais de 35 minutos por noite (salvo quando ocorre uma vitória ou derrota com grande diferença de pontos), enquanto os jogadores do Celtics estão jogando no máximo 33 minutos, juntando isso ao fota de viagens desgastantes pesa muito no time.
    Ao meu ver desde o inicio da temporada o time está jogando sem forçar muito para não chegar quebrado aos playoffs como ocorreu no temporada passada que o time chegou extremamente cansado para o duelo contra o Hawks.
    Os times que estão na briga pelas primeiras posições estão jogando muito tempo, muito semelhante ao que ocorreu com o Warriors na temporada passada para quebra de recordes e disputou os playoffs totalmente cansado, principalmente as finais contra OKC e Cavs, onde Klay e principalmente Curry.

    0

    0
    • Jefferson Pires disse:

      E para completar, meus parabéns pela ótima matéria como sempre.

      0

      0
      • Gustavo Arruda disse:

        É verdade, Jefferson. Só lembrar o jogo contra o Chicago Bulls: foi tão tranquilo que o Thomas jogou apenas 24 minutos e nem entrou no último quarto, período onde costuma fazer a diferença.

        Não citei essa parte da divisão de tempo entre os atletas porque é algo que foge um pouco do nosso controle. Nos jogos contra Cavaliers e Wizards, por exemplo, duvido que Thomas, Bradley ou Horford atuem por menos de 30 minutos. Menos mal é que a maioria dos jogos são em casa e as viagens serão raras até os playoffs.

        Agradeço a você e a todos os amigos que deixaram os seus comentários e elogios. Continuem participando!

        0

        0
  6. Jota Boy disse:

    Wizards ja perdeu ontem, lets go celtics!!

    0

    0
  7. Renato Green disse:

    👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻

    0

    0
  8. Paulo Kulsar disse:

    Boa análise. É possível, sim, chegar ao primeiro lugar. Acredito que não há possibilidade de cair para terceiro, por conta desses fatores apontados e pelo ponto destacado pelo Jefferson no comentário. Stevens vem fazendo uma boa rotação, poupando o time, para minimizar o desgaste.

    0

    0
  9. Sander disse:

    Rapaz, quem diria que no começo dá temporada estaríamos brigando pela primeira posição???? Tudo isso sem tem um defensor top no garrafão. Muitos reclamam do Horford, mas ele traz coisas que não saem nas estatísticas, passa bem a bola e defende bem, tudo isso carregando o Amir nas costas.

    Para ver como temos um excelente técnico: Temos um elenco limitado ( principalmente no garrafão) com Jerebko, Zeller, Young, Amir, e etc… Falta um defensor é um reboteiro top no garrafão, mas nosso coach consegue nos deixar entre os melhores. Imagina ano que vem, com um draft top, Zizic e Yabusele para aprender, é um FA bom???
    Nosso tank foi de uma forma que ngm na liga conseguiu fazer igual, pois, começamos pelo banco, sem um FP na quadra, mas com alguém muito inteligente fora dela. Conseguimos ir formando um elenco de acordo com a forma de jogar do técnico. Temos aí pelo menos 10 anos de bom basquete.
    #Temosumfuturo

    0

    0

Deixe um comentário