Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Bucks 86 x 102 Celtics

Último colocado da conferência Leste e também na classificação da NBA, com seis desfalques e sem motivação nenhuma na temporada. Com tudo jogando contra o Milwaukee Bucks, adversário da noite desta segunda-feira (10), o cenário parecia fácil para o Boston Celtics, certo, caro leitor? Só parecia: a franquia de Wisconsin fez três períodos duríssimos diante do Alviverde, que justificou o favoritismo apenas no Q4, quando enfim abriu diferença no marcador e sacramentou a vitória por 102 a 86, no BMO Harris Bradley Center.

Apesar do pouco aproveitamento nos arremessos de longa distância, o ala Jeff Green foi o grande destaque do Celtics na partida, pontuando 29 vezes e distribuindo três assistências. Além dele, destacaram-se os jovens Jared Sullinger e Kelly Olynyk, com um duplo-duplo cada. No Bucks, o armador Brandon Knight, o ala Gary Neal e o ala-pivô John Henson, juntos, marcaram 55 pontos, sendo os únicos de seu time a pontuar mais de dez vezes.

A vitória manteve o Celtics com um fiozinho de esperança em relação aos playoffs: com 19 triunfos e 35,8% de aproveitamento, o time verde e branco já está a quatro jogos de diferença do Charlotte Bobcats, primeira equipe na zona de classificação para a pós-temporada. Em Milwaukee, a toalha já está no chão: com 42 derrotas em 51 compromissos, o Bucks segue com sua dura rotina como pior equipe da NBA em 2013/2014.

Celtics e Bucks farão, nesta quarta-feira (12), os seus últimos duelos antes da All-Star Weekend, que será realizada em New Orleans. Os celtas voltam a Boston, onde receberão o atual vice-campeão San Antonio Spurs e o Milwaukee enfrentará o New Orleans Pelicans em casa, buscando a sua 10ª vitória na liga.

O jogo

Desfalcado de Rajon Rondo e Avery Bradley, que ganharam um descanso após a derrota para o Dallas Mavericks, em Boston, o Celtics iniciou a partida lento, mesmo diante de um Milwaukee pouco determinado e com sérios problemas tanto na rotação quanto no quinteto. Brandon Bass foi o único que se sobressaiu, anotando 12 pontos e sendo auxiliado pelos reservas, que contribuíram para uma vitória parcial no Q1.

Com o quinteto basicamente reserva, os celtas viram o Bucks iniciar melhor o segundo período e reassumindo o controle da partida. Porém, contando com bons movimentos de Phil Pressey e Jeff Green, o time visitante soube segurar o ímpeto de Milwaukee. No último ataque, Gerald Wallace fez justiça ao marcador e colocou Boston a três pontos de liderança para o segundo tempo.

Depois de dois períodos iniciais equilibrados, Celtics e Bucks seguiram alternando pontos e impedindo um distanciamento maior no placar. A franquia de Wisconsin até teve um domínio ligeiramente superior em boa parte do Q3, mas os celtas aproveitaram-se de uma sequência de sete pontos, a dois minutos do fim, para reassumir o comando da partida.

Com três períodos bastante iguais e pouca vantagem celta, era esperado que a partida fosse decidida apenas nos últimos minutos. Ledo engano. Com Green inspirado e os ataques celtas mais precisos diante de um Bucks exausto, os comandados de Brad Stevens aproveitaram para, enfim, abrir uma distância considerável. Além disso, os novatos Pressey e Olynyk foram bem exigidos e deram conta do recado, garantindo o triunfo celta com surpreendente tranquilidade no período final.

Destaques do Bucks

Brandon Knight (22 pontos e cinco rebotes)

Gary Neal (17 pontos)

John Henson (16 pontos e três rebotes)

Destaques do Celtics

Jeff Green (29 pontos e três assistências)

Kelly Olynyk (14 pontos e 11 rebotes / duplo-duplo)

Jared Sullinger (13 pontos e 10 rebotes / duplo-duplo)

Author avatar
Gustavo Arruda
Gustavo, 28 anos, é maranhense de São Luís, jornalista formado pela UFMA e repórter do Imirante.com. Fanático por esportes, principalmente futebol e basquete, é torcedor celta desde 2003, quando ouviu pela primeira vez o TD Garden lotado entoando "Let's go, Celtics!", e escreve no Celtics Brasil desde julho de 2011, com mais de 1.700 textos publicados. Nas horas vagas, é goleiro, armador, tio do João Gabriel e da Alice, e também dá seus pitacos sobre o maior campeão da NBA no Twitter: @gustavoarruda01.

43 comentários

  1. Cadu#5

    Mais um vitória burra.

    Parece que o time não sabe se tanka ou se tenta ir pros offs… desse jeito vai ficar no meio termo, nem offs, nem chance de pegar uma pick alta…

  2. Leonardo Grochoski

    curti ver o Olynyk e o Green ontem, cabeleira buscando os rebotes e pontuando com técnica, Green ligou um modo “on fire” ali entre o 3° e o 4° período, Sully nem falo nada todo jogo com regularidade fazendo o que é preciso, garoto ta amadurecendo rápido. RR9 e Sully são o futuro promissor celta!

    • Marcos

      Olynyk + Faverani = defesa ultra ‘soft’. Vamos ver se melhora no ano que vem, caso contrário já era para os dois.

      Sully, monstrinho mesmo. Com um center de verdade, o cara vai ser o novo LaMarcus Aldrige.

      []’s verdes

  3. Bruno Lages

    Poxa Celtics , nem pra tank ta prestando , hahah .. tirando isso , foi uma boa vitoria !!

  4. Renato

    Rondo, Bradley e Sullinger – Confiáveis

    Green – Talento puro, Mas não coloco 100% de confiança, por oscilar demais.

    Olynyk – Diamante a ser lapidado, Genial no ataque, mas precisa melhorar mais a defesa, apesar que já nota-se evolução.

    Chris Jonhson – Ótimo reserva, um arremessador de 3 pontos fantástico e com lance livre perfeito. Altura adequada para posição o que auxilia em sua postura de defesa.

    Bass – Bom reserva, mas não terá espaço se o Olynyk continuar a evoluir, logo acredito que o melhor é negociá-lo para aliviar o CAP e buscar escolha draft.

    Bayless – Bom jogador, certa dificuldade para marcar, mas agudo no ataque.

    Pressey – Bom reserva para o Rondo, mas ainda tem que melhorar seus arremessos, se os mesmos forem confiáveis será um ótimo armador.

    Demais jogadores do elenco podem ser negociados para liberar espaço CAP ou escolhas draft

    • Marcos

      Confiável mesmo só o Rondo e o Sully. Incluria na sua lista de negociáveis (negócios regulares) o Bayless, Bass e AB. Por um bom negócio tb podem levar Humpfries e Olynyk.

      []’s celtas

  5. sebas1606

    Não vejo necessidade de tankar porque diferentemente de outras equipes,nós já temos alguns jogadores que podem formar uma boa base.Rondo,Sullinger(pra mim um candidato a MIP desse ano e com potencial pra ser AS ano que vem),Green(apesar de não ser indispensável),Olynyk(um steal dos Celtics nessa classe de 2013 considerada fraca)…Fora o espaço no teto salarial que teremos e uma caralhada de picks nos próximos anos.Além disso,o draft é uma LOTERIA,as 3 primeiras picks são definidas por sorteio…Por que esse desespero pra perder mais jogos?

    • Cadu#5

      Então, não são só as 3 primeiras picks que são definidas por sorteio. As 14 primeiras são definidas por sorteio. Porém, quanto pior a classificação, MAIOR as chances de pegar uma pick maior…

      já chegamos a ter 15,6% de chance no sorteio de pegar a primeira pick, agora temos somente 2,8%…

      • Marcos

        Relaxa aí irmãozinho,

        Em março só vem bucha e vamos perder quase todos os jogos porque o time é tecnicamente mt RUIM (tem um grupo esforçado), sem precisar forçar para perder nem nada.

        []’s verdes

    • luiz eduardo

      amigo eu vou lhe dizer porque faz sentido tankar, ano que vem promete ser um dos melhores drafts das últimas décadas, e o nosso time tem alguns bons jogadores, mas não chega perto de ter chance a titulo, se formos para offs, é so pra apanhar, ai em vez disso temos a oportunidade de pegar um ótimo jogador no draft e ainda ter chance de pegar uns bons FA, e formar um ÓTIMO time.Ou é melhor lutar feito um besta pra ser talvez varrido, ou usar a regra a nosso favor ?

  6. PHABIO PASSOS

    bem, bass, vitor, pressey,antony e wallace, e ainda tem jogador que draftamos este ano que fooi jogar na eupopa e tomara que este evoluindo na europa e estes seram moedas de trocas este ano, ou nao que vem,sao unicos nao devem fica pra proxima temporada…

  7. Danilo Jeolás

    Fevereiro era um mês bem mais fácil do que Janeiro. Os adversários que enfrentamos estäo tankando, com exceçäo do Mavs.

    Em março, perderemos muitos jogos. Acho que ir aos playoffs ainda é devaneio e olha que sou totalmente contra entregar.

  8. Raphael

    eu acho que nos vamos draftar o Jabari Parker não sei pq, mas acho que ele vestira a camisa mais vencedora da nba, outro dia li uma noticia de que o Ainge estaria indo ver todos o jogos dele, então eu torço pra que seja ele a nossa primeira escolha tenho fé nisso

  9. Raphael

    eu acho que é uma boa sim nos temos muitos jovens valores que só tem a crescer jogando com o Rondo

  10. Henrique Carter

    Jabari Parker não vai pro draft desse ano, ele disse que quer continuar no colegio

      • drakes

        Eu duvido, mas o Parker e o Embiid já deram declarações nesse sentido.

        Mesmo assim, não é o draft que tem Lebron (vei o HS) ou Carmelo (ele nesse momento dominava as partidas no universitário), mas tem bons nomes, nem tanto quanto se falava antes, não existe aquele esquadrão de Kentucky que ia ter 6 jogadores entre 20 primeiros picks, muitos vão ter que mesmo ficar caso contrário vão sumir nas rotações na NBA, alguns mesmo alto projeto já mudaram de posições (o Wiggins era PF quem se lembra, agora SG) etc.

        Quem melhorou muito e impressiona por isso foi o Embiid, já o Julius Randle é a minha decepção (já que ele é de Kentucky) , por que a defesa dele é bem problemática.

        Mas…o importante é qual jogador vamos pegar com o cap, o draft é projeto.

        • rafael taborda

          Eu acho que todos cotados para top 10 vão querer participar desse draft… assim como a geração de Lebron… mais vale uma pick 5 num draft incrível do que pick 1 ou 3 num draft normal!

        • Marcos

          O Ainge vai ter de encarnar o Auerbach nesse draft, ou no próximo (que é onde acho que as coisas realmente vão bombar).

          Só digo uma coisa: precisamos de um CENTER excelente, mas do q qualquer coisa.

          []’s verdes,

          • Danilo Jeolás

            Tirando o Embiid, não há mais nenhum pivô bem prospectado no próximo Draft. Cauley-Stein era bem cotado, mas está bem abaixo do esperado em Kentucky.

            2015 sim, promete. Tem o primo do Okafor (que dizer ser o melhor da família) e o fenômeno Myles Turner. Espero que eles estejam realmente no Draft.

            Sem contar o dominicano Karl Towns, que já jogou até pela seleção e pode resolver se candidatar. Considerado a maior revelação do país.

  11. Renato

    Confio muito no Ainge quando o assunto é Draft.

    O cara parece que tem o feeling para escolher potenciais talentos.

    Com escolhas acima de 10 o cara já conseguiu Rondo – Bradley – Sullinger e agora Olynyk.

    Pelo andar da carruagem, esse ano ele terá um escolha entre 5 e 10 + outra escolha entre 15 e 20

    Se fosse Eu tentaria Saric + Stein, mas vamos ver o que ele trás para gente.Confesso que estou ansioso para ver que comércios o Boston fará até a data limite da trade.

  12. […] dos titulares Rajon Rondo e Avery Bradley, que foram poupados na partida contra o Milwaukee Bucks, vencida pelos celtas por 102 a 86. Porém, a rotação seguirá com uma baixa: o brasileiro Vitor Faverani, que vem atuando mais na […]

  13. Fernando C S

    Outro detalhe importante: eu não tenho dúvida que, se o time começar a ganhar alguns jogos (e tiver chance de offs) o Ainge vai “dar uma piorada” na equipe, tendo em mira o draft. Eu também não gosto da postura… mas é isso aí.

  14. drakes

    Só complementando o que o Danilo Jeolás postou, próximo ano pode ter uns 5 jogadores altos que podem ser dominantes:

    Myles Turner, Karl Towns (Kentucky), Okafor, Cliff Alexander, Marcus Lee (Kentucky).

    Além deles mais pensando mais embaixo vai ter o Dakari Johnson, agora com mais um ano de universitário pode ser que torna-se um futuro jogador útil para NBA.

    Próximo ano Kentucky campeão.

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.