Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Celtics 106 x 98 Nuggets

Quem viu o box score do confronto entre Boston Celtics e Denver Nuggets, realizado na noite desta sexta-feira (6), no TD Garden, pode avaliar que tenha sido um confronto fácil, visto que o Alviverde liderou o jogo por 47 minutos e 45 segundos. E até foi, em boa parte da partida. Porém, como nada na vida dos celtas é fácil ou tranquilo, os rivais do Colorado fizeram uma segunda etapa equilibrada, chegando a vencer os dois períodos. Porém, a força do caldeirão celta e o Q1 exemplar foram fundamentais para que o Celtics vencesse por 106 a 98.

A vitória celta, aliada aos tropeços de Philadelphia 76ers (que perdeu para o Charlotte Bobcats) e Toronto Raptors (derrota diante do Phoenix Suns), consolidou a equipe na liderança isolada da Divisão do Atlântico e, consequentemente, na quarta colocação da Conferência Leste. Foi o nono triunfo celta em 21 partidas (aproveitamento de 42,9%) e o segundo consecutivo. Derrotado, o Denver Nuggets amarga agora uma sequência de dois resultados negativos, obtidos logo após a série de sete vitórias consecutivas que o colocou na zona de classificação da Conferência Oeste. Atualmente, a equipe do Nuggets ocupa a sétima posição, com 11 vitórias em 19 compromissos (57,9% de aproveitamento).

Disposto a ampliar não só a sua série invicta, mas também a liderança na Divisão do Atlântico, o Boston Celtics voltará a jogar neste domingo (8), contra um de seus maiores rivais: o New York Knicks, no Madison Square Garden. Será o primeiro embate dos dois times desde os playoffs da última temporada, onde os Knickerbockers avançaram com 4 a 2 na série. O Denver Nuggets, por sua vez, segue na conferência Leste, onde enfrentará o Philadelphia 76ers já neste sábado (7), no Wells Fargo Center.

O jogo

Nem mesmo o mais otimista dos 17.263 torcedores celtas que esteve presente no TD Garden na noite desta sexta previa um início tão fantástico do time de Boston. Logo de cara, Avery Bradley, Jeff Green e Jordan Crawford converteram suas primeiras tentativas e obrigaram Brian Shaw, treinador do Nuggets, a pedir tempo. Não adiantou muito: com uma combinação de defesa atenta e ataque veloz, sempre com um atleta livre para arremessar, o Celtics abriu 14 a 0 de cara e só sofreu o primeiro ponto em um lance livre de J. J. Hickson.

Mesmo com os primeiros ataques bem-sucedidos do Denver, o Celtics não se intimidou e seguiu amplamente superior no confronto. Nem a saída de Jared Sullinger, pendurado com duas faltas, comprometeu: Kris Humphries entrou, manteve a pegada no garrafão e ainda presenteou os torcedores com uma bela enterrada. Na reta final do período, Bradley (que anotou 13 pontos só neste período) acertou uma bola de três e deixou a diferença na casa dos 20 pontos. Nate Robinson até tentou descontar pelo Nuggets, mas Jeff Green anotou cinco pontos cruciais no minuto final, com direito a uma cesta de três no último segundo, que coroou a grande exibição celta nos primeiros doze minutos.

Diante da larga vantagem, Brad Stevens resolveu rodar completamente o time no início do Q2. E o quinteto reserva, formado por Phil Pressey, Courtney Lee, Gerald Wallace, Kris Humphries e o brasileiro Vitor Faverani, segurou bem a pressão e não deixou o Denver se aproximar tanto. Faverani, de cara, anotou os sete primeiros pontos celtas no período. Na metade final do segundo período, com os titulares, o Nuggets equilibrou mais as ações e passou a pontuar com frequência, mas não o suficiente para prejudicar a ampla liderança dos celtas. Apesar de não ter enchido os olhos dos fãs como no primeiro período, três jogadas no finalzinho do Q2 foram bastante aplaudidas: uma enterrada de Humphries, que sofreu falta de Randy Foye, uma enterrada de Bradley após bela assistência de Crawford e um toco de Humphries no último ataque do Nuggets.

Na volta do segundo tempo, com uma diferença de 20 pontos, era natural até que os celtas, em quadra e fora dela, relaxassem. Era uma boa vantagem, uma atuação sólida. O que poderia dar errado? A resposta: tudo! Com uma sequência de 20 pontos em pouco mais de quatro minutos, contra apenas quatro pontos celtas (todos marcados por Crawford), o Denver, liderado por Ty Lawson, aproximou-se do empate e recolocou-se em um jogo considerado perdido. O Celtics até respondeu diante da agressividade ofensiva do rival, mas só voltou ao jogo graças aos esforços de Avery Bradley, Jordan Crawford e, principalmente, de Kris Humphries: com oito pontos, o ala-pivô se destacou e foi fundamental para que o time verde mantivesse 10 pontos na liderança para o Q4.

Diferente dos outros períodos, o Q4 iniciou com um equilíbrio entre as duas equipes, sendo que nem o Celtics disparava e nem o Nuggets se aproximava do empate. E isso foi fundamental para que o Boston mantivesse a cabeça no lugar: diante dos diversos erros do adversário, o Celtics seguiu pontuando e, com o passar do tempo, construiu sua vitória. Randy Foye ainda tentou deixar o Nuggets a sete pontos de igualar tudo restando um minuto, mas um arremesso de longa distância de Jordan Crawford, cestinha do jogo, sacramentou de vez o triunfo celta.

Destaques do Celtics

Jordan Crawford (22 pontos e oito assistências)

Kris Humphries (18 pontos e sete rebotes)

Avery Bradley (18 pontos e quatro rebotes)

Brandon Bass (14 pontos, oito rebotes e três tocos)

Destaques do Nuggets

Ty Lawson (20 pontos, quatro assistências e quatro rebotes)

J. J. Hickson (17 pontos e sete rebotes)

Randy Foye (12 pontos)

Timofey Mozgov (10 pontos e seis rebotes)

Author avatar
Gustavo Arruda
Gustavo, 28 anos, é maranhense de São Luís, jornalista formado pela UFMA e repórter do Imirante.com. Fanático por esportes, principalmente futebol e basquete, é torcedor celta desde 2003, quando ouviu pela primeira vez o TD Garden lotado entoando "Let's go, Celtics!", e escreve no Celtics Brasil desde julho de 2011, com mais de 1.700 textos publicados. Nas horas vagas, é goleiro, armador, tio do João Gabriel e da Alice, e também dá seus pitacos sobre o maior campeão da NBA no Twitter: @gustavoarruda01.

10 comentários

  1. Jota

    O time ganhando por mais de 20 pts e deixou chegar lra 5 , o celtics tem disso, eu acho q se o Ty Lawson n se machucasse o jogo seria beeem mais difícil no final.

  2. Fernando Nakashook

    Novamente a queda de produção no 3º quarto. Isso tem que ser corrigido, se não fica difícil conseguir bons resultados.

  3. Leonardo Grochoski

    Como o Crawford consegue pontuar facilmente, ele força as jogadas parece que vai perder mais marca, ta jogando muito, o jogo dele e do Sully são ótimas surpresas da temporada.

  4. PHABIO PASSOS

    foi uma grande vitoria, contra um time competitivo e que sempre esta no playoofs , este time do denver muito dificil ser batido,nosso teve um jogo coletivo…vamos pra nova york tenta mais duas vitorias…

  5. drakes

    Posso estar enganado, mas queda da diferença ontem deveu-se ao rendimento da linha de três pontos.

    Sobre o time em si é notável a evolução do time termos menos turnovers por jogo e também já começa uma melhora em número de assistências.

  6. Pedro

    De novo o 3 quarto, o Denver chegou perto, mas o bom foi q dessa vez o time se recuperou

  7. Fernando

    Kris Humphries (18 pontos e sete rebotes), realmente não se ve isso todo dia

  8. Marcos Vinicius

    Será que temos motivo para nos animarmos na temporada?Acho que pela campanha lamentável dos times do leste que tão tomando um coro incrivel do oeste,dá pra acreditar,mais tem times que começaram mal no leste que tem elenco melhor do que o nosso,caso dos times de NY,por exemplo.Mais temos que acreditar no nosso time!!

  9. Danilo Jeolás

    Podemos vencer a Atlântico e garantir mando nos playoffs. Este deve ser o foco, esquecer esta bobagem de entregar a temporada.

    Rebuilding deve vir via FA e Trades.

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.