Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Draft 2017 – Malik Monk

O quarto atleta analisado pelo Celtics Brasil nas matérias especiais sobre os destaques do 2017 NBA Draft é o ala-armador Malik Monk, de 19 anos, que defendeu o Kentucky Wildcats na temporada 2016/2017 do basquete universitário dos Estados Unidos. Cotado entre as dez primeiras escolhas do recrutamento, Monk é considerado um dos pontuadores mais eficientes da NCAA, mas que ainda precisa de alguns ajustes para prosperar na NBA. Confira a nossa análise.

Leia mais:
Mock Draft 2017 Celtics Brasil 2.0

Informações do atleta:

PosiçãoAla-armador (SG)
Experiência19 Anos | Freshman (1 ano universitário)
Altura1,93 metro (6’4”)
Envergadura1,90 metro (6’3”)
Peso89,3 quilos (197 lbs)

Prós:

Malik Monk é um dos pontuadores mais eficientes do 2017 NBA Draft. Com uma mecânica de arremesso perfeita, o ala-armador de Kentucky consegue acertar jogadas de curta, média e longa distância, com marcação implacável ou espaço de sobra. É um atleta com muito recurso ofensivo, que registrou marcas incríveis em sua única temporada no basquete universitário: contra a campeã North Carolina, Monk teve uma atuação histórica, com 47 pontos.

Além da rara habilidade no arremesso, Monk também se destaca por sua capacidade de infiltração. Mesmo não sendo muito alto ou muito forte, o camisa 5 esbanja velocidade e atleticismo, características que ajudam na hora de passar por seus adversários, atacar o aro e cavar faltas, que são bem-vindas para um jogador que tem aproveitamento superior a 80% nos lances livres.

A personalidade de Malik Monk também foi muito elogiada em sua única temporada por Kentucky. O camisa 5 é conhecido por ser um trabalhador duro, um comunicador forte e um colega de equipe sólido, que está pronto para corrigir os seus erros, por mais que tenha confiança em seu estilo de jogo.

Contras:

Arremessador muito confiável, Malik Monk ainda precisa lapidar muitos aspectos de seu jogo. O camisa 5 parece depender demais de seus arremessos e tem dificuldade para criar a sua própria jogada, ou seja, vai depender de um armador sólido ao seu lado para funcionar. Fica a dúvida: o que Monk pode acrescentar ao seu time no dia em que a bola não estiver caindo? O próprio aproveitamento nos arremessos ainda é questionável, já que o ala-armador foi irregular nesse quesito no Ensino Médio e só estourou em Kentucky.

Confortável com sua habilidade de pontuação, Malik Monk não acrescenta muito nos demais fundamentos do jogo. Em Kentucky, o camisa 5 registrou médias baixas de rebotes, assistências, roubadas de bola e tocos. Além disso, Monk ainda peca no controle de bola, nos dribles e na tomada de decisão.

As ferramentas físicas de Malik Monk também preocupam as franquias da NBA. Além de não ser muito alto e forte para a posição de ala-armador, o camisa 5 tem uma envergadura pequena, que atrapalha em alguns aspectos do jogo. Monk precisa adicionar um pouco mais de força para não sofrer tanto com isso na liga.

Resumo:

Malik Monk tem muito potencial para ser um atleta de elite na NBA, graças ao seu arsenal ofensivo invejável. Com arremessos precisos, enterradas e infiltrações, o camisa 5 de Kentucky vai ajudar de imediato a franquia que o selecionar. Entretanto, a sua longevidade na liga passa pela melhora de seus defeitos, que são muitos, principalmente na criação de jogadas e na defesa. É um jogador muito talentoso, sem dúvidas, mas vai ter que trabalhar noite e dia para se firmar como um nome de destaque.

Médias em 2016-2017 (em 38 jogos):

MinutosPtsRebAstStlBlkFG3PtsFT
32,1 min19,82,52,20,90,545,0%39,7%82,2%

Cotações para o Draft:

NBA Draft – www.nbadraft.net8ª Escolha
Draft Express – www.draftexpress.com8ª Escolha

Author avatar
Gustavo Arruda
Gustavo, 28 anos, é maranhense de São Luís, jornalista formado pela UFMA e repórter do Imirante.com. Fanático por esportes, principalmente futebol e basquete, é torcedor celta desde 2003, quando ouviu pela primeira vez o TD Garden lotado entoando "Let's go, Celtics!", e escreve no Celtics Brasil desde julho de 2011, com mais de 1.700 textos publicados. Nas horas vagas, é goleiro, armador, tio do João Gabriel e da Alice, e também dá seus pitacos sobre o maior campeão da NBA no Twitter: @gustavoarruda01.

3 comentários

  1. Sander

    Vai precisar de uma franquia que terá paciência e tempo para a a sua evolução. Não precisamos dele.

  2. PHABIO PASSOS

    ESSA EPOCA QUASE SEM ASSUNTOS, SO RUMORES E RUMORES, NOS DEIXA MEIO LOUCOS…AINDA BEM ESTA CHEGANDO DIA 22/07 NO DRAFT, EU QUERIA QUE AINGE TROCASSE AS ESCOLHA 53 E 56 E USAR YOUNG, JACKSON E MICKEY PRA SUBIR NOSSA ESCOLHAS…ATE A 34 PODE TER UM JOGADOR INTERESSANTE,,,

  3. Sander

    Tbm fico doido mano! Kkkkkkkkkkk

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.