Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Mavericks 118 x 113 Celtics

O Boston Celtics quase fez história na partida de ontem, realizada na American Airlines Center, contra o dono da casa, o Dallas Mavericks. O maior campeão da NBA chegou a estar perdendo por 31 pontos, e cortou a diferença para apenas 1 ponto, no minuto final da partida. Contudo, o Mavericks foi capaz de segurar a vantagem no placar e acabou vencendo por 118 a 113, impondo à franquia de Boston sua segunda derrota na temporada 2014/2015.

O jogo foi marcado por 2 tempos totalmente distintos. No primeiro, a equipe de Dallas apresentou um assustador aproveitamento de 63,4% em seus arremessos, incluindo um inimaginável aproveitamento de 71,4% nos tiros de 3 (10 acertos em 14 tentativas). Sob a liderança do eterno Dirk Nowitzki – que terminou o 1º tempo com 16 pontos (5/5 FG) -, o Mavericks chegou a abrir 31 pontos no placar e foi para o intervalo liderando por 67×41. Assim como contra o Rockets, o Celtics pecou por um começo de jogo sonolento e tirou seu treinador Brad Stevens do sério.

E isso, muito provavelmente, deve ter culminado em um grande esporro nos vestiários, porque a postura, nos 2 últimos quartos, foi muito diferente. E tudo começou pela mudança de postura na quadra defensiva. Apresentando muito mais disposição e foco – especialmente através do calouro Marcus Smart -, o Celtics foi, aos poucos, cortando a vantagem do time de Mark Cuban. O ápice foi nos segundos finais do 4º quarto, quando o maior campeão da NBA teve a oportunidade de empatar o duelo. Todavia, Avery Bradley (que estabeleceu um novo recorde pessoal de pontos, ao marcar 32 pontos na última noite), desperdiçou 1 dos 3 lances-livres em falta sofrida, permitindo que o Mavericks ficasse 1 ponto a frente.

Outro ponto positivo foi a atuação de Jeff Green. O camisa 8 começa a dar sinais de que é capaz de liderar o jovem elenco celta, ao carregar o time a uma incrível recuperação na partida. O ala foi o cestinha da partida, ao marcar 35 pontos, com um aproveitamento de 50% nos arremessos (14 acertos em 28 tentativas). Não obstante, pegou 7 rebotes, deu 2 tocos, conseguiu 2 assistências e 1 roubo de bola. Além de Green, como já dito, Avery Bradley foi o outro grande nome da noite, ao marcar 23 dos seus 32 pontos na etapa final do jogo.

Pelo terceiro jogo consecutivo, o armador e capitão Rajon Rondo beirou o triplo-duplo, ao conseguir 7 pontos, 15 assistências e 9 rebotes. Além de seu desempenho ofensivo, o camisa 9 também chamou atenção por sua disposição na marcação, fazendo parte do trio de armadores (Rondo, Bradley e Smart) que colaborou, e muito, para a melhora defensiva. A lamentar que, mais uma vez, o capitão celta não foi feliz nos arremessos, ao errar 8 de seus 11 chutes.

O ala Jeff Green, apesar de feliz com o poder de recuperação celta, foi enfático ao comentar o novo revés: ”Nós demos um tiro no próprio pé. Mais uma vez”, disse Green. Isso porque na partida anterior, o Celtics foi para o intervalo perdendo por 19 pontos para o Rockets. ”Assim, ao final do jogo, já estávamos sem perna para continuar na perseguição do placar. Nós não podemos permitir que os adversários sejam tão agressivos nos primeiros 12 minutos. Caso contrário, o fracasso é iminente”, completou o camisa 8.

O ala, oriundo da Universidade de Georgetown, foi o responsável pelo último sopro de esperança celta, mas desperdiçou um arremesso de 3, que empataria a partida a 20 segundos do fim. Depois, Chandler Parsons venceu uma disputa de bola ao alto contra Jared Sullinger e consolidou a terceira vitória do Mavericks. O lado cômico desse lance foi o grande teatro armado pelo calouro Marcus Smart. Caso não vingue na NBA (bata na madeira 3 vezes), a televisão ganhará um grande ator. Confira:

https://www.youtube.com/watch?v=dZM65nwPJ4s

Agora, o Celtics, com 2 derrotas em 3 jogos, volta para casa depois de 2 duelos no Texas. Cabe dizer que, na última temporada, a equipe de Boston não foi capaz de derrotar nenhum adversário da Conferência Oeste, fora de casa. Na próxima 4ª-feira, o Boston Celtics receberá o rival de divisão (e atual campeão da Divisão do Atlântico), o Toronto Raptors, no TD Garden.

Destaques da Partida:

Boston Celtics:

– Jeff Green: 35 pontos (14/28 FG), 7 rebotes, 2 assistências e 2 tocos;

– Avery Bradley: 32 pontos (13/22 FG), 8 rebotes e 3 roubos de bola;

– Rajon Rondo: 7 pontos, 15 assistências e 9 rebotes.

Dallas Mavericks:

– Dirk Nowitzki: 27 pontos (9/14 FG), 7 rebotes e 4 assistências;

– Chandler Parsons: 29 pontos (10/15 FG) e 3 rebotes;

– Tyson Chandler: 10 pontos e 12 rebotes.

 

Melhores Momentos:

https://www.youtube.com/watch?v=ZJhLgLd25d0

Author avatar
Rômulo Portugal
Rômulo é carioca, advogado, e fã de futebol, NBA e NFL. Acompanha o Celtics desde 2003. Seu fanatismo pelo maior campeão da NBA o fez torcer para os demais times de Boston. Como bom carioca, é Vascaíno. Tem Paul Pierce como primeiro e grande ídolo na NBA.

17 comentários

  1. Marcos

    E aí galera,

    Custa jogar com um mínimo de dignidade como no segundo quarto?

    O Rômulo fez uma boa matéria, mas vou fazer uma tb.

    Time veio para quadra com RR-AB-JF- Sully e KO.

    Os primeiros minutos iguais graças ao Green e depois virou uma tragédia.
    KO simplesmente é incapaz de pegar um rebote (demoramos mais de 8 mins para pegar o PRIMEIRO), e vendo que o T Chandler esatava “varrendo” todos os rebotes o Dallas começou o bombardeio de 3 que deu certo.

    Uma vergonha perder de 31 pontos e cabia mais no 1o tempo.

    Então, no intervalo (mão do técnico), o Brad abriu mão de uma vez dos rebotes e jogou o time “anão” em campo: RR – AB – Smart para fazer marcação pressão na quadra toda.
    Funcionou! Puxamos o Chandler e o Nowitizki para fora do garrafão e o jogo chegou a cair para 8 no 3o quarto.

    No final, fizemos um run 7-0 e, na minha opinião, o RR matou uma bola 2 +1 que o juiz deu off foul.

    O time tentou até o final e, diferente do jogo de Houston, não saiu humilhado de quadra.

    Sendo justo, Avery Bradley foi o melhor jogador celta ontem. Marcou, pontou muito bem, pegou rebotes e consegui alguns steals importantes. Tomou toco vexatório do Chandlers, mas coloco na conta de não termos um pivô decente e termos de ficar expondo td mundo que faz infiltração.

    Smart tb jogou muito, com vários steals e uma bola de 3 na cara do Dirk. E ele tem jogado bem de SG.

    FATO 1: Não temos garrafão. Será que o Favs terá minutagem? Ainda falta sofrer mt contra Indiana, Clippers, Kings, New Orleans, OKC, Spurs todos com garrafão decente.
    FATO 2: Nosso back-court promete.

    Curiosidade: Pq o Thornton continua tendo minutagem alta? Visivelmente fora de forma, velho, sem marcação, afobado e não traz segurança para os jovens… Na boa, o GWall ganha 24 milhas deixa o cara jogar, meu!

    E Jeff Green, ah Jeff quando vc não toma seus remédios vc é um ala all-star…

    []s veres

  2. Rondo

    Concordo, esse Marcus Thornton parece uma tartaruga ninja obesa, o cara ontem afundou 0-4, GWall ja experiente e ganhando oq ganha, bota pra jogar, se machuchar, foda-se mas ele tem q jogar.

  3. Jonas

    Bem, pelo menos o time justificou o esforço de ficar acordado até 2h vendo o jogo…

    Ótimo relato, Marcos. Só discordo quanto ao melhor jogador do time ontem: para mim o Green foi o cara. O que de certa forma é um alívio, pois vivo defendendo o cara e ele nem sempre colabora… mas façamos justiça, desde a pré-season ele parece mais ligado. Não é nada, não é nada, está com média de 23 pontos. Não tem como negar, ele tem talento de all star, só que o problema está na cabeça, em manter o foco, deixar acesa a competitividade. Se estiver sempre bem, não precisamos ficar desesperados em arrumar um 3 e podemos nos concentrar em reforços nas outras posições.

    (um aparte: porque não vai ser fácil arrumar um 3 na próxima temporada. Parsons e Hayward, que são ótimos jogadores, acabam de assinar extensões. Rudy Gay será FA e é bem amigo do Rondo, mas é CARÍSSIMO, e não joga mais que o dobro do Green. Se não aceitasse receber 15 mi, prefiro renovar com o JG. Lebron, Durant, George, todos fora de cogitação. E eu realmente duvido que o Spurs não cubra as propostas pelo Kawhi, que seria um belo sonho de consumo celta. Repito: se o Green conseguir se manter como jogador de 22, 23 pontos, e mais uns 6 rebotes por jogo, podemos deixá-lo ali)

    Voltando ao jogo: Bradley foi muito bem na segunda metade, depois da vergonha na primeira. Achei que o Zeller foi relativamente bem nos poucos minutos que teve, sempre com o Rondo achando bons passes para ele – imagina um center de primeiro nível jogando com o RR… Sullinger e, principalmente, Olynyk foram mal. Não adianta, só queimamos o KO colocando ele de 5, tem que ser arma vinda do banco. Concordo com o Marcos, o Faverani vai ter boas chances quando voltar. Espero que a gente possa entender se aquela queda monstruosa depois da fase sensacional dele no início da temporada passada era tank do time ou inconsistência dele. E o Wallace tem um contrato de merda, mas sempre dá sangue.

    Agora, que prazer ver o Smart na defesa. Sério, o cara chegou prontinho. Se eu fosse ele, ficaria oito horas por dia arremessando, pois se arrumasse aquela bola de 3 iria muito longe como SG.

  4. drakes

    Eu dei uma olhada de manhã nas linhas do time no popcornmachine, o mesmo time que apanhou no primeiro quarto, foi o que venceu e bem no terceiro quarto.

    Esse problema de começar mal já vem desde a pré-temporada, o que ocorreu lá e aqui é que se a segunda unidade equilibra o jogo, o que não ocorreu nesse, o time só ganha com GW em quadra no fim do segundo quarto.

    A minha teoria para o começo ruim quase sempre é que o perímetro tem dificuldade de ler os matchups devido a cobertura que tem que fazer do garrafão, contra times de bons pontuadores o Celtics sofre muito nesse período do tempo.

    Sobre Marcus Thornton é um jogador que pode entrar em jogo e arrasar ou não, normalmente claro que não arrasa, caso contrário não sairia do Nets, mas para banco tá mais que bom, claro eu espero que Young torne-se próximo ano a opção de banco.

    Esse mês é bom ter calma por que os jogos foram terríveis para Celtics…

    • Marcos

      Drakes,

      O Brad rodou mt o time no 3o quarto.
      Foi marcação quadra toda e o time se desgastou mt…
      Me lembro em particular do Thronton e do Turner terem jogado uns 3 mins, enquanto RR e AB descansavam,

      Agora, não dá para ficar tt tempo sem pegar rebotes, no jgo do Rockets foi vergonhoso…

      Matchups do tipo Smart vs D Howard são estúpidos…

      []s

      • drakes

        Marcus, então eu olho no popcornmachine é só acrescentar net, eles dividem os times mesmo até dos últimos 8s que teve ontem.

        Mas, a escalação inicial jogou os primeiros 5:25 do terceiro quarto e meteu 15 pontos e tinha perdido de 8 no começo do jogo, claro que fala contra quem o jogador está marcando, é quem está em quadra.

        Eu já entrei nessa temporada achando que o Celtics tem dois problemas:
        – Falta um jogador para o garrafão,
        – Perdeu-se a temporada passada inteira para o time ter um sistema mais definitivo,

        A questão do jogador, só se resolve no fim da temporada atual, eu não acredito que venha algum jogador assim tão fácil.
        Quanto ao sistema, tende ao time melhorar mesmo que o resultados não sejam bons, o Stevens ano passado provou para mim que ele consegue arrumar as coisas aos poucos, só espero que esse ano não se desmantele tudo de novo para perder.

        E outra coisa ruim é esse fuso horário, acabar jogo as duas da madrugada cansa, principalmente depois daquele primeiro quarto.

        • Marcos

          Não conhecia esse site Drakes,

          Dá para pegar umas infos boas mesmo.

          Cara, eu ainda acredito no Stevens – falta o cara ganhar respeito dos jogadores, pq parece q não tem – e a situação do garrafão já está aí há 5 temporadas…

          Ontem, quando ficamos cinco abaixo, olhei para o monitor e pensei: “Ah, Garnett e Pierce, que saudade…”

          Sobre os horários, esses times da Conf dos Lakerinos são tão chatos que até o horário é zoado…
          Contra o Raptors quarta, acho que já voltamos para MA, o horário fica mais suave.

          []s

  5. Augusto

    nao vi o jogo, mas nos melhores momentos ao ver que estávamos perdendo por mais de 30 pontos, esse resultado final não foi tão desastroso.

    sou fã do rondo, ele tem o espírito de um celta, mas ele precisa pontuar mais, 7 pontos não dá. O cara manda 15 assistências – Ótimo, 9 rebotes – Excelente mas 7 pontos é pouco.

    • luiz eduardo

      concordo totalmente, não existe melhor armador na nba que o rondo, mas essas pontuações estão muito fracas, tbm pelo fato de tá amassando o aro nos FT, 16% é osso… o time realmente precisa que ele comece a pontuar mais, pelo menos uns 12 ppg

  6. joao guama cabano

    ninguém fala no green um mdos melhores celtas em quadra

  7. André Martins

    Acho que deu para ver que o Turner não pode conduzir a bola.E que pela qualidade dos marcadores (Smart,Rondo e Bradley) somos outro time marcando sob pressão.

  8. PHABIO PASSOS

    ok, como foi comentado o time nao jogo os dois primeiros quartos,voltou a jogar e no terceiro,mas, faltando dois minutos pra final estamos 4 ou5 pontos atras, nosso amigo RONDO me faz duas jogadas otarios, ai diferença subir pra 10,ai mesmo que perdemos o jogo…que podia pelo menos ir pra porrogaçao,pra mim olynyk tem ir pra o banco o bass ou zeller esta entrando melhor nos jogos….

    • Léo Grochoski

      Olynyk não é center, ele não tem força e nem qualidade defensiva pra marcar os centers, gostaria de ver o Zeller, ele nos últimos jogos apareceu bem, primeiro colocando uma dificuldade no Howard e ontem pontuando bem com a ajuda do Rondo, Olynyk tem que entrar do Banco pra descansar o Sully.

  9. Renato

    A melhor parte do jogo foi ver a equipe com a escalação:

    Rondo – Bradley – Smart – Green – Sullinger

    Apesar da baixa estatura, essa equipe colou nos adversários sem dar um minuto de paz.

    Salve alguns erros de arbitragem, e turnovers idiotas teríamos vencido o jogo.

    Olynyk tem que vir do banco na posição 4, e Thorthon tem que contribuir mais para a equipe.

    se jogarmos como ontem contra o Raptors, vencemos até com facilidade.

  10. Fernando C S

    Gostaria de ouvir a opinião dos nobres colegas sobre uma ideia que tive. Temos um abismo na posição 5 é fato. Naquela posição temos o Kelly Cabeleira que só tem competência para atacar. Considerando que o nosso problema é na defesa, seria absurdo colocar o G-Wall na 5 e pedir para ele brigar nas duas tábuas?

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.