Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Valeu a pena ir aos Playoffs?

Durante o começo da arrancada celta rumo ao 2015 NBA Playoffs, o GM Danny Ainge admitiu, com todas as palavras, que não era fã da ideia de ver seu time disputar a pós-temporada, pura e simplesmente, para ser coadjuvante e prolongar sua temporada por mais alguns poucos jogos.

Não vamos condená-lo. O papel de um General Manager, competente, é focar no futuro de sua equipe. Para concretizar esse objetivo, grande parte dos GM’s e torcedores acreditam que uma boa posição no NBA Draft é muito mais valiosa do que alcançar os Playoffs e ter uma saída logo no começo da pós-temporada.

O Boston Celtics, da temporada 2014/2015, foi corajoso. Foi corajoso porque desafiou o óbvio. Foi corajoso, porque decidiu tomar um rumo diferente, ao contrariar o padrão de pensamento que reina na NBA, quando o assunto é reconstrução de uma equipe. E o primeiro resultado positivo obtido foi conseguir fazer seu GM mudar de ideia. O Celtics encerrou sua temporada regular jogando um basquete digno de uma equipe de Playoffs, deixando orgulhoso Danny Ainge, que viu seu treinador e seus jogadores conquistarem seu maior objetivo para a atual temporada. Se tem dúvidas da mudança de pensamento de Ainge, basta observar seu comportamento, em sua cadeira no TD Garden, ao longo das transmissões dos jogos do maior campeão da NBA, e você perceberá que Ainge abraçou a causa de chegar aos Playoffs.

Hoje, a equipe de Boston corre um sério risco de sofrer uma varrida, em pleno TD Garden, e, consequentemente, de estar fora dos Playoffs. Caso ocorra, muitos reclamarão da decisão celta de correr atrás de uma vaga na pós-temporada da NBA. Muitos dirão que fizemos a escolha errada em abraçar aos Playoffs e não à loteria do Draft.

Esse é um pensamento superficial e que não merece ser defendido, visto que subestima tudo o que o Celtics está colhendo até aqui, durante essa (ao tudo que indica) breve passagem pelos Playoffs.

Quase 100% da torcida sabia que qualquer potencial aparição celta, nos Playoffs, seria curta. Algumas das vantagens, de termos chegado até aqui, residem no fato de obter experiência, de jogar partidas de grande magnitude (incluindo as partidas decisivas que disputamos, na reta final da temporada regular, para assegurar uma vaga) e, claro, entrar em quadra competindo por algo. Essa perseguição celta, pelo direito de participar da pós-temporada, foi um capítulo importantíssimo para a reconstrução da equipe de Boston, que segue em busca de um futuro de glórias.

Para visualizarmos a importância desse capítulo, devemos olhar além da frustração de eliminados, que sentiremos logo mais ou nos próximos jogos dessa série. Para tanto, vamos minuciar alguns lucros que obtivemos com essa ida aos Playoffs:

– Descobrir com quais jogadores podemos contar para o futuro:

Danny Ainge declarou, ao final da última temporada, que o maior campeão da NBA estava em um processo de identificar quais jogadores, daquele elenco, eram dignos de permanecer na franquia para o prosseguimento do rebuilding. Para um jovem plantel, como o nosso, descobrir com quais jogadores se pode contar, é um importantíssimo passo na reconstrução de uma equipe.

Muitas coisas puderam ser observadas ao longo da temporada regular. Contudo, os Playoffs assumem um papel de desafio ainda mais difícil para esses jovens jogadores. Na célebre frase de Michael Jordan, “os Playoffs separam os meninos dos homens”. Assim, disputar uma pós-temporada representa um maior passo na carreira desses jogadores, nos dando a oportunidade de ver se e como eles são capazes de atuar sob a intensidade e pressão existentes nos jogos decisivos.

Se já não bastasse a magnitude descrita dos jogos de Playoffs, ao enfrentarmos, logo de cara, uma das melhores equipes da NBA, Danny Ainge está tendo a chance de avaliar melhor a capacidade de seu elenco, quando esse se depara com um dos adversários mais fortes da liga.

Nessa breve viagem pelos Playoffs, pudemos atestar, por exemplo, que Marcus Smart, embora não tenha feito jogos pefeitos, tem sido eficiente na pós-temporada e que será, realmente, um jogador de impacto na NBA. Também pudemos observar que o Celtics tem que fazer o que for necessário para manter o raçudo Jae Crowder em Boston.

Outrossim, assistimos ao retorno de Jared Sullinger – muito criticado por seu peso nos últimos anos -, que demonstrou poder de superação ao voltar muito antes do esperado de sua lesão. O camisa 7 vem conseguindo impactar positivamente, ainda que de forma tímida, nos minutos que vem recebendo. Kelly Olynyk, apesar de bons lampejos ofensivos nos primeiros jogos da série, viu seu tempo de quadra diminuir consideravelmente no Jogo 3. Isso mostra que o canadense precisa oferecer mais à equipe e à comissão técnica, a fim de que possa ganhar a confiança de todos, para ter maior participação nos grandes jogos.

Desse modo, os Playoffs estão revestidos como uma chance de ouro para esses e outros jogadores. São a chance de impressionarem Danny Ainge, antes que o mesmo arregaçe as mangas e os negociem no próximo passo do rebuilding do Boston Celtics.

– Dar experiência a Brad Stevens:

Sem cobrança alguma pairando sobre seus ombros, Brad Stevens podia acomodar-se na atual temporada, já que um novo Tank não seria a pior das ideias. Entretanto, o jovem treinador, de 38 anos, mais do que muitos torcedores, teve o desejo de vencer e colocar sua equipe na direção das vitórias. Já em sua segunda temporada na NBA, o quarto melhor técnico da temporada 2014/2015 conseguiu navegar pelas águas dos Playoffs. Ele está tendo, a cada jogo, um novo e maior teste, e está descobrindo a sensação de que disputar uma melhor de 7 jogos, nada mais é do que um jogo de xadrez contra o treinador adversário. O nosso técnico está percebendo como são valiosos os conhecimentos de usar bem a rotação do elenco e de ter uma boa estratégia, para, jogo a jogo, chegar mais perto da próxima fase.

Brad Stevens ficou conhecido, nos Estados Unidos, por levar a, até então, desconhecida Universidade de Butler para participações consecutivas no Final Four da NCAA. Assim como no Basquete Universitário, quando Stevens viu Butler cair, em seus primeiros anos como treinador, na fase 32-avos em 2008 e na fase 64-avos em 2009, não restam dúvidas que essa queda prematura do Celtics, o fará amadurecer e melhorar como profissional.

Isso porque nosso técnico tem um perfil de estudioso do jogo, além de ser um grande competidor e estar sedento por demonstrar, cada vez mais, o seu valor, agora a nível de NBA. Diante desse cenário, assim como ocorreu na temporada passada, Stevens, muito provavelmente, passará boa parte de suas férias refletindo sobre o rendimento celta na atual temporada, a fim de descobrir em quais áreas deve melhorar como treinador. Portanto, tenha certeza que Stevens usará essa experiência adquririda, na presente pós-temporada, para crescer e que ela será útil para o Celtics, quando o maior campeão da NBA voltar aos Playoffs, mas não mais como coadjuvante.

– Vitrine para os Grandes Jogadores:

Um dos maiores lucros conquistados com aquela arrancada celta, rumo aos Playoffs, foi, simplesmente, ter chegado a participar deles. A exposição gerada, ao enfrentar LeBron James e o Cleveland Cavaliers, é incalculável, porém, reconhecidamente, importantíssima.

Os jogos entre Cavaliers e Celtics estão entre os mais assistidos na atual pós-temporada. Claro, estão entre os mais assistidos porque, do outro lado, está LeBron James. Todavia, é simplesmente impossível ignorar o Celtics. Ao assistirem James, as pessoas assistem ao Celtics, e essas pessoas viram a equipe de Boston fazer 3 jogos super competitivos até o presente momento.

Não são apenas fãs de basquete que assistem aos jogos ou leem a repercussão dos mesmos. Os jogadores e empresários, do mundo da NBA, também estão nos acompanhando. Portanto, estão vendo o jovem e faminto elenco celta, liderado por um treinador ganancioso; estão olhando os nomes de nossos jogadores e se perguntando como fomos capazes de chegar até aqui. Os demais jogadores da NBA olham para atletas como Evan Turner e Jonas Jerebko e veem como ambos ressuscitaram suas carreiras desde que desembarcaram em Boston. Eles também perceberam Isaiah Thomas virar candidatíssimo ao prêmio de melhor sexto homem da temporada, logo após vestir o uniforme celta.

Então, pode ter certeza, que deixamos o mundo da NBA intrigado sobre o nosso valor. Despertamos a curiosidade e a atenção de terceiros para Boston. E se isso é bom? Isso é ótimo.

Essa curiosidade, que estamos despertando, é valiosa e será muito bem explorada pelo nosso competente GM na offseason que se aproxima.

Inicialmente, ignore todos os outros fatores relevantes para atrair um grande agente livre (como clima, salário e etc) e foque no que esse agente livre veria no atual Boston Celtics. Ele veria: a) um treinador que é capaz de extrair o máximo potencial dele; b) que esse elenco já é competitivo e está precisando apenas de um retoque final (leia-se jogadores de impacto) para tornar-se um legítimo candidato ao título.

E quando vimos o maior astro da NBA atual – LeBron James – comentar, em sua entrevista após o Jogo 2, que o Celtics é “uma equipe muito bem treinada”, acabamos ganhando mais um atrativo. Quando vimos o TD Garden virar uma selva (desculpem o trocadilho), durante os bons momentos celtas no Jogo 3, ficamos mais atraentes para os grandes jogadores. Quando esses jogadores escutam os narradores comentarem sobre os 17 títulos celtas e que estamos apenas em nossa segunda temporada de reconstrução, os mesmos ficam incrédulos, ao verem outras equipes ficando anos e anos em um processo de rebuilding, sem obter nenhum resultado.

Será que tudo isso, que expus, é suficiente para conseguirmos os grandes nomes da NBA? Bom, mal não vai fazer em nossas tentativas, isso eu tenho certeza.

Conclusão:

Sendo assim, concluímos que o Celtics poderia ter terminado, por exemplo, com a 10ª pior campanha da temporada. Assim, o Celtics teria 1.1% de chance de conseguir a 1ª escolha-geral e 4% de chances de conseguir uma escolha top-3. Outrossim, ao vermos que nossa equipe está perdendo por 0x3 na série (algo que nenhum time, na história da NBA, conseguiu reverter), o desejo de que o Celtics tivesse desistido da temporada e entregado seu destino às bolinhas da loteria, seduz.

Entretanto, quando pensar que os Playoffs foram um mau negócio, lembre do que já conseguimos até aqui. Lembre do número absurdo de escolhas de Draft que conseguimos reunir; lembre dos jovens talentos que já estão em Boston; lembre do enorme espaço, na folha salarial, que teremos para as próximas temporadas.

Enfim, lembre que, ao contrário de muitas equipes da NBA, o Celtics decidiu não entregar seu futuro ao ping-pong das bolinhas de loteria do NBA Draft. O Boston Celtics, maior campeão da NBA, foi corajoso ao enfrentar o modelo-padrão de reconstrução e decidiu acelerar seu retorno à posição de candidato ao título, e fará isso com suas próprias pernas.

Por todo o exposto, vimos que, o que o Celtics ganhou nessa ida aos Playoffs, ajudará muito mais do que qualquer resultado que obtivesse na misteriosa e imprevisível sala de loteria de escolhas para o NBA Draft.

E toda vez que você se sentir na dúvida se valeu a pena, leia esse texto. Assim como a nossa ida aos Playoffs, mal não vai fazer.

Author avatar
Rômulo Portugal
Rômulo é carioca, advogado, e fã de futebol, NBA e NFL. Acompanha o Celtics desde 2003. Seu fanatismo pelo maior campeão da NBA o fez torcer para os demais times de Boston. Como bom carioca, é Vascaíno. Tem Paul Pierce como primeiro e grande ídolo na NBA.

45 comentários

  1. Torquato

    Parabéns pelo post , Rômulo !!! Não tiro uma virgula , perfeito !!!

  2. Fernando C S

    Concordo com todas as vantagens apontadas Rômulo. Eu não tenho dúvidas. A ida aos offs foi essencial. Ficarei frustrado, não muito, com uma varrida. Ainda assim terá valido a pena. Sujeitar o futuro apenas ao draft implicaria em.esperar mais uma temporada para ver que o melhor para o Celtics é negociar o Cabeleira, por exemplo. Enfim, perderíamos mais tempo na descoberta dos atletas que melhor podem nos servir na briga pelo título.

  3. Luccas Alcindo

    Ir aos offs é melhor que ficar em um eterno rebuild, acho que vale mais a pena lapidar nossos atletas que brigar por uma posição alta no draft, visto que isso é arriscado e nem sempre garante o sucesso de uma equipe.

  4. Barry

    Eu era um defensor do tank e da pick top 10, mas realmente fui convencido e mudei a minha opinião, realmente os offs foram a melhor opção.
    E o texto exemplifica claramente isso. Parabéns Romulo.

  5. Adilson

    Parabéns Rómulo! Somos Celtas e hoje as 14 hs de Brasília estaremos lá empurrando a equipe de maior camisa da NBA! D.A. fará um bom trabalho pois temos jovens com talento, raça e na próxima temporada não tenho dúvida que teremos pelo menos um roubo no draft, um all star e mais surpresas no time! Go Celtics!

  6. Digor33

    Parabéns pelo post, muito bem escrito.

    Porém discordo um pouco. Muito bonito e digno dizer que fomos guerreiros e que os playoffs vieram por mérito dos jogadores. Mas não devemos nos esquecer que as chances dos playoffs vieram também porque vários timos optaram pelo tank. Sei que não vão concordar alguns, mas é a verdade.

    Chegar aos playoffs com uma campanha negativa não é algo muito lógico para mim, mas diante da situação do EAST foi assim que ficou.

    Podem dizer que ganhamos experiência e testamos treinador e time, mas me desculpem, ser varrido na primeira fase não é algo que me agrada, pelo inverso, fica DIFICIL de engolir.

    Orgulho pelo nosso time? Tenho e muito, desde a época de BIRD quando comecei a assistir a NBA, porém sou muito mais racional do que coração, e, para mim, o TANK era um negócio mais seguro para o futuro. Prova disso são as palavras do próprio Ainge.

    Pode dizer que temos zilhões de picks, milhares de dólares de exceções, e uma previsão orçamentária positiva, mas até isso virar como algo produtivo, me desculpem novamente, isso não significa nada.

    Se olharmos para os futuros FA todos tendem a ficar nos respectivos times, que podem pagar o máximo mesmo já tendo outros Alls Stars no plantel, o que não temos nenhum (chamariz para outros allstars), e aqueles que pensam em sair sempre ficam focados em outros times como: NICKS, LA, MAVS ou outros times, mas não o nosso.

    Ou seja, por esta lógica, planejar o futuro no draft era a mais viável, sim seria a mais demorada mas ainda sim a melhor opção, sob pena de ficarmos no nível intermediário para sempre.

    Portanto, respondendo a questão do post, bem, para mim não foi vantagem, mas a minha humilde opinião não faz verão e espero imensamente que possam situações favoráveis no futuro trazer a um certo curto prazo jogadores a fim de colocar Boston em seu devido lugar novamente, para muitos anos.

    Valeu por tudo, mas acho que foi arriscado buscar os playoffs ao Invez do TANK.

  7. Luiz Gabriel Muniz

    Textaço, Rômulo. Parabéns!!!!

  8. Bruno Ferronato

    O problema é que seria complicado “competir” no tank com times como Sixers, Wolves, Lakers, Knicks, Magic que simplesmente fedem demais.
    O Celtics faz muito tempo que necessita de um big man de qualidade, e este era o draft ideal para conseguir isso, porém, não era uma tarefa das mais fáceis visto tantos times piores e totalmente abraçados ao projeto.
    Se for ver teríamos que piorar ainda o número de vitórias obtidos na temporada anterior, e isso sim ao meu ver seria ruim pra um time como o Celtics, que time grande que é tem mesmo é que estar nos playoffs.
    Se já está difícil conseguir free agents de qualidade optando por este caminho do Celtics, escolhendo o tank ficaria mais difícil ainda, pois na visão dos jogadores seríamos apenas mais um dos times que fedem e que vai demorar a se reconstruir, fato que não nos tornaria nem um pouco atrativos.
    Lembramos que o Hawks fez algo parecido na temporada anterior, foi aos offs pare ser figurante (com uma campanha na temporada regular inclusive pior do que essa nossa), mas por outro lado ganhou experiência, e agora com uns ajustes pontuais conseguiu o topo da tabela.
    Fora isso, pra mim que draft saiu do top 5 o risco da escolha aumenta e muito. A chance de pegar uma futura estrela vai cada vez mais saindo da competência e indo pro campo da sorte, mas isso é uma opinião particular minha.
    Devido a tudo isso vou totalmente de acordo com o post do Rômulo.

  9. Walisson

    Valeu, e muito, a pena!

  10. Renato

    Bom assim como a maioria sou totalmente a favor da participaçao nos playoffs, pelos motivos apresentados no texto, alias muito bem escrito.

    Digor 33,

    Compreendo seu pensamento, e confesso que foi o meu durante algum tempo, ate pq tendo a ser racional, mas mudei de ideia quando vi a entrega da equipe e a superaçao de suas limitaçoes.

    Vamos dizer assim o draft era um BEM TANGIVEL e os playoffs um BEM INTANGIVEL, em ambos os casos podiamos ter vantagens, mas acredito que com os Offs despertamos na FA um interesse maior, e isso nao necessariamente para trazer 1 All Star, mas pelo menos os grandes jogadores.

    Sonhamos com Cousins, Aldridge, Love, etc… todos muito dificeis e desejados por todas as equipes, mas esquecemos que temos Lopez, Millsap, Monroe, que sao otimos jogadores, mas que a maioria das equipes nao farao loucuras para pega-los e nesse sentido podemos atrai-los com mais facilidade.

    Tirando o fato da loteria em si, com as nossas 4 escolhas desse ano 2 de primeira e 2 de segunda, acho que podemos subir para 8 ou 9 escolha do Draft e pegar um grande jogador de qq forma.

    Ou seja, nao fique preocupado, pelo contrario mantenha o otimismo pq acredto que essa temporada acelerou uns 2 anos de nossa reconstruçao.

    • Digor33

      Este é o meu lado otimista também Renato, somente me preocupa que os FA estão sempre de olho em outros mercados e frente ao que temos a oferecer, e neste caso terá que ser algo mais elevado do que os outros oferecerão, não poderemos nos dar ao luxo de errar. O tiro terá que ser certeiro e nisso Ainge é competente.

      Mas lests go Celtics!!

  11. PHABIO PASSOS

    BOM, EXCELENTE E OTIMA MATERIA FEITA,PARABENS….
    VAMOS CELTICS….

  12. Fernando C S

    A mim está claro que o texto demonstra o quanto a escolha dos offs foi a mais racional.

  13. Rodrigo

    Belo texto, porém no mundo competitivo, isso vai custar caro. Teremos uma escolha insignificante (me faz lembrar JaJuan Jonhson e Etwhan Moore). Não vão impactar em nada na equipe, escolhas de jogadores que virão pra ser eternamente trabalhados e acabrão jogando na China em dois anos.

    Mas paciência. Aguardemos.

  14. Marcos

    Pior jogo da série, como esperado.

    Agora esperar o Ainge trocar as picks para trazer ao menos uma estrela para o time.

    []s verdes

  15. drakes

    Concordo com o excelente do Romulo, claro que esse ano gostava e muito das escolhas na frente diferente de ano passado, mesmo assim fazer corrida de ruindade com Knicks, Lakers e Sixers é algo de embrulhar o estomago, tanto que não apenas o Celtics optou por desenvolver vencendo, o Jazz esse ano que acabou junto fez o mesmo, e no caso deles não tinham qualquer chance de chegar nos playoffs.

  16. Marcos

    Pouco esportivo, mas o highlight do Olynyk foi machucar o Love…

    Péssimo coaching hoje do Brad, enfiando Pressey e KO em minutos de continuar apertando (ficou fácil quando o chutador de 3 do Cavs se tornou o Jones), também o pior jogo da série para ele…

    []s

  17. Danilo Jeolás

    Texto excelente. Valeu e muito jogarmos a pós-temporada e tivemos bons momentos. Não é um recrutamento tão profundo para se justificar entregar uma temporada.

    Stevens e o plantel estão de parabéns.

  18. Danilo Jeolás

    A lamentar, a série ruim do Turner e do Zeller, muito abaixo do que produziram na Regular.

  19. lucas

    Defendi tank pra ser top 5. Porque esse draft ai eh bom nos 3, 4 primeiras escolhas o resto acho um draft meia boca. Nossa pick draftamos um bom role player. Ou trade com alguem. Resumindo playoffs foi bom.

  20. Alefe Miranda

    E principalmente do bradley ele foi o pior do celtics nessa serie com erros infantis e forcando muito … Thomas foi bem nos primeiros 2 jogos nos 2 ultimos tbm errou muito muito mesmo. Mais foi inacreditavel a minutagem do bradley no jogo jogando essa bolinha.. Mds

  21. Alefe Miranda

    O grande steal desse draft eh kris dunn… Tomara que o ainge veja isso…

  22. […] ainda mais se for comparar com o adversário da série, que conta com três atletas de alto nível. Como destacou o nosso colunista Rômulo Portugal, voltar a disputar a pós-temporada serviu, principalmente, para avaliar o presente e pensar no […]

  23. Fernando C S

    Parabéns à equipe. Agora ficamos no aguardo do bom travalho do DA. Que os Bulls consigam tirar algumas boa lições do que pudemos fazer contra os Cavs.

  24. Jota

    Eu tenho duas opiniões sobre isso, e são bem opostas:

    1º: Concordo com o Digo 33. Celtics há muito tempo, por anos, é sabido que não somos nenhum atrativo para allstars da liga, seja por todos os motivos. Time competitivo, cidade, camisa, títulos, torcida… Nenhum foi capaz de seduzir os grandes jogadores. Todas as campanhas recentes de glórias foram conquistadas com talento criados em casa, que consequentemente seduziram outros jogadores (Sim, estou falando do Pierce com Allen e Garnett juntando-se à ele).

    Fora isso, na história recente que gosto de ler, por nenhum, NENHUM, outro motivo fomos atrativos para os grandes jogadores, nem mesmo os motivos explanados no texto. Por quê agora seríamos? Ano passado tínhamos 1 allstar no time e nem assim atraímos outro. Quando tínhamos Pierce e outros, o Ainge optou por trocá-los porque não conseguia fazer outros bons jogadores pousarem em Boston, isso com Garnett, Pierce, Rondo e Green, que vamos combinar é mais que o necessário para ser top 4 no Leste. E nem assim deu jeito. Principalmente agora, nessa offseason, brigando com times de Nova Iorque e Los Angeles, por quê daria certo?

    Jazz, Wolves, Bucks e Magic fizeram o certo em manter-se no tank, por não serem atrativos para nenhum allstar (Por todos os motivos ditos aí no texto), e criaram uma base excelente através de trocas pontuais e escolhas no draft. Jazz e Bucks já estão colhendo os frutos; Magic e Wolves farão o mesmo logo. Será que não devíamos fazer o mesmo quando tivemos chance? Ficamos tão ruins quanto se pode pensar; tínhamos allstars para trocar por picks altas e etc, etc, etc. Por quê não fizemos isso? Nesses 2 últimos anos poderíamos ter tido escolhas altas, teríamos draftar e conseguido montar uma base melhor com bons armadores e pivôs saindo nos 2 últimos anos.

    2º: É claro que eu sou a favor e espero que toda essa escrita de não sermos atrativos para free agents. Sou a favor de tudo explanado no texto. A NBA tá mudando. Os jogadores estão mais competitivos que “gananciosos”. Estão preferindo times com bons treinadores, com base, com banco, com apoio, com boa gerência a salários astronômicos e jogar sozinhos em times. Sendo assim, tudo isso pode virar a nosso favor então.

    Aqui, agora, hoje, o jogador sabe que temos base, temos talento, temos gerência, temos um bom treinador e temos histórias. Mas histórias ganha jogo? Cria lendas? Claro! Temos tradição de criar allstars, mandá-los aos jogos das estrelas todos os anos, de vender camisa, de transmissão de tv, de lotação de ginásio em apoio. Os jogadores de hoje levam isso em consideração. Querem ser campeões acima de tudo e nós, mais do que nenhum outro time, sabemos o caminho para a glória. Mais do que nunca estamos conseguindo as ferramentas certas para isso.

    Mas não quer dizer que atrairemos um allstar. Que de repente o Cousins ou o Jordan vão querer se mudar para a fria Boston porque o Stevens foi o 4º melhor técnico. Não! Esqueçam! Isso não vai acontecer! Mas porque não podemos criar nossos próprios allstars? Uma cidade e base de fan que colocou 4 allstars em um mesmo ano (Rondo, Pierce, Garnett e Allen) pode criar um novo.

    Ainge trará aquele jogador que tem potencial para chegar lá. (Olha o Crowder sangrando verde aí, outrora esquecido nos Mavericks). Quem sabe trazer o um jogador menos badalado e esquecido pela mídia nessa offseason e transformá-lo em nosso pilar… Sair do óbvio trazendo um Monroe ou um Harris, fazê-los parte do time e de uma base. É isso que o Ainge fará. Nada que fizemos esse ano vai fazer o Butler sair dos Bulls; o Jordan deixar os Clippers; o Gasol deixar os Grizzlies. Mas o Monroe deixar os Pistons? Por quê não?! Lopez dos Nets? Acho que funcionaria.

    A verdade é que ficamos a temporada inteira sonhando alto, mas devemos esperar movimentações pontuais do Ainge. Quando ele formou o último big 3 já tínhamos Paul Pierce, e ele já era um allstar há 5 anos seguidos. Então é assim que funciona em Boston.

    Estou esperando movimentação para subirmos no draft. Ainge sabe que esse draft é especial com relação aos protetores de aro, e sabe que não temos em abundância na NBA. Se ele puder subir ele o fará. Agora, mesmo sonhando, acho difícil pousarmos um allstar ou candidato ao allstar na offseason. Tanto pela história de nunca fazermos isso ou pela lógica mesmo.

    Mas o futuro é brilhante para nós se mantivermos essa ética e vontade:

    8 Picks de 1º Round (Sem contar as de 2º Round)

    2015: Celtics e Clippers
    2016: Celtics, Dallas e Nets.
    2017: Celtics (Podemos trocar pela dos Nets).
    2018: Celtics e Nets.

    Pouco mais de $27 Milhões de espaço no CAP para a offseason (Sem contar o imposto de luxo):

    O CAP será de $67 milhões, ao que tudo indica. Teremos $40 milhões comprometidos. Se conseguirmos mover o GWALL na próxima offseason, o que pode acontecer, teríamos “só” $30 milhões comprometidos e $37 para assaltar os Free Agents. Dinheiro suficiente para montarmos uma base ainda mais competitiva.

    Fora as exceções que podemos absorver ou facilitar negociações de outros times em detrimento de conseguirmos coisas por trás dos panos, coisa que o Ainge mais faz.

    Escrevi demais, foi mal. Mas essa é a minha opinião. Os 2 movimentos estão certos! O GM deve ser competente para fazê-los funcionar.

    • Digor33

      Legal Jota, realmente pensei que escrevendo o meu texto seria massacrado pelos optantes do outro posicionamento, mas vi que entenderam e não estou sozinho nesta, mas essa é a minha visão.

      Não vejo grandes astros vindo dos FA, desculpem-me, sou realista demais para imaginar isso ocorrendo.

      Não somos atrativos faz anos para os FA, e portanto a montagem virá com o tempo. Porém gostaria ter um dos Centers deste Draft, ter um pivô criado em casa seria show para um recomeço.

      Mas tomara que eu esteja errado e que Ainge cale a minha boca e faça uma de suas travessuras mágicas….rs

      Valeu!

  25. Danilo Jeolás

    A explanação do Jota é excelente. Discordo um pouco sobre sucesso do rebuilding do Magic e acho que Cousins ou Jordan poderiam encarar o frio de Boston com um projeto bom. Também acredito que o Ainge possa tentar escalar o Draft, mas só o fará por uma escolha Top 5,

    O futuro é promissor, a base é boa. Mas evidentemente falta garrafão, principalmente na quadra defensiva.

  26. Guilherme Calvano

    Belo texto Rômulo , valeu e muito ir pros Playoffs , agora é esperar o draft e as futuras trocas do DA , obrigado pelo belo texto , #Let´sGoCeltics

  27. Fernando C S

    Concordo com alguns pontos levantados pelo Jota. Mas serei direto: a questão do clima frio, no meu entender, é bem relativo. Atrativos aos jogadores: 1. Salário. 2. Chance de ser campeão. 3. Chance de ser all star. Não necessariamente nesta ordem.

  28. Eduardo Rocha

    Eu gosto desse poder que temos pra fazer Allstar em casa.. E hoje o jogador que tem o maior potencial para virar um é o Sulinger, sim ele está gordo, ou ele é gordo, mas tem muito basquete pra jogar ainda, e se ele ficasse atlético ele seria um PF Allstar na nossa conferência. Smart mostrou que é um jogador de personalidade, e dentro de 2 ou 3 anos será implacável. Eu acredito que o Ainge vá aprontar nessa Offseason, mas não tenho ideia do que ele vai fazer, o pessoal do celticsblog aposta que ele vai trazer jogadores menos badalados, e um de seus alvos é o Middleton, se pararmos pra pensar que ele tem apenas 23 anos, um salario baixo e vai perder espaço no Bucks quando o Parker voltar de lesão, é possível que o Bucks não dificulte sua saída. Mas acho que devemos acreditar que o que temos em Boston pode melhorar, e que as peças que virão serão para compor e não pra mudar.
    Sem muitas loucuras, eu aposto em um FA pra jogar na 3 e um center do Draft.

  29. The Real Jay

    Espero q Ainge suba no draft e escolha o Stein! Na FA, já dei minha opinião um garrafão com DGreen e Lopez do nets, mas não sei pq, acho q Monroe vai decolar em Boston!

  30. Eduardo Rocha

    Não sei se o GM do 76ers é burro, mas se acontecer o que o pessoal diz quanto a ele se desfazer de um dos big men eu gostaria muito de conseguir o Nerlens Noel, daria nossas 2 picks de 1º rodada desse ano por ele, não sei se os senhores sabem disso, mas ele é nativo de Massachusetts (o nominho difícil de escrever).

    • Luca

      Eduardo , também ouvi isso. O GM dos 76ers não é burro…rs Mas ele não quer ter 2 Big Men que podem jogar na mesma posição ainda levando em conta que o Embiid teve muitos problemas fora de quadra esse ano em Philly, se não me engano até uma briga em bar. Então levando em conta que ele não tem medo de arriscar (Trocou o MCW, PG promissor e FP) poderíamos aproveitar essa situação! Quem sabe: Sully+Pick de 1ºRound+Babb por Embiid

  31. Renato

    Noel e realmente um bom nome, e acho que o Sixers ira entender que ele e o Embiid jogam no mesmo lugar, logo nao tem espaço para os dois. Esse negocio de empurrar o Embiid para posiçao 4 nao existe, ele sera alvo facil de PF mais ageis.

    Uma proposta justa seria 2 first pick 2015 + Olynyk, acho que eles aceitariam esse negocio.

    O Hawks depois da venda e uma incognita, logo tambem seria interessante flertar com Millsap.

  32. The Real Jay

    Noel bom defensor, já mostrou isso, teríamos q correr atrás de um Millsap da vida.

  33. Renato

    Celtics eliminou o CAVS dos playoffs indiretamente.

    Love esta descartado para serie com o Bulls e talvez fique fora de toda temporada.

    JR Smith pegou 2 jogos de suspensao.

    Acredito que o CAVS nao irao ganhar nenhum dos 2 jogos em casa.

    Butler e um dos jogadores que melhor marca o James

    Rose e Snell defendem bem e irao limitar o Irving

    No Garrafao sera um massacre a favor do Bulls

    Mais uma noticia que pode ser interessante, parece que a lesao do Parsons e extremamente seria, logo deve ficar fora do inicio da proxima temporada, com saida do Ellis e Rondo acho que vem loteria por ai.

  34. Sander

    Acho que o Ainge não vá atrás de nenhum jogador acima de 27 anos e, dificilmente teremos um jogador consagrado (exceção do Love). O Love eu acho bem possível, pois nos Cavs ele tem um papel terciário ( atrás do Lebron e do Irwing) e visivelmente não está a vontade, nos Lakers ele seria sombra do Kobe. No Boston ele tem a possibilidade de ser o líder de uma equipe muito promissora e bem treinada.

    Creio que seria possível o Ainge tentar formar um garrafão com Love e Noel. Para SF como nosso camarada Jota falou, podemos ter um T.Harris e Midlleton pois a mídia vai estar toda em cima dos outros e esqueceram dele e, para encerrar torceria para o R. Jackson assumir de PG com o Smart na 2 e Thomaz vindo do banco.

    R.Jackson, Smart, Harris/Midlleton, Love e Noel

    Acho que brigaríamos por mando de quadra brincando.

  35. Mauricio Green

    Por motivos profissionais não deu para acompanhar como gostaria o fim da temporada e o playoffs (via os jogos mas não dava tempo de passar por aqui).

    Para mim valeu muito ir para os offs, mesmo pegando o time mais complicado da conferencia, mesmo varridos mostramos de que o Celtics é feito. Mentalidade vencedora e de luta.

    No fim acho que os offs forma mais proveitosos para o Stevens e para a imagem da franquia. Espero uma pós temporada receada de boas novidades!!!

    Temporada que vem será melhor e na outra voltaremos a ser verdadeiros contendes.

    Ha e com certeza foi mais divertido torcer para ganhar…Let´s Go Celtics!!!

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.