Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Jogadores abalados e possível boicote a Celtics x Raptors: veja repercussão do elenco ao caso Jacob Blake

Mais uma vez, a repressão policial vira capa dos jornais ao redor do planeta. No último domingo (23), Jacob Blake, homem afro-americano de 29 anos, foi abordado por três policiais e acabou sendo baleado sete vezes na abordagem. A cena foi gravada e reacendeu as revoltas dos americanos contra o racismo.

Nesse contexto, os jogadores do elenco do Boston Celtics, que já haviam se manifestado publicamente durante a onda de protestos antirracistas em maio, voltaram a se mostrar indignados em suas redes sociais. O Twitter oficial do Boston Celtics também colaborou com a divulgação das declarações dos atletas.

Leia também: Veja como o Boston Celtics se tornou um dos maiores colaboradores nas lutas raciais no esporte

Jaylen Brown, que ficou marcado positivamente por dirigir 15 horas de Boston a Atlanta para liderar protestos antirracistas, deu declarações fortes sobre o caso: “As pessoas postam minha camisa toda hora. Número 7. E agora, toda vez que eu a olho, o que eu vejo é um homem negro levando sete tiros”, disse Jaylen. “Eu sei que não sou um político, mas eu ainda me importo com a minha comunidade. Eu ainda me importo sobre o que está acontecendo ao redor do planeta”.

Marcus Smart, também presente nas manifestações de maio, também se posicionou. “As pessoas estão alimentando o racismo, e é triste que nós ainda estamos lutando por algo que é tão óbvio. O racismo é o fator óbvio que não deveria estar lá e nós não deveríamos levar isso à frente, mas nós ainda fazemos isso”, disse Smart. Outro que também se manifestou foi o técnico Brad Stevens. “Nossos pensamentos estão com Jacob Blake e com a família dele. Aquele vídeo foi terrível e os jogadores estão abalados com aquilo”.

Os jogadores do elenco do Toronto Raptors, adversário do Boston Celtics nas semifinais de conferência dessa temporada, também se mostraram totalmente indignados com a situação. O ala-armador Fred VanVleet tomou à frente para demonstrar sua irritação: “Nada está mudando, e isso está preocupando todos os jogadores”.

Inclusive, há a possibilidade de boicote dos jogos 1 e 2 da série Celtics x Raptors, em que cada time daria W.O. em uma partida. A informação, ao ser questionada por um repórter a Norman Powell, também jogador do Raptors, recebeu a seguinte resposta: “Está sendo falado sobre isso. Ajoelhar não está resolvendo”. Aguardemos maiores desfechos sobre o possível boicote.

O Celtics Brasil lamenta os ocorridos nos Estados Unidos e no mundo, e seguindo aquilo que a história do Boston Celtics sempre defendeu, apoia toda manifestação que ajude a combater o racismo e chegar à igualdade de oportunidades entre pessoas de cores diferentes. Sempre estaremos ao lado de (mais que) atletas como Bill Russell, Chuck Cooper e Jaylen Brown, que sempre serão lembrados como promotores do lado certo dessa luta.

Author avatar
Eduardo Marangoni
Uberabense, 19 anos, atualmente vive em São Paulo/SP. Estudante de Ciência e Tecnologia da UFABC e são-paulino sofredor, sempre adorou esportes, e principalmente, torcer. Acompanha o Boston Celtics fielmente desde 2016, apesar de se considerar um celta desde aquele triste jogo 7 em 2010.

3 comentários

  1. Marcelo

    “Ajoelhar não está resolvendo”.
    F#$%-se o basquete, dane-se a NBA. Eles têm razão: isso TEM QUE PARAR!!!

  2. João

    Quem parou fui eu de assistir essa merda de BLM

  3. Roberto Nunes

    Parem com esse negócio de BLM e joguem basquete.

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *