Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Cavaliers 124 x 118 Celtics

Cobrado e questionado por não ter nenhuma vitória sobre um candidato ao título da NBA na temporada 2016/2017, apesar de ocupar uma posição de destaque na Conferência Leste, o Boston Celtics teve, na noite desta quinta-feira (29), mais uma oportunidade de quebrar essa escrita diante do atual campeão Cleveland Cavaliers. Não faltou esforço, mas o Alviverde reviveu o filme dos duelos anteriores: com vários “apagões” e sem força para fechar o jogo na reta final, o Celtics perdeu mais uma para os Cavs na Quicken Loans Arena, desta vez por 124 a 118.

Em Cleveland, o Boston Celtics teve um bom início de jogo, mas rapidamente sofreu a virada do Cavaliers, que contou com a mão calibrada de Kevin Love para vencer o primeiro quarto por 32 a 25. No período seguinte, apesar da boa atuação da rotação celta, especialmente do ala Gerald Green, a franquia de Ohio manteve a vantagem de sete pontos para o intervalo.

Além da derrota parcial do primeiro tempo, a equipe do Boston Celtics sofreu com uma atuação impecável do Cleveland Cavaliers no terceiro quarto. Sem muitas dificuldades, os donos da casa abriram 20 pontos de liderança e encaminharam a vitória. Porém, no último período, os celtas conseguiram uma reação improvável: liderado pelos reservas Marcus Smart, Jonas Jerebko e Tyler Zeller, o Alviverde ficou a um ponto do empate. Com os titulares de volta, Jae Crowder teve a chance de virar o jogo, a oito segundos do fim, mas errou o arremesso de longa distância e deixou a vitória no colo do Cavaliers.

Mais uma vez, o cestinha do Boston Celtics foi o armador Isaiah Thomas: além de contribuir com 31 pontos em 33 minutos, o camisa 4 distribuiu nove assistências e ficou muito perto de um duplo-duplo. Líder da artilharia celta no primeiro tempo, o ala-armador Avery Bradley anotou 23 pontos e conseguiu quatro roubadas de bola, enquanto o ala Jae Crowder fez 13 pontos. Entre os reservas, destaque para os 12 pontos e sete rebotes do ala Jonas Jerebko.

No Cleveland Cavaliers, o “Big Three” formado pelo armador Kyrie Irving, pelo ala LeBron James e pelo ala-pivô Kevin Love foi muito bem e registrou números impressionantes, com destaque para Irving, que foi o cestinha do jogo, com 32 pontos, e ainda fez 12 assistências. Além de fazer 30 pontos, Love pegou 15 rebotes, e James chegou perto de um triplo-duplo, com 23 pontos, 11 assistências e oito rebotes.

Com a vitória em casa, o Cleveland Cavaliers se recuperou do tropeço diante do Detroit Pistons e ainda abriu vantagem na liderança da Conferência Leste, já que o Toronto Raptors perdeu para o Phoenix Suns nesta quinta-feira. A franquia de Ohio tem 77,4% de aproveitamento, com 24 vitórias em 31 duelos. Já o Boston Celtics, que tem 19 vitórias em 33 partidas e 57,6% de aproveitamento, está empatado com o Charlotte Hornets na terceira colocação do Leste.

O Boston Celtics terá pouco tempo para lamentar a derrota na Quicken Loans Arena, pois já volta a jogar na noite desta sexta-feira (30), às 22h30 (horário de Brasília), contra o Miami Heat, no TD Garden. O Cavaliers só joga neste sábado (31), último dia do ano, diante do Charlotte Hornets, no Spectrum Center.

Destaques do Cavaliers

Kyrie Irving (32 pontos, 12 assistências e cinco rebotes / duplo-duplo)

Kevin Love (30 pontos e 15 rebotes / duplo-duplo)

LeBron James (23 pontos, 11 assistências e oito rebotes / duplo-duplo)

Destaques do Celtics

Isaiah Thomas (31 pontos e nove assistências)

Avery Bradley (23 pontos e quatro roubadas de bola)

Jae Crowder (13 pontos e quatro rebotes)

Author avatar
Gustavo Arruda
Gustavo, 28 anos, é maranhense de São Luís, jornalista formado pela UFMA e repórter do Imirante.com. Fanático por esportes, principalmente futebol e basquete, é torcedor celta desde 2003, quando ouviu pela primeira vez o TD Garden lotado entoando "Let's go, Celtics!", e escreve no Celtics Brasil desde julho de 2011, com mais de 1.700 textos publicados. Nas horas vagas, é goleiro, armador, tio do João Gabriel e da Alice, e também dá seus pitacos sobre o maior campeão da NBA no Twitter: @gustavoarruda01.

12 comentários

  1. Jefferson Pires

    Eu não entendi o motivo do Crowder arremessar aquela bola faltando 8 segundos precisando de 2 pontos, era melhor infiltrar e fazer uma bandeja simples ou sofrer falta. Muitos jogos acontecem a mesma coisa, o time chega no fim com condições de virar a partida, mas toma decisões erradas.

  2. Tiago Coelho

    Foi um bom jogo, time mostrou reação depois de estar quase 20 pontos atras.
    Al Horford até agora nao me convenceu, que partida horrivel.
    Dava pra ter tentado outra jogada no final, J. Crowder foi displicente.

  3. Hugo

    Eu nao vi o jogo, mas só de ver que o “big three” deles somou 85 pontos fica dificil de ganhar

  4. PHABIO PASSOS

    BEM, O JOGO FOI DECIDO NO TERCEIRO QUARTO, QUANDO NAO ENTRAMOS QUADRA.
    OUTRA ERA PRA BRAD PEDI UM TEMPO,PRA FAZER UMA JOGADA, TINHAMOS 20 SEGUNDO, PRA TERMINAR, DAVA PRA UMA JOGADA, PRA THOMAS OU BRADLEY E ATE HARFORD CHUTA DE 3 OU INFILTRAM, PRA IR PELA MENOS PRA PORROGAÇAO…. E NAO FAZER AQUELA BESTEIRA….
    E ESSE POVO E ENGRAÇADO, RECLAMA QUE NAO TINHA UM GRANDE JOGADOR, AGORA TEMOS, SO PQ O CARA FEZ UMA PARTIDA BEM, FALA QUE RUIM E CONTRATO E RUIM,SE NO FOSSE HARFORD NA DEFESA, JA TINHA PERDIDO DE MUITO…..

  5. Fernando C Silva

    Gostei da atuação da segunda unidade.

  6. Lucas Oliveira

    Não tenho certeza se havia tempo a pedir para o Stevens, se havia, foi um erro dele também. Mas fato é que faltou QI para o Crowder… Não pelo arremesso em si, eu também chutaria de 3 pq não via vantagem em levar aquele jogo para prorrogação (seria difícil manter o ritmo, poderia perder e temos jogo hoje de novo), mas mesmo que ele acertasse os Cavs teriam 8 segundos no relógio para fazer o que eles fazem melhor, infiltrar e conseguir 2 pontos ou falta.

    A falta de outras estrelas nos coloca sempre em situação complicada com a arbitragem que protege as “superestrelas” e que não consideram nem o IT como uma, o que nessa temporada me parece um absurdo, mas é assim que a NBA é hoje e não foi por isso que perdemos.

    Horford não é um super pontuador e isso tem que ficar claro para todos, no Celtics ele vem mantendo a média da carreira de 15 pontos por partida, abaixo nos rebotes 6,6 contra 8,8 na carreira, mas melhores em assistências e em bloqueios… Então não esperem ver o Horford fazer 30 pontos por partida pq isso não vai acontecer.

    Dito isso, quanto a partida de ontem, podemos dizer que jogamos sem o Horford novamente. Esteve muito abaixo do esperado em ambos os lados, 6 pontos e 1 rebote com média de .33% nos arremessos em 29 min. Mesmo com os 3 bloqueios e 4 assistencias, um pivo com 1 rebote em 29 minutos de partida é inadmissível! (Como comparação, IT pegou 3!) Espero te ver em quadra hoje “Big fella”!

  7. Sonhei com essa ultima jogada de J. Crowder, faltou inteligencia, por pouco não ganhamos, caramba tinha que trabalhado mais o garrafão faltando só 8 segundos.

  8. Maurício Green

    Não achei falta de QI de jogo o arremesso de Crowder, julgamento injusto ao meu ver.

    Quem viu as entrevistas pós jogo, ficou sabendo que essa jogada já estava desenhada dês da revisão da falta do Lebron no IT.
    O Brad não pediu tempo nesse momento pq as jogadas já estavam escolhidas e poderiam haver mais posses de bola no jogo, como houveram. Ele tinha tempo sim, um full e um de 20 seg. Tanto que pediu logo após lance livres do Jeferson e ainda morremos com um tempo de 20 seg.

    O Crowder está arremessando, em bolas de 3, 40% na temporada e 48% em dezembro, ficou livre e a jogada era essa, tinha que chutar.
    Também lembro que essa não foi nosso ultimo ataque do jogo. Pos lance livre do Jeferson, Brad pediu tempo e aramou uma jogada com incio do Horford no garrafão. Ele, na minha visão, tomou um falta do Lebron não marcada.

    Bem na minha visão sobre o jogo quisemos nos equiparar ofensivamente com o Cavs. Com eles chutando muito bem de 3, nos 3 primeiros quartos, ficou impossível de acompanhar. Dai perdemos a cabeça no 3 quarto. Um por não conseguir acompanhar o ritmo ofensivo deles e dois por sofrer com o apito. (exemplo: tapão do Lebron bloqueio ao AB que só pegou mão, isso no 2 quarto, até machucando a mão do AB).

    Também faltou ao menos um dos bigs entre Hoford, Amir e KO fazer um jogo descente. Somados eles fizeram 8 pontos e pegaram 8 rebotes em 55 minutos. Jonas fez 12 pontos e pegou 7 rebotes em 12 minutos….

    Voltamos no jogo muito por desleixo do Cavs, que achou que estávamos mortos, e por focar na defesa. No fim tivemos uma chance contra o time mais pronto para ser campeão hoje na liga. Estamos no caminho certo para atingir nosso potencial dessa temporada, terceiro do Leste e segunda fase dos offs. Mais que isso só com grade trade, que não creio vai acontecer, ou por problemas em Toronto.

    • Lucas Oliveira

      Maurício questão é que o o time tinha o shot clock e o perderia de qualquer forma, mesmo acertando com os 8s no relógio. Me desculpe, mas isso é falta de idéia sim.
      Com Lebron, Love e Kyrie em quadra, arbitragem apitando tudo e precisando de dois pontos para virar de volta, deixar 8 segundos no relógio é dar um tiro no pé.
      Não estou condenando a partida do Crowder, muito menos a temporada, mas esta decisão foi infeliz e mal pensada.

      A jogada do Horford no final já era praticamente irrelevante a duas jogadas de diferença sem tempo no relógio.

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.