Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Celtics 101 x 110 Bucks

Dando sequência a série de 3 jogos seguidos em confronto direto pelos playoffs, o Celtics não conseguiu repetir o sucesso que teve contra Hornets e Bucks e acabou sendo superado pelo rival.

A partida foi do início ao fim dramática e nem parecia um jogo de temporada regular.

Defesas sufocantes, muito contato físico, provocações entre jogadores, equilíbrio entre as equipes, torcida pressionando, dentre outros fatores, davam toda a energia digna de uma partida de playoffs.

A equipe de Milwaukee surpreendia com uma defesa insana, com jogadores dobrando a marcação em 90% dos lances, pressionando os condutores de bola e dificultando em muito a movimentação da bola com passes rápidos, principal arma ofensiva do Celtics.

Mesmo assim, com grande atuação de Bradley no ataque e de Smart na defesa, o Celtics conseguiu ser minimamente superior ao Bucks e foi para o intervalo com uma vantagem de 2 pontos.

O início do terceiro quarto no entanto foi diferente do que se viu em todo o jogo. Com defesa sufocante, o Bucks forçou diversos erros da equipe celta, principalmente de Evan Turner que cometeu 3 TO em menos de 1 minuto, o que gerou 6 pontos fáceis em contra ataques da equipe adversária.

A defesa de garrafão que não comprometeu no primeiro tempo, foi vazada com facilidade e nem os dois pedidos de tempo de Brad Stevens foram o suficiente para dar uma esfriada no ímpeto do Bucks que rapidamente abriu 16 pontos de vantagem e deixou a situação do placar quase que irreversível.

Ao fim do quarto no entanto, a equipe de Milwaukee teve uma queda física, afinal, é praticamente impossível manter o jogo todo o ritmo alucinante que haviam mantido até então.

O Celtics se aproveitou disso e pode finalmente fazer o que melhor sabe, trocar passes para encontrar o jogador menos marcado, em melhores condições de finalização.

Oito pontos seguidos, 6 deles com cestas de 3pts sem marcação, deram ao Celtics a esperança de uma reação no quarto final.

O quarto final começou e o Celtics começou melhor, esboçando uma reação, chegando a diminuir a desvantagem para apenas 6 pontos.

O Bucks então voltou a imprimir a defesa sufocante dos demais quartos e voltou a causar problemas para a ofensa celta.

A equipe de Boston brigou até o fim, mas alguns erros de arbitragem que deixaram de marcar 4 faltas claras em jogadores celtas, dificultaram a reação e o Bucks de forma competente soube explorar as falhas celtas e administrar o placar.

Com o resultado, o Celtics se mantém na 9ª posição, com o mesmo número de vitórias do Miami Heat, porém com uma derrota a mais. O Bucks por sua vez, conquista a segunda vitória seguida, abre 4 vitórias de vantagem sobre Celtics e Heat e fica muito próximo de garantir sua classificação para o playoff.

Destaques da partida

Celtics
Isaiah Thomas: 23pts – 1reb – 6ast
Jonas Jerebko: 17pts – 5reb – 1ast
Avery Bradley: 17pts – 4reb – 1ast

Bucks
O.J. Mayo: 24pts – 5reb – 6ast
Ersan Ilyasova: 17pts – 4reb – 1ast
Khris Middleton: 13pts – 7reb – 3ast

 

[youtube id=”uXdUMtVDpNw” width=”620″ height=”360″]
Author avatar
Daniel Emiliano
Daniel é publicitário, web designer e ilustrador residente em Campinas/SP. Em 2008 uniu paixão e profissão e deu vida a um Blog de notícias e opiniões sobre o Boston Celtics. Com ajuda de outros apaixonados o Blog foi tomando proporções inimagináveis e hoje é este Celtics Brasil, o maior site sobre uma equipe da NBA no Brasil.

6 comentários

  1. Danilo Jeolás

    Carter-Williams começou a entender mais que não atua mais para caçar estatísticas e Pachulia está jogando o que nunca jogou na vida. E especificamente hoje, OJ Mayo lembrou aquele projeto de all-star do passado.

    A pós-temporada é complicada sim, principalmente pela sequência do Nets, que enfileirou seis vitórias após perder para nós. Mas sem Wade, pode ser que o Heat desande, tem uma tabela complicada.

    Nada perdido ainda, mas a tendência é não chegarmos.

  2. Barry

    DeMarcus Cousins: 24 pontos, 20 rebotes, 13 assistências, quatro tocos
    Se vira ae Ainge. Não quero saber, dê o seu jeito.

  3. Sander

    Barry, compartilho da mesma opinião: Ainge, dê o seu jeito, traga o DMC.

  4. joao guama cabano

    o caralho cara nojento

  5. Jota

    Essa derrota se resumiu a: “Tudo cai para os caras”.

    No 3º e 4º Q tudo, TUDO, caía para eles. Parecia até o glitch do NBA2k15. Todas as bolas contestadas e bandejas com contatos caía. Chegava da raiva. (Cadê a opção de mexer nos sliders do game?!)

    O time conseguiu chegar, mas os erros, sobretudo das faltas invertidas no ataque, parara o time. Somando a tudo caindo no ataque dos caras, simplesmente minou nossa reação.

    Mas o Stevens demonstrou que, pelo menos, a rotação tem algumas opções de montagem, como jogamos no final do 3ºQ e as variações do 4ºQ. O time conseguiu tirar uma vantagem maior que 15 pontos, mas os erros citados no começo acabou desanimando o time.

  6. […] de uma dolorida derrota para o Milwaukee Bucks na última sexta-feira, 3 de abril, em pleno TD Garden, o Boston Celtics prepara as malas e cruza a […]

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *