Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Mavericks 118 x 113 Celtics

Embalado após uma sequência de três vitórias seguidas, incluindo uma emocionante contra o Washington Wizards nos lances finais, o maior campeão da NBA chega à Dallas para um confronto complicado contra o Mavericks na noite desta segunda-feira (18). A franquia do sexto maior pontuador da liga, Dirk Nowitzki, tem uma campanha muito semelhante a do Celtics, porém em uma posição muito mais confortável, comparada a bem disputada Conferência Leste.

Ao subir a bola laranja, o ataque celta esteve praticamente nulo até restar três minutos para o final do primeiro quarto de partida, anotando apenas dois pontos. A má sorte ou ineficácia dos jogadores de verde custaram 15 pontos de vantagem ao adversário. Jogadores como Jae Crowder, por exemplo, passaram em branco durante esse período.

Já ao final, o time voltou a pontuar, mas nada que parecesse ser uma reação, até que Marcus Smart, ao soar do alarme, pontua três pontos, empolgando o time para os doze minutos finais do primeiro tempo. Depois de conversarem um pouco com o técnico Brad Stevens, a equipe volta mais disposta a mudar o panorama, com duas bolas de três seguidas convertidas. O prejuízo aos poucos vai diminuindo, até que chega a nove pontos, menor marca da partida até então, mas infelizmente nada duradouro, pois logo o Mavs retoma o controle da partida, terminando o primeiro tempo liderando pelo placar de 52 – 39.

No segundo tempo, apesar de iniciar com nervosismo, a franquia de Boston começa sua reação gradativamente, até que uma bola de três de Avery Bradley deixa a diferença apenas por quatro pontos, consolidando o espírito competitivo do time no jogo. Percebendo a força celta, o técnico Rick Carlisle repõe o astro Dirk Nowitzki, que não surte o efeito esperado. Ao final do terceiro quarto, Crowder convertendo dois lances livres, colocam o Alviverde a frente do placar pela primeira vez.

Daí em diante, assistia-se um jogo de alto nível de ambas equipes, com leve vantagem do Celtics. A figura de Nowitzki se faz importante, chamando a responsabilidade do jogo pelo lado do Dallas. Os emocionantes minutos finais tiveram alternância na liderança do placar, pois logo depois de Jae Crowder anotar dois pontos, Evan Turner comete uma falta que dá a chance do Mavs ganhar o jogo. Graças a uma falta em Crowder que lhe permite três lances livres, que são convertidos, a partida vai para a prorrogação com 98 pontos para cada lado.

Após os 48 minutos regulares, as equipes voltam para mais cinco minutos adicionais já bem cansadas, principalmente o mandante, por conta de seu elenco mais velho. Entretanto, o desgaste físico não os abalou, pois lideraram o resultado em toda a prorrogação, mas não sem apertos, principalmente com as bolas arremessadas por Kelly Olynyk nos instantes finais. O jogo termina com vitória do Mavs por 118 – 113.

O próximo jogo do Boston Celtics será na quarta-feira (20) contra o Toronto Raptors, às 22h30 (horário de Brasília), no Air Canada Centre. Enquanto isso, o Dallas Mavericks encara o Minessota Timberwolves, de Kevin Garnett, também na quarta às 23h30.

 

Destaques do Dallas Mavericks

Dirk Nowitzki: 31 pontos e 11 rebotes;

Deron Williams: 20 pontos, cinco rebotes e seis assistências;

Zaza Pachulia: cinco pontos, 19 rebotes e quatro assistências.

Destaques do Boston Celtics

Marcus Smart: 20 pontos, oito rebotes e três assistências;

Isaiah Thomas: 20 pontos, sete assistências e três rebotes;

Avery Bradley: 19 pontos, oito rebotes e cinco assistências;

Kelly Olynyk: 17 pontos e cinco rebotes

https://youtu.be/FxjdLaBedqE

Author avatar
Pedro Gabriel
Fanático pelo Flamengo, me aproximei do basquete pelo mesmo. Não satisfeito, quis me aventurar em outras terras e acabei parando em Boston, em 2014.

13 comentários

  1. Gbrunus

    Tava pensando,como será o elenco para próxima temporada acho q o DA, se n conseguir nenhuma troca, até a trade dead line vai acabar trocando a pick de Boston+Dallas por uma pick top 10.
    E na FA acho q ele vai investir pesado em um Center ou PF como Whiteside, Drummond, Al Houford e KD (acho dificil ele vir), tentaria pegar o PP34 para uma ultima temporada de despedida.
    Manteria amir, KO e Jordan Mickey no garrafão, e ficaria com o mesmo perímetro.
    Ficaria com o time assim para a próxima temporada:
    Smart – AB- Crowder – mickey/ amir – Al/ Drumond / Whiteside
    reservas:
    IT- Hunter – Rozier -Amir/mickey – KO – Turner – Young – Jerebko -Ingram – Jakob Poetl / Skal Labissiere
    Acho um time bem promissor, acho q ja daria para brigar em ma final de conferencia

  2. Pedro Leôncio

    Marcus smart numa crescente impressionante. Apesar da entrega, não me assusta essa derrota. Time soube recuperar uma desvantagem que muitos não apostavam na recuperação. As vezes sinto falta do Hunter na rotação, ele poderia ser mais usado para espaçar o perímetro quando o time adversário descansa o armador titular. No mais estamos no caminho certo e parece que o time vai ter algumas mudanças depois ASG o que nos dará mais força para uma eventual pós temporada.

  3. Nathan Santos Paranhos

    Nesse jogo, aconteceu a mesma coisa contra o Wizards. Uma lavada do adversário no primeiro quarto. No segundo, o Celtics cria uma reação, mas que dura pouco, causando um empate de pontos no segundo quarto (contra o Wizards 30×30, e contra o Mais 28×28). Ae o Celtics finalmente reage no terceiro, e chega a virar no quarto. Mas a diferença foi que perdemos essa. Isso mostra que estamos progredindo no fator reação. Para um time que na minha opinião, vai para os Playoffs, esses jogos vão servir de exemplo para essa fase da NBA.

  4. Guilherme Gomez

    Time teve uma boa atuação ontem ! N se entregou em nenhum momento,lutou até o final !! Merecia a vitória ! Belo jogo

  5. Teobaldo

    Tenho uma pergunta, se alguém puder responder, eu agradeço: por qual motivo os Mavs estão utilizando uniforme verde em alguns jogos?

    Off-topic: ontem vi a lista com os 30 jogadores pré-convocados pela federação americana de basquete para as olimpíadas e, triste, constatei que em tal relação não há nenhum atleta Celta. Lamentável. Um abraço aos amigos do blog.

  6. drakes

    Eu até ia colocar antes, agora vendo que um cara em forum do Celtics americano pensou o mesmo, por que achei que podia estar enganado, mas ontem o Zaza dominava o Sully e Amir, o Brad colocou o Oly nele, como o canadense acertou os tiros de três puxou a defesa do Zaza para o perímetro, abrindo caminho para IT e Crowder, apesar do erro no fim que levou a 4 pts do Dirk, sem o esforço dele não daria para ter encostado.

    Sobre o 3-POINT PCT (Since Nov. 28)

    1. Redick, LAC 52.6
    2. Leonard, SA 49.0
    3. Rush, GSW 48.6
    4. Casspi, Sac 48.5
    5. OLYNYK, BOS 48.3

    • Pedro Leôncio

      Se o Kelly Olynyk errar 44 chutes de três vai ter aproveitamento melhor que o do Bradley nesse mesmo período de tempo. Que loucura!

    • Se ele fosse SF, isso seria bacana pra caramba né? Tem esse recurso do chute longo e, as vezes puxa o marcador para fora, mas na área pintada é aquela beleza… =(

      Para vir do banco, na rotação, está ok.

      []s verdes

      • drakes

        Ele é o típico jogador de rotação, o problema do Celtics já desde muito tempo é um big e esse ano um ala de rotação, já que na campanha 2014-15 o Crowder vinha do banco para o lugar do Turner (Turner vem, agora, do banco e nada).

        Mesmo no jogo de ontem, o Dirk deu um passe ridículo para Crowder que enterrou depois, erros acontecem.Mas, esse ano e próximo, o negócio é pegar entrosamento por que o time é muito novo, trocar peças e ir desenvolvimento, por que Spurs e GSW vão ser difíceis de bater, claro que ainda tem muita água para rolar.

        Uma semi-final já seria um grande passo, sorte nas bolinhas mesmo que o nets acabe em sexto, outro.

        Abraço,

  7. Renato

    Esse jogo foi muito legal. Vitórias e derrotas são normais em times em reconstrução, mas a maneira de jogar é o que faz a diferença, Celtics mostrou maturidade para voltar no jogo contra uma equipe muito bem treinada.

    Smart cada vez melhor evoluindo na parte ofensiva, aprendendo a tirar vantagem da sua força física contra os PGs adversários.

    Não tem mágica enquanto o Celtics não tiver um garrafão titular de bom nível não tem como evitar oscilações, mas dentro do que é possível o Stevens tira tudo dos jogadores.

    Nosso perímetro é bem aceitável, pouco precisa ser mudado, talvez mais um jogador da posição 2 com capacidade de pontuar.

    Nosso calcanhar de aquiles é o garrafão, exceto o Olynyk que é um bom reserva com características ofensivas e o Mickey que parece promissor mas precisa ser testado, o resto é dispensável, incluindo Sullinger e Jhonson, ou seja temos 5 jogadores que não fazem a menor falta Lee, Zeller,Jerebko, Sullinger e Jhonson.

    Hoje saiu um rumor que Celtics e Lakers estão conversando sobre um troca de Hilbert por Lee+Zeller + Picks de segundo round, se for verdade é um ótimo ajuste para essa equipe.

    Ainda acho que o Ainge tá trabalhando em algo maior, a imprensa americana afirma que Lopez e Monroe seriam negociáveis pelo preço certo apesar de Nets e Bucks não estarem vendendo eles explicitamente, qq um deles seria excelente desde que não envolva a escolha Nets, mas acho que isso já está claro.

    Mas do que olhar os resultados temos que apreciar o processo, pq tudo tá no lugar certo e estamos próximos de conseguir nosso salto de qualidade.

    • drakes

      Renato seria manta do Lakers: Hilbert por Lee+Zeller + Picks, eu acho que é Hibert por Lee, no máximo uma pick segundo round. só ver por quanto ele veio para LA.

      Além disso, ele desistiu de um aumento que podia receber em caso de troca do Pacers por que o Lakers prometeu um time competitivo e não o circo atual, agora devem estar correndo procurando um time de playoffs que pode aguentar o contrato, e o Celtics obviamente é um dos poucos.

      Poderia também colocar que o time do Lakers sem ele defende melhor que com ele em termos de 100 posses de bola, assim como Lee, ele está naquela fase que se torce que os bons tempos retornem.

      Lembrando é último ano de contrato, se valer a história dos últimos tempos vai forçar logo o Lakers a um buy-out (assim como acho que em fevereiro o Lee também force a saída, caso não seja trocado)..

      Eu acredito que o Celtics assim como quase todos os times devem estar tentando trocas, mas me parece que ainda estamos na fase mais dos jogadores que não deram certo e insatisfeitos:
      Ty Lawson, Hibbert, Lee, dois do Phoenix (Chandler – contrato de 4 anos dói – e, Markiff -acho que isso do Phoenix),

      Por sinal, acabei de ler que no relatório oficial da NBA dos últimos minutos os árbitros erram duas vezes, ainda assim essa arbitragem infinitamente melhor que a do jogo de ida em Boston que foi péssima.

      Abraço,

      • Renato Machado

        O lance é que ele é útil para gente e até pela rivalidade o Lakers não vai facilitar. Uma troca dele pelo Lee não alivia a folha do Lakers, logo só tem vantagem para eles se pegar pelo menos uma escolha de segundo round, mas não me importaria em dar 2 escolhas de segundo round, desde que não fosse as do Sixers e do Wolves. Ele não está em bom momento, mas ainda sim serve para proteger o garrafão.

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.