Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Prévia – Denver Nuggets (18-24) x Boston Celtics (14-26)

No terceiro dos seis compromissos seguidos como visitante que terá contra equipes da Conferência Oeste e em mais um back-to-back na temporada 2014/2015 da NBA, o Boston Celtics visita o Denver Nuggets, na noite desta sexta-feira (23), no Pepsi Center. No duelo contra a franquia do Colorado, o maior campeão da história da liga completa 50% dos jogos previstos na temporada regular.

Conhecido por ser um time difícil de ser batido em casa, acostumado a marcar presença nos playoffs e complicar a vida dos favoritos ao título na Conferência Oeste, o Denver Nuggets atravessa uma temporada de resultados muito abaixo das expectativas. Com apenas 18 vitórias em 42 jogos e um aproveitamento de 42,9%, o Nuggets vem de quatro derrotas seguidas e está se afastando da zona de classificação para os playoffs, a cada rodada que passa. Sem muitos reforços, o técnico Brian Shaw corre para tentar manter a sua equipe competitiva, na briga pela oitava vaga.

Para voltar a vencer e dar uma satisfação aos seus torcedores, o Denver Nuggets aposta no talento do armador Ty Lawson e na garra do ala-pivô Kenneth Faried para bater o Celtics e melhorar a campanha. Faried, porém, pode não entrar em quadra diante do Alviverde, já que sofre com sintomas de uma gripe. O italiano Danilo Gallinari e o pivô JaVale McGee também não estão confirmados.

Sem muitos objetivos na temporada, o Boston Celtics chega ao Colorado com o astral renovado. Apesar de não estar priorizando, pelo menos por enquanto, um retorno aos playoffs, o time verde e branco conseguiu uma improvável vitória sobre o Portland Trail Blazers, em pleno Moda Center, resultado que animou um elenco indeciso entre ser competitivo ou abraçar o ‘tank mode’ de uma vez por todas. O cansaço de um back-to-back e a falta de ambição devem pesar na briga pelo resultado, mas não deve faltar disposição dos celtas em Denver.

Para enfrentar o Nuggets, Brad Stevens deve manter a formação que venceu o Trail Blazers, com destaque para duas improvisações: Evan Turner, capaz de atuar nas posições de ala e armador, segue na posição 1, enquanto o ala-pivô Brandon Bass será o líder do garrafão, sempre auxiliado por Jared Sullinger. Na rotação, as apostas são o experiente Tayshaun Prince e o jovem Kelly Olynyk.

Ficha Técnica

Local: Pepsi Center (Denver, CO)

Horário: 0h (horário de Brasília)

Denver Nuggets: Ty Lawson, Arron Afflalo, Wilson Chandler, Kenneth Faried e Jusuf Nurkic. T: Brian Shaw

Boston Celtics: Evan Turner, Avery Bradley, Jae Crowder, Jared Sullinger e Brandon Bass. T: Brad Stevens

Author avatar
Gustavo Arruda
Gustavo, 28 anos, é maranhense de São Luís, jornalista formado pela UFMA e repórter do Imirante.com. Fanático por esportes, principalmente futebol e basquete, é torcedor celta desde 2003, quando ouviu pela primeira vez o TD Garden lotado entoando "Let's go, Celtics!", e escreve no Celtics Brasil desde julho de 2011, com mais de 1.700 textos publicados. Nas horas vagas, é goleiro, armador, tio do João Gabriel e da Alice, e também dá seus pitacos sobre o maior campeão da NBA no Twitter: @gustavoarruda01.

20 comentários

  1. The Real Jay

    Gustavo foi tipo um vidente, botar essa foto do Bass aí kkkkkkk, sinceramente foi o jogo dele, o jogo passado ele jogou muito tb, é tá sendo o jogador com mais min do time, acho q vem tarde com o Bass por aí.

  2. Danilo Jeolás

    Mais uma vitória de um grupo com honra e vontade e que claramente está incomodado com o posicionamento antiesportivo e antiético de seu GM.
    Danny Ainge deve estar muito revoltado e quando isso acontece, se livra de alguém.

  3. Eduardo Madeira

    O Celtics precisa definir o que quer da vida: tank ou playoff?!

    Porque essa indefinição não vai nem nos dar uma pick boa no draft, muito menos uma vaga nos playoffs!

    Ainge cagou no pau ao negociar Rondo e Green (falei isso antes da trade do Rondo)! A base do time não era tão ruim assim! Com alguns ajustes do Stevens, era time para ficar entre 6º e 8º do Leste, e consequentemente dar experiência e casca de playoffs à Sullinger, Olynyk, Bradley, Smart, Young, Pressey, Zeller, Stevens, etc… E com Rondo no comando, mais a camisa pesada, a força do TD Garden… Vai saber aonde iríamos chegar!?

    Mas Ainge fez as trades, optou pelo tank… E agora? Agora o time vai no Oeste e ganha uma back to back improvável ficando a 2 jogos do Nets (8º)…

    Aí você não sabe se “torce para perder” por causa desse tank maldito, se “torce para ganhar”… Fica todo mundo com essa cara de idiota, porque o time joga bem quando quer, faz partidas horrorosas e depois faz partidas improváveis!

    Essa “indefinição” não vai levar à lugar nenhum… Nem aos playoffs, nem à uma boa escolha no draft.

    • Torquato

      Eduardo concordo plenamente com vc , sem as trocas do Rondo e do Green poderiamos chegar nos offs e isso seria muito importante pros mais jovens !!!

      • Eduardo Madeira

        Sem dúvida!

        Acho muito mais interessante ter 2 ou 3 experientes (no caso eram Rondo, Green, Bass…) e levar aos Off’s (mesmo que caia logo de cara) para dar maturidade, experiência e ‘casca’ de Playoffs à garotada (Bradley, Sully, Olynyk, Smart, etc…) e ao Stevens, para no futuro próximo ter uma base fortalecida, do que ficar tankando e fazendo papel ridículo.

        Rondo-Bradley-Green-Sullinger-Zeller (mais os bons reservas que tínhamos) era time para ficar em 6º, 7º no Leste!

        Como eu disse: vai saber aonde esse time iria parar!

        Mas…

  4. Luiz

    O time jogou com muita vontade de novo, a única coisa mais grave que eu vi foi no ultimo lance do jogo, o rebote defensivo foi disputado pelo Phil Pressey, o cara tem 1,80. Está mais que claro que precisamos de alguém no garrafão pra defesa.

    Gostei muito do Avery Bradley, no segundo tempo ele fez pontos importantes.

  5. Danilo Jeolás

    E evidentemente, sem as trocas imbecis, era time para brigar com o Bucks pela sexta vaga, podendo incomodar sim nos playoffs.

    Mas quem torce para o tank pode se tranquilizar. Evidente que o Ainge vai ripar mais alguém por alguma pick de segunda rodada protegida até 2045.

  6. drakes

    O maior problema do time era o começo do campeonato: o mês de novembro principalmente era terrível,.

    Depois disso, apesar de em algum momento ter que jogar alguns back-back, seria contra times que não foram para os playoffs ano passado ou jogando nas estatísticas times desfalcados já que as lesões são uma constante na NBA devido ao calendário.

    Como o time tinha profundidade em termos que ninguém assim era tão bom para ser titular absoluto, fazendo trocas de oportunidade daria sim tranquilamente para montar um bom time e ir as playoffs.

    Mas, agora eu acho difícil, Charlote e Detroit devem tomar a vaga do Nets e quem sabe até tirar a do Heat.

    Os jogadores para mim vem evoluindo, nem precisaria assistir os jogos (ou como agora pedaços) por que os resumos do site são claros.

    Mas, a opção do GM foi tank, no máximo o Bass sairá por uma pick segunda rodada, por isso acho que vem buy-out para o Prince e quem sabe até Marcus Thornton.

    Das trocas em termos do recebeu a pior foi a do Brandan Wright, por uma segunda rodada pick lá do final…

    • Marcos

      Drakes,

      Não sei cara, acho que o Pistons vai surpreender mt gente nos offs… só a sensação depois de assistir alguns momentos deles sem o Josh…

      O AInge vai manter todos os jogadores até o útlimo instante paara tentar usar as trade exceptions… Vamos ver o que consegue…

      []s verdes

  7. The Real Jay

    Mano, o Ainge trocar o Bass por uma segunda rodada lá do capeta, a torcida de Boston tem q pegar a cabeça dele, a galera daqui endeusa o Ainge por essa limpeza no cap q ele fez, isso foi o mais fácil de tudo, como a própria Espn de Boston comentou, o difícil vai ser agora. Montar um time digno do nome dessa franquia.

  8. Barry

    Ainge vai calar muito a boca desses idiotas. O cara ta limpando CAP, obtendo picks e exceções. E tem gente reclamando. MDS. Cala essa boca imunda. Só sabe reclamar.
    So estou gravando o nome desses caras pra quando conseguirmos o 18° esfregar na cara deles.
    AINGE MITO!!!!!!!

  9. Jota

    A ficha de vocês ainda não caiu, né?!

    O Rondo PEDIU para ser trocado quando o Dallas enviou a proposta naquele momento. O Ainge não foi atrás e perguntou o que o Dallas tinha pelo Rondo. Foi uma excelente troca para o Rondo disputar o título mais uma vez. Ele era AGENTE LIVRE IRRESTRITO.

    Oh mania de brasileiro de torcer mais pelo jogador que pelo clube. A situação do Rondo era totalmente inversa do Paul Pierce e do Kevin Garnett. E se perceberem a sutil diferença do que ficamos daquela troca para essa perceberão que não foi escolha do Ainge e sim do Rondo. Aposto que para muitos é mais fácil acreditar que o Ainge e a diretoria e os donos do Celtics quer atrapalhar o time trocando por um monte de nada com o Dallas do que o Rondo simplesmente ter a vontade de sair naquele momento.

    Acordem, galera! Para com esse papo ultrapassado de “se o Rondo ficasse”. Ele quis sair! Já vai fazer 2 meses e ainda estão batendo na mesma tecla.

  10. Danilo Jeolás

    O mais bacana é o GM implodindo o plantel e os jogadores ganhando no buzzer.
    Aliás, isso deixa notório que o elenco joga para ganhar, o que me deixa bastante feliz.

  11. Marcos

    A galera aqui é apaixonada mesmo?
    Ganhando no buzzer? Quantos jogos já perdemos no último lance nas primeiras semanas da Liga?

    Pior, jogávamos bem, agora estamos uma completa porcaria.
    Detesto perder, mas não temos chances de offs mais.
    Espero que o Ainge consiga valor nessas nossas picks na FA, pq estamos jogando o draft fora…

    []s verdes

    • drakes

      Marcos, discutindo um pouco de estratégia tank, se fosse para ser um dos três piores times, começou-se tarde. Nem o sixers que entrou para ganhar esse posto parece que não irá conseguir.

      A trajetória continua a ser por volta de 30 vitórias, se ele realmente pensa em um campeonato pior que ano passado, os negócios vão continuar a sair ou o departamento médico começará a segurar jogador.

      abraço,

  12. daniel

    Sem querer polemizar, mas, pior do que torcer pra jogador é torcer para GM, endeusando um mero dirigente que faz nada mais que o seu trabalho. Se der resultado – o que torcemos – náo fez nada mais que sua obrigação, já que é bem pago para isso. Então vamos parar de churumelas, até porque ninguém é dono da verdade e o espaço, até onde sei, é democrático para cada um externar sua opinião.

    • The Real Jay

      Assino embaixo, ele não fez mais q a obrigação, ele tem respeito por minha parte, em relação ao BIG 3. Tem gente aqui, q deve dormir com a foto do Ainge.

  13. Jota

    Eu não tenho nenhuma intenção de polemizar, tampouco ser o dono da verdade. As minhas opiniões são próprias, e tenho apenas interesse em fazer as pessoas refletirem um pouco sobre o assunto, causando assim uma discussão sadia, como sempre.

    O que eu, EU, não consigo entender é como as pessoas conseguem ter tão pouca fé no planejamento a curto ou longo prazo. E isso é coisa de brasileiro de uma forma geral (E não estou querendo ofender ninguém).

    Pra começar o Ainge nos tirou de uma fila de mais de 20 anos com um trabalho/ideia de menos de 2 anos para reconstruir. Não me venha com essa de que é “só o trabalho dele e fez mais que obrigação” Foi trabalho de outros GM’s que simplesmente não conseguiram fazer nem perto do que ele fez.

    E organização nos esportes americanos é tudo! Por isso gerentes e treinadores ficam tanto tempo em seus cargos. Além disso, os gerentes e donos são realmente donos dos times. Não existe presidente eleito, que entra e sai sem nenhuma responsabilidade pelo que faz, dando prejuízo ou não. O que implica dizer que TODAS as ações tomadas pelo Ainge e pelos gerentes do Celtics visam o melhor para a equipe para terem retorno. Por isso não acredito no “Ainge nos sacaneou trocando o Rondo” porque isso seria um prejuízo direto para todos os gerentes, diferentes dos presidentes e gerentes de futebol do Brasil que entram e saem dos cargos sem nenhuma responsabilidade.

    Essa é a apenas a minha opinião. Não estou pedindo para ninguém concordar ou discordar, estou apenas expondo-a para reflexões e discussões sobre o assunto. Não quer dizer que eu esteja certo, nem que quem discorda comigo esteja certo. Mas é preciso dar um pouco de crédito para quem nos tirou da fila e fez muito além de “sua obrigação”.

  14. daniel

    É óbvio, para mim, ser obrigação de um dirigente atingir o melhor resultado. O que não consigo entender é a fé cega, já que não se pode viver eternamente do título de 2008. Os erros devem ser apontados, especialmente aaueles que tiraram o título quase certo de 2011, com a troca do Perkins, fazendo com que aquela geração brilhante consguisse apenas um único título. Os dados estão lançados. Pode dar certo ou não. Depende de muitos fatores, mas a MINHA impressão é que o big 3 cada vez parece uma circunstancia de sorte na reuniao daqueles jogadores. Mas a discussão é válida.

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.