Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Sullinger e Olynyk e as novas funções dos PF’s na NBA

Virou moda, na NBA, contar com alas-pivôs que arremessem da área de 3 pontos.

O Celtics não foge a essa regra e conta com dois big men capazes de acertar tiros de longa distância.

Ou que pelo menos se acham capazes.

Os Big Men de Boston, que se arriscam na zona de 3 pontos, são Jared Sullinger e o calouro Kelly Olynyk. Contudo, ambos estão abaixo da média de aproveitamento do restante do time (32,9%) na área de pontuação citada.

Cabe lembrar que o Boston Celtics, atualmente, apresenta o 28º melhor aproveitamento na área de 3 pontos entre todos os times da NBA. Ou, se você preferir, apresenta a terceira pior média, já que são 30 equipes na melhor liga de basquete do mundo.

Sinal de alerta? Sinal vermelho? Não para Brad Stevens. Quando a bola chega para big men (como Olynyk e Sullinger) arremessarem de 3, ou qualquer outro jogador, Stevens tem apenas uma regra.

“Escolham o arremesso mais adequado na posse de bola”, diz Stevens. ”Aproveitem e vejam qual é a melhor oportunidade de pontuação nessa posse de bola”.

Essa máxima é aplicada para todos os jogadores do elenco. Entretanto, os números mostram que somente Jeff Green (com 328 tentativas) arremessou mais bolas de 3 do que Sullinger (170 tentativas até aqui).

Apesar da alta quantidade de arremessos de 3, Sullinger apresenta o simplório aproveitamento de 24,1%. Calma que piora. Sullinger piorou ainda mais seus números na zona de 3, durante o mês de Março, ao acertar somente 18,8% dos seus arremessos de 3.

Kelly Olynyk não fica muito atrás, tendo como aproveitamento, nos tiros de 3, a média de aproximados 32%. Todavia, o calouro, oriundo da Universidade de Gonzaga, tem mostrado evolução, ao acertar 42,1% dos tiros de 3 durante o mês de Março.

“Basicamente, eu tento tirar proveito das oportunidades que a defesa adversária oferece”, disse o canadense Olynyk. “Se o que eles oferecem são tiros livres de longa distância, são esses que eu vou ter que encarar e acertar”, completou o calouro, mostrando personalidade e auto-confiança (Jeff Green chora de tanto recalque).

Por outro lado, há quem acredite que Sullinger deva concentrar mais seus arremessos na área do garrafão. O secundanista, no entanto, mostra-se confiante de que é capaz de alternar seu jogo dentro e fora do garrafão.

“Eu estou tentando permanecer confiante e ajudar ao Celtics a conquistar as vitórias”, disse Sully.

E o desejo do ala-pivô, oriundo da Universidade de Ohio State, de ser um scorer tanto dentro quanto fora do garrafão, conta com o imprescindível apoio do treinador Brad Stevens.

“O mais importante é jogar confiante e arremessar de maneira convicta”, disse Stevens a Sullinger, ao longo dos últimos treinos.

Embora os números sugiram que o novo Big Baby de Boston deva abrir mão dos tiros de longa distância, eis o que Sullinger comentou:

”Eu estou arremessando bolas que sei que posso fazer caírem”, disse o secudanista. ”Enfim, eu vou continuar arremessando, tanto do garrafão quanto do perímetro, e buscar, incessantemente, melhores ritmo e conforto de arremesso em quaisquer partes da quadra”.

Por sua vez, o treinador Brad Stevens, mostrando-se ativo e atento à sua função motivacional, encerrou a discussão com as seguintes palavras:

”Eu sei que você (Jared Sullinger) pode arremessar melhor do que seus números indicam. E por isso, eu espero que você não tenha medo e continue arriscando tais arremessos, sempre com confiança”.

Author avatar
Rômulo Portugal
Rômulo é carioca, advogado, e fã de futebol, NBA e NFL. Acompanha o Celtics desde 2003. Seu fanatismo pelo maior campeão da NBA o fez torcer para os demais times de Boston. Como bom carioca, é Vascaíno. Tem Paul Pierce como primeiro e grande ídolo na NBA.

12 comentários

  1. Danilo Jeolás

    Fui ao jogo contra o Nets e constatei que a defesa do Olynyk simplesmente inexiste. Deve evoluir, a questão é se vale a pena apostar nisso.

  2. JOTAPLAYS

    Já demonstraram dominar mesmo os arremessos de média a longa distância. O jogo de ataque do Olynyk me surpreendeu, mas sua falta de atitude na defesa me irrita às vezes.

    Mas como disse em outro comentário, é complicado julgar esse ano. O que se pode fazer é ver os jogos do time, perdendo, e se divertir com as coisas que acontecem fora do contexto, como vitórias históricas como a que tivemos, jogadas, algum jogador se destacando e etc.

    Acredito que ano que vem, inexplicavelmente, os números dos dois aumentarão num passe de mágica, quando não precisaremos perder ou errar.

  3. Rodrigo

    Wiggins em ação agora na ESPN. Olha, pela amostra até agora, é um jogador fraco. Não justifica em nada um top 5.

    • drakes

      Não vou dizer que estou surpreso pela atuação do Wiggins, ele é um jogador muito forte nas infiltrações, mas que tem a inteligência do Westmula, fecharam a passagem e ele insistiu o jogo todo, resultado sumiu.

      Ele tem muito a melhorar, ele e o Parker por sinal, mesmo assim eu não ficaria triste se o celtics pega-se ele, são uma boa aposta,

      Mas desde o primeiro momento que comecei a assistir jogos este ano da ncaa achei uma classe boa, mas sem um KG, Anthony Davis, Lebron, Carmelo, mas diferente da que entrou esse ano vai ter muito jogador sendo muito útil para seu time, mas eu não enxergo um francise player nela.

      Até aqui brilhou esquemas táticos, McDermott e Adreian Payne. E finalmente Kentucky ressugiu das cinzar XD

      • Marcos

        Talvez aperola do draft seja mesmo só o Embiid que está quebrado e talvez só apareça no proximo draft… Esse McDermott é uma máquina de arremesso e parece que os púrpuras estão de olho nele…

        • Os nomes do draft são com certeza Jabari, Wiggins e Embiid, esses 3 serão grandes jogadores na liga sem duvida alguma.
          O McDermott vai penar pra se adaptar a NBA, é um PF ao estilo Ryan Anderson, sem atleticismo NENHUM e sem defesa tbm, e quando topar com um Davis, Duncan, Dirk, Z-Bo vai penar e provavelmente ser humilhado no inicio.
          Caso nossa escolha fique fora do TOP3 minhas preferencias são Marcus Smart de Oklahoma e Aaron Gordon de Arizona.

          Como citou o Lakers o interesse deles no draft é Embiid, Jabari, Exum…. nessa sequencia.

  4. PHABIO PASSOS

    omtem, tem dois bons resultadosm que interessaram o celtics, vitora do sacramento e dos larkers……e hj tem uthar, sera bom eles vencerem ou nao??….

  5. Marcos

    Verdade Danilo, mas ele parece ter bom potencial para score e rebote…

  6. Danilo Jeolás

    Jornais de Boston comentando que o Ainge tem interesse em Cleanthony Early, de Wichita State (Universidade que terminou invicta a temporada regular). 23 anos já, não sei o quanto pode evoluir.

    Vem subindo assustadoramente nas projeções, não creio que sobreviva até a pick dos Nets. E pode ser muito arriscado drafta-lo com a nossa pick.

  7. drakes

    Os mocks iniciais são muito ruins, eles criam hypes nos jogadores dos times tradicionais e chutam o resto para baixo; até por que é os treinos que eles assistem são dessas universidades.

    Agora começam a acertar por qualidade mesmo pelo que mostrou no campeonato. Mas, eu desde o começo do campeonato achei que se o segundo pick sair lá pelo 17 tem boas chances de pegar um bom jogador.

    Agora não se não tiver o Joel Embiid será uma lástima para os piores times, ele é o único big man descente..

    • Danilo Jeolás

      O draft bom de pivôs deve ser o de 2015. Se o Embiid desistir mesmo (e os rumores cresceram), sobra o Cauley-Stein, mas que deve ficar acima da décima escolha.

  8. Fernando C S

    Pensando nas nossas necessidades, melhor o Embiid

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.