Celtics, playoffs e o primeiro ‘título’ da reconstrução

Em 1978, logo após vencer a Itália na decisão do terceiro lugar da Copa do Mundo, o técnico brasileiro Cláudio Coutinho declarou que sua seleção era a ‘campeã moral’ do Mundial. Explica-se: por causa de um regulamento pífio e uma suspeita de entrega de resultado no jogo entre Argentina e Peru, o Brasil não disputou o título daquela Copa, mas voltou para casa de cabeça erguida. Quase 40 anos depois, mas em outro esporte e outra situação, podemos empregar a frase do lendário treinador para falar sobre a temporada 2014/2015 do Boston Celtics. Afinal de contas, o Alviverde não levantou nenhum troféu, longe disso, mas teve motivos para deixar a sua fanática torcida orgulhosa.

Ok, temos que lembrar que a franquia de Massachusetts terminou com uma campanha inferior a 50% e ficou apenas na sétima colocação da Conferência Leste, muito pouco para quem tem 17 títulos da NBA e uma história única no basquete mundial, mas as circunstâncias fazem com que o Celtics celebre muito essa campanha. Afinal de contas, é a segunda temporada sem os ídolos Paul Pierce e Kevin Garnett, sem falar nas saídas de Rajon Rondo e Jeff Green durante a competição deste ano, mas os celtas souberam se reerguer, jogaram o fino da bola nas últimas partidas da temporada regular e sacramentaram o retorno aos playoffs. Mesmo sem astros. Mesmo com um time jovem. Mesmo com uma comissão técnica inexperiente. Mesmo com trezentas trocas e mudanças no elenco. Peso da camisa? Pode ser. Das cadeiras do TD Garden? Sem dúvida. Porém, acima de tudo, pesou a competência. Dentro e fora de quadra.

O primeiro fator vem do banco de reservas: em sua segunda temporada na NBA, depois de uma passagem acima das expectativas no Butler Bulldogs, da NCAA, o treinador Brad Stevens conseguiu tirar leite de pedra em 2014/2015. Criticado por sua falta de experiência (por mim, inclusive) e tendo que lidar com muitas mudanças no elenco, já que a franquia ainda atravessa um árduo processo de reconstrução, o comandante celta conseguiu manter uma equipe competitiva, muito distante da que esteve em quadra na última edição da liga, quando nomes como Jerryd Bayless e Chris Johnson eram figuras constantes na rotação. Com um plantel fixo, logo depois do All-Star Game, Stevens conduziu o Celtics aos playoffs, com um desempenho superior apenas ao do Cleveland Cavaliers, oponente no primeiro round da pós-temporada.

Claro, Brad Stevens não fez tudo sozinho. Na equipe titular, dá para destacar a raça e o alto potencial defensivo do calouro Marcus Smart, efeito positivo do ‘tank’ de 2013/2014, o sangue-frio de Avery Bradley nos momentos decisivos, a habilidade e polivalência de Evan Turner, a experiência de Brandon Bass e a valentia de Tyler Zeller. Isso sem falar nas peças da rotação, como Jae Crowder, Jonas Jerebko, Kelly Olynyk, Luigi Datome e, claro, Isaiah Thomas, que veio do Phoenix Suns para ser o sexto homem e grande destaque do Celtics nesta arrancada espetacular. Um elenco que, se não é dos mais fortes, compensou suas limitações com muita disposição, típico dos melhores dias do Boston Celtics.

É verdade que as chances de título já nesta temporada são remotíssimas. Afinal de contas, além de todos os problemas, os playoffs começam contra um favorito Cleveland Cavaliers, comandado pelo astro LeBron James. Tudo indica que não será desta vez. Entretanto, o Celtics terá um grupo e comissão técnica com experiência de playoffs em 2016, escolhas de Draft para recrutar e mesmo negociar por outros atletas, além de um bom espaço na folha salarial, que deve ser aumentada nas próximas temporadas, para atrair bons jogadores no mercado de agentes livres. Mesmo com as limitações, o presente é valente e o futuro é promissor. Ir aos playoffs, portanto, merece ser comemorado como um ‘campeonato moral’ pelo Boston Celtics. Que venham a pós-temporada deste ano e as próximas.

Gustavo Arruda
Gustavo Arruda
Gustavo, 25 anos, é maranhense de São Luís, estudante de Jornalismo, repórter esportivo do Imirante.com e colaborador do Futebol Maranhão. Fanático por esportes, principalmente futebol e basquete, é torcedor celta desde 2003, quando ouviu pela primeira vez o TD Garden lotado entoando "Let's go, Celtics!", e escreve no Celtics Brasil desde julho de 2011. Nas horas vagas, é goleiro, armador, consumidor de danone, tio do João Gabriel e dá seus pitacos sobre o maior campeão da NBA no Twitter: @gustavoarruda01.

29 Comentários

  1. Augusto disse:

    Pensar em titulo é utopia. Pra mim a temporada ja valeria a pena se passássemos pelo Cavs e seu LeBronha, isso já seria, pra mim, a alegria da temporada.

    Esperemos por anos melhores e eles virão!

    • Marcos disse:

      Se passarmos pelos Cavs o título é utopia? Meio contraditório isso, já que os caras são mt favoritos a estar na final…

      Domingo começa e vamos ver como os caras que tiveram os nomes negritados no texto se comportam…

      []s verdes

      • Augusto disse:

        É pode até soar contraditório, mas não foi isso que quis dizer.

        Acho que não vamos ser campeões por vários fatores, porém gostaria que passássemos pelo Cavs, só isso.

    • Henrique disse:

      Passar pelo Cav’s já é um título à parte.

      Eu não acho que vamos passar. A equipe de Cleveland é mais forte e, embora tenhamos ganhado nas últimas rodadas, era claro que eles também já tinham tirado o pé do acelerador para poupar um pouco pros Off’s, já que estavam garantidos na 2ª posição (o que não desmerece nossas vitórias).

      Acho que se conseguirmos levar o jogo 7 contra Cleveland já é um SENHOR resultado.

      Essa classificação foi muito boa pro futuro do celtics. Os free-agents vão ter outros olhos ao ver esse time.

      Eu tinha falando quando rondo saiu que esse rebuild poderia ser mais rápido do que imaginávamos.

      Vamos ver, acho que temos boas chances de estar brigando por título em 2 anos! (Isso se o Ainge não mitar nessa free-agency)

  2. Renato disse:

    Título??? Até Eu que sou conhecido pelo otimismo, não posso sonhar com isso.

    Na melhor das hipóteses a gente ganha 1 ou 2 jogos do CAVS, mas a tendência é 0x4.

    Esse ano foi importante por vários motivos:

    1) Resgate de identidade

    2) Afirmação de técnico e jovens talentos

    3) Limpeza de CAP e aquisição de Ativos

    4) Experiência playoff

    Ainge fez 3 grandes negócios:

    1) Negociação do Rondo – 1 first pick, 3 second pick e Crowder. Nos livramos de alguém que não queria ficar, criamos CAP, adquirimos Ativos e pegamos um otimo roler player, mal utilizado no Mavs.

    2) Negociação do Thomas – Usamos uma first pick que sera provavelmente de fim de 1º round + um veterano expirante, por um jogador que trouxe + de 17 pontos por jogo, e que tem mais 4 anos de contrato com um valor bem aceitável.

    3) Negociação Prince – Enviamos Prince expirante, e ganhamos uma exceção no valor de seu salário 7 milhões e 700mil, Datome e Jerebko, em especial o Jerebko foi uma ótima aquisição.

    Hoje posso quase afirmar, que aceleramos uns 3 anos de reconstrução, o planejamento inicial era de 5 anos pelo desenho que se fazia, mas acho que caiu para 3, sendo ano que vem nossa primeira temporada forte após o BIG 3.

    Ainge precisará ser oportunista como sempre, e trazer 1 All Star e 1 Center para fazer com que possamos dar um salto de qualidade.

    Love e Jordan seriam perfeitos nessa equipe.

    Smart – Bradley – Turner – Love – Jordan

    Thomas – Young – Crowder – Sullinger – Zeller

    Pressey – Draft – Datome – Jerebko – Draft

    Reparem que na minha equipe da proxima temporada, não fica Bass e Olynyk.

    Bass acho que não será renovado pela idade.

    Olynyk na minha opinião não serve, já que não consegue defender.

    • Fernando C S disse:

      Renato, concordo em quase tudo. Na minha opinião o Love não tem perfil. É ótimo jogador mas não tem perfil. O Cabeleira ACHO que tem conserto quanto a defesa, depende de treinamento e vontade.

  3. The Real Jay disse:

    Vamos pros offs! Pelo espirito dessa torcida e raça do nosso time, acredito em duas vitórias do Boston na série, e digo mais! Vamos surpreender no jogo 1 ou 2 da série, com a vitória em Cleveland.

  4. Jota disse:

    Galera, o título em questão da matéria é o fato de termos conseguido dar um grande passo que foi a classificação para a pós temporada. Pelo menos foi o que eu entendi. E não que podemos lutar pelo título, e nem que vamos.

    Essa temporada foi mesmo para se aproveitar muitas coisas. É incrível o que se pode fazer com um treinador que quer trabalhar, entende do jogo e busca sempre se atualizar né, Doc Rivers? Fico me perguntando o que o Stevens poderia fazer com o último big three de Boston, já que tinha muitos especialistas defensivos e grandes nomes para o ataque.

    Enfim, como já comentado, essa temporada serviu para uma coisa mais importante que os playoffs: o resgate de nossa identidade. Para muitos isso pode não ser grandes coisas, mas para a maioria dos jogadores isso faz toda a diferença! Nenhum grande nome vai jogar por uma franquia que não faz os playoffs, que não demonstra resultado em quadra, que não tem um treinador confiável e elogiado por outros, que não faz seus jogadores virarem allstar’s, que não tem uma torcida atuante (Quem lembra do Markieff Morris reclamando que o Suns não tem torcida? Quem nunca viu o American Airlines Arena vazio? O ginásio do Magic?) Enfim, tudo isso influencia sim para onde o jogador vai. É claro que o salário e a oportunidade de jogar com grandes jogadores também.

    Então foi importante mostrarmos tudo isso esse ano. Fomos competitivos, evoluímos as nossas peças, criamos uma base competitiva, mostramos que temos treinador, tivemos apoio da nossa torcida que sempre “enchia” o TD Garden, conseguimos a classificação para os playoffs jogando contra grandes times que podem ser rivais na offseason (E ganhando contenders do Oeste também), já conseguimos colocar mais de um jogador no allstar game no mesmo ano (Já mandamos o Rondo, Pierce, Garnett e Allen no mesmo ano, mais de uma vez). Isso sem contar, é claro, que desde 2002 mandamos pelo menos 1 jogador Celta para o allstar. Isso faz MUITA diferença para alguns jogadores. Aqui eles sabem que serão reconhecidos e se tornarão grandes; que serão allstars. Eu usaria todos esses argumentos para convencer o Cousins ou Monroe, por exemplo; E também usaria com o Harris ou com qualquer outro.

    Conseguimos novatos, picks aos montes, exceções aos montes, espaço no cap aos montes, contratos baixos para alto rendimento e tudo mais. Tudo que TODA franquia sonha em conseguir para chegar na offseason. Agora vamos nos divertir com o time na pós temporada. Se mostrarmos vontade e levarmos ao jogo 7 já será um grande avanço para esse time que lutou bastante durante a temporada. Quero o TD Garden abarrotado de gente; quero ver o LeBron ter que suar para nos eliminar; quero ver o Smart grudar no queridinho da América Irving e fazê-lo se esforçar para ganhar. Que venha logo os playoffs.

    • Henrique disse:

      Boa Jota!

      Fiz meu comentário antes de vc fazer o seu (que está muito mais completo!) Se tivesse lido, nem teria comentado nada, rs.

    • Gustavo Arruda disse:

      Exatamente, Jota. Não é a toa que a palavra ‘título’ está entre aspas no título do texto. Se vocês relerem o texto, vão entender que não falo, em nenhum instante, que seremos campeões da liga nesta temporada, as chances são praticamente zeradas.

      Aliás, aguardem para esse final de semana a tradicional análise dos colaboradores do site para a série contra o Cavaliers.

  5. Barry disse:

    O time pode até tomar 4×0 como estão dizendo, o q é bem provável, mas que não sejam derrotas humilhante como a do Spurs e a do Clippers por exemplo.
    Espero que façamos jogo duro, que façamos eles suarem sangue pra vencer. Com isso eu ficaria muito satisfeito.

  6. Renato disse:

    Aí vem a pergunta, o que Ainge fará com nossas exceções:

    Temos:

    Rondo – Exceção de 13 Milhões

    Prince – Exceção de 7,7 Milhões

    Humpries – Exceção de 4,3 Milhões

    Ainda tem outras exceções de menor valor.

  7. Leonardo disse:

    Não me importo se vai ser 4×0 pro cavs ou 4×3 num jogo sete, no começo do ano tinha um monte reclamando do time, criticando, alguns continuam cobrando coisas que não se pode cobrar desse time, claro que eu queria ver uma zebra verde, mas caramba tem um lebron do outro lado e como sempre uma panela forte, entao vou me divertir com o Bradley e o smart darem aquela canceira, Turner e Thomas fazerem a pelada que fazem e nosso tecnico sentir um playoff de NBA, o futuro verde sorri para nós.

    • Barry disse:

      Agora q ta nos offs é facil criticar quem criticava o time. Para de jogar pedra e se fazer de ” Eu sempre acreditei no time”. No começo do ano o time tava num entre e sai de jogadores e tava virando saco de pancada, com suposto líder(Rondo) e principal talento (Green) fazendo corpo mole.
      O time tá mal tem que criticar sim, torcedor tem todo o direito de ficar insatisfeito seja com GM, Técnico ou jogador.
      Quando o time ta bem, sempre aparece esses santinhos jogando pedra em quem criticou.
      Pode ver meus comentários. Quando o time ta mal eu critico, dou minha opinião do que deveria ser feito pra ser melhorado e nunca largo o time. Quando o time ta bem, elogio, sou realista até aonde podemos chegar e o q pode melhora an q vem, e nunca abando no o time.
      Agora aparece um monte de fake falando asneira…

    • Barry disse:

      Quando o time ta mal não aparece ninguem, fica a materia dos caras com 1,2 comentários.
      Agora quando o time melhora aparece um monte so pra falar ” Viu vcs que criticaram o time”, aí bater 50 comentes é mole.

      • Danilo Jeolás disse:

        Isso é realmente verdade. Parte considerável de quem comentava aqui era a favor de tankar. Particularmente, além de achar tal expediente algo nojento, achava bobagem entregar outra temporada por um recrutamento pouco profundo como o próximo.

        Mas não tenha dúvidas, se levarmos um 4×0 da Panela, muitos irão argumentar que era melhor ter tankado etc. etc. etc.

        Eu senti orgulho desse plantel e do treinador, que mesmo dinamitados seguidas vezes, mantiveram-se firmes e finalizaram a temporada com quase 50% de aproveitamento, na mesma sétima posição de quando fomos aos offs pela última vez, num elenco que ainda possuía Pierce, Garnett e Rondo.

        Nosso futuro é bom, principalmente pelo CAP e as picks de um explodido Brooklyn Nets, além de exceções comerciais fundamentais.

        Vamos fazer James sentir mais uma vez o peso da camisa verde mais famosa do mundo. E lembrar a ele que Celtics x Cavs pode sim ser considerado um clássico, já que serão dezessete títulos em quadra.

      • The Real Jay disse:

        Barry eu assisti vários jogos do celtics, mas depois que mandaram Rondo e em seguida Green embora, desacreditei totalmente do time, não só eu como 90% dos torcedores, falava com meus amigos celtas, os caras zoaram, falando q n tinha futuro e n sei oq. Mas duas coisas me fez acreditar, o brilhantismo do jovem Stevens e ele claro o provável sixth man do ano. Isaiah Thomas!

      • Marcos disse:

        Easy Barry, easy…

        []s verdes

  8. Bald disse:

    Matéria muito bem escrita e boa!
    Acho difícil passar pelos CAVS, mas mostra que o time tem valores que podem compor o elenco.

  9. Daniel Fialho disse:

    Eu acredito que esse time guerreiro vai conseguir passar o cavs.Lets go celtics, muitos falaram que esse time não iria conseguir nada este ano e estão engolindo suas palavras pessimistas.#soobservo

  10. Fernando C S disse:

    Passar pelos Cavs é dificílimo. Impossível não é, mas as chances são remotas. Os jogadores dos Cavs podem ter contusões, brigarem, enfim, no meu entendimento temos que contar com o imponderável. Time por time, não dá.

  11. Sander disse:

    Somos os franco-atiradores, o que vier agora é lucro. Vamos jogar sem pressão, será que s Cavs( Irving e Love) vão aguentar a pressão querem vai ser em cima deles???? Ainda mais se eles forem mal no primeiro jogo.

  12. Luiz eduardo disse:

    Acordem, caras ! Voltem pro mundo real, é impossível passar pelos cavs, se não formos varridos e não formos humilhados já está de bom tamanho.

  13. André disse:

    Já to vendo que a arbitragem vai ser foda, mas eu acredito, LET’S GO CELTICS!

  14. Marcos disse:

    Cara, jogos no fim de semana todo, ferrando o meu fds, rsrsr…

    Os Wizards vacilando fortemente contra os Raptors…

    []s verdes

  15. Danilo disse:

    Assim como era difícil sequer chegar ao playoff, é difícil passar pelo Cavs!!! Eu acredito q daremos trabalho a eles!!!

Deixe um comentário