Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Celtics x Cavaliers – Análises e Palpites

Para introduzir o leitor à série da primeira rodada dos playoffs da Conferência Leste, o Celtics Brasil convocou seus colunistas para analisarem o confronto contra o Cleveland Cavaliers e darem seus palpites sobre o resultado final da série. Confira abaixo o que cada um dos colaboradores avaliou.

Veja também o calendário detalhado da série, com dias e horários dos jogos, além de informações a respeito de suas transmissões na televisão.

Fábio Malet

Palpite: Cavaliers 4×1 Celtics

Análise: Não poderia haver enfrentamento mais difícil para o Boston Celtics nesta primeira rodada dos playoffs. Apesar de ostentar apenas a segunda colocação da conferência, o Cleveland Cavaliers é a melhor equipe do lado Leste e também o maior favorito para o título da NBA segundo as principais casas de apostas. A equipe campeã da divisão Central tem em seu elenco três dos principais jogadores da Liga: LeBron James, Kyrie Irving e Kevin Love. Além deles, a franquia de Ohio possui excelentes coadjuvantes, alguns deles adquiridos durante a temporada, que tornaram a rotação da equipe ainda mais sólida. E apesar de um começo de temporada oscilante, o Cavaliers se acertou nos últimos meses e tornou-se provavelmente na equipe mais temível de toda a liga.

Badalado pela aquisição dos astros LeBron James e Kevin Love, que se juntaram ao também grande jogador Kyrie Irving, o Cleveland Cavaliers teve muitas dificuldades no princípio da temporada. LeBron James registrou o recorde pessoal negativo de partidas sem jogar, por conta de algumas lesões. Kevin Love criticou publicamente a falta de envolvimento no setor ofensivo da equipe. O treinador David Blatt foi intensamente questionado, bateu de frente com o maior astro de sua equipe, LeBron James, e esteve em vias de ser demitido. Tudo isso culminou em péssimo desempenho da equipe, que chegou a ter um recorde negativo de 19 vitórias e 20 derrotas no dia 13 de janeiro de 2015.

Para não distanciar-se dos líderes da conferência e melhorar o desempenho da equipe, entra em ação aquele que é favoritíssimo ao prêmio de executivo da temporada: o Gerente Geral do Cavaliers, David Griffin. Na primeira semana de janeiro, Griffin conseguiu duas importantes e pontuais trocas que adicionaram ao elenco do Cavaliers o pivô Timofey Mozgov e os ala-armadores JR Smith e Iman Shumpert. Na semana seguinte, LeBron James voltou às quadras totalmente recuperado de sua lesão e entendeu-se com o treinador David Blatt. Com isso, o Cleveland Cavaliers voltou a vencer no dia 15 de janeiro, segundo jogo com todos atletas a disposição. Depois desse jogo, emendou mais 11 vitórias consecutivas e obteve 34 vitórias nos 43 jogos restantes da temporada. Por conta disso, o Cavaliers é hoje um dos mais difíceis adversários da NBA.

O Celtics também teve um ótimo fim de temporada. A equipe que chegou a ter uma campanha de 16 vitórias e 30 derrotas no primeiro dia de fevereiro foi se ajeitando no decorrer da temporada, em meio a inúmeras transações e mudanças em um elenco que chegou a ter 23 atletas jogando durante o ano. Após a estabilização do plantel e a chegada do candidato a melhor sexto homem da temporada, Isaiah Thomas, a equipe voltou ao rumo das vitórias. Nas últimas 36 partidas da temporada, a equipe de Boston conseguiu 24 vitórias, que o consolidaram nos playoffs do Leste. E não só isso. As ótimas atuações coletivas do Boston Celtics comandado por Brad Stevens, com boa participação de seu sexto homem Isaiah Thomas, renderam ao técnico um dos prêmios de treinador do mês e ao atleta um dos prêmios de jogador da semana da conferência leste.

A equipe de Boston é muito jovem e inexperiente. Era uma equipe projetada para o futuro, com inúmeros prospectos de enorme potencial. Um elenco fadado a ter uma campanha ruim que tiraria de proveitoso a evolução de seus jovens talentos e uma escolha alta no próximo recrutamento da Liga. Mas Brad Stevens tirou o máximo de seus atletas. Mesmo com a instabilidade do elenco, soube armar a melhor rotação possível dentre as opções que lhe disponibilizavam. Elevou significativamente o nível de jogo de cada um dos membros da equipe e consolidou um conjunto bem sólido com notável jogo coletivo. Com isto, o Celtics chega “acidentalmente” aos playoffs jogando um basquete competitivo e com enormes perspectivas para o futuro.

As duas vitórias recentes do Celtics sobre o Cavaliers foram ilusórias. A equipe de Cleveland já havia garantido a segunda colocação da conferência e não tinha chances de alcançar o primeiro posto. Por isso, no primeiro destes dois jogos, viu-se um Cavaliers desfocado e displicente contra um Celtics sério e jogando a vida pela vaga nos playoffs. Além disso, LeBron James jogou minutos limitados já que havia declarado estar muito desgastado com a temporada inteira e ainda Kyrie Irving desfalcara o Cavaliers com lesão no tornozelo. Já no segundo jogo, em Boston, o Celtics dominou completamente um time do Cavaliers repleto de reservas.

O Boston Celtics já deu algumas amostras de que, em um dia encaixado de sua equipe e contando com a falta de inspiração do adversário, pode conseguir alguma vitória no confronto. Mas por se tratar de uma série de sete jogos, a disparidade técnica entre as equipes estará em evidência e deve decidir o confronto a favor da equipe de Cleveland.

Gustavo Arruda

Palpite: Cavaliers 4 x 1 Celtics

Análise: Sendo bastante sincero com os nossos fiéis leitores do Celtics Brasil, confesso que nem esperava escrever esse artigo opinativo dos playoffs. Afinal de contas, quem imaginaria que o Celtics sobreviveria a mais negociações em seu processo de reconstrução, incluindo as saídas de Rajon Rondo e Jeff Green? Difícil. Para nossa sorte, o trabalho foi muito bem feito, mostramos a raça típica da franquia mais vencedora da NBA e estamos de volta a mais uma temporada. Como disse em um artigo anterior, não é exagero afirmar que isso vale como um título para todos nós, já que provamos estar no caminho certo, dentro e fora das quadras.

Falando sobre os playoffs, teremos pela frente dois velhos conhecidos: o Cleveland Cavaliers e LeBron James, que voltou a Ohio para liderar a franquia em busca de um título inédito. Juntos, Cavs e James foram fregueses do Celtics vencedor da última década, mas a situação mudou para 2014/2015 e os adversários são favoritos, não podemos negar. Além de ter encerrado a primeira fase com uma campanha bem superior, o Cavaliers tem um time muito forte, que melhorou com os reforços de J.R. Smith, Iman Shumpert, Timofey Mozgov e Kendrick Perkins. É importante frisar, também, que o Celtics tem um time muito jovem, uma comissão técnica sem experiência em playoffs e deve sofrer muito com essa diferença.

Portanto, acredito que o Cavaliers avança e com uma boa diferença, mas o Boston Celtics deve impor dificuldades ao time de Ohio em alguns momentos, principalmente com o bom perímetro e a rotação encaixada por Brad Stevens, onde se destacam Jae Crowder, Isaiah Thomas, Jonas Jerebko e Kelly Olynyk. Recuperado, o ala-pivô Jared Sullinger também deve ajudar muito em alguns momentos importantes dos jogos. Uma improvável classificação do Celtics só deve acontecer se fizermos atuações precisas, neutralizando LeBron James e beliscando resultados fora de casa, mas isso é bem difícil. De qualquer modo, os playoffs servirão para dar bagagem a esse jovem time do Celtics, que já fez muito chegando até aqui.

Rômulo Portugal

Palpite: Cavaliers 4×1 Celtics

Análise: 

Logo de cara, o jovem Boston Celtics vai enfrentar a equipe favorita, nas casas de apostas de Las Vegas, ao título da temporada 2014/2015: o Cleveland Cavaliers. Pela quinta vez em sua carreira, LeBron James encontrará o maior campeão da NBA em pós-temporadas. Até o momento, 4 duelos equilibrados, com 2 vitórias para cada lado. Tudo leva a crer, inclusive para este que vos escreve, que o maior cestinha da história do Cavaliers, enfim, virará o placar a seu favor, com o confronto no 2015 NBA Playoffs.

No entanto, o favoritismo do adversário, embora merecido, também pode representar uma faca de dois gumes. Virou clichê dizermos que essa pós-temporada servirá para dar experiência aos nossos treinador e jogadores, mas o Cavaliers enfrenta algo semelhante. Afinal, 2 dos seus 3 principais jogadores nunca participaram de uma partida de Playoffs. O treinador da equipe de Ohio está apenas em sua primeira temporada de NBA. Então, se é novidade para o nosso elenco e comissão técnica, podem ter certeza que é para muitos deles também.

A chave para termos uma série competitiva e duradoura reside em alguns fatores. Primeiramente, o Celtics deve exercer uma forte marcação em seu perímetro. O Cavaliers é uma das franquias que mais arremessou bolas de 3 na atual temporada. J. R. Smith e Kevin Love, por exemplo, tem grande parte de seus arremessos vindo através de bolas de longe. Segundo, o Celtics deve fazer o (im)possível para manter James longe de seu garrafão. Tem que forçar o camisa 23 de Cleveland a arremessar de média-longa distâncias, onde é menos efetivo. Terceiro, o Celtics tem que correr. Corram, como se não houvesse amanhã. Stevens adora usar small line-up em nossos jogos (com Smart, Bradley, Thomas e Crowder chegando a atuar juntos por vários minutos), então vamos usar isso a nosso favor. O Cavaliers tem tido problemas em conter um jogo de rápida transição, principalmente porque Mozgov é lento e Love é mau defensor. Vamos explorar essa fraqueza adversária e abusar de infiltrações.

Por fim, creio que, no jogo 1, o Cavaliers tentará deixar uma boa impressão, tentando vencer a partida o quanto antes. Se vier um resultado extravagante, não se assustem. Todavia, para os demais jogos, espero uma série com placares próximos. E isso pode ser algo positivo para nós, já que somos uma das melhores equipes nos minutos derradeiros em jogos apertados. Pela inexperiência havida também no adversário, como exposto acima, creio que a pressão do TD Garden será demais para o Cavaliers, em algum dos jogos realizados em Boston. No fim, no entanto, o talento de Cleveland e, especialmente, de seu camisa 23 pesarão. Assim, apesar de jogos árduos, James conduzirá sua equipe à próxima fase. Contudo, fica o recado para o adversário: não nos vencerão apenas por terem melhor material humano. O Celtics já derrotou diversas equipes mais fortes em 2014/2015, justamente porque sua maior virtude é o coração, a raça, ou, de forma resumida, o Celtics Pride. Portanto, para nos derrotar, o Cavaliers precisará apresentar a mesma alma aguerrida, para seu talento poder sobressair.

Author avatar
Fábio Malet
Gaúcho de Porto Alegre, bacharel em Ciência da Computação e engenheiro de softwares sênior. Apaixonado por esportes, tem o jornalismo como um hobby e pretende, futuramente, fazer pós-graduação na área. Acompanha NBA desde o começo de 2007 e, pé-quente, viu seu Boston Celtics ser campeão na primeira temporada inteira a que assistiu. Torce também para Grêmio, Tottenham Hotspur, Boston Red Sox e Green Bay Packers.

15 comentários

  1. Tiago Coelho

    Cavaliers 4×3 Celtics

    Kyrie Irving mitando ultimo jogo, ele é fera

  2. Marcos

    Galera ficou com medo de colocar o 4×0 mais provável, rsrsrs? Excelente matéria, para mim o jogo mais importante é o primeiro (hoje).

    Let’s go C’s

    Dos jogos assistidos de ontem:
    -Paul Pierce matou a pau 70% FG, com boa partida do Nenê e péssima do Wall e os Wizards abriram 1-0 (para mim Wiz levam fácil).
    -A. Davis já domina os garrafões da NBA dos dois lados da quadra. 35+ pontos com 5 tocos e os Pelicans só não ganharam porque o fraquíssimo técnico do Pelicans jogou com o Asik a partida toda em vez de turbinar a minutagem do Noel. (para mim, GSW leva essa fase, mas não o campeonato)
    -D-Rose is back in da house. Partidaça do camisa 1, explosão, passes, enterradas e bola de 3. Para o bem da NBA os Bulls devem chegar as finais de conferência (aposto na primeira varrida aqui Bulls 4-0 Bucks)
    -Hardeen, em um jogo de bolas de 3 e defesas inexistentes, ‘Playoff’ Rondo foi superado pelo Houston com um J Terry inspirado de 3, vai demorar 20 jogos para acontecer de novo como sabemos. Aqui meu palpite é 4-3 Dallas.

  3. Fernando Nakashook

    A nossa probabilidade de vitória segundo os especialistas nessa serie de 7 jogo contra o Cavs varia de 13% a 8%, ou seja, é MUITO IMPROVÁVEL.

    Mas eu acho que independente de termos chances de vencer ou não, não podemos facilitar a vida do Cavs, eles vão ter que suar pra obter cada vitória em cima desse grupo, que está determinado segundo algumas coletivas.

    O que me da alguma esperança é saber que Irving e Love não tem experiência em Playoffs e com as expectativas do mundo todo em cima deles por causa do Lebron, pode ser que o jogo deles seja afetado, e é aí que temos alguma chance de vencer.

    Pra que é muito pessimista cabe lembrar no confronto de Kentucky x Wisconsin, a vitória de Kentucky tinha uma porcentagem de 88%, e mesmo assim perderam. Ok que não da pra comprar NCAA com NBA, e ainda mais um time com Lebron & Cia, mas como diria KG: “Anything is possible!”

  4. drakes

    Excelentes analises, mas o placar mais provável é 4×0.

  5. josé

    Acredito em ao menos uma vitoria no TD Garden, dar pra imaginar uma vitoria apertada em cleveland tbm kkkk.

    Rapaz, o jogo hoje é sem preocupaçao, mas estou imaginando o Bradley marcando o Irving, veio isso na minha cabeça agora, tomara que na cabeça do Brad nao venha isso, e sim, o Smart!

    Destaques do jogo de hoje vai ser o Thomas, o Smart e o Sullinger!!

    Lets go Celtiiics!!!

  6. Alefe Miranda

    Acho que eu vou ser o unico torcedor otimista por aqui mais tai meu palpite. 4 x 3 celtics.

    • Walisson

      Celtão vai ganhar dois jogos nessa série e chamar a atenção de jogadores e mídia para a próxima temporada…

      Com uma considerável sorte, eliminaremos o Lebron Basquete Clube!

  7. Leonardo

    Apesar dos comentários, não acho Cavs isso tudo não, tem jogadores de nome mas basquete sempre foi um jogo de equipe e não individual, Cavaliers para mim está atras de vários times esse ano, Spurs, Dallas, Rockets, Hawks, Warriors e Clippers são melhores, diria também que o Wizards poderiam bate-los

  8. Barry

    É hj galera. Marcação forte, raça e sem chutes bizonhos de 3, por favor.
    Ontem eu vi o jogo dos Mavs com Hockets. Como o Rondo vira outro jogador nos offs. Ele jogou muito bem, só acho que deveria ter mais minutos, ficou muito tempo no banco. Acho que o clima pra ele lá não ta muito bom. Arriscaria um Knicks na proxima temporda.
    Não vi os Wizzards, mas fiquei sabendo do PP34, muito feliz por ele. Outro jogdor q adora offs.
    Vamos ver como se comporta o Smart hj. Quem puder ver, o site Celticslife fez um video com os melhores momentos defensivos dele, ficou bem legal.

  9. jesse s jr

    2016 ou 2017, poderemos montar um time competitivo assim como é o Cavs hoje (talvez até utilizando jovens talentos nas trocas como eles); Mas hoje, ganhar essa série só se Lebron se contundir, e ainda jogarmos o fino da bola tanto na defesa como no ataque.

  10. Jota

    Boas opiniões e bom entendimento dos times…

    Acho improvável o Celtics vencer essa série. Se o fizer entrará para a história da NBA e falaremos dessa série por muitos e muitos anos. Mas sabemos que é praticamente impossível isso acontecer. Porém, na falta da certeza da vitória, devemos pelo menos jogar de forma contundente, evitando vexames.

    Celtics teve alguns apagões na temporada: a derrota vergonhosa para os Clippers, Spurs e para próprio Cavaliers nessa mesma arena. É primordial evitar isso para que o plano “ser um bom atrativo para Free Agents” continue a funcionar.

    Eu votaria em um 4×2 para o Cleveland, mesmo sabendo que a maior probabilidade é um 4×0. Dependendo de como joga a nossa defesa, acho que poderemos ganhar 1 jogo no TD Garden e roubar uma mais 1 jogo lá em Cleveland. O primeiro nos levaremos uma certa sova dessa panela. LeBron e Irving entrarão bastante motivados… Mas chuto que o Stevens lerá bem o time de Cleveland e no segundo jogo nós vamos surpreender, talvez aí conseguindo a vitória. A defesa não pode vacilar. O único “imarcável” nesse time é o LeBron, o resto dá para marcar, ainda mais com bons marcadores que temos.

    Smart x Irving: o jogador dos Cavs é bastante habilidoso, mas nada que um carrapato que antecipe seus movimentos não possa marcar. Junte isso à falta de experiência da atmosfera de playoffs do Irving. Acho que o Smart pode sim manter o Irving um pouco fora de combate.

    Bradley x Jr. Smith: Smith precisa está NAQUELE DIA para jogar bem e sair da marcação. Bradley é um marcador acima da média, considerado especialista, acho que poderá marcar e segurar o Smith… O problema aqui é que não temos banco para a posição.

    Turner x LeBron: O duelo mais improvável. Não poderemos dobrar sempre, mas é o indicado. Às vezes trocando o Turner pelo Bradley para tentar marcar o LeBron e mantê-lo longe do garrafão, forçando os chutes. Mesmo assim LeBron estará totalmente motivado e apelão.

    Bass (Sullinger) x Love: Machup tranquilo. Dá para manter, Sullinger ou Bass, o Love fora do garrafão, mas tem que limitar os chutes dele e evitar os rebotes. Eu colocaria o Sullinger de titular e mandá-lo colar no Love. No ataque o Sully e Bass darão trabalho para o Love e podem jogar melhor.

    Zeller x Mozgov: Zeller pode sim manter o Mozgov longe da cesta. Apesar de um pouco soft, é melhor que o Olynyk marcando e tem um bom ataque também, com os chutes de média distância que caem.

    Duelos dos bancos:

    Thomas (Pressey) x Dellavedova: Thomas leva larga vantagem, e entrará muito motivado. Na defesa, apesar de não ser tão boa, deve ser o suficiente para segurar ele. E no ataque vai doutrinar.

    Thomas (Bradley ou Smart) x Shumpert: Shumpert tem um bom tiro de fora e infiltra bem. Deve ser o mais chatinho do banco dos caras.

    Crowder x Jones ou Marion: Crowder excelente marcador e muito esforçado no ataque. Tem tudo para se sair melhor que os dois.

    Sullinger (Jerebko) x Thompson: Sullinger se entrar focado pode lutar bem pelos rebotes, evitar o ataque do Thompson e fazer um estrago lá na frente como sabemos que ele pode. Jerebko bom marcardor também, evitará ataques do Thompson e no ataque vai se sair MUITO melhor.

    Olynyk (Datome) x Perkins: Na defesa, apesar de não marcar nada, Olynyk não terá trabalho com o Perkins. O segredo é manter ele afastado do garrafão no ataque que vai se sair melhor que o Perkins.

    No mais, o nosso banco é inexperiente mas têm melhor capacidade de pontuação. As maiores armas do Cavaliers são Shumpert, Dellavedova e Thompson (Com menção para o Marion ou Miller), mas nenhum deles tem a capacidade de enfiar 10 pontos por jogo se bem marcados.

    Acredito que nosso banco vai desequilibrar. Crowder, Sullinger, Olynyk, Jerebko, Datome e principalmente o Thomas. Todos com capacidade de chutar da linha de 3 pontos e de média distância; todos marcam muito bem (Com exceção do Olynyk e talvez do Datome) e todos estão com uma vontade INCRÍVEL de jogar, porque sabem que não fazem parte só do banco mas sim de um time. Thomas e Sullinger vindo do banco vai surpreender o Cavaliers. Jerebko e Datome serão nossas armas que o Blat não espera. Por isso acho que nosso banco é um pouco mais profundo por ter jogado mais durante a temporada e está em sintonia com o time titular.

    Vai ser difícil demais. Peço apenas que o time seja competitivo e não seja humilhado como naquele jogo lá em Cleveland. Se jogarmos bem concentrados, dá para forçar um trabalho mais do Cleveland. Por isso chuto um 4×2, com um trabalho tático incrível do Stevens.

  11. The Real Jay

    Celtics ganhando uns dois jogos na série já me contento, o importante é atrair as estrelas e fazer um time contender pra próxima temporada.

  12. Fernando C S

    O mais provável é 0x4. Para vencermos a série dependemos de lesões dos jogadores dos Cavs. Para ganharmos 1 jogo precisamos de um dia ruim dos Cavs. Obrigação do time: jogar focado, evitar o vexame e forçar os Cavs. Se houver equilíbrio estarei satisfeito. Escrevi algumas vezes que, contra um contender, que é o caso dos Cavs, nosso time ainda perde por 20 pts ou mais. Se ficarmos na casa dos 5 a 10 pts, ótimo.

  13. Fernando C S

    Por enquanto, estamos bem.

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.