Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Boston Celtics X Los Angeles Lakers – 1962

Em 1962 Lakers e Celtics se enfrentaram na final da NBA pela segunda vez. Mas na primeira, em 1959, o Lakers ainda estava em Minneapolis. Portanto, agora começava de fato a rivalidade entre as duas cidades: Boston e Los Angeles.

A final estava muito competitiva, era o segundo ano do Lakers em Los Angeles, e a torcida estava empolgada com o sucesso do time nos dois anos. Os torcedores Celtas também estavam animados, pois o time vinha de três títulos consecutivos, e lá estava em mais um final da NBA. Os dois primeiros jogos da série ocorreram em Boston, o primeiro com vitoria Celta, Celtics 122 X 108 Lakers, porém no segundo jogo o time de Los Angeles veio com tudo e quebrou mando de quadra Celta, Celtics 122 X 129 Lakers.

A série ia empatada para Los Angeles, onde o time da casa venceu o primeiro de dois jogos, Lakers 117 X 115 Celtics, com um roubo de bola de Jerry West, que atravessou a quadra e fez uma bandeja no estouro do cronômetro. Porém no jogo seguinte, o Boston Celtics novamente empatou a final, Lakers 103 X 115 Celtics.

O jogo 5 foi realizado em Boston, e o time de Los Angeles venceu com uma atuação incontestável de Elgin Baylor, que fez um recorde de 61 pontos em um jogo de finais (quebrado apenas por Michael Jordan), Celtics 121 X 126 Lakers, e a série voltava para Los Angeles, onde o Lakers tinha tudo para conquistar o título, mas os Celtas conteram os ânimos ganhando por Lakers 105 X 119 Celtics.

A séria voltava para Boston, e agora era a vez do Celtics ter a grande chance de vencer. Ali não tinha outra, um seria campeão, e o outro iria voltar para casa de cabeça baixa e esperar no mínimo mais um ano para conquistar o título. O sétimo jogo pegaria fogo! Vamos ver como cada time estava perante este confronto.

•   Los Angeles Lakers

O time de Los Angeles era liderado por Jerry West, e tinha como principal pontuador Elgin Baylor, que tinha média de 38.6 pontos por jogo. Ele e West praticamente carregavam o time nas costas, e assim foi nas 54 vitórias e 26 derrotas da temporada regular. Na final de conferência o Lakers venceu o Detroit Pistons por 4-2, e ali estavam em busca do primeiro titulo da franquia em Los Angeles, em um jogo 7 de finais na casa do adversário.

•   Boston Celtics

O time de Boston estava com tudo para fechar a série e sagrar-se novamente o campeão da NBA, sendo essa a 4ª vez consecutiva. O Celtics ia decidir a final em casa, com uma torcida confiante. Porém o time não ia tão bem em Boston durante esta final, perdendo 2 dos 3 jogos que realizou no Boston Garden.

•    Jogo 7

O 7º jogo da série ocorreu no Boston Garden, no dia 18 de abril de 1962. A atmosfera estava tensa e ao mesmo tempo muito confiante, pelo time da casa ser tri-campeão e ter tudo ao seu favor para o tetra. Todos sabiam que dali sairia um campeão. E o jogo começou pendendo para o time da casa, Tom ‘’Satch’’ Anders fazia de tudo para marcar Baylor. Sam Jones, também muito bem marcado, não acertava nem o aro. O cronômetro eletrônico de Boston marcava o fim do primeiro tempo, favorável para o time da casa, que ganhava por seis pontos, Celtics 53 X 47 Lakers. A torcida ficou inquieta durante todos os 15 minutos de intervalo. Baylor estava 8-18 nos field goals, enquanto Jones havia acertado apenas um em dez tentativas e estava desapontado com seu aproveitamento.

Na volta do intervalo o Celtics permaneceu na liderança. Até o fim do terceiro quarto o placar marcava 73-67 para o Celtics, porém com uma seqüência de 7 pontos de Jerry West, o Lakers empatou o jogo em 75 pontos. O último e possível decisivo quarto em Boston reservava grandes emoções. Red Auerbach, técnico Celta, passou um espírito muito bom para o seu time, e os atletas estavam muito confiantes e dispostos.

No último quarto, o time de Boston abriu uma vantagem de 6 pontos novamente, podendo ser essa a seqüência final do jogo, e se o Lakers não reagisse, este seria o 4° título consecutivo da equipe Celta. Mas o time da Califórnia tirou a vantagem ponto por ponto, e estava tudo empatado, 88-88.

Tom Heinsohn cometeu sua 6ª falta na tentativa de conter Baylor, e foi excluído. Russel era o craque em quadra e dava tudo pelo time, o que era típico desse jogador. Estava 96-91 para o time da casa, e os visitantes encostaram no placar, com dois lances livres de Jerry West e um de Baylor, os quais foram respondidos com uma cesta de Russel. Estava 100 – 96 a favor do time da casa, quando LaRusso perdeu a posse de bola com uma falta ofensiva. A torcida vibrava, os visitantes estavam nervosos.

Parecia o fim para o Lakers, mas Selvy conseguiu um rebote e marcou mais dois pontos para o time de LA, deixando apenas 2 de vantagem para a equipe Celta. Selvy novamente conseguiu um rebote, levou o time para o ataque perdeu o arremesso, porém ele mesmo pegou o rebote e acertou outra cesta para os visitantes. Estava tudo empatado em 100.

O Boston Celtics teve a posse da bola no ataque faltando menos de 18 segundos e era possivelmente a última posse. Frank Ramsey viu uma falha na defesa e infiltrou, deixando um gancho, que podia ser a bola da vitória, porém ele viu a mesma rolar no aro e cair nas mãos de LaRussa, e Schaus pediu tempo para o Lakers, que tinha 5 segundos para fazer a jogada da vitória. Hundley, do Lakers, havia sonhado com ele fazendo a cesta da vitória, mas haviam dois jogadores antes dele para a cesta da vitória, que eram Baylor e West, e assim seria.

A defesa Celta dobrou nesses jogadores, e deixaram Selvy sozinho na zona morta da esquerda, e Cousy, marcador de Selvy, estava em West, e foi correndo junto com a bola até o armador do Lakers, que arremessou no pé da cesta. Ele havia feito 8-10 arremessos daquela distância no jogo, e aquele ficou conhecido pra sempre como o arremesso que podia ter acabado com a Dinastia Celta, e a agonia do LA Lakers. A bola quicou no aro e Russel a pegou, caindo de joelhos no chão, forçando o tempo extra.

•    Tempo Extra

Russel estava cansado por carregar o time nas costas (principalmente na defesa), e teria que tirar forças de uma fonte desconhecida para poder ajudar sua equipe no tempo extra. Porém para enganar quem achava que estava “morto”, ele começou pontuando e pegando rebotes, dando ao seu time o controle do primeiro minuto de tempo extra. Russell parecia estar em todos os lugares, e não existia rebote impossível para ele.

Gene Guarilla, reserva Celta, teve que entrar para marcar Baylor, que esgotou as faltas de outro jogador Celta. Auerbach disse para Guarilla em um discursso bem humorado, que se contradizia com o momento atual do jogo e sua atmosfera: ‘’ Tudo que você tem que fazer é segurar, agarrar e dar a ele arremessos difíceis e faltas infantis. Quando estivermos em quadra, mova-se para o lado contrário, e faça o que for possível no momento.’’. Gene entrou e seguiu perfeitmente as instruções de seu técnico.

Perceptivelmente, Baylor se cansava muito tentando sair da marcação de Guarilla, que tinha braços longos, bons para marcar arremessos de Baylor. O Boston Celtics tinha 5 pontos de vantagem no minuto final, e o time Californiano se mostrava sem energias. Jones anotou mais dois pontos para o Lakers, e assim moldando o placar final de 110 – 107.

O Boston Garden explodiu de alegria, e pelo quarto ano consecutivo, a torcida invadiu a quadra, saldando os heróis do time, que formavam uma dinastia. Russel fez o maior double-double de uma final, 30 pontos, e impressionantes 40 rebotes, que foram um dos principais motivos da vitória Celta. Não precisamos dizer que ele foi o melhor em quadra, e também o que mais comemorou.

Para s Lakers restava esperar no mínimo mais um ano, pois este título era do Celtics. Sam Jones e Frank Ramsey foram os outros dois maiores pontuadores Celtas naquele jogo, com respectivamente  27 e 23 pontos. Massachussets podia comemorar mais um ano da dinastia campeã.

Fonte: http://www.iamaceltic.it/

Por: Luiz Pedro Andrade

Author avatar
luizpedro

7 comentários

  1. Gustavo

    Gigantesco como sempre!!!

  2. Lucas Alves

    po é isso que da orgulho de torcer pelo celtics e muito obrigado por trazer essas informações para o site parabéns

  3. Bruno

    Celtics é Potencia é basquete de Verdade.

  4. @JuniorVC

    Ótimo matéria!o Luiz não Muitas matérias,mas quando faz quando faz,faz MUITO bem.

    Parabéns pela Matéria!

  5. Luiz Pedro

    muito obrigado junior 😀

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.