Em negociação envolvendo 3 equipes, Celtics troca Jeff Green

A novela da troca que envolvia a saída do ala Jeff Green finalmente chegou ao final. Esta transação vinha sendo alvo de fortes rumores na imprensa desde a manhã de sexta-feira, 9 de janeiro. No mesmo dia, Jeff Green estranhamente não esteve entre os atletas que participaram dos treinamentos da tarde e acabou inativado da partida da noite, que acabou em derrota para o Indiana Pacers, por 107 a 103 na prorrogação.

Com a não participação de Green no treinamento e na partida de sexta-feira, os rumores aumentaram e já noticiavam uma troca confirmada entre Grizzlies e Celtics, onde a equipe de Boston receberia de Memphis o ala expirante Tayshaun Prince e uma escolha futura de 1ª rodada em troca de Jeff Green.

A troca entre Grizzlies e Celtics estava em vias de ser sacramentada, até que o Pelicans contactou as duas equipes buscando o ala do Grizzlies Quincy Pondexter. Em troca, o Pelicans oferecia o armador Austin Rivers. Com a negociação novamente em andamento, o Grizzlies demonstrou interesse em também receber o armador do Pelicans Russ Smith.

As tratativas, propostas e contra-propostas entre as 3 equipes continuaram até que as mesmas deram-se por satisfeitas e sacramentaram a negociação nesta noite de domingo, segundo o jornalista Adrian Wojnarowski, do Yahoo! Sports. A troca só deve ser confirmada oficialmente pela NBA nesta segunda-feira.

O Memphis Grizzlies receberá o ala Jeff Green do Boston Celtics e o armador Russ Smith do New Orleans Pelicans. Por sua vez, a equipe de New Orleans receberá o ala Quincy Pondexter e uma escolha de segunda rodada do draft de 2015 do Memphis Grizzlies. Já o Boston Celtics, receberá o ala Tayshaun Prince, o armador Austin Rivers e uma escolha futura de 1ª rodada do Memphis Grizzlies (potencialmente protegida e possivelmente partindo do draft de 2019).

Envolvido na troca, Austin Rivers não deve permanecer em Boston. O Celtics já tem discussões avançadas com o Los Angeles Clippers para que o jogador seja enviado à franquia da Califórnia em troca de uma escolha de 2ª rodada de draft. O armador é filho do ex-técnico do Boston Celtics e atual técnico e presidente de operações de basquete do Los Angeles Clippers, Doc Rivers.

No sábado, Doc Rivers disse aos repórteres que estava aberto à treinar seu filho. Doc também disse que muitos membros da organização do Clippers, incluindo o gerente geral Dave Wohl e os treinadores assistentes Mike Woodson e Lawrence Frank, encorajam-no a esquecer a percepção de nepotismo desta negociação e a adquirir o atleta.

Desta forma, Rivers deve vir a ser negociado nas próximas horas e não deve nem ser apresentado como jogador do Celtics. Esperemos pela evolução desta negociação nas horas que seguem.

Resumo da Troca

Boston Celtics recebe: Tayshaun Prince, Austin Rivers e uma escolha futura de 1ª rodada do Memphis Grizzlies (provavelmente protegida e começando em 2019).
Memphis Grizzlies recebe: Jeff Green, Russ Smith
New Orleans Pelicans recebe: Quincy Pondexter, escolha de 2ª rodada do Memphis Grizzlies no draft de 2015.

Publicidade

Fábio Malet
Fábio Malet
Gaúcho de Porto Alegre, bacharel em Ciência da Computação e engenheiro de softwares sênior. Apaixonado por esportes, tem o jornalismo como um hobby e pretende, futuramente, fazer pós-graduação na área. Acompanha NBA desde o começo de 2007 e, pé-quente, viu seu Boston Celtics ser campeão na primeira temporada inteira a que assistiu. Torce também para Grêmio, Tottenham Hotspur, Boston Red Sox, Green Bay Packers e Washington Capitals.

58 Comentários

  1. Publicidade

  2. Alefe Miranda disse:

    Agora e torcer para os outros (Nelson, Thortom, Wallace,Bass) serem trocados por alguma coisa que dê esperança. Por que colecionar escolhas protegidas e de segundo round não vão nos levar tão longe assim não seu Danny Ainge.

    0

    0
  3. Renato disse:

    Queria uma recontrucao mais acelerada, e ver o Celtics competindo o quanto antes, mas acho que devido as circunstancias o Ainge ta fazendo tudo certinho.

    A) Abriu CAP – Temos 40 milhoes para gastar na proxima temporada em FA

    B) Excecoes comerciais – Temos 3 excecoes comerciais que somadas valem mais de 20 milhoes

    C) Juventude – Com a negociacao dos veteranos podemos dar mais oportunidades para os jovens talentos da equipe se desenvolverem.

    D) Escolhas Draft – So esse ano sao 6 ou 7 escolhas sendo duas de primeiro round.

    Com toda certeza parte dessas escolhas draft serao envolvidas em negociacoes, seja para subir no proprio Draft ou na busca de FA.

    Gostaria que fossem mantido Smart, Young, Crowder, Turner, Sullinger, Olynyk e Zeller

    Desses jogadores quem mais corre risco de nao ficar na minha opiniao e o Sullinger ja que ira renovar contrato e pode ser que queira receber mais do que o Ainge estara disposto a pagar.

    0

    0
  4. gus disse:

    Tank doa brabos!!! Daqueles que você olha e suvida se realmente o GM ta fazendo a coisa certa.

    Não parecia que o Celtics tomaria esse rumo…. Com o elwnco que tinhamos ano passado ( rondo e green e bradley como bons valores, jovens como sully e alguns bons veteranos) parecia que o Celtics tentaria uma reconstrução a curto prazo, uma atrocidade o que o ainge esta fazendo.

    A pergunta é…Se era pra dar um tank tão agressivo assim… Porque ja nao o fez ano passado e tentou o maximo de primeiras escolhas do ultimo draft e do próximo? Jogamos o ano passado e este no lixo mesmo?

    Desculpem amigos, mas tirando a grande jogada do danny Ainge trazendo Garnett e Allen, sempre vi mais erros do que acertos no trabalho do nosso GM, inclusive nos drafts! Não adianta nada draftar rondo e sully…sendo que também escolhe GR Giddens, jujuan jhonson, fab melo e etc…

    0

    0
    • Danilo Jeolás disse:

      Infelizmente, muitos parecem ter uma dívida de gratidão com Danny Ainge por causa do Big Three. Vejam só o que a transação do Green em 2011 nos custou e o jogador sai agora por Prince + pick a perder de vista.

      O que Ainge está fazendo é um crime e bastante antidesportivo. A troca do Rondo foi um verdadeiro escárnio e não desinchou CAP, além do Wright (melhor pivô do elenco) já ter saído por nada. Analisem que nosso GM fez um caminhão de trocas e conseguiu a proeza de permanecer com Gerald Wallace, seguramente um dos três piores contratos da Liga.

      E mesmo ao analisarmos as escolhas que Ainge angariou, descontando-se as do Nets, nada será abaixo da #20.

      0

      0
    • Victor disse:

      Vocês estão olhando isso de uma maneira muito linear, Rondo saiu por 2 motivos, primeiro ele não conseguiu desempenhar o papel de estrela como Pirce ou Garnett foram, segundo ele já manifestou que queria testar a Free Agent, e ainda pediu um contrato de 100 milhões ao Celtics.
      Green por outro lado tinha uma Player Option, caso ele se recusasse, o que é provável visto o desinteresse que ele apresenta em vários jogos

      0

      0
  5. Danilo Jeolás disse:

    E mesmo agora com CAP aberto, qual o atrativo para trazer os agentes livres mais requisitados? O elenco não têm jogadores expressivos (bem diferente de 2007, quando existia Paul Pierce), Boston é gélida e com pesada tributação, além de pouco atrativa em nível midiático. Basicamente dependerá da inconteste força da camisa, o que não seduz grande parte dos atletas.

    A reconstrução está sendo mal-feita e a evolução de atletas como Sullinger, Olynyk e Smart seriamente comprometida. Dependeremos muito de bolinhas amigas, algo que rotineiramente não acontece com o Celtics.

    0

    0
  6. Vittos disse:

    Mas esse povo só sabe chorar, Jeff Green ia ser aquele meia boca ganhando mais de 9M por mais uma temporada, pelo menos agora vai ter espaço pro Young jogar e Crowder tem feito bons jogos.
    Pra próxima temporada serão, se não me engano, uns 30M de espaço no cap mais TE de 15M. A FA tem 5 ótimos homens de garrafão, se fizer força dá até pra montar um bom time pro próximo ano, mas acho que a ideia é tankar mais uma vez mesmo em 15/16.
    De qqr forma, daria pra buscar, por exemplo, Millsap, Monroe e B.Knight, e arrumar uma troca com gordo do Sully e mais umas picks por um bom SF ou SG.

    0

    0
    • Barry disse:

      Cara, ficaremos 40 milhões abaixo da luxury taxa.
      E a exeção salarial será de quase 18 milhões.
      Se quisermos ir atras de grandes FA, teremos q negociar com 3 ao mesmo tempo, pois o unico atrativo q tinhamos era o Rondo.

      0

      0
  7. RICARDORJ disse:

    Obrigado D.A, já vai tarde Jeff morto vivo Green!

    ETERNA PROMESSA

    0

    0
  8. Walisson disse:

    Ahhh, na boa? Acho uma negociação bem interessante. Pra mim, o pior tipo de atleta é aquele que “nem caga e nem sai da moita”. E o Green em Boston sempre foi esse cara!

    0

    0
  9. Fernando Reiser disse:

    Acho a troca justa, desde que assumiu a titularidade Jeff Green teve momentos muito oscilantes, muito mesmo, cara fazia 40 pontos num jogo depois marcava menos de 10 em partidas consecutivas. Algo que pode acontecer daqui pra frente no Boston, já que nenhum jogador tem sua vaga garantida, são alguns jogadores tendo que mostrar serviço caso queiram ser parte do futuro da franquia ou mesmo tenham chance em outros times caso sejam trocados, isso é positivo para montar uma equipe promissora

    0

    0
  10. Torquato disse:

    Sou muito agradecido ao Ainge pelo Big 3 de 2008 , mas o que ele fez até agora do ano passado pra cá , não é uma reconstrução e sim uma destruição completa do time que tinhamos . Toda reconstrução parte de uma base , pergunto que base temos agora??? Outra coisa , com essa troca do Green só ficou sacramentado de uma vez por todas que aquela troca de 2011 só nos trouxe como resultado a perda do titulo daquele ano !!!

    0

    0
  11. Daniel Carvalho disse:

    Eu acho a troca boa, no geral. O Green realmente é muito inconstante, e isso não melhorou com o tempo, embora seu jogo tenha crescido. Gosto da ideia do Ainge de se livrar de quem não está a fim de ficar. A base do Celtics agora é Smart, Bradley, Sully Olynik. São esses jogadores que devem ser desenvolvidos urgentemente, o resto é complemento.

    0

    0
  12. drakes disse:

    Sobre a troca analisando ela em separado não é ruim, mas seguindo o coro pensando que ela é um dos fatores da perda do título de 2011 e que depois o Ainge ainda fez um contrato horroroso com ele para mante-lo, quando pelo estado de saúde dificilmente seria um jogador atrativo para qualquer time, o saldo é péssimo.

    Nós estamos no segundo ano do tank, o Celtics é um sixers que só agora perdeu a vergonha.

    0

    0
  13. Teobaldo disse:

    Caras, eu queria um time para torce HOJE… Não consigo entender tanta fissura visando uma reconstrução. Para mim isso não passa de uma longa e gradual destruição, que tira o ânimo dos jogadores do elenco (Rondo, o maior exemplo) e cria uma síndrome de perdedores. Até a TV, que antes nos prestigiava, simplesmente desconhece “o maior campeão da liga”.. Pergunto aos amigos: qual foi o último jogo do Boston Celtics transmitido ao vivo pela TV? Ficar nesse ostracismo vale a pena?

    Poxa, eu quero apenas um time para torcer!

    Um abraço aos amigos do blog, especialmente aos seus mantenedores pela tenacidade em tentar manter-nos motivados. Valeu!!!!!!

    0

    0
    • Henrique disse:

      A parte boa desse tank e desse rebuild é que os torcedores modinhas vão começar a torcer pra outro time.

      Eu sugeriria o Lakers, já que o é time mais modinha da NBA. Como eles estão uma merda também, sugiro você não torcer pra time nenhum. Torça pro Lebron James, igual a muitos torcedores modinhas do Brasil que torciam pro Heat e agora torcem pro Cavaliers.

      Torcer pra time que está só ganhando é facil demais. Comecei a torcer pro Celtics em 2000, quando o time era horroroso. Rebuild é um processo necessário.

      Até entendo a galera criticar o Ainge (eu não o acho ruim, acho que há muitas questões muito mais complexas que não conseguimos enxergar, como o fato de Rondo querer sair, Green estar insatisfeito, em 2011 tentar arriscar para rejuvenescer o time e tentar gortalecer para ganhar o campeonato, embora tenhado dado errado etc)… Agora se você começa a questionar qual time seu torce, desculpe a franqueza, mas seu lugar não é aqui.

      0

      0
      • Teobaldo disse:

        Eu não sabia que o blog tinha um sensor. E aqui ele prende, julga e executa. Pelo que parece, segundo sua ótica míope, eu deveria ser excluído do blog e, pior, expulso da torcida do time que cultuo desde os anos 1970.

        Prezado, quando você discordar da opinião de alguém, combata com argumentos. Tenha atitudes de adulto. Dizer que alguém é “modinha” revela, apenas, uma grande imaturidade. E ofender os Lakers, tentando diminuí-los, ajuda a reduzir a nossa própria história. Pense nisso. Eles são os nossos maiores rivais e, por isso mesmo, merecem, e têm, o meu respeito.

        Agora, caso queira, responda: Qual a sua opinião sobre o tank? Você acha certo ou errado? Você acha que tal atitude é justificável? E qual reação o tank provoca nos jogadores, torcedores e patrocinadores? Você acha que esse modelo de reconstrução é válido? O que esse tipo de reconstrução pode causar na franquia? Ele pode, por exemplo, afastar novos torcedores? Enfim, você tem uma opinião?

        Esse é o debate que eu tentei propor. E se alguém tiver uma opinião diferente da sua, não procure desqualifica-lo. Tente conviver com opiniões diferentes da sua. Um abraço!

        0

        0
        • Henrique disse:

          Teobaldo,

          A torcida americana do Lakers tem todo meu respeito.

          Boa parte da torcida brasileira deles, da minha geração, surgiu na época do Kobe Bryant, Shaquille O’neal e muitos migraram de time depois, torcendo para o Cleveland Cavaliers, Miami Heat e onde mais Lebron James jogava. Torcedores assim, desculpe, mas é um dos que eu mais abomino, pois torcer somente para quem está bem é só querer o bônus e nunca ficar com o ônus. Qualquer torcedor que seja fiel (inclusive torcedores atuais do Lakers) eu respeito e admiro. Os que ficam migrando quando o time passa por dificuldades, desculpe, não tem meu respeito. Para mim, time escolhemos um só. E não me considero sensor nenhum, apenas dei uma opnião. Não apontei arma e nem algemei ninguém, até porque não tenho poder nenhum para isso, tanto neste blog, quanto na vida real.

          Quanto ao tank, é uma estratégia que todo time acaba passando quando forma uma equipe campeã com jogadores veteranos.

          O nosso big 3 foi formado com jogadores já veteranos e que estavam caminhando para o fim de suas carreiras. Foi um erro? Não! foi importantíssimo! O Celtics precisava de um anel para ganhar a confiança e o respeito de novo da NBA. É uma pena que nos deu apenas 1 anel, por diversos problemas (não só pela troca do D. Ainge com o Green, mas por problema de lesões do Garnett também, por exemplo).

          Acho o tank um modelo de reconstrução válido sim, porque, embora a curto prazo pode até diminuir patrocínio e etc (o que em franquias tradicionais é um movimento muito menor, já que elas têm um peso dentro da liga), a médio e longo prazo os frutos são melhores, pois dá à franquia uma equipe mais longeva e com bons talentos. A única equipe que conseguiu se construir apenas por Free Agency atualmente, como já foi citado em outro post, Foi o Dallas Mavericks. É um processo chato, que nenhum torcedor gosta de passar, mas temos que ter paciência.

          Quanto à patrocínio, se o Celtics contrata um All Star qualquer (vamos supor que contrate o Kevin Love, por exemplo), pode ficar tranquilo que eles voltam com FORÇA!

          Quanto à afastar torcedores, o Celtics é o time que tem uma das torcidas mais fiéis e mais fanáticas da NBA. Olhe só os jogos no TD Garden esse ano, estão lotados! Quanto atrair torcedores outros torcedores que acompanham o time somente quando este ganha, pode até ser bom em um primeiro momento para vender camisa (o que não é um numero de receita tão expressivo assim para um time de basquete, convenhamos), mas para mim perde-se em qualidade de torcida. Eu prefiro uma torcida mais fiel e fanática, que não abandona o time, do que uma maior mas que virará as costas no primeiro momento de dificuldade.

          Mais uma vez, você pode discordar da minha opnião. Tem todo direito, inclusive, de expressá-la aqui. Só queria deixar claro que não quis tratá-lo de forma desrespeitosa (não o ofendi, por exemplo). Só critiquei fortemente a frase “Poxa, eu quero apenas um time para torcer!”. Para mim, indica que você já não se inclui mais como torcedor celta, o que muitos torcedores que eu classifiquei de modinha fazem quando o time que eles “torcem” estão mal. Trocam de time.

          Como você se disse um torcedor celta desde 1970, tenho certeza que não trocará de time, uma vez que já tivemos times piores que esse. Eu acredito que esse rebuild pode até ser um pouco mais rápido do que muitos imaginam. Estamos liberando CAP, a FA vai ter bons prospectos… Vamos ver. Embora muita gente não confie no D. Ainge, eu confio. Foi o cara que nos deu um título depois de muito tempo e acho que ele é capaz de fazer a mesma coisa de novo. A troca do Pierce para o Nets foi coisa de gênio, na minha opnião.

          Abraços.

          0

          0
    • Jota disse:

      Mas isso é torcer, rapaz. Na alegria e na derrota.

      Como já falei em outra oportunidade, a maioria dos torcedores brasileiros não viram momentos ruins dos times. Os Anos 2000 fomos muito melhores do que piores, especialmente depois que o Pierce entrou. De 2007 até 2012, eu diria, fomos times de chegar forte nos playoffs, ganhamos um título e fomos vices em outros.

      Nos esportes Americanos, a roleta dos vencedores sempre está girando. É só uma questão de tempo, literalmente, times que estão bons hoje estarem ruins no futuro, e os ruins estarem bons. Veja o Miami Heat de hoje. Celtics e Lakers estavam dominando até pouco tempo, veja como estão. Raptors, Warriors, Blazers, Clippers não eram ninguém quando Celtics e Lakers dominavam, veja como está agora.

      Isso tudo é por causa do Draft, e somente pelo draft. Times draftam estrelas, lapidam elas e depois conseguem adicionar outros jogadores. Com o tempo, fica competitivo de novo. Para depois tornar a ficar ruim. E depois competitivo.

      Não é como no futebol que quem tem mais dinheiro briga sempre pelo título. Ainda bem. Então tenha paciência. E seja torcedor da franquia acima de qualquer coisa.

      0

      0
      • Teobaldo disse:

        Grande, Jota. Sempre acompanho seus comentários aqui no blog e gosto das suas manifestações. Ao que parece você acompanha com grande interesse tudo que acontece no basquete americano e, melhor, consegue absorver as informações e apresentar as suas argumentações com bom embasamento. Bem, de modo geral, eu concordo com essa “rotatividade de poder” (podemos dizer assim?) que os americanos tentam implantar no esporte. E o que eu acho mais legal é a fidelidade dos torcedores. Acho que também somos assim, em relação ao futebol. O que eu não entendo, na prática do tank, é o “jogar para perder” (é mais ou menos isso, ou não?). A derrota deveria ser um processo normal para um time que cresce e, na ordem natural das coisas, envelhece e entra em decadência para, depois, ser reconstruído. Isso aconteceu conosco: tivemos um grande time nos anos 1980, entramos em decadência nos anos 1990 e recuperamos nossa força a partir de meados dos anos 2000. O que eu não concordo, e posso até estar errado, é essa necessidade premente de perder para reconstruir. Mas é apenas a opinião de um torcedor. É isso. Um abraço!

        0

        0
        • Henrique disse:

          Teobaldo,

          Esse é o lado “ruim” da moeda.

          Todo modelo que vai ser escolhido pela liga tem suas vantagens e desvantagens.

          Eu acho esse modelo mais interessante. Há mais vantagens do que desvantagens. A vantagem é de tornar a liga mais dinâmica, mais interessante. Vale lembrar que na NBA boa parte das Receitas são divididas igualmente entre os times (direitos televisivos, por exemplo, que é uma das maiores fontes de receita). Isso gera um equilíbrio legal e evita que a NBA vire um grande Campeonato Espanhol (Imagina se só tivesse Celtics e Lakers todo ano na final da NBA? As vitórias não seriam tão comemoradas como foi a de 2008, por exemplo). É um modelo que é melhor para os negócios (deixa os resultados mais imprevisíveis, atraí mais público), e também para o time como um todo.

          O lado ruim desse sistema é que acaba existindo um “prêmio” para o perdedor também, e muitos times, dessa forma, usam da estratégia do Tank. É uma questão polêmica dentro da ética esportiva. Entretanto, não adianta a equipe só perder. Ainda há o sorteio que acaba “suavizando” quem terá as primeiras escolhas. Acho que é, se você colocar na balança, é um sistema muito bom!

          0

          0
        • Jota disse:

          Boa tarde, amigo!

          Vou te dizer que beira o absurdo o fato de termos que perder para, em tese, nos darmos bem lá na frente. Mas a roleta funciona assim mesmo. É por isso que os times votaram contra à mudança do sistema do draft. Ela privilegia quem realmente “merece”. Ou os piores times, por assim dizer.

          Imagina se tivesse só um sorteio, com % dividida igualmente para todos, ou para times que não foram para os playoffs. Agora imagina o Oeste, que times com campanhas positivas ficam de fora, ganhando esses sorteios… Quão desequilibrado seria a liga?!

          Acredito que “perder todos os jogos” o time acaba assumindo realmente o rebuild por necessidade, como rota de fuga para se reconstruir e voltar a ser competitivo lá na frente. Uma vez que esse time consegue, ele volta aos playoffs, volta a querer jogar de forma competitiva (Olha os Bucks esse ano) e por aí vai. Essa é a, literalmente, roleta dos vencedores.

          Acredito que esse é o melhor sistema para deixar as equipes equilibradas. As piores equipes têm mesmo que ter as melhores e maiores chances de draftar os bons jogadores, e para isso exige-se que ela seja mesmo ruim (Daí a necessidade das derrotas).

          Como o amigo disse em cima, isso torna a liga extremamente dinâmica e equilibrada. E é justamente isso que a maioria dos que comentam e assistem a NBA (Não quero desmerecer ninguém em especial) não entende. É por necessidade que os times fazem isso. Às vezes não tem mesmo outra saída.

          Eu quero acreditar que o Ainge tinha outras ofertas pelo Rondo e pelo Green, por exemplo. Que ele pensava fortemente em ir ao mercado no próximo verão, por exemplo… Mas a vontade dos jogadores contam, principalmente quando se tem o detalhe do contrato (Rondo = FA Irrestrito e Green = Player Option). Ainge estava na mão deles, literalmente. Sem um plano B ou C. Ele preferiu um plano D. Precisam entender também que na NBA, propor um contrato nem sempre é garantia que o jogador virá. Se temos jogadores assumindo contratos mais baixos para serem competitivos, porque assumiríamos que ele jogaria em qualquer lugar?

          É difícil torcer para um time que só perde ou está em reconstrução. Mas como eu disse: isso é torcer! Você que vem de tão longe acompanhando o time deve saber mais que todos nós.

          0

          0
  14. Joao Batista disse:

    Isso nao e reconstrucao, e destruicao total, um verdadeiro Caos, Vai embora Ainge.

    0

    0
  15. Renato disse:

    Como o Ainge mesmo citou, podíamos reconstruir rápido ou longo.

    Para reconstruir rápido havia necessidade de encontrar outra equipe para “dançar o tango” e essa tentativa foi o “Kevin Love”.

    No momento que a transação não vingou o Ainge optou por reconstruir longo.

    Muitos aqui criticam como as coisas andam acontecendo, mas vejo que o Celtics está ficando melhor como equipe, mesmo sem os veteranos.

    Nós temos toda a flexibilidade que uma equipe em reconstrução precisa ter:

    1) Escolhas Draft – Podemos angariar jovens valores com baixos salários, e inclusive subir posições na loteria.

    2) Exceções comercias – Temos 20 milhoes aproximadamente em exceções comerciais.
    Isso é muito importante se quisermos do dia para noite virá contender.

    3) Espaço CAP – Com a negociação do Green teremos 40 Milhões para contratar na FA, é muito coisa, pode nos permitir 2 All Star.
    Observem que na troca que o Ainge está tentando com o Clippers pelo Rivers, ele só aceita contrato expirante, o que é sinal de que ele está planejando buscar talento na FA.

    4) Talentos – Sullinger, Olynyk, Smart,Turner e Bradley.

    Todos jogadores que na minha opinião podem compor nosso elenco.

    Sullinger e Bradley penso que podem ser até titulares.

    5) Promessas – Young e Crowder

    2 jogadores que tem muito a crescer e podem mostrar seu talento com mais minutos de quadra.

    Então a conclusão que chego é que o trabalho está sendo muito bem feito.

    Nossa equipe hoje:

    Titulares: PG (?) – Bradley – SF (?) – Sullinger – C (?)

    Reservas Smart – Turner – Crowder – Olynyk – Zeller

    Olha nossa base aí montada com jovens valores de boa capacidade e com custo reduzido em termos de CAP.

    Precisamos na FA buscar um PG e um C, que com as exceções que temos e as muitas escolhas draft é fácil conseguir.

    No Draft buscaria SF, que temos boas opções e aguardar o desenvolvimento do Young.

    Quando essa equipe tiver completa, ainda teremos várias escolhas Draft e jogadores de alto nível para servir como iscar para jogadores All Star.

    Cleveland só levou o Love, porque tinha o Wiggins e o Benett como isca, então Ainge pode simplesmente está angariando valor para formar um novo BIG 3.

    Qualquer grande jogador vai querer jogar em Boston se for para ser Contender, a mídia e a temperatura influenciam, mas grandes jogadores querem vencer.

    0

    0
  16. gus disse:

    Mavs fez uma reconstrução em 2012…e agora em 2015, ja é contender….ISSO É RECONSTRUÇÃO BEM FEITA!

    0

    0
  17. Renato disse:

    Gus,

    Mavs reconstruir para disputar 1 ou 2 temporadas???

    Isso é uma reconstrução pífia, feita por um cara que é mais torcedor do que manager.

    Nossa reconstrução tá sendo feita para sermos contender por uns 10 anos.

    Odeio esse pensamento imediatista de brasileiro, que acredita que sucesso vem como um passe de mágica.

    Aposto com você que o Dallas não ganha o campeonato nas próximas 2 temporadas, e depois disso vai ficar em uma vala enorme

    Pense:

    Rondo – Quer contrato máximo, não vai ficar em Dallas se isso não acontecer, até pq o Lakers dará o máximo por ele.

    Ellis – É Free Agent, e várias equipes vão lhe oferecer o máximo (Esse vale).

    Parsons – É o futuro da equipe, mas nunca será 1 All Star.

    Dirk – É Craque mais aguenta no máximo mais 2 temporadas.

    Chandler – É FA e vai querer um bom salário e muitas equipes vão pagar.

    Ou seja dos 5 titulares, 1 vai se aposentar e 3 podem sair, isso é reconstrução???

    Eles tem escolhas draft? Não

    Eles tem CAP? Não

    Eles são mercado atrativo? Não

    Ou seja, Dallas comprometeu seu futuro para tentar ganhar com DIRK.

    0

    0
    • gus disse:

      Renato…..

      Quem lhe garante q este rebuild do celtics ira nos garantir anos de sucesso?Nenhum rebuild é garantido .Draft é uma loteria….tudo pode acontecer…este é comprovadamente a forma mais arriscada de reconstruir… Nem todos dão a sorte que deu o thunder…

      O que eu questiono e a forma como esta sendo conduzida…tinhamos uma base para fazer uma reconstrução de curto prazo e quem sabe ( nada e garantido) tambem ser contender por mais dez anos.

      Dar um “hard tank” agora? Me desculpe…mas para mim eatamos um ano atrasados. É como o amigo de cima falou…o celtics é um sixers que perdeu a vergonha com um ano de atraso

      0

      0
      • Jota disse:

        Não, cara.

        Que rebuild que deu errado?! Nem do dos Sixers deu, só que eles levaram mais tempo para conseguir as Picks e o Ainge muito menos tempo. TODOS os times fazem rebuild mais cedo ou mais tarde, e isso depende da capacidade do time em evoluir e escolher bem. Levando em conta que o Pierce e o Rondo (Ok, Rondo foi passado pelos Suns, mas acabou dando no mesmo) foram draftados por nós (Em posições altas) naquele último time campeão, acho que não estamos tão ruins assim.

        E que sorte o Thunder deu? Eles ainda não ganharam nenhum título e o Durant logo logo vai testar o mercado.

        Impossível ser contender por muito tempo com o time que tínhamos antes do Rondo sair. Mais uma vez, foi escolha DELE sair para os Mavericks em troca daquilo que nos foi oferecido, uma vez que o Rondo era AGENTE LIVRE. O Ainge tentou montar o time, mas naquele verão tinha poucas opções, Love não quis vir e não daria para esperar até o próximo verão de Centers porque, mais uma vez, o Rondo PEDIU para ser trocado naquele instante.

        E novamente, comparar o Celtics aos Sixers é errado. Os Sixers estão há anos brigando pelas primeiras posições do draft para montar um time. O Celtics fez isso em muito menos tempo.

        0

        0
      • Jota disse:

        E outra coisa:

        Draft não é tão loteria assim. O mais arriscado que pode acontecer é o jogador não atingir todo o seu potencial.Não confunda loteria (Sorteio para a pick 1) com a escolha dos talentos oriundos das universidades.

        Até porque: quantos Greg Oden nós tivemos?!

        O talento e comprovado, resta o time evoluir cada jogador para atingi-lo. Fatalidades como uma lesão séria (Que aconteceu ao próprio Greg Oden), por exemplo, pode ser falado que precisa-se de sorte para evitar, mas tirando isso não é bem sorte. Eles não draftam jogadores nas escuras. Há muito estudo e observação por trás de cada escolha do draft.

        0

        0
        • Marcos disse:

          Tivemos vários casos ”Greg Oden” no draft, além de ser superficial olhar a coisa desse ângulo.

          Já coloquei em outro post que draft, também é sim, um pouco de sorte.

          Anw, não dá pra ficar reclamando, o Ainge fez a aposta dele, o cara é pago para isso, vamos apoiar mais uma vez e esperar que tudo dê certo.

          Essa season e a próxima ainda serão de tank,

          Time para offs só em 2017,

          []s verdes

          0

          0
        • Gus disse:

          Jota…

          Primeiramente vc nao entendeu uma virgula do que eu disse…. Repito…Estamos analisando a forma com que esta sendo conduzida o rebuild..

          Ja com relaçao ao que voce postou:

          1- o thunder deu sorte sim…draftou dois dos melhores jogadores da decada ( tres se contar o harden) que quando machucam voltam super rapido, tem quimica entre eles e desde que foram pra okc tirando o primeiro ano…sao concorrentes ao titulo todo ano. Sucesso nao se mede so por aneis…e sim se o time disputa no topo todos os anos…como o spurs, sucesso absoluto..sempre brigando, mas nao ganham todo ano.

          2- quer exemplo de rebuild que deu errado? Simples…..o kings esta em rebuild desde 2001.

          Abraço

          0

          0
      • Jota disse:

        E eu disse e repito: Draft não é sorte! Você pode citar 1 ou 2 rebuilds que não deram muito certo (Que dá para contar nos dedos), mas não foi muito por falta de sorte e sim por falta de competência dos Gerentes do time, que não fizeram trocas decentes, não manteve jogadores e etc, etc, etc.

        Todos os outros: Raptors, Warriors, Wizards, Clippers e o próprio Thunder que você citou deram certo. Isso para não citar as outras franquias que fazem isso, uma hora ou outra. O Celtics já fez rebuild algumas vezes, o que difere são as formas que isso é feito.

        Como não podemos garantir que não vai dar certo, você também não pode nos garantir que vai dar errado e que o Ainge tá fazendo só merda.

        Spurs é o único time que tá brigando todo ano lá em cima, e adivinha como eles conseguiram formar esse time?!

        Achismo por achismo eu prefiro confiar em um time de tradição da NBA e em gerentes estudados e competentes para gerir uma franquia como o Celtics.

        0

        0
        • Henrique disse:

          Para quem gosta de NFL e acha que draft é loteria, Jota, é só perguntar para qualquer time de NFL que gostaria de ter o Jerry Jones (presidente do Dallas Cowboys) como GM do time. O cara erra inacreditavelmente em todos os drafts que participa. Se fosse loteria, era para ele ter acertado pelo menos 50%

          0

          0
  18. The Real Jay disse:

    A troca foi boa, Green daria pra ser um bom reserva de um SF all star, mas alguém que sabe pode me dizer como é o contrato do Prince? Outro coisa, espero q essas exceções de CAP, tragam um pivô nível all star e um armador de médio pra bom.

    0

    0
  19. Marcos disse:

    Essa troca achei bem boa.
    Prince é expirante, ganhamos +1 ano de contrato do Green no Cap da próxima season e mais uma pick de primeira rodada altamente negociável.

    Além disso Rivers parece estar saindo por uma segunda ronda.

    Nesse ano:
    Rondo: uma 1st, 2nd, trade exception + Neelson
    Green: uma 1st e uma 2nd

    Para mim, a única cagada do Ainge nessa season foi renovar o lixo do Bradley. O rondo queria sair, achei que fez o correto.

    Não achei tão ruim, gostaria muito que o Neelson fosse o próximo, afinal ele é player option.

    No ano que vem vamos seguir no tank mode on.
    Next season:
    GWall (expirante), com picks talvez seja passável
    Thronton: expirante – pode renovar pelo mínimo
    Pressey: expirante – rua
    Prince: expirante – rua
    Bass: expirante – rua
    Crowder: expirante – se não mínimo, rua

    Agora acho que vamos overpay jogador, mas temos mt grana e picks para gastar:

    Time 1: Smart – Avery – FA (Granger/ – preço de mercado, Pierce – mínimo, Gay – barato)) – Sully – FA (R Hibbert/Al Jeferson/D Jordan/Gasol – max contract)

    Time 2: Turner – Young – Crowder – Olynyk – draft
    Time 2: Neelson – GWall – draft – draft – FA (Casspi)

    Tb poderiam ganhar o max: Brook Lopez ou LaMarcus Aldridge.
    Pessoalmente, acho que só temos chance de Lopez ou Hibbert.

    0

    0
  20. Jota disse:

    Exatamente como o amigo citou acima:

    Ainge e o Celtics optaram por uma reconstrução longa, que possa nos deixar como contender por mais tempo que a última reconstrução, e isso leva tempo e temos que ter paciência. Em uma franquia como Celtics, tão vencedora e tradicional, não se deixaria o Ainge fazer o que tá fazendo se o plano não estiver traçado e eles acreditarem nele.

    Falado isso, é preciso ter em mente o que eu comentei acima: Esportes Americanos são uma roleta dos vencedores. Times bons, que são contender, se revezam no topo anos após anos. Quando Lakers e Celtis disputaram as últimas finais, Warriors, Blazers, Raptors, Clippers e Wizards (Só pra citar) estavam em rebuild e disputando as primeiras vagas do draft e veja o que aconteceu:

    Warriors draftaram o Stephen Curry e o Klay Thompson (Draft de 2009 e 2011)
    Blazers draftaram Damian Lillard (Draft 2012)
    Raptors draftaram o DeRozan e o Ross (Draft 2009 e 2012)
    Clippers draftaram Blake Griffin. (Draft 2009)
    Wizards draftaram John Wall e Bradley Beal (Draft 2010 e 2012)

    Agora as coisas se inverteram, eles adicionaram Free Agents aos jogadores draftados e são contenders, Lakers e Celtics buscam suas novas estrelas no draft. Isso é normal pelas terras do tio Sam. O que é preciso se entender para torcer nos esportes de lá é que a roleta dos vencedores gira, e não é possível, QUALQUER TIME, em QUALQUER ESPORTE, se manter no topo por muito tempo de forma competitiva (Spurs é exceção da história em todos os esportes).

    No último título do Celtics os times que citei acima não eram nada, NADA, e hoje são contenders pelas apostas no draft. Isso acontece na NBA, NFL e por aí vai. Não é nenhum fim do mundo. TODOS os times passam por isso justamente porque todo ano os piores times se reforçam com os principais talentos mais jovens. E com o tempo a roleta gira e os piores estão em cima.

    Preciso citar que já temos uma base? Que fomos outro dia aí para o OT com um dos líderes do Oeste? Preciso falar da média dos jogadores dessa nossa base e que, com trabalho, seremos contenders por mais tempo que o Miami Heat foi, que os Mavericks vão ser e por aí vai?

    Temos, no time de hoje:

    Smart – Bradley – Young – Sullinger/Olynyk – Zeller (Também prefiro o Young de SG, mas foi só um exemplo)

    É um time com base, se bobear, de 19~23 anos. É inegável que esses jogadores citados têm talento e são extremamente novos. Agora temos que fazer o que Warriors, Clippers, Raptors, Blazers e Wizards fizeram: lapidar nossos talentos e adicionar outros jogadores à eles! É assim que funciona por lá. Tá mais que provado.

    Quando escolhi o Celtics para torcer estávamos em cima da roleta já citada, tínhamos um time bom, contender, ganhamos título, fomos vice em outro, chegávamos sempre fortes, doutrinava na temporada regular e etc, etc, etc. Hoje estamos por baixo, tentando retornar, em um rebuild mais longo, que durará por mais tempo também. Se hoje o Ainge é criticado por não criar um time do dia para noite como em 2007/08, no futuro provavelmente será elogiado pelos mesmos por criar um time talentoso por ainda mais tempo.

    Ainda demos a sorte de tankarmos para drafts distintos: o 1º foi de Guards e o 2ª será de Forwards e Centers. Agora é preciso evoluir esses jogadores e no futuro adicionar Free Agents à eles, como todos os times já citados fizeram.

    Vamos ter paciência e, acima de tudo, nos divertirmos assistindo aos jogos. A primeira coisa que eu faço quando vou ver a boxscore do time todo dia de jogo é se o Smart pontuou e deu assistências; se Sullinger pontuou bastante e acerto arremessos; se Young e Bradley jogaram bem, quantos Pontos e Rebotes Zeller teve e por aí vai. E fico feliz que, contra um contender do Oeste, por exemplo (Raptors), foram pra o OT e jogaram bem, de forma competitiva, mesmo lutando pela loterai do draft (E não foi o único jogo que isso aconteceu)

    Então não estamos tão no escuro assim. Isso não é futebol, que é só mandar a proposta, oferecer o contrato, dar o máximo, que o jogador vem. Ainda bem que não é.

    0

    0
    • Jota disse:

      Tem uma coisa extremamente importante que eu esqueci de comentar:

      Tirando o Zeller, nosso time é TODO vindo do nosso próprio draft. E se levarmos em consideração (Estou na torcida) que poderemos draftar um dos Centers desse próximo draft, teremos um, quem sabe e guardada as proporções, novo Spurs surgindo, com um time barato, com salários baixos e equilibrados e totalmente feitos em casa:

      Smart – Bradley – Young – Sullinger/Olynyk – Draft 2015

      0

      0
  21. Scal disse:

    Eu confiava demais no Ainge, mas não estou gostando nada dos movimentos realizados nessa temporada.

    Só decepção, e por mais q os melhores times da atualidade tenham sido montados via draft, ter várias picks não representa garantia nenhuma de um rebuild de sucesso, vc pode ter azar na loteria ou a sua pick flopar lindamente, o melhor a se fazer é saber negociar.

    E como já foi falado, se fosse pra destruir o time, era melhor ter feito antes, visando o draft passado e o próximo, q foram/serão bem interessantes, sem contar q o Rondo valeria bem mais.

    Saindo um pouco dessa discussão, a NBA precisa fazer alguma coisa para evitar os tanks. Não acho bom para a liga, ela perde competitividade. Ridículo vc ter q buscar piorar o seu time cada vez mais para ter chances no futuro. Não sei pq as franquias não votaram a favor da mudança nas regras do draft no começo da temporada.

    0

    0
  22. Daniel Carvalho disse:

    Fato que a reconstrução poderia ter sido acelerada, mas tinha um problema… Rajon Rondo. Niguém sabia o que o cara pensava e como voltaria da lesão, então, nesse sentido, ele atrapalhou o Celtics. Os colegas que falaram que esporte(e especial nos USA) é uma roleta, é verdade, porém é preciso saber aproveitar o momento que se está por cima. E isso eu acho que o Ainge está pensando bem… se vai dar certo é outra coisa, até porque o Draf é loteria, uma aposta no futuro, mas os USA sempre produzem bons jogadores,assim acho acertada as decisões que ele vem tomando.

    0

    0
  23. Scal disse:

    A situação anda tão dramática q no banner do CelticsLife, onde tinha o Rondo, agora tem o GWall ao lado do Bird. É triste demais, cara kkkkkkk

    0

    0
  24. Luiz disse:

    O Tayshaun Prince é um cara sem resultados e abaixo da média. O Green ainda rendia alguma coisa. o Austin Rivers é um moleque que em 36min em quadra fez 8 pontos. O contra o HOU ele não fez nada.

    Pode até ser que essa reconstrução utilizando dessa base juniores que está ficando vai dar certo daqui 2 ou 3 temporadas, enquanto isso vamos ficar sentados vendo um time mediando não proporcionar nenhuma motivação na sua torcida.

    0

    0
  25. Renato disse:

    Povo Celta, para quem está chorando as mágoas com as últimas Trades reflitam:

    2015)

    First Pick Celtics (provável 5 a 8 )
    First Pick Clippers (provável 18 a 22)

    Second Pick Sixers (provável 30 a 34)
    Second Pick Celtics (provável 35 a 38)
    Second Pick Clippers (provável 50 a 55)
    Second Pick Wizards (provável 50 a 55)

    Idéia:

    A) Manter a first Pick Celtics (5 a 8)

    b) Trocar todas as outras picks inclusive a first pick Clippers, por uma First pick de 10 a 15.

    2016)

    First Pick Celtics (10 a 15)
    First Pick Nets (10 a 15)
    First Pick Dallas (15 a 20)
    First Pick Cleveland(20 a 25)

    Second Pick Wolves (30 a 35)
    Second Pick Heat (40 a 45)
    Second Pick Mavs (45 a 50)
    Second Pick Cleveland (50 a 55)

    Idéia:

    A) First Celtics (10 a 15) + First Mavs (15 a 20) + Second pick Mavs + Second pick Cleveland por uma escolha TOP 5

    B) First Nets (10 a 15) + First Cavs (20 a 25) + second pick Wolves (30 a 35) + second Pick Heat (40 a 45) por escolha TOP 5

    Isso é apenas um pequeno exemplo do que pode ser feito com a infinidade de picks que temos.

    Ressalto que isso também pode ser feito agregado a um jogador de nossa equipe na próxima FA, para trazer 1 All Star.

    O Trabalho está sendo bem feito reflitam!

    0

    0
    • Marcos disse:

      Renato, são mts possibilidades cara, rsrs
      E vc ainda esqueceu de listas nossas duas trade exception que permitem absorver salários.

      Eu diria, atrás de um All-Star para jogar de C (tem vários na FA), um FA regular de SF, Paul Pierce pelo mínimo e draftar tentando sempre top-5 (Esse ano terminaremos em os 5 piores, com certeza).

      []s verdes

      0

      0
  26. […] da Conferência Leste, mas o ‘tank mode’ foi oficialmente ligado na franquia de Massachusetts após a negociação do ala titular Jeff Green. Dono da sétima pior campanha da liga, o Celtics deve cair ainda mais de produção nos próximos […]

    0

    0
  27. Bruno Ferronato disse:

    O que estraga é o fato de várias dessas picks serem protegidas. Pega o exemplo dessa do Memphis mesmo, o Green tem tudo pra se estabelecer como starter lá, vai ajudar bastante na pontuação. Aí nós pegamos Prince em fim de carreira e Rivers que parece ser um bust e a pick ainda tem que ser protegida?
    No mais não deixarei de torcer pelo time mas também não tenho toda essa confiança no Ainge que alguns daqui tem.
    Pra mim o time montado em 2007 não pode ser o único parâmetro, até porque a fila de espera pro time conquistar um título era imensa, a situação exigia uma medida mais atrevida mesmo, Ainge não pode ser considerado um Deus só por aquilo, e no mais ele também comete vários erros.
    Mas paciência, negócio é esperar.

    0

    0
  28. Antonio Jhennyson disse:

    Estamos ferrados. Na minha opinião, perdemos nossos melhores jogadores por míseras escolhas de DRAFT, que certamente, não darão em nada.
    O pessoal pode discodar mas nossos jovens talentos não são tão talentosos assim. Sully é um gordinho esforçado que não causa impacto na posição. Olynyk é soft demais e não tem como disputar com outros da posição. O mais decepcionante para mim é Marcus Smart. Não infiltra na defesa adversaria de jeito nenhum, sua única jogada parece ser a bola de 3 pontos, que aliás faz com ineficiência. Sua bola de média distância é horrível. E apesar de ser um armador, NÃO CONSEGUE BATER BOLA. Impressionante, quando a marcação chega o menino trava ou passa a bola.
    É muito difícil ver os jogos do celtão. Sou um torcedor revoltado. Kkk

    0

    0
    • Daniel Carvalho disse:

      Bom se o GM não tiver confiante na classe do Draft as escolhas podem ser juntadas e trocadas, por bons jogadores. Quanto ao Sully, concordo em parte, o peso dele faz parte do jogo dele, ele sabe jogar com a bunda…kkk, tem que forçar nos arremessos de média e longa distancias.O Olynyk será um reserva, quanto mais agressivo ele for, melhor. O Smart infelizmente, eu concordo, embora ele seja novo e pode evoluir mas está faltando cerébro, e isso é grave. Ele comete um erro num jogo e repete no outro, daí é triste.

      0

      0
    • Vittos disse:

      Eu acho ainda que o melhor seria tentar pegar dois caras mais cascudos pro garrafão, manter Olynyk e Zeller na rotação e trocar Sully por algo bom. Precisamos urgente de um armador também, Smart não dá, espero queimar a língua, mas foi uma pick 6 mal utilizada. Aliás…essa classe 14 que parecia tão promissora não tem mostrado tanto isso, Parker e Wiggins estão bem (no caso de Parker: estava), mas só isso mesmo. Mas esperar pra ver se Smart melhora.

      0

      0
      • Antonio Jhennyson disse:

        É verdade. A maioria dos novatos não mostraram ainda porque vieram. Sei que ainda precisam desenvolver muito dentro da NBA, mas, para mim, não mostraram “o diferencial” que possuem os bons jogadores. O que “o diferencial”? É uma jogada diferente, um drible espontâneo e inusitado, princípio de liderança, confiança, espontaneidade, entre outros. Espero estar queimando a língua, mas é o que penso.

        1) Andrew Wiggins – está indo bem e provavelmente será o calouro do ano.

        2)Jabari Parker – estava fazendo um bom trabalho no time surpresa da temporada.

        3) Joel Embiid – só vai jogar na próxima temporada.

        4) Aaron Gordon – acabou se machucando e está fora da temporada. Mas não vinha fazendo bons jogos.

        5)Dante Exum – muita expectativa em cima do jogador. Contundo, até agora, não vem mostrando o diferencial que lhe deu direito a quinta posição no draft. Pouco se fala dele.

        6)Marcus Smart – tem recebido um bom tempo em quadro. Só que, para mim, não convenceu. Bom defensivamente. Porém defensivente peca em vários sentidos como armador. Não tem bom passe e inteligência do jogo, não arremessa bem, não consegue bater bola, não infiltra na defesa, não tem muita habilidade.

        7)Julius Randle – acabou se machucando, mas tbm não vinha fazendo um bom trabalho no Lakers.

        8)Nik Stauskas – não está tendo muita oportunidade no time. Mas quando entra não faz o que se espera dele: Um bom jogo de perimetro.

        9) Noah Vonleh – ao meu ver, nulo nos Hornets.

        10) Elfrid Payton – armador “puro”. Está fazendo um bom trabalho. Mas precisa melhorar muito e muito seu arremesso.

        11)Doug McDermott – começou bem a temporada fazendo que se esperava dele: muitos pontos. Contudo deu uma baixa. Ao meu ver se bem encaminha. O estilo do jogo do Bulls se encaixa bem com seu perfil de jogo.

        12) Jogando na Europa ainda

        0

        0
    • Jota disse:

      Já dizia o Ainge que “Pick do draft pode sempre ser negociada, jogadores não”. Então não espere que fiquemos com todas elas. No próximo draft, não me surpreenderia se ele juntasse a maioria e desse para o Sixers pela pick draft top 3 deles.

      Além disso, Sullinger é muito mais que um “gordinho esforçado”. Quem assiste os jogos do Celtics sabe disso.

      É complicado analisar o Smart em seu primeiro ano de Rookier. São poucos os que estouram logo de cara. E sabe qual é o problema dessa classe não estar dando frutos? Vinda precoce para a NBA.

      É claro, todos nós esperávamos que ele assumisse o lugar do Rondo e desse pelo menos 15ppg e 7ast por média, mas não é bem assim que funciona. O nível da NCAA é muito diferente da NBA, e demora para os jogadores engrenarem.

      Não tem como você analisar se ele é bom ou ruim por meia dúzia de jogos em uma temporada de tank. É até falta de critério fazer isso. Mas ele é sim um bom jogador, com teto alto para evoluir tendo em vista o que ele demonstrou em sua curta carreira na universidade e pelos prêmios que já ganhou:

      Consensus second-team All-American (2013)
      Third-team All-American – NABC (2014)
      Big 12 Conference Player of the Year (2013)
      USBWA National Freshman of the Year (2013)
      2× First-team All-Big 12 (2013–2014)
      Big 12 Freshman of the Year (2013)

      Além disso, os números dele demonstram que ele tá na média, sim, dos armadores x os minutos que ele joga: 21.2minutos, 6.5ppg, 2.2rebotes, 2.7assistência, 40%FG, 35%FG 3PT, 1STL (Tem armador veterano na liga que nem esses números tem.)

      Ninguém ganha esses prêmios sendo um “inútil” que não sabe arremessar, infiltrar, marcar, bater bola ou com falta de QI de basquete. Quer ver mais? Procure no google por Marcus Smart Oklahoma State, entre no site da universidade e dá uma olhada na biografia completa dele desde o High School.

      Você tá cometendo o mesmo erro dos olheiros brasileiros com a base do futebol daqui: se não faz gols por jogo, dar assistência ou faz firula, não presta, é um lixo, já pode rescindir contrato. Não é bem assim, tem que saber evoluir o jovem jogador, principalmente se ele já demonstrou talento e conhecimento.

      0

      0
  29. Renato disse:

    Jota,

    Simplesmente perfeito!!!

    No Brasil somos muito imediatistas, e os melhores resultados em regra vem de um longo planejamento.

    Observem a Alemanha no Futebol, foram quase 20 anos de reestruturação.

    O Smart e o Young tem talento comprovado, e tendem a evoluir a cada ano.

    O Sullinger hoje e muito melhor do que a 2 temporadas atrás.

    O Olynyk hoje é melhor do que ano passado.

    Tirando raras exceções, os jogadores tem um tempo de maturação, e mesmo sem dar tudo o que pode, vejo o Smart no minimo hoje como um bom roler player.

    0

    0
  30. Antonio Jhennyson disse:

    Espero que vocês estejam certos companheiros. Torço por isso. Minha análise é imediatista sim e contempla as primeiras impressões do jogo de Smart. Na verdade foi gerada uma expectativa em cima do jogador do qual ele não pode retribuir, pelo menos ainda. Isso gera uma certa frustração.

    0

    0
  31. […] do ala-armador Austin Rivers, que tem vínculo com o Alviverde graças à negociação que resultou na ida de Jeff Green para o Memphis Grizzlies. Além disso, o Alviverde confirmou, nesta quinta-feira (15), a dispensa do experiente armador Nate […]

    0

    0
  32. […] Olynyk com 11 e Evan Turner com 10. A partida também marcou a estreia do veterano Tayshaun Prince, recém-adquirido na troca que culminou com a saída de Jeff Green para o Grizzlies. Prince teve pouco mais de 19 minutos em quadra e foi discreto com apenas 2 pontos, 2 rebotes e 1 […]

    0

    0
  33. […] Prince não durou muito tempo no Boston Celtics. O jogador que veio ao Celtics por intermédio da troca que envolveu a ida de Jeff Green ao Grizzlies, esteve próximo de ser dispensado quando chegou, mas impressionou o treinador Brad Stevens com sua […]

    0

    0

Deixe um comentário