Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Prévia – Los Angeles Lakers (18-36) x Boston Celtics (19-36)

As sete vitórias em dez anos da dinastia Russell na década de 60. Os embates entre Bird e Magic nos anos 80. As duas finais eletrizantes já no século XXI, com uma vitória para cada lado. Além disso, claro, as conquistas: 33 troféus da NBA, 52 títulos de conferência, 44 conquistas em suas divisões, 353 partidas realizadas e 12 finais disputadas entre si. É tanta história que não dá para esquecer: apesar do péssimo momento vivido em 2013/2014, Los Angeles Lakers e Boston Celtics são as maiores franquias da história da liga e donos da maior rivalidade do basquete mundial. Credenciados por todos esses feitos e pelo respeito adquirido, os eternos adversários entram na quadra do Staples Center, nesta sexta-feira (21), para escrever mais um capítulo de sua eterna disputa, que dura desde a longínqua temporada de 1949, quando os angelinos ainda atuavam em Minneapolis e não utilizavam a sua tradicional camisa amarela.

Na última temporada, a franquia de Los Angeles vivia a expectativa de voltar a brigar pelo título da NBA contando com um quinteto, no papel, fortíssimo, com destaque para as chegadas do experiente Steve Nash e do pivô Dwight Howard. Entretanto, o ‘Dream Team’ dos angelinos só garantiu classificação para os playoffs na bacia das almas e acabou sendo varrido no primeiro round diante do San Antonio Spurs, em meio a diversos problemas dentro e fora de quadra.

O vexame de 2012/2013 refletiu-se na atual temporada: com Howard indo para o Houston Rockets, Metta World Peace debandando para Nova York e o trio remanescente Nash-Bryant-Gasol sofrendo com lesões diversas, o Lakers vive um inferno astral e faz a terceira pior campanha de sua história. Com apenas 18 vitórias e 33,3% de aproveitamento, o time treinado por Mike D’Antoni tem remotíssimas chances de garantir a classificação para a pós-temporada, cuja última ausência foi em 2004/2005. Além disso, o Lakers pode terminar a rodada desta sexta-feira na última posição do Oeste, caso seja derrotado pelo Celtics.

Para tentar melhorar sua campanha, evitar a lanterna e impor mais uma vitória diante do seu rival, o time de Los Angeles terá sérios problemas na escalação: além do ídolo Kobe Bryant, os reservas Xavier Henry e Nick Young estão vetados pelo Departamento Médico e não atuarão diante do Celtics, enquanto Steve Nash e Pau Gasol são dúvidas e só terão a presença confirmada poucas horas antes do embate.

No banco de reservas, o Lakers poderá ter duas novidades: recém-chegados do Golden State Warriors após uma troca que levou o armador Steve Blake a Oakland, os ala-armadores Kent Bazemore e MarShon Brooks devem atuar pela primeira vez com a camisa amarela contra o Alviverde. Brooks, aliás, fez parte do elenco celta nesta temporada, atuando em 10 partidas e sendo negociado com o Warriors no início de janeiro.

Diante de um rival em crise, o Boston Celtics tentará, nesta sexta-feira, dar uma alegria aos seus fanáticos torcedores em meio a uma participação de pouquíssimos destaques. Depois de um 2012/2013 bastante irregular, que culminou na eliminação já no primeiro round dos playoffs contra o outrora freguês New York Knicks, a diretoria celta iniciou o seu processo de renovação durante a pré-temporada, com destaque para a troca dos ídolos Paul Pierce e Kevin Garnett e a substituição no comando técnico: Doc Rivers foi para o Los Angeles Clippers e Brad Stevens chegou após bons trabalhos no Butler Bulldogs, da NCAA.

Com um treinador inexperiente na NBA, um time completamente reformulado e a ausência de um líder em quadra, a franquia de Massachusetts está tendo sérias e naturais dificuldades de se impor como time e também como candidato a uma vaga nos playoffs, onde acumula participações consecutivas desde a vitoriosa temporada 2007/2008. Sem grandes ambições, atletas, técnico e dirigentes celtas já sabem que o restante dos jogos será apenas uma espécie de peneira, já de olho na próxima temporada, quando novas peças devem chegar para formar a espinha dorsal da equipe que deverá disputar títulos no futuro.

Em Los Angeles, Brad Stevens terá poucos problemas para escalar o time e definir a rotação. O pivô brasileiro Vitor Faverani, com dores no joelho esquerdo, continuará sem atuar. Porém, uma ausência será ainda mais sentida na equipe: titular no esquema de Stevens, o ala-armador Avery Bradley ainda sofre com um problema antigo em seu tornozelo direito e segue desfalcando o Alviverde. O experiente Gerald Wallace continua no quinteto titular, com Jerryd Bayless e Chris Johnson prontos para atuar quando chamados.

Fora as ausências de Faverani e Bradley, o Celtics deverá manter o time que vem atuando na maioria dos últimos jogos: Brandon Bass e Jared Sullinger formam a dupla no garrafão, com Jeff Green seguindo na função de ser o maior pontuador celta e o agora capitão Rajon Rondo tem a missão de comandar o time, função que vem efetuando cada vez melhor desde que se recuperou de uma lesão nos ligamentos do joelho direito.

Nesta sexta-feira, angelinos e celtas medirão forças pela segunda vez nesta temporada, e tudo indica que este será o último duelo entre as duas equipes em 2013/2014. No dia 17 de janeiro, em Boston, a torcida celta fez uma grande festa, lotando os 18.624 assentos do TD Garden para prestigiar o retorno de Rajon Rondo às quadras diante do seu maior rival. O Lakers, que não tinha nada a ver com a festa, contou com ótimas atuações de Kendall Marshall e Pau Gasol para jogar água no chope celta e vencer por 107 a 104.

Ficha Técnica

Local: Staples Center (Los Angeles, CA)

Horário: 0h30 (horário de Brasília)

Transmissão: @Celtics_Brasil

Los Angeles Lakers: Kendall Marshall, Jodie Meeks, Wesley Johnson, Ryan Kelly e Chris Kaman. T: Mike D’Antoni

Boston Celtics: Rajon Rondo, Gerald Wallace, Jeff Green, Brandon Bass e Jared Sullinger. T: Brad Stevens

Author avatar
Gustavo Arruda
Gustavo, 28 anos, é maranhense de São Luís, jornalista formado pela UFMA e repórter do Imirante.com. Fanático por esportes, principalmente futebol e basquete, é torcedor celta desde 2003, quando ouviu pela primeira vez o TD Garden lotado entoando "Let's go, Celtics!", e escreve no Celtics Brasil desde julho de 2011, com mais de 1.700 textos publicados. Nas horas vagas, é goleiro, armador, tio do João Gabriel e da Alice, e também dá seus pitacos sobre o maior campeão da NBA no Twitter: @gustavoarruda01.

18 comentários

  1. PHABIO PASSOS

    agora nossa vez, de ganha na casa deles, vamos celtics,,….

  2. Danilo Jeolás

    Que time horrível deles…

  3. rafael taborda

    Tank ou não… do Lakers temos que ganhar ! rsrsrsrsr

  4. Fernando C S

    Os dois times são complicados. O nosso ainda tem concerto, jovens atletas, promessas e ao mebos dois homens que podem jogar em qualquer equipe: Rondo e Sully. Já o Lakers é a ala geriátrica do HC.

  5. Pedro Sousa

    Hoje é dia de bater no rival !
    #GoCeltics

  6. Danilo Jeolás

    Granger exigiu buyout para assinar com o Heat… deve estar com muita raiva mesmo…

  7. Leandro Augusto Schultz

    Acho que ta errado o lineup deles ali, não é possível isso.

  8. Fernando C S

    Último quarto dignonde tank. Tomar 38 pontos e fazer 18… 20 pontos de diferença só no último quarto, capricharam!

  9. Danilo Jeolás

    Ridículo o que os Celtics fizeram. Jogando uma história no lixo…

  10. Namoral maioria dos torcedores aqui estão torcendo pro celtics tankar para um futuro melhor do celtics ok.. mais porra, perde 2 vezes pra esse time ridiculo dos Larkers? ainda sem Kobe, ta de sacanagem com minha cara

  11. Mazinho

    Esse vai ser uma sem alegria nenhuma.

  12. Fernando C S

    Único alento desta temporada: a vitória sobre o Heat. No mais…

  13. Marcos

    Perder para o asilo dos Lakers é ridículo. Que acabe logo essa m**** da season e parta a barca desses bagulhos.

    []’s verdes

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.