Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Vinte anos sem Reggie Lewis

No próximo sábado, dia 27 de julho, completa 20 anos da morte do ala-armador Reggie Lewis (1965-1993).

Lewis foi draftado no ano de 1987, vindo da universidade de Northeastern, onde de 1983 a 1987 obteve médias de 22 pontos e 7 rebotes, sendo recrutado na 22ª escolha do draft. Poderia jogar em duas posições, tanto de ala armador e como ala.

Desde o draft já era esperado que ele fosse um talento para o futuro da equipe e que substituísse Len Bias, que havia falecido no inicio da temporada 1986/87. A chegada de um talento jovem era fundamental para o Boston Celtics, pois mesmo com Bird, McHale e Parish ainda em boa fase, a idade já era um problema para os principais atletas da franquia.

No ano de calouro, Lewis teve poucas chances com o técnico K.C Jones, jogou apenas 8 minutos por partida. O jogador que o “roubava” minutos era justamente o atual general manager do Celtics, Danny Ainge.

E com a ideia de dar mais minutos para ele, Ainge foi trocado durante a temporada 1988-89, indo para o Sacramento Kings. Essa temporada foi afetada por problemas físicos de Larry Bird, que o fizeram jogar apenas seis partidas. Com isso, a responsabilidade de Reggie Lewis aumentou.

Lewis terminou sua segunda temporada com médias de 18 pontos e 4 rebotes, que subiram para 20 pontos e 7 rebotes na varrida que o time tomou para o Pistons na primeira rodada dos playoffs de 1989.

A partir de 1989-90, Lewis fazia parte do quinteto do Celtics. Ele terminou a temporada com 17 pontos por jogo. Apesar de mais uma queda na primeira rodada, conseguiu médias de 20 pontos e 59% de aproveitamento de quadra naqueles playoffs.

No ano seguinte, pela primeira vez na carreira, participou de todos os jogos como titular, com as suas melhores médias de minutos (36) e pontos (18.7)

Nos playoffs de 1991, foi o cestinha do time com 22.4 pontos por jogo, onde pela primeira vez nos últimos três anos a equipe conseguiu passar pela primeira rodada, mas foi vencida pelo Pistons nas semifinais do leste.

Reggie Lewis continuava o progresso na carreira, em 1991-92 jogou todas as 82 partidas e teve seus melhores números em aproveitamento (50%) e pontos (20.8) além de participar do jogo das estrelas pela primeira vez.

E naqueles playoffs, Lewis mostrou que poderia comandar o Celtics por muitos anos, Bird jogou apenas 4 partidas e seus problemas físicos só aumentavam, coube a Lewis ser o principal jogador. Reggie fechou os playoffs com 28 pontos de média e com 53% de aproveitamento. O Celtics caiu nas semifinais do leste pelo segundo ano consecutivo.

Seu último ano na NBA foi 1992-93, já sem Larry Bird que tinha anunciado a aposentadoria. Com Parish e McHale chegando próximos disto, Lewis fechou mais uma vez a temporada com 20.8 pontos, sendo o cestinha da equipe.

Porém, nos playoffs, ocorreu algo que deixou todos em Boston preocupados. Lewis teve um colapso durante o primeiro jogo contra o Charlotte Hornets pelas primeira rodada dos playoffs. Foi a sua última partida na NBA.

Após o colapso, Lewis recebeu enorme tratamento de uma equipe de médicos do Celtics que diagnosticaram que ele tinha cardiomiopatia, uma doença potencialmente fatal no músculo do coração.

Em 27 de julho de 1993, Lewis sofreu um ataque cardíaco repentino em um treino de pré-temporada, na universidade de Brandeis, cidade de Waltham, na região de Boston. Ele tinha apenas 27 anos. O Boston Globe chegou a noticiar que ele teve entre seis tonturas e perdas da consciência nos meses anteriores ao colapso no jogo contra o Hornets.

A autopsia do jogador mostrou que ele tinha uma enorme cicatriz no seu coração, as potenciais causas da cicatriz seriam excesso de medicações, drogas ilícitas e álcool. Ainda nessa autopsia, foi constatada a presença de cocaína, que teria contribuído para a morte do jogador. A condição cardíaca de Reggie Lewis foi um assunto bastante debatido e muito controverso.

Ainda segundo o Boston Globe, Lewis havia dito ao seu médico, Gilbert Mudge, que um dos seus dois irmãos tinha nascido com um pequeno buraco no coração, e precisou de cirurgia quanto tinha apenas quatro anos de idade. Foi descoberto que a sua família tinha um histórico de problemas cardíacos.

Depois da sua trágica e inesperada morte, o Reggie Lewis Track and Athletic Center foi inaugurado em Roxbury, Massachusetts. O centro recebe a competição de atletismo indoor de Boston e outras competições menores de atletismo.

Em 22 de março de 1995, o Celtics aposentou a sua camisa número 35, em que usou durante toda a sua carreira. Ele, juntamente com Ed Macauley, são os únicos jogadores que receberam essa honraria sem ter conseguido um título pela franquia.

Esse foi o acontecimento que mais marcou os anos 90 para o Celtics, já que Bias não chegou a atuar pelo Celtics. Uma morte inesperada de um jogador que estava no seu auge e poderia ter feito os anos 90 serem melhores para o Celtics. Talvez a morte dele pudesse ser evitada, ou era apenas o destino… nunca saberemos o que ele poderia ter feito com o restante de sua carreira, ou o que poderia ter se tornado.

Seus números pelo Celtics:

Nos seus 6 anos foram 450 jogos, 17.6 pontos, 4.3 rebotes, 2.6 assistências, 1.3 roubo e 0.9 tocos por jogo. Além de 48% de aproveitamento em quadra. Lewis foi o capitão da equipe em 1992-93 e participou uma vez do jogo das estrelas, em 1991/92.

Confira abaixo alguns vídeos de Reggie Lewis:

Melhores Momentos de sua carreira:

 

Mostrando todo o seu atletismo, quando deu 4 tocos em Michael Jordan numa mesma partida:

 

Author avatar
Redação Celtics Brasil

10 comentários

  1. Elias

    Nunca entendi como o Celtics pegou a 2nd pick em 86, Len Bias, já que nos anos 80 foi um time vencedor com Bird e cia. Era diferenta as regras do draft na época?

  2. PHABIO PASSOS

    ESTE LEWIS, SERIA UMA JOGADOR MUITO IMPORTANTE PRA CELTICS, NA TRANSIÇAO QUE BOSTON ESTA FAZENDO,BIRD,PARISH E MCHALE, ESTAVA SE APOSENTANDO. E ELE SERIA A ESTRELA NOS ANOS SEUQUINTE,ELE UMA EXCELENTE JOGADOR,ELE SERIA NOSSO PIERCE NOS ANO 90, EU CHEGUEI ASSISTIR JOGOS DELE PELA BAND, NOS PLAYOOFS CONTRA CAVS E ORLANDO,A MORTE DELE ACABOU E TRAUMATIZOU TODOS NO CELTICS NAQUELE ANO,NOSSO NAO CONSEGUIU SE ERGUER NAQUELA EPOCA, FORAM VARIAS PERDAS, TEVE BIAS, LEWIS QUE FALECERAM,DEVE APOSENTADORIAS DE BIRD,PARISH E MCHALE E TEVE TAMBEM MAIS ADMINSTRAÇOES DO GENERAL MENAGER DA EPOCA……CAMISA DELE APOSENTADA MERECIDA…..

  3. Gerson Guarino

    Reggie Lewis foi uma perda irreparável pra nós na época . Se nos anos 90 tivéssemos Bias e Lewis vivos jogando do jeito q estavam tanto na Universidade (Bias) ,qto Lewis nas temporadas pelos Celtics , teríamos ganhos uns títulos na década de 90 . Q continuem descansando em paz !

  4. Fernando

    Eu não lembro dele. Comecei a ver a NBA nos 90, também pela Band. Lembro que eu torcia contra o Jordan. Ele jogava demais e eu na época gostaria que ele tivesse um adversário a altura.Torci muito pelo Chuck e pelo Malone nas finais contra o Bulls. Deveria me recordar dos tocos no Jordan, mas sinceramente não lembro. Provavelmente não vi o jogo.

  5. Victor Bueno

    Cara, eu acredito que se não tivesse acontecido essa fatalidade com Bias e Lewis, provavelmente o Celtics teria uma hegemonia e criado uma boa identidade nos anos 90.

    Mas agora dizer que ia ganhar TÍTULOS (plural) … isso praticamente impossivel.
    Anos 90 foi a era Jordan, num tem o que falar!

  6. Thiago Reis

    Sem comparações diretas, mas fico impressionado com as inúmeras semelhanças da história do Lewis com o Jeff Green, ambos iniciaram suas carreiras no Celtics tendo minutos reduzidos por estarem atrás da estrela da equipe (Bird e Paul Pierce), começou a mostrar seu jogo na última temporada dessas estrelas, ambos tinham cicatrizes no coração e o que muda aí nessa história é que o Jeff descobriu e tratou esse problema e o Lewis não. Se Green, agora sem o Pierce, for para o ASG, a história dos dois será, bizarramente parecida!!!

  7. […] o mesmo e ele não contribuiu tanto para o sucesso do Celtics, que viria a sofrer outro duro golpe com a morte de Reggie Lewis, aos 27 anos. Sem sucesso na reconstrução, o Celtics passaria pela pior fase de toda a sua história […]

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *