Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Boston Celtics e Dennis Schröder: Uma relação de mutualismo

O ex-armador dos Lakers chega a Boston após recusar uma renovação de US$84 milhões por 4 anos.

A situação de Schröder:

Na temporada de 2019-2020, sua sétima na liga, o armador alemão terminou em segundo colocado na votação para sexto homem do ano, jogando pelo Oklahoma City Thunder. Uma troca na mesma offseason trouxe um novo e mais glamuroso destino: o atual campeão da NBA, Los Angeles Lakers, comandado por ninguém menos que Lebron James.

Em uma temporada turbulenta, marcada por lesões das duas principais estrelas de L.A, Schröder esteve em uma posição relativamente nova em sua carreira, tornando-se a principal arma ofensiva da equipe e terminando a temporada com médias de 15.4 PPG e 5.8 APG.

Mesmo com a derrota na primeira rodada dos playoffs, os Lakers ofereceram a Dennis uma renovação de quatro anos, totalizando US$84 milhões. O armador, que queria um contrato de um ano para depois voltar ao mercado, recusou a proposta. A resposta dos Lakers foi imediata, a equipe trocou por Russell Westbrook e deixou Schröder de mãos abanando, em estado de choque.

Schröder sonhou alto e quebrou a cara. Agora, chega a Boston, com um contrato de US$5.9 milhões por um ano.

A cartada de Stevens e o que Schröder traz para mesa:

Após se livrar do contrato de Kemba Walker, o general manager celta viu sua equipe com opções limitadas para a posição de armador titular.

Payton Pritchard pode ter impressionado na sua primeira temporada na liga, mas ainda precisa de muita evolução para tomar o posto de armador principal da equipe. Dar mais responsabilidades na armação da equipe para Marcus Smart? Não, obrigado.

Com Schröder sem ofertas, Stevens conseguiu a preço de banana um armador que, além de trazer qualidade na organização ofensiva da equipe, é um ótimo finalizador perto do aro, chuta 85% da linha do lance livre e também é um ótimo defensor.

A principal fraqueza do alemão é seu chute de três. Nunca foi um exímio chutador do perímetro, e na última temporada teve uma regressão considerável em arremessos tentados (de 5.0 para 3.0) e 3P% (de 38% para 33%).

Em compensação, a média de Schröder de 5.8 assistências por jogo supera a de qualquer jogador do elenco celta, batendo as 5.7 de Marcus Smart. E mais: o alemão evoluiu sua defesa e terminou em 20º colocado em defensive win shares, com 2.7 na última temporada. O jogador celta mais próximo desse número é Jayson Tatum com 2.5.

Outro ponto positivo de Schröder é sua durabilidade. Se Kemba Walker jogou apenas 43 dos 72 jogos na temporada regular e também desfalcou a equipe nos playoffs, Schröder deverá estar 100% nos momentos decisivos da temporada.

O que esperar da relação Celtics-Schröder?

Aqui entra um ponto importante: Schröder não deve ser um Celta por muito tempo. Dificilmente ele fará parte dos planos futuros da equipe. O alemão só acabou em Boston pois apostou em si e perdeu. Agora, cabe ao armador dar a volta por cima em busca de um contrato maior na próxima temporada.

É uma relação rara de se ver na NBA, na qual tanto o jogador quanto a equipe sabem que os caminhos não se cruzarão no ano seguinte. Mas isso não significa que a atual temporada será em vão. Assim como o Celtics ajudará Schröder a buscar sua redenção, o armador pode e muito ajudar a equipe a alcançar grandes feitos em 2021-22.

Não é fácil prever onde o Celtics se encontrará na Conferência Leste essa temporada. Milwaukee e Brooklyn estão uma prateleira acima, mas, com todas as movimentações feitas na offseason, times adicionando talento (como Bulls, Heat e Knicks), outros passando por crises internas (Sixers), as posições 3-10 parecem estar em aberto.

Com Schröder contribuindo, seja liderando a segunda unidade ou na formação titular, e o resto da equipe saudável, o Celtics deve estar em posição para brigar pelo mando de quadra na primeira rodada dos playoffs. O armador pode chamar a atenção para seu jogo e criar uma nova narrativa em cima de seu nome, que no momento, virou motivo de piada no mundo da bola laranja.

Boston deu um novo começo para Schröder, além da chance de jogar ao lado de dois all-stars na próxima temporada. O desafio de se reerguer e provar que os críticos estavam errados sobre o seu jogo dependerá apenas dele. Sua “revenge season” está a caminho.

Author avatar
Lucas Caldini
Sorocabano, 23 anos e vivendo em São Paulo - SP. Estudante de Jornalismo movido pelo amor ao esporte. Torcedor do Celtics e apaixonado pela NBA desde 2010, ainda espera ver o banner #18 ser levantado no TD Garden. Além de Celta torce para o São Paulo, Patriots, Bruins e Sox.

7 comentários

  1. Jailtonsv

    “Dar mais responsabilidades na armação da equipe para Marcus Smart? Não, obrigado.”… Sim, provavelmente hehe.

    Não sabia da melhoria do alemão na defesa. Pelas circunstâncias, ele vem para fazer a temporada da vida. Espero que ele esteja em quadra com o Horford para aproveitar o bloqueios do Dominicano.

    Inicialmente, estamos longe do favoritismo. Mas, tomara que sejamos ao menos uma equipe interessante de assistir.

  2. Edivaldo

    Brown é outro All Star que nunca levará essa equipe a ganhar um campeonato.

  3. Fernando Silva

    Na minha opinião a nossa posição na tabela depende do quanto os atletas vão se dedicar na quadra defensiva.

    Noto talento na equipe e potencial ofensivo.

    Se o nosso novo coach vai convencer todos ao esforço defensivo, eu não sei mas espero.

    Se, se e apenas se, este time se doar na defesa… Não me enche os olhos a equipe do Bucks e não me convence a defesa dos Nets.

    • Marcos Pastich

      Penso igual Fernando! Não somos favoritos mas podemos surpreender… Vivemos algumas temporadas em que tudo que podia dar errado, deu! Quem sabe agora com essa mudança as coisas não viram?! E se de repente tudo começa a dar certo? Eu gostei da montagem desse time, principalmente porque estamos focando no quesito que sempre foi o nosso diferencial histórico, a defesa! Sou um otimista, com pés no chão claro! O Banner não é esperado mas é possível! Se essa defesa encaixar bem, vai ser difícil nos bater numa série…

  4. Fernando Silva

    Sobre o alemão, ele quer $.

    Teremos espaço para isso na próxima janela? Sim!

    Se o alemão trouxer o banner, pq não?

    Certamente será surpreendente. Dependerá de uma boa evolução do próprio atleta e da dedicação defensiva a que me referi.

    Sobre a perspectiva do alemão, se ele conquistar o anel em Boston: se pagar bem que mal tem?

    Todos felizes!

  5. Teobaldo

    Os amarelinhos deram uma bela sapatada na cara do alemão. Oxalá ele venha com sangue nos olhos para a próxima season.

  6. Luiz Eduardo Alves

    Não seria nenhuma surpresa pra mim ter Smart na armação principal, jogou de titular nos playoffs, e vem melhorando sempre a armação do seu jogo. Schroder vindo do banco seria muito bom, e exploraria melhor o seu jogo, que é um tanto individual e ainda sim manteríamos uma boa defesa. Smart – Richardson – Brown – Tatum – Horford, seria um bom Line-up.

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *