Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Celtics 106 x 117 Knicks

Quando Boston Celtics e New York Knicks pisaram no TD Garden, na noite desta quarta-feira (18), para o terceiro duelo na temporada 2016/2017 da NBA, era difícil encontrar quem não apostasse na vitória da franquia de Massachusetts, e não era para menos: além das duas vitórias nos clássicos anteriores, a equipe celta estava embalada por uma sequência de sete triunfos consecutivos em casa e defendia uma série invicta de três jogos, enquanto o time nova-iorquino amargava a sua pior crise na competição. Entretanto, como diriam os antigos, “clássico é clássico”, e o Celtics sentiu a pressão do favoritismo: com muitas falhas defensivas, o Alviverde fez uma de suas piores partidas nesta edição da liga e foi derrotado pelos Knickerbockers por 117 a 106.

Liderado pelo armador Isaiah Thomas, o Boston Celtics começou bem o clássico contra o New York Knicks, abriu nove pontos de vantagem ainda no primeiro quarto e deu a impressão de que venceria facilmente o rival, mas os nova-iorquinos, liderados por Derrick Rose e com uma atuação de alto nível de sua rotação, viraram o jogo e foram para o intervalo vencendo por 63 a 54.

No terceiro período e no início do último quarto, o Celtics esboçou uma reação, ficou a poucos pontos da virada e deixou a torcida na expectativa por uma vitória, que viraria poeira logo depois: firme na marcação a Thomas, ganhando rebotes ofensivos e sempre pontuando a cada vacilo celta, o Knicks confirmou uma grande vitória em Boston.

Apesar de ter sido marcado de perto por Courtney Lee no último quarto e não conseguir levar o Boston Celtics a mais um triunfo em casa, Isaiah Thomas foi o cestinha da partida, com 39 pontos, e ainda pegou cinco rebotes. O ala Jae Crowder, com 21 pontos, fez uma de suas melhores atuações na temporada, enquanto o ala calouro Jaylen Brown saiu do banco de reservas para anotar 12 pontos. Com uma lesão no tendão de Aquiles, o ala-armador Avery Bradley foi poupado pelo Departamento Médico celta.

Pelo lado do New York Knicks, que estava desfalcado do ala-pivô Kristaps Porzingis, o destaque foi o armador Derrick Rose, que reeditou os grandes momentos dos tempos de Chicago Bulls e flertou com um triplo-duplo: foram 30 pontos, 10 rebotes e cinco assistências em 32 minutos. Substituto de Porzingis no quinteto titular, o lituano Mindaugas Kuzminskas fez 17 pontos e pegou seis rebotes, enquanto o pivô espanhol Willy Hernangomez, que começou no banco de reservas, anotou um duplo-duplo, com 17 pontos e 11 rebotes.

Com a derrota no TD Garden, o Boston Celtics viu o seu aproveitamento na temporada cair para 61,9%, com 26 vitórias em 42 jogos, mas permanece na terceira colocação da Conferência Leste, com dois triunfos a menos que o vice-líder Toronto Raptors. Já o New York Knicks, mesmo com o grande resultado fora de casa, continua na 11ª posição, com 19 vitórias em 43 partidas e 44,2% de aproveitamento.

Após a derrota no clássico, a equipe do Boston Celtics terá dois dias de descanso, treino e reflexão até a próxima partida, que será disputada neste sábado (21), às 20h (horário de Brasília), contra o Portland Trail Blazers, no TD Garden. O New York Knicks não terá a mesma sorte, pois terá que enfrentar o Washington Wizards já nesta quinta-feira (19), no Madison Square Garden.

Destaques do Celtics

Isaiah Thomas (39 pontos e três rebotes)

Jae Crowder (21 pontos e cinco rebotes)

Jaylen Brown (12 pontos e quatro rebotes)

Destaques do Knicks

Derrick Rose (30 pontos, 10 rebotes e cinco assistências / duplo-duplo)

Willy Hernangomez (17 pontos e 11 rebotes / duplo-duplo)

Mindaugas Kuzminskas (17 pontos e seis rebotes)

Author avatar
Gustavo Arruda
Gustavo, 28 anos, é maranhense de São Luís, jornalista formado pela UFMA e repórter do Imirante.com. Fanático por esportes, principalmente futebol e basquete, é torcedor celta desde 2003, quando ouviu pela primeira vez o TD Garden lotado entoando "Let's go, Celtics!", e escreve no Celtics Brasil desde julho de 2011, com mais de 1.700 textos publicados. Nas horas vagas, é goleiro, armador, tio do João Gabriel e da Alice, e também dá seus pitacos sobre o maior campeão da NBA no Twitter: @gustavoarruda01.

10 comentários

  1. Fernando C Silva

    Mais do já conhecido relaxamento celta. Uma pena.

  2. Ranieri

    E ai galera
    Bom eu não vi o jogo porem meu comentário vai ser baseado nos numero que vi, alguns lances e tbm fazendo questionamentos que quem viu o jogo talvez possa me responder

    primeiro IT chamando a responsabilidade como sempre, não se esconde e chama pra sim o jogo, agora o Al Horford pelo amor de Deus o cara ganha 30 pila por ano, eu vi uma entrevista dele que ele disse que teve dificuldades no ataque, agora ele arremessou 14 vezes onde 8 foram tiros de 3 mas cara os Knicks estavam desfalcados de Noah e Kristaps P. pq raios o Al não jogou no garrafão se aproveitando do Post, da falta de experiência dos marcadores, serio não entendo essa insistência dele jogar na 4 longe da cesta, mesmo quando não está num dia bom pra isso, ontem foi 1 de 8 nas cestas de 3, outra coisa que me intriga são algumas rotações Olynyk vindo de um jogo de 26 pontos, ele tá subindo de produção e joga apenas 12 minutos, como eu disse não vi o jogo não sei se ele pendurou sendo com faltas, se sentiu alguma contusão, mas vendo apenas os número não dá pra entender, outro que vem subindo de produção de dezembro pra cá é o Green e ontem ele jogou 4 minutos não dá pra entender, ainda mais com o Bradley fora do jogo ele poderia ter ajudado muito na quadra de ataque e se a gente ver tirando o Smart os pontos vindo do banco estão concentrados nesse dois caras e juntos eles jogam 16 minutos. Os apagões ja estão normais e pra ser sincero era esperado que acontecesse ontem tendo em vista q ja ganhamos dos Knicks e que eles estariam desfalcados de dois titulares, mas acho q poderia ter sido feito um melhor trabalho pra diminuir esse relaxamento. Um ponto positivo pra mim foi a subida de produção do Crowder nos ultimos jogos e a partida do Jaylen, boas expectativas nele

  3. Francisco Machado

    Pode colocar na cobta do Horford.
    Celtics deveria descontar 1 milhão do salario dele, toda vez q ele ameaçar arremessar de 3. Talvez assim ele aprenda.
    Tava batendo na tecla q precisamos de um Center defensivo, tipo Noel, mas do jeito q tá o Horford, temos q trazer um cara bom ofensivamente, tipo Okafor.
    E não é só por causa do jogo de ontem não, quem ta acompanhando a temporada tá vendo q mesmo em partidas de 15 ou 20 pontos, o Horford tá um cocozinho.

    • Ranieri

      Então Francisco, eu tenho criticado bastante o Al Horford ultimamente, mas muito disso na minha opinião se deve a posição e ao sistema de jogo, não gosto dele na posição 4 talvez há alguns anos fosse uma boa ideia mas hj não, ele evoluiu bastante seu arremesso de média e longa distância porem fazer disso seu carro chefe não parece pra mim o melhor, prefiro ele dentro do garrafão debaixo da cesta se aproveitando da sua qualidade ofensiva no post e se aproveitando de fakes e ganchos, e no lado defensivo por mais que ele seja até rápido pra sua altura e tenha uma boa envergadura ele não tem a explosão suficiente pra ir da entrada do garrafão onde marca o pivô espaçado do adversário pra pegar rebotes, porem quando ele tá marcando centers debaixo do aro ele tem mais chances de pegar rebotes, fora que defensivamente ele sempre foi melhor protegendo o aro do que no 1 contra 1 então como ele vai se aproveitar disso marcando no espaçamento adversário. Acho que Noel poderia ser um bom complemento, talvez, porém só aspecto de marcar na posição 4 porém ele tbm é um bom protetor de aro e talvez embora seja um up com relação ao Amir em termos de sistema seria a mesma coisa.

  4. Lucas Oliveira

    Ranieri, só para te passar na questão do Green, ele entrou muito mal mesmo. Foram poucos minutos, mas o suficiente para ver que ele estava completamente fora e foi substituído depois de ficar parado em um rebote defensivo fácil que gerou um rebote do Lee e dois pontos sem contestação dele… Lembrou alguns dos piores momentos do Harden, só para você ter uma ideia.

    É o Horford ontem errou até layup sem ninguém na frente dele, foi embaraçoso, para dizer o mínimo.

    O que eu realmente não entendi é porque o time jogou small por tanto tempo. Olynyk 12 min, Amir 18min e Rozier 24min…. E não é como se o Rozier estivesse bem, pelo contrário ele praticamente foi a junção dos dois jogadores citados, a defesa dele estava tão ruim quanto a dos poucos minutos do Green, e no ataque estava individualista e chutando tão mal quanto o Horford! (Praticamente sem dar assistência o que o torna ainda pior)

    Resultado é que ele terminou com minus plus de -22, o pior da partida.

    Honestamente eu tentaria jogar com o Demétrius Jackson, tanto para dar uma chance para o garoto, quanto para punir o Rozier que depois de um desenvolvimento promissor, vem jogando pior do que estava no final do ano passado, pq está soft na defesa e achando que é Michael Jordan no ataque.

    • Ranieri

      Lucas se vc que viu o jogo não entendeu eu mais ainda vendo seu comentário, td bem que o Green não entrou bem, embora eu ache 4 minutos pouco pra se ter um parâmetro, mas tendo em vista que o Rozier tbm não estava bem não seria melhor nesse caso apostar na experiência do Green do que na juventude de um Rozier em mais uma noite ruim, pelo menos dividir mais os minutos, dificil de entender. E vendo que o Al Horford tava numa noite ruim, errando ate layup como vc falou num seria o caso de colocar ele mais perto da cesta onde ele teria mais chances de pontuar, ou menos chances de errar, kkkkkk, mas Olynyk jogar 12 minutos isso sim eu preciso de uma explicação, principalmente ele vindo de um jogo de 26 pontos

  5. 30 pontos do Rose e 24 rebotes a menos.
    Não teria como ganhar mesmo…
    Jogar no Leste mascara um pouco os problemas que temos ofensivamente e na tábua.

    []s verdes

  6. Fernando C Silva

    O sistema de jogo do Stevens privilegia o tiro de média e longa distância na posição 4.

    Neste quesito talvez o KO tenha um aproveitamento melhor que AH (qye jogaria na 5).

    O problema desta solução é ter o Amir na segunda unidade, pois traz pouca contribuição na pontuação.

    E o Zeller não demonstra o desempenho da season 14/15.

    De toda a forma, se era para jogar com aquela “nhaca” melhor deixar o Brown, Rozier (que está em queda livre de produção) e Mickey 30 minutos em quadra.

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.