Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Celtics 98 x 105 Bucks

Mesmo com uma atuação magistral do pivô brasileiro Vitor Faverani, um primeiro tempo praticamente irrepreensível e a presença da lenda Bill Russell nas cadeiras, a estreia do Boston Celtics diante de sua torcida na temporada de 2013/2014 da NBA foi desastrosa. Com os 18.624 lugares do TD Garden preenchidos, o Alviverde acabou sofrendo a virada e a derrota para o Milwaukee Bucks por 105 a 98, na noite de sexta-feira (1º), após liderar praticamente todo o jogo.

Foi a segunda derrota do Celtics em dois jogos disputados, sendo que a equipe verde é uma das quatro únicas em toda a liga a não ter vencido uma partida sequer até este sábado (3), junto com Washington Wizards, Denver Nuggets e Utah Jazz. Para o time do Bucks, foi o primeiro resultado positivo em toda a temporada.

Com o cenário completamente negativo até aqui, o Boston fará sua próxima partida neste domingo (3), quando enfrentará o tradicional rival Detroit Pistons no Palace of Auburn Hills. O Milwaukee, por sua vez, já atuou neste sábado (3) e foi derrotado pelo Toronto Raptors, em casa, por 97 a 90.

Os primeiros minutos de ação no TD Garden foram bastante equilibrados, com as duas equipes errando muitos arremessos e o Milwaukee Bucks insistindo mais no ataque, mas esbarrando em um Vitor Faverani atento nos rebotes e nos tocos. O Celtics só conseguiu a liderança no marcador quando faltavam sete minutos e meio para o fim do primeiro quarto, através de uma cesta de Brandon Bass. Daí em diante, só deu Boston: com uma run de 14-2, o time da casa rapidamente abriu uma vantagem e empolgou a torcida. Com bastante eficiência no ataque, os comandados de Brad Stevens terminaram o Q1 com 13 pontos de diferença.

Na volta para o Q2, empolgados após a homenagem a Bill Russell, o time voltou ainda mais atento e disposto a mostrar a que veio. Com dois lances de cesta e falta sofrida de Green e de Sullinger, sendo que este último batalhou no garrafão e pegou três rebotes ofensivos antes de conseguir os pontos, novamente o público se empolgou e empurrou a equipe, que correspondia com garra defensiva e show ofensivo. Diante de uma combinação tão forte, o Celtics chegou a estabelecer 18 pontos de liderança, mas o Bucks reduziu no final: 63 a 47.

Mesmo com a volta para a metade final do jogo, o time de Milwaukee continuou perdido em quadra, apesar de abrir os trabalhos com uma cesta tripla de Caron Butler. O Celtics, ainda no ritmo do primeiro tempo, voltou ainda mais eficaz e anotou sete pontos seguidos, o que deixou o time verde com a diferença recorde de 22 pontos. Vantagem construída, adversário entregue, torcida empolgada, ninguém esperava que o cenário pudesse ser alterado. Entretanto, o Bucks tratou de equilibrar as ações, pontuar e permitir poucas oportunidades ao Celtics, que passou praticamente seis minutos do Q3 marcando apenas em lances livres (nove, ao todo). Em uma falta boba de Kelly Olynyk, com o relógio praticamente zerado, Milwaukee teve três lances livres com Khris Middleton, que converteu todos e diminuiu a vantagem para 12 pontos.

No período final, já acreditando novamente na virada, o Bucks tomou a iniciativa e mostrou força para cortar, aos poucos, o restante da vantagem celta. Liderados por Zaza Pachulia, o Milwaukee dizimou a liderança celta quando restavam pouco menos de quatro minutos para o fim do jogo, com Caron Butler convertendo uma cesta de longa distância. O Celtics chegou a liderar novamente após cesta tripla de Gerald Wallace e lances livres de Brandon Bass, mas o Bucks já estava com o caminho da vitória trilhado. Restando 43 segundos, Pachulia colocou seu time na liderança e tratou, com paciência e defesa, de administrar o resultado. Diante dos erros bobos cometidos pela ofensiva celta, o Bucks só aproveitou as oportunidades para ampliar o placar e definir a sua surpreendente vitória como visitante em Boston.

Destaques do Celtics

Vitor Faverani (12 pontos, 18 rebotes e seis tocos)

Brandon Bass (17 pontos e nove rebotes)

Gerald Wallace (14 pontos, seis rebotes e quatro assistências)

Destaques do Bucks

Zaza Pachulia (20 pontos e nove rebotes)

John Henson (14 pontos e nove rebotes)

Nate Wolters (14 pontos e seis assistências)

Author avatar
Gustavo Arruda
Gustavo, 28 anos, é maranhense de São Luís, jornalista formado pela UFMA e repórter do Imirante.com. Fanático por esportes, principalmente futebol e basquete, é torcedor celta desde 2003, quando ouviu pela primeira vez o TD Garden lotado entoando "Let's go, Celtics!", e escreve no Celtics Brasil desde julho de 2011, com mais de 1.700 textos publicados. Nas horas vagas, é goleiro, armador, tio do João Gabriel e da Alice, e também dá seus pitacos sobre o maior campeão da NBA no Twitter: @gustavoarruda01.

3 comentários

  1. Fernando

    Temos uma vaga em aberto no elenco. Quais os PG disponíveis no mercado?

  2. Danilo Jeolás

    O problema é que começo a achar que tem gente na direção a favor de entregar a temporada em prol de uma boa pick. Isto é normal para Kings, Grizzlies, Hornets. Não para a franquia mais vitoriosa da história.

    É capaz até de atrasarem a volta do Rondo, podem apostar. Se a estratégia for essa, é algo realmente lamentável.

    • Marcos

      O zoado é apostar na sorte, vai que o canadense vira um Greg Oden da vida? Tudo é possível quando se aposta baseado apenas em sorte e loteria ao invés de fazer um planejamento sério: Contratar um técnico de verdade, ir montando o roster, pegar FA de qualidade e por aí vai….

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.