Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Dream 67 X 73 Lynx – Lynx Campeão

O choro de alegria da ala-armadora Seimone Augustus ao fim do jogo simbolizou os anos em que o Minnesota Lynx foi saco de pancadas da WNBA.

Na noite desta sexta-feira, no entanto, nenhum outro time esteve acima da equipe de Minneapolis. Com determinação e tranquilidade nos momentos de decisão, o Lynx venceu o Atlanta Dream por 73 a 67, conquistou o primeiro título da franquia na liga norte-americana e calou os torcedores rivais que lotaram a Phillips Arena.

Principal jogadora do Lynx e MVP das finais, Augustus fez parte do elenco do Lynx que amargou campanhas ruins no início da década. Em 2011, contudo, com a adição da novata Maya Moore e a permanência de Rebekkah Brunson, Augustus teve um elenco de qualidade para ajudá-la a conquistar o título inédito e o primeiro da cidade de Minnesota em ligas profissionais norte-americanas desde 1991, quando o Twins venceu a World Series da MLB (Major League Baseball).

Na noite desta sexta-feira, a veterana foi a cestinha do time visitante ao marcar 16 pontos. Augustus também pegou cinco rebotes e distribuiu quatro assistências em 31 minutos na quadra. Sua principal ajudante na parte ofensiva foi a ala Maya Moore, que marcou 15 tentos e ainda pegou sete rebotes. A jovem Moore, inclusive, foi a personagem dos momentos que definiram a partida: a arrancada do Lynx no terceiro quarto e uma bola de 3 nos instantes decisivos do último período.

O duelo foi equilibrado durante todo o primeiro tempo. Por necessitar da vitória para sobreviver na série, o Dream tomou a dianteira e permaneceu assim durante boa parte da etapa inicial. Ao fim dos primeiros 20 minutos de jogo, o Atlanta seguia na frente por 37 a 33.

A história, todavia, começou a mudar na terceira parcial. O Dream começou sonolento e só marcou quatro pontos nos cinco primeiros minutos de quarto. O Minnesota não vacilou e tomou a dianteira, com arremessos certeiros da novata Maya Moore. Passados três períodos, o placar mostrava vantagem de 52 a 45 para as visitantes.

O quarto decisivo começou tenso. Ambos os times mais erravam do que acertavam e a diferença se mantinha entre cinco e oito pontos para o Minnesota. O Dream, no entanto, começou a ensaiar uma reação nos dois minutos finais. A ala Angel McCoughtry acertou dois lances livres e, logo em seguida, a brasileira Iziane matou uma bola de 3 para cortar a diferença, 64 a 63 com 1min17s para o término. A partir daí, porém, o nervosismo tomou conta das jogadoras do Atlanta, que passaram a fazer muitas faltas e mandaram as rivais para a linha de penalidade. Com tranquilidade, as jogadoras do Lynx acertaram os lances que tiveram a disposição e garantiram o título.

Para as brasileiras Érika e Iziane fica o gosto amargo do segundo vice-campeonato consecutivo. A pivô carioca teve uma boa participação, com 11 pontos e 15 rebotes, mas não foi o suficiente para evitar o incômodo retrospecto de nenhuma vitória em finais da WNBA. Iziane, por sua vez, saiu do banco de reservas para anotar nove tentos. A maranhense, contudo, errou uma bandeja nos segundos finais que poderia ter recolocado sua equipe no jogo.

A jovem ala Angel McCoughtry tentou de tudo para evitar a varrida, mas errou muitos arremessos, principalmente no segundo tempo. A atleta de 24 anos terminou o duelo como cestinha ao fazer 22 pontos, só que com um aproveitamento ruim dos chutes (9 acertos em 25 tentativas).

A próxima temporada da WNBA tem previsão para começar em junho de 2012. Érika deve permanecer com o Dream, já que é a principal pivô do time. Já Iziane terá de negociar um novo contrato com a equipe do estado da Georgia.

Fonte: Basket Brasil

Author avatar
Flávio Catandi
Jornalista e Radialista apaixonado por basquete. Participa do Celtics Brasil desde 2008. Já foi redator, colunista e hoje é editor do site. Nas horas vagas gosta de escrever roteiros e gravar curtas e documentários. Pode ser encontrado na cidade de São Paulo com uma camiseta Celta.

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.