Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Giro pela NBA – 13/12 – 19/12

Saiba o que de melhor aconteceu na NBA nesta semana.

Os últimos sete dias na liga norte-americana de basquete foram marcados por intensas rivalidades, quebra de tabus e recordes, algumas polêmicas, retorno de jogadores importantes e grandes surpresas.

Fim da sequência de derrotas do Philadelphia 76ers

A equipe de Piladelphia vem realizando uma péssima campanha na temporada 2009/10, que em nada se assemelha ao aproveitamento na última temporada, quando o Sixers ficou na sexta colococação do leste, e foi eliminado no primeiro round dos playoffs pelo Orlando Magic.

Na pré-temporada, o Sixers perdeu um de seus principais jogadores, o armador Andre Miller, que foi atuar pelo Portland TrailBlazers. O reserva de Miller, Louis Williams vinha realizando boas atuações, mas acabou sofrendo uma grave lesão, e deve permanecer mais um mês em recuperação, sendo que ele já está a três semanas sem jogar. Para o lugar de Williams, o Sixers foi buscar um dos seus melhores jogadores da história, o ala-armador Allen Iverson, que já atuou em cinco jogos pela equipe de Philadelphia.

Após sofrer 12 derrotas consecutivas, o Philadelphia 76ers voltou a sorrir na NBA, e venceu o Golden State Warriors, na última segunda-feira (14/12), por 117 a 101. Iverson marcou 20 pontos e distribuiu 4 assistências na partida. Agora resta esperar o decorrer da temporada para ver se Iverson irá mesmo ajudar o Sixers a ter uma campanha melhor na NBA.

Surpresas da Semana

Ocorreram muitos resultados inesperados nos últimos sete dias. O primeiro aconteceu na segunda-feira (14/12), quando o Minnesota Timberwolves bateu em Salt Lake City, o Utah Jazz, por 110 a 108. Está foi a segunda vez em dez dias que o Wolves derrotou o Jazz, uma vitória foi conquistada em Minnesota, e a outra fora de casa. No mesmo dia, o Charlotte Bobcats acabou com a sequência de quatro vitórias seguidas do New York Knicks (um fato bem raro de antecer, já que o Knicks tem um dos piores times da liga, hoje), o Bobcats venceu o jogo em seus domínios, por 94 a 87.

Na última sexta-feira a festa estava armada no TD Garden, ginásio do Boston Celtics. O ala-armador da equipe Celta recebeu no início da partida a bola do jogo entre sua equipe e o Washington Wizards, em Washington, no último dia 10/12, que terminou com vitória Green, por 104 a 102. Por que este jogo foi tão importante? Pois foi nesta partida que Ray Allen chegou aos 20.000 pontos na carreira, feito alcançado, até então, por apenas 32 jogadores. Mas o Sixers acabou com a festa, e com a sequência de 11 vitórias seguidas, ao bater o Boston Celtics, por 98 a 97.

A última surpresa da semana aconteceu no sábado (19/12), quando o Chicago Bulls venceu em seus domínios, após uma prorrogação,o Atlanta Hawks, por 101 a 98. O cestinha da partida foi o ala-armador do Hawks Joe Johnson, com 40 pontos, mas quem triunfou no duelo, foi o armador do Bulls, Derrick Rose, que anotou 32 pontos, sua maior pontuação da carreira.

Departamento Médico

Nesta semana algumas equipes perderam jogadores importantes, por conta de lesões. O primeiro time a se ver desfalcado na semana foi o Denver Nuggets, que venceu em seus domínios, na última quarta-feira (16/12), o Houston Rockets, por 111 a 101. A notícia ruim para a equipe de Denver foi a contusão de seu armador titular Chauncey Billups, que sentiu uma distensão na virilha, restando 9:06 minutos para o fim do 3° quarto, o armador foi para o banco de reservas e não retornou para o jogo. Billups deve permancer pelo menos mais uma semana em recuperação.

Allen Iverson também se machucou, e assim, se afastou das quadras, com retorno previsto para a próxima semana. Iverson está com uma artrite no joelho esquerdo e uma lesão no ombro esquerdo.

O ala-pivô do Mavs, Dirk Nowtzki, e o ala suplente do Rockets, Carl Landry, sofreram lesão em um choque no início do segundo quarto. Nowitzki infiltrou na garrafão, teve um contato que parecia normal com Landry, e acabou acertando a cesta. Mas, além dos dois pontos, o alemão acabou levando um dente do ala no cotovelo direito, por conta do contato na jogada. Landry não perdeu apenas um dente, mas sim, três, sendo que um deles ficou alojado no cotovelo direito de Dirk. Nowitzki e Landry deixaram o jogo, foram atendidos por médicos, e devem permanecer em recuperação por mais alguns dias. Confira abaixo um vídeo com o choque que ocasionou a lesão:

http://www.youtube.com/watch?v=UaVAL3DBauU

Baby, I´m Back

Além das lesões, os últimos sete dias também foram marcados pela volta de jogadores importantes. O primeiro retorno aconteceu na última terça-feira (15/12), quando o ala-armador do Houston Rockets, Tracy McGrady, voltou a jogar, na vitória de sua equipe, o Houston Rockets contra o Pistons. McGrady ficou cerca de dez meses sem atuar, e em seu retorno, marcou 3 pontos e apanhou 3 rebotes em 8 minutos em quadra. Parece que Tracy McGrady e Rick Adelman (técnico do Rockets) estão se entendendo, certo? Errado, Adelman não pretende utilizar o ala-armador na rotação regular da equipe, o técnico quer apenas dar mais tempo de quadra para McGrady, para que ele volte à boa forma, e quando isso acontecer, irão negociá-lo com as equipes que se mostrarem interessadas.

O segundo retorno importante aconteceu na última sexta-feira (18/12), quando o New York Knicks derrotou em seus domínios o Los Angeles Clippers, por 95 a 91. Esta partida marcou o retorno do ala-pivô Jonathan Bender, que não jogava desde novembro de 2005. Bender foi selecionado pelo Indiana Pacers no draft de 1999, e permaneceu na equipe até 2005. No mesmo ano, Bender foi eleito pela revista norte-americana, Sports Illustrated, como o 11° colocado em uma lista com as 20 piores escolhas de draft na era moderna da NBA, por conta de sucessivas e graves lesões do ala-pivô em seu joelho direito, o que acabou reduzindo seu número de partidas na temporada, até chegar a zero. Por causa das lesões, Bender ficou quatro anos afastado das quadras, mas trabalhou duro para poder voltar a jogar, até que recebeu uma oportunidade do New York Knicks, que o contratou pelo salário mínimo, no dia 13 de dezembro de 2009. Em seu retorno, na sexta-feira, o ala-pivô ajudou o Knicks a bater em NY, o Clippers, por 95 a 91. Bender jogou por 14 minutos, marcou 9 pontos, apanhou 2 rebotes e deu 1 toco no período.

No mesmo dia, o armador do New Orleans Hornets, Chris Paul, que havia retornado de lesão há uma semana, ainda não havia jogado em 2009/10, como havia feito na temporada passada. A “atuação dos sonhos” ocorreu em New Orleans, onde o Hornets venceu o Denver Nuggets (que não contava com Chauncey Billups), por 98 a 92. Paul marcou 30 pontos e distribuiu 19 assistências, sendo decisivo para a vitória de sua equipe.

A última volta à quadra ocorreu no sábado (19/12), quando, após 12 jogos, o armador Louis Williams voltou a jogar pelo Sixers. Williams permaneceu cerca de três semanas em recuperação por conta de uma fratura na mandíbula. O armador atuou por 23 minutos e marcou seis pontos, mas não conseguiu evitar a derrota de sua equipe, mesmo jogando em casa, e após uma prorrogação, por 112 a 107. A maré de azar do Sixers parece não ter fim. No jogo do último sábado (19/12) Louis Williams voltou a jogar, mas o Sixers perdeu seu ala-armador Allen Iverson, por lesão. Desse jeito o Sixers vai ter de se contentar com uma boa escolha de draft.

A semana também teve o retorno aos treinamentos do armador Jameer Nelson do Orlando Magic e do ala-pivô do Chicago Bulls, Tyrus Thomas. Ambos jogadores permaneceram cerca de um mês afastados das quadras.

Untouchables

Nesta semana temos um quadro novo no Giro pela NBA, onde destacamos equipes que são imbatíveis de alguma maneira. Na sexta-feira (18/12), o Oklahoma City Thunder derrotou em casa o Detroit Pistons, por 109 a 98. O que esse jogo tem de especial? Ele ressalta uma incrível invencibilidade do Thunder, que ainda não foi derrotado na temporada quando atingiu a marca centenária de pontos, foram 11 vitórias e nenhuma derrota até agora.

No sábado o Phoenix Suns venceu em casa o Washington Wizards, por 121 a 95. Mais um jogo normal, certo? Errado. Esta foi a décima vitória consecutiva do Suns em casa, e a 19° se acrescentarmos a invencibilidade da temporada passada. O time de Phoenix é o único invicto em seus domínios. Nos 19 jogos de invencibilidade, o Suns derrotou 13 times da conferência oeste, e seis do leste. Além do Wizards, o time de Phoenix também bateu o Spurs, em casa, na última terça-feira (15/12), por 116 a 104.

Unbreakables

Além do quadro Untouchables, também estreamos nesta semana o Unbreakables, que vai tratar de tabus na liga norte-americana de basquete. Na última quinta-feira (17/12) o Suns viajou até Portland e foi derrotado pelo TrailBlazers, por 105 a 101. Este jogo foi transmitido pela TNT, e a emissora de televisão não traz sorte à equipe do Arizona. Esta foi a 17° derrota consecutiva do Phoenix Suns, quando teve seu jogo transmitido pela TNT. Daqui a pouco o Suns não vai deixar que a emissora transmita seus jogos.

Para o Celtics, agora, todo jogo em casa numa sexta-feira está se tornando um tormento, parecendo uma sexta-feira 13. No último dia 18/12, o Celtics foi derrotado em casa, e teve sua sequência de 11 jogos de invencibilidade quebrada pelo Philadelphia 76ers, que venceu por 98 a 97. Além desta derrota, o Celtics perdeu outros três jogos em casa numa sexta-feira, para o Phoenix Suns, no dia 06/11, por 110 a 103, para o Atlanta Hawks no dia 13/11 (esta sim, uma sexta-feira 13), por 97 a 86, e para o Orlando Magic, no dia 20/11, por 83 a 78.  Vamos esperar que as equipes quebrem logo seus respectivos tabus.

Polêmica no jogo entre Mavs X Rockets

Dallas Mavericks e Houston Rockets fizeram um grande jogo de basquetebol na última sexta-feira (18/12), que terminou com vitória do Rockets, fora de casa, após uma prorrogação, por 116 a 108. Mas o dono da franquia de Dallas quer alterar o resultado deste confronto. Mark Cuban enviou um protesto para a NBA, afirmando que a expulsão do pivô Erick Dampier, pela segunda falta técnica foi equivocada. Os árbitros do jogo, Ken Mauer, Brian Forte e John Goble deram a segunda falta técnica para Dampier, ao revisar uma jogada, restando 1:01 minutos para o fim do tempo extra. Cuban acredita que não existiu falta de Dampier na jogada, e sim de Aaron Brooks. O dono do Mavs quer que a partida recomece com 1:01 para o fim do duelo, com Dampier na linha do lance livre, e o placar de Rockets 110 X 104 Mavs. Confira abaixo o vídeo com o recap da partida, e tira suas próprias conclusões se existiu falta de Dampier ou não:

http://www.youtube.com/watch?v=Png0d-KsnNw

Os recordes só existem para serem quebrados

Alguns recordes foram igualados, e marcas pessoais foram superadas nesta semana. No último domingo (13/12), o Memphis Grizzlies surpreendeu ao derrotar fora de casa o Miami Heat, por 118 a 90. O ala do Grizzlies, Rudy Gay, marcou 41 pontos na partida, sua maior pontuação na carreira.  Também no domingo, o Cavs derrotou fora de casa o Oklahoma City Thunder, por 102 a 89. O ala do Thunder, Kevin Durant veio para esta partida com um recorde igualado. Durant foi o terceiro jogador da história da liga a ter uma média de 28 ou mais pontos nos primeiros 21 jogos de uma temporada, com 21 anos ou menos. O ala veio para o jogo em Cleveland com uma média de 28,3 pontos, a maior da liga. Os dois primeiros atletas a atingirem esta marca estavam no duelo. O pivô do Cavs, Shaquille O´Neal conseguiu uma média de 28,6 pontos nos 21 primeiros jogos da temporada de 1993/94, e o ala do Cavaliers, LeBron James foi o segundo, quando marcou 30.5 pontos nas 21 primeiras partidas em 2005/06.

Na terça-feira, o Suns foi derrotado fora de casa pelo Portland TrailBlazers, por 105 a 102. O ala-armador do Blazers, Jerryd Bayless, que está em seu segundo ano de NBA, marcou, vindo do banco de reservas, 29 pontos em 29 minutos, sua maior marca da carreira. A última marca relevante da semana foi alcançada pelo técnico tetracampeão da NBA, Greg Popovich, que viu sua equipe, o Spurs passar um sufoco, fora de casa, para vencer, no último sábado (19/12), o Pacers, por 100 a 99. Esta foi a  vitória de número 700 na carreira de Popovich. Assim, o técnico do Spurs se torna o 16° da história da NBA a atingir tal marca.

Duelo entre candidatos a Rookie of the Year.

Nesta semana ocorreu um duelo, no último sábado, 19/12, em Milwaukee, entre os dois principais candidatos ao prêmio de Rookie of the Year (melhor novato da temporada), os armadores: Brandon Jennings do Milwaukee Bucks, e Tyreke Evans, do Sacramento Kings. O jogo foi bem equilibrado, mas Evans se saiu melhor no duelo. O novato marcou a última cesta do jogo, restando 1 segundo, para dar a vitória a sua equipe, por 96 a 95. Evans foi o destaque do Kings na partida, com 24 pontos, 7 rebotes e 3 assistências. Pelo Bucks, Jennings jogou bem, marcou 15 pontos, distribuiu 9 assistências e apanhou 6 rebotes, mas não conseguiu evitar a derrota de sua equipe. Confira abaixo o recap deste duelo entre novatos tão promissores:

http://www.youtube.com/watch?v=aQNFaW4rvU8

Subindo

O Atlanta Hawks já  não é apenas uma surpresa na temporada. Apesar de uma sequência de 6 vitórias ter sido quebrada no dia 19, contra o Chicago Bulls, Joe Johnson e cia formam um time consistente no ataque e na defesa, com capacidade para vencer alguns favoritos ao título. É bom lembrar que além de Joe Johnson, o time também conta com bons “coadjuvantes”, como Josh Smith, Jamaal Crawford e Al Horford,  que são termômetros para boas atuações do time.

Já o Cleveland Cavaliers de LeBron James passou a semana invicto: venceu os quatro jogos disputados. Dentre as vitórias, está o triunfo diante do Milwaukee Bucks do novato Brandon Jennings, que dificultou as ações, e teve a bola para empatar o jogo, mas acabou errando o arremesso decisivo. Uma das principais forças do time é a sua casa, a Quicken Loans Arena, onde o Cavs perdeu apenas duas partidas.

E, quem diria, o Houston Rockets tem 16 vitórias na temporada. Talvez nem o mais otimista dos torcedores da equipe de Houston imaginava que um time reformulado, e sem o seu principal jogador (Yao Ming) viesse a jogar tão bem. Foram 3 boas vitórias na semana, diante do Mavericks, Pistons e Thunder. O destaque do time vai para Trevor Ariza e o jovem armador Aaron Brooks, que tiveram médias próximas a 19 pontos nos triunfos da semana.

Descendo

O Detroit Pistons amarga 4 derrotas em sequência e coloca um ponto de interrogação quando se fala sobre uma classificação aos playoffs. O time chegou a ter uma boa sequência de 5 resultados positivos, mas contra times mais fracos (exceção feita ao Nuggets). Apesar de estar entre as 6 melhores defesas da liga, o Pistons tem um ataque muito disperso, que produz pouco: 93 pontos por jogo, o quarto pior da NBA.

Na mesma divisão do Detroit Pistons está o Milwaukee Bucks, com 3 derrotas consecutivas. Por enquanto, o time tem apenas 2 vitórias no mês, em 9 jogos disputados. Jennings, Redd e Bogut de certa forma dificultaram a vida de fortes equipes, como o Los Angeles Lakers, que precisou de Kobe brilhando para vencer no segundo final, e o Cleveland Cavaliers, quando o novato Jennings teve a bola de 3 para empatar o jogo, mas precipitou-se.

Para fechar o ‘Descendo’ da semana, temos o Golden State Warriors. A equipe da California não vence há  4 jogos, perdendo inclusive para fracas equipes como Washington Wizards e Philadelphia 76ers. As atuações do time dão a indicar que o objetivo da temporada deve ser mesmo a primeira escolha do draft.

Player of the Week

O melhor jogador da última semana é pivô, e pretende levar sua equipe a conquistar seu primeiro título de NBA. Dwight Howard teve atuações fantásticas nesta semana. Além dos habituais Double-Double, de pontos e rebotes, o pivô conseguiu grandes números em bloqueios. As médias de Howard em quatro jogos na semana foram de 17 pontos, 17.8 rebotes e 4.5 bloqueios, as duas últimas são as maiores da liga conquistadas por um jogador em sete dias na temporada 2009/10. O pivô ajudou sua equipe a conquistar três vitórias nesta semana, todas em Orlando, e foi derrotado apenas uma vez, em Miami, pelo Heat. Contra o Pacers na segunda-feira (14/12), Howard teve uma bela atuação, com 21 pontos e 23 rebotes, na vitória do Magic (após duas derrotas seguidas), por 106 a 98. Mas, a melhor partida que Howard realizou nos últimos sete dias foi contra o Toronto Raptors, na última quarta-feira (16/12), quando o pivô marcou 18 pontos, apanhou 14 rebotes e deu 8 tocos (o maior número da temporada) na vitória do Magic, em Orlando, por 119 a 99.

Game of the Week

No melhor jogo dos últimos sete dias ocorreu um encontro entre um novato sensação, e um tetracampeão da NBA. Los Angeles Lakers e Milwaukee Bucks se enfrentaram em Milwaukee, na última quarta-feira (16/12), e quem esperava uma vitória fácil do Lakers, estava enganado. O Bucks, e principalmente o novato Brandon Jennings, queriam mostrar que eram capazes de vencer o atual campeão, e, assim, fizeram um jogo bem equilibrado, do começo ao fim. A vantagem no marcador não passou de sete pontos.

Lakers e Bucks tiveram a chance de obter a vitória no tempo normal, mas Andrew Bogut, pivô do Bucks, desperdiçou um lance livre, com 20 segundos para o fim, e Kobe Bryant perdeu um arremesso, com apenas 2 segundos para o término da partida. Assim, o jogo terminou empatado no tempo regulamentar, em 95 a 95, sendo assim necessária a realização de uma prorrogação. O tempo extra seguiu equilibrado, até restarem 1:56, quando a partir de uma cesta de três pontos do armador Michael Redd, o Bucks conseguiu abrir caminho para conquistar uma vantagem de seis pontos. Restando 01:25 para o fim da prorrogação, o placar marcava 106 a 100 para o Bucks, mas o incrível aconteceu, novamente. O ala-armador Kobe Bryant, que estava jogando com um dedo da mão direita quebrado, liderou sua equipe para à virada. Bryant marcou os últimos sete pontos do Lakers na prorrogação, acertando três arremessos e convertendo um lance livre.

Com apenas um segundo para o fim do duelo, o Bucks vencia por um ponto, 106 a 105, mas Bryant voltou a brilhar, e fez, paar ele, o que é habitual, decidiu mais uma vitória do Lakers, convertendo o Buzzer Beater. Como dito anteriormente, não é a primeira vez que Kobe Bryant acerta um buzzer em sua carreira, e nem nesta temporada. Bryant já decidiu muitos jogos para o Lakers, contra o Blazers em 2004, na temporada regular, o que deu ao Lakers a melhor campanha da divisão do Pacífico. Contra o Phoenix Suns, em 2006, no primeiro round dos playoffs, e também contra o Miami Heat nesta temporada, dentre outros. Isto demonstra a liderança e o quão fundamental é Kobe Bryant para o Los Angeles Lakers.

Destaques do Jogo:

Los Angeles Lakers

Kobe Bryant – 39 pts (7 na prorrogação), 7 rebs, 4 ass
Pau Gasol – 26 pts, 23 rebs, 4 ass, 4 blks
Ron Artest – 10 pts, 3 rebs,  3 ass

Milwaukee Bucks

Michael Redd – 25 pts, 7 rebs, 4 ass
Ersan Ilyasova- 24 pts, 5 rebs, 4 ass
Andrew Bogut – 16 pts, 12 rebs
Luke Ridnour – 13 pts, 2 rebs, 4 ass
Brandon Jennings – 11 pts, 3 rebs, 7 ass

Confira abaixo um vídeo com os melhores momentos deste duelo fantástico:

http://www.youtube.com/watch?v=X5D47Fvk718

Para quem não quiser ver todo o recap, disponibilizamos abaixo um vídeo com apenas o Buzzer de Kobe Bryant:

http://www.youtube.com/watch?v=uZO5qYYNbAs

Por: Flávio Catandi e Pedro Henrique, editor do Suns Brasil

Author avatar
Flávio Catandi
Jornalista e Radialista apaixonado por basquete. Participa do Celtics Brasil desde 2008. Já foi redator, colunista e hoje é editor do site. Nas horas vagas gosta de escrever roteiros e gravar curtas e documentários. Pode ser encontrado na cidade de São Paulo com uma camiseta Celta.

2 comentários

  1. Rafael Forner

    Parabéns ao Flávio e ao Henrique, essa coluna “Giro pela NBA” é fantástica.

    Sabe-se de tudo em pouco tempo.

    Parabéns !!!

  2. Cauê Carneiro

    Nossa, demais, parabéns a ambos, a coluna ficou ótima, mais informação impossível hehehehe.

    Obrigado aos dois, e que continuem assim !!

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.