Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Prévia – Boston Celtics (11-20) x Charlotte Hornets (11-24)

Na noite desta 2ª feira, o Boston Celtics recebe o Charlotte Hornets, buscando sua primeira vitória no ano de 2015.

O adversário, de logo mais, viaja para Boston desfalcado de seu principal jogador: Al Jefferson permanece fora de ação, ainda se recuperando de uma lesão muscular sofrida na última semana. Para o Celtics, isso é uma ótima notícia, visto que no primeiro duelo entre as equipes, nessa temporada, Big Al foi o grande destaque da partida, com 23 pontos e 14 rebotes, na vitória do Hornets por 96×87, no dia 10/12/2014. Al Jefferson, que passou suas primeiras 3 temporadas em Boston, possui uma média de 19.9 pontos contra o Celtics – é sua maior média contra qualquer equipe da NBA.

Essa vitória, inclusive, foi a quarta da equipe de Charlotte, sobre o Celtics, nos últimos 7 confrontos. No entanto, quando o duelo ocorre em Boston, o retrospecto recente é amplamente favorável ao maior campeão da NBA: nos últimos 18 encontros, 14 vitórias do Celtics no TD Garden. Ademais, o Hornets/Bobcats é limitado a 90.3 pontos, por jogo, em média.

Big Al não é o único desfalque da franquia de Michael Jordan. Lance Stephenson permanece afastado. No entanto, tantos desfalques não foram empecilho para o Hornets bater o Magic, em Orlando, no último Sábado, por 98×90. O rival desta noite apresenta um dos piores ataques da competição, ao marcar apenas 95.1 pontos por jogo.

Um atrativo, para o jogo desta noite, é o duelo entre os irmãos Zeller: Cody e Tyler.

O Celtics, por sua vez, perdeu todas as partidas realizadas em 2015, até a presente data. No dia 02/01, recebeu o Dallas Mavericks e o ex-capitão Rajon Rondo, e perdeu por 119×101. No dia seguinte, viajou até Chicago e, apesar de uma surpreendente atuação, levando o jogo para prorrogação, acabou sendo derrotado pelo Bulls por 109×104. Esse revés, na Windy City, representou a sexta derrota do Celtics, nos últimos 8 jogos.

Entretanto, apesar da má fase, o Celtics permanece a apenas 2 vitórias de reassumir uma posição entre os 8 melhores do fraco Leste. De acordo com os matemáticos, o Celtics possui uma chance de 36.9% de chegar aos Playoffs (o que chega a ser surpreedente, visto que as chances do atual oitavo colocado – Miami Heat -, são 3 vezes piores).

Portanto, se o Celtics ainda sonha com Playoffs, a vitória hoje é obrigatória.

Ficha Técnica

Local: TD Garden (Boston, MA)

Horário: 22h30 (horário de Brasília)

Boston Celtics: Evan Turner, Avery Bradley, Jeff Green, Jared Sullinger e Tyler Zeller. Treinador: Brad Stevens.

Charlotte Hornets: Kemba Walker, Gerald Henderson, Michael Kidd-Gilchrist, Cody Zeller e Bismack Biyombo. Treinador: Steve Clifford.

Author avatar
Rômulo Portugal
Rômulo é carioca, advogado, e fã de futebol, NBA e NFL. Acompanha o Celtics desde 2003. Seu fanatismo pelo maior campeão da NBA o fez torcer para os demais times de Boston. Como bom carioca, é Vascaíno. Tem Paul Pierce como primeiro e grande ídolo na NBA.

39 comentários

  1. Renato

    Esse jogo não tem como perder, O Hornets sem Al Jeferson é muito limitado no ataque.

    107 x94 a favor do Celtics

  2. Barry

    Infelizmente vamos vence.Sério que querem offs pra ser massacrado na 1° rodada????
    As proximas 3 partidas: Hornets, Nets e Pacers serão determinantes para o nosso tank.

    • pessoa

      Cara,se ao menos chegarmos nos playoffs(o que eu acho muito dificil),significaria que nós melhoramos com relação ao ano passado,isso vai ajudar na confiança dos jogadores,que somados ao reforço das proximas picks criará um time verdadeiramente melhorado cheio de jovens talentos confiantes (como eu ja disse,provavelmente lá pra temporada 2016-2017

  3. Carambola

    Que tristeza! Apanhando em casa de um Hornets todo desfalcado. E não é tank, é ruindade mesmo.

  4. pessoa

    Meu Deus,wallace está vivo!!!

  5. Jota

    Tô no momento comemorando cada derrota do time. Sem brincadeira. Tudo para a montagem de um time melhor. Não quero disputar vaga (Quiça ir) para morrer na 1ª rodada dos playoffs.

    Tá certo que, também, não quero ver meu time perdendo todo tempo. Mas o time mostrou algum talento, já. O tank é descarado mesmo. Então vamos que vamos, fazer o quê?! Tá nas suas mãos, Ainge.

    • luiz eduardo

      eu tbm to desse jeito, se é pra fazer rebuild, vamo tentar fazer direito, e pra isso tem que ter umas picks altas, já temos várias meia-boca, temos que pegar uma top

  6. Willian Stanley

    Perdemos, mais cara que último quarto foi esse.

    Pressey, Smart e Young colocaram fogo. Marcação de Pressey e Smart insana e forçando muitos turnovers.

    Menção pro Young que jogou 17 minutos e meteu 13 pontos. Torcida foi a loucura com as bolas de três caindo. E o Sully que fez 22 pontos e 8 rebotes.

    Kemba Walker estava endiabrado meteu 33 pontos.

  7. The Real Jay

    James Young 17 min 5-7, 3-4 3pts, Bradley com 20min 2-7, 0-0 3pts, e ainda fez um contrato absurdo pro Bradley kkkkkkk, parabéns Ainge.

  8. drakes

    Arduamente um fã do celtics vem colocando rodada a rodada a qualidade da ofensiva dos jogadores, os dados são bem interessantes:

    Points Per Shot .. Player …..,. Shots Taken
    0.910 Rajon Rondo ……………. 200 (4th Option, yikes) (was 1.142 during the Championship season)

    Ou seja, não era apenas defensivamente que o esforço do Rondo caiu.

    Contando o jogo de ontem:
    1.029 Avery Bradley …………. 377 (3rd option who should be 7th option or worse)

    Acho que não é surpresa para ninguém que o AB é ofensivamente abaixo da média do time.

    Os melhores são:

    1.605 Tyler Zeller ……………. 190 (8th Option)
    1.600 James Young ……………. 15
    1.321 Kelly Olynyk …………… 271 (4th Option should be 1rst or 2nd Option)

    O smart que começou lá embaixo já esta quase na média do time:
    1.165 Marcus Smart …………… 100

    • Marcos

      Drakes,

      Acompanhei de soslaio ontem a vitória do 76ers (o Knicks já é o pior time da Liga) sobre o Cavs e depois tive tempo de ver Hockets x Bulls (como gostaria que o Thibs pudesse um dia ser nosso coach) e o OT de Dallas x Nets.

      O Rondo 1-13 ontem nos arremessos de quadra.

      Sem olhar nos números me parece que o nosso melhor jogador ofensivo é o KO (pena que a defesa dele não exista e também os rebotes sejam poucos).

      Acho que, talvez ainda nessa season, possamos ver o quinteto Smart-Young-Crowler-KO-Wright que seria para desenvolver os caras jovens ao máximo, ou ainda, Turner-Smart-Young-Sully-Zeller, esta última com maior probabilidade.

      []s verdes

  9. Renato

    É rapaziada, escrevi que não dava para perder o jogo, mas o nível do “tank” tomou aceleração máxima.

    Time de último quarto com vários jogadores que não fazem parte da rotação principal, fora a falta de vontade visível.

    A parte boa do jogo foi ver o Young mostrar seu talento. Não duvidem de ter sido o roubo desse draft esse jogador, parece ser realmente muito talentoso e tem boa estatura para jogar na posição 2, que deve ser sua posição inicial na NBA.

  10. The Real Jay

    James Young, é o msm jeito de Harden mano, incrível, quando ele melhorar sua defesa, tem tudo pra ser elite da NBA.

    • Barry

      Eu acho q esta na mão dos Stevens saber lapidá-lo. Talento ele tem de sobra.
      Se ele se tornar um Harden será um achado nosso. Lembrando q ele veio da pick dos Nets na troca com PP e KG.
      Agora so falta o Smart se tornar um Westbrook.
      Pô, na noite do draft compararam o Parker com o Pierce. Como eu queria q o celtão tivesse aquela 2° pick.

  11. The Real Jay

    Knicks vai draftar o Okafor mesmo, mandaram pro cavs Shumpert e JRSmith. Quero ver quem vamos draftar nesse próximo draft.

    • Barry

      Se ficarmos na 6°,7°….
      Center: Willie Cauley
      Talvez iremos na FA atras de um pivo, e aí drafitariamos um SF: Justise Winslow
      Na pick dos Clippers (20°), Center: Frank Kaminsky ou um SF: Kelly Oubre
      Temos picks de 2° rodada e de 1°/2016 que poderiamos usar para subirmos um pouco de posição no draft.

  12. Renato

    The Real Jay,

    O NY pode até querer o Okafor, mas ter a pior campanha não garante isso.

    Para que NY tenha a primeira escolha do Draft, será necessário tb ganhar o sorteio.

    O Celtics até o dia 25/01 se quiser perde todas as partidas, pq só tem pedreira:

    Dia 07 – Nets
    Dia 09 – Pacers
    Dia 10 – Raptors
    Dia 12 – Pelicanos
    Dia 14 – Hawks
    Dia 16 – Bulls
    Dia 19 – Clippers
    Dia 22 – Blazers
    Dia 23 – Nuggets
    Dia 25 – Warriors

    Ou seja, até o dia 25, o Ainge tem que se livrar do Green e do Bass para equipe ficar horrível.

    Se tudo der certo (ou errado rs) e nós perdemos todos os jogos, acredito que seremos a 5 pior campanha.

    Depois disso é administrar essa posição e tentar subir pelo menos 2 posições no Draft e pegar o Karl Towns, ou manter a 5 posição e pegar o Winslow ou Jonhson.

    Com a Pick Clippers podemos tentar descer para 15 escolha e trazer o Cliff Alexander ou o Kaminsky

    • drakes

      Eu não vi jogar, mas sobe o interesse dos times no Jakob Poeltl, dei uma olhada nos números dele e são melhores que o Willie Cauley Stein na primeira temporada.

      • Barry

        DCS é um pivosão defensivo. Ele não faz muitos pontos por exemplo.

          • drakes

            As características são iguais entre os dois, são pivos defensivos, a diferença no primeiro ano (já que o Jakob Poeltl é freshman) das estatísticas dos dois, o jogador de Utah tem melhor desempenho ofensivo (não muito) e rebotes, já o WCS melhor roubo de bolas.

            No 1×1, é difícil dizer por que não vi o Poeltl, mas ao ele anular o Cliff Alexander (Kansas) – tem o vídeo no draftexpress – é algo a se pensar, eu não me lembro do Stein ter anulado alguém tão bem ranqueado no seu começo dentro da NCAA.

            E como falamos em potencial, é bom sempre ver quem pode ter uma curva de produção melhor.

          • Barry

            Sim. Acho q o WCS vai ser isso ai que se ve em Kentucky. Ele está no ultimo ano, acho q tem 21 anos,…..
            Então acredito que ele não tenha muito a evoluir em seu jogo.
            Vou ficar de olho nesse Jakob Poeltl tbm.VLW

    • Barry

      Meu sonho é o Okafor, mas se vier Winslow / Kaminsky eu acho q ficariamos bem na nossa rebuild

  13. The Real Jay

    Tenho q dar uma pesquisada mais profunda, esse próximo draft acho q vai ser uma surpresa da NBA.

  14. Marcos

    Draft é 50% sorte, desde o sorteio, lesões, desenvolvimento do jogador…

    Vejam o draft do ano passado p**** hype nos caras e o ROY deveria ser o Mirotic (que veio do Madrid) se o prêmio levasse em conta só o jogo de basquete e não o hype…

    Veja bem, monstros que são monstros mostram logo a que vieram, vide Duncan, Wade, Kobe, Iverson, LeBron para usar exemplos recentes….

    MAS estou torcendo para que percamos tudo a partir de agora, para termos maior probabilidade de escolhermos quem quisermos… E acho que vamos perder mesmo, vejam o Stevens assumindo que está mais perdido do que cego em tiroteio:

    “I’ve got to figure out how to coach this team better,” he said. “I’m not doing a very good job. We’re not playing well. We’re playing almost … it’s not good basketball. I will figure rotations later once we’re playing good basketball and when we’re all focused on playing good basketball. That’s on me. I’ve got to do a better job.”

  15. Renato

    Marcos,

    Draft e sorte são palavras que não coincidem.

    O Draft se assemelha a uma seleção de emprego:

    Entrevista – Dinamica – Prova Prática

    Em uma empresa se estipula o perfil de funcionário x o ramo de negócio.

    Se escolhe aquele que tem potencial para atingir o sucesso desejado, após várias etapas comprobatórias.

    Em uma franquia da NBA, os jogadores do DRAFT são analisados durante todo o ano com suas estatísticas e forma de jogar.

    Isso em si já é bem relevante, mas ainda é feita uma entrevista e análise prática junto com a franquia em testes específicos.

    Ou seja, quando vai ser feita uma escolha, já existe todo um portifólio de informações, que permite ao GM optar pelo talento mais completo ou arriscar em um jogador menos talentoso, mas com maior potencial de crescimento.

    O Ainge pode ser questionado em vários aspectos, mas sem dúvida é excelente na análise e escolha de jogadores jovens.

    Draft não é sorte é competência.

    • Marcos

      Renato,

      Acho que é bastante sorte.
      Primeiro, pelo sorteio – vide Cavaliers case.
      Segundo a parte física, embora o staff médico seja de altíssimo nível, não se pode prever todas lesões graves possíveis – que acontecem com certa frequência na Liga, algumas inclusive de finalizar a carreira do jogador.

      Sobre a questão do mérito:
      Obviamente que não há prova prática, isso seria realizar alguns jogos da Liga com o jogador.

      Nesse sentido, até a metáfora mais ideal para ”mérito” seria concurso (onde existe um exame muito bem definido de aptidão) e não uma entrevista de emprego onde existem interesses escusos por detrás (mais adequado ao draft, onde contam patrocinadores, empresários, mídia, etc.).

      Além disso, o jogador pode demorar razoavelmente a se adaptar ao elenco, sistema de jogo, porte físico, etc. – Caso muito provável do xará Smart – aumentando a probabilidade de insucesso nos 5 primeiros anos de contrato.

      Então, digo, hype midiático conta muito no draft. Mais, talvez, do que a parte técnica e tático do que saibamos.

      Logo, somando de um lado temos:
      1- Loteria (muita dependente de sorte), exames médicos (médio dependente de sorte), hype (dependente muito da mídia = vem um pouco de sorte aqui também) .

      2- Habilidade do staff técnico de analisar o verdadeiro potencial do atleta – casos clássicos de Manu Gino, K. Leonard e mais recentemente do Jennings (não necessita de sorte).
      Habilidade do GM de escolher a peça certa (Não necessita de sorte).
      Habilidade do coach de indicar a peça certa a ser escolhida (não necessita de sorte).

      Por isso digo, dentre todos o considerado draft e sorte não só podem, como devem ser usados na mesma sentença.
      Você pode chamar alguns dos item listados como ”risco”, se quiser.

      Confio no Ainge, nos tirou de uma fila gigantesca de seca.
      Mas acho que ele fez uma aposta muito arriscada só em apostar em caras jovens.

      Faz parte do trabalho do Ainge e torço por ele.
      Até mesmo porque sei que ele deve fazer umas trocas marotas quando chegar a hora.
      Dizer que não existem riscos e que o draft é ”a melhor e única saída” não é verdade absoluta.

      Sobre Ainge ser o ”melhor draftador” acho uma mentira deslavada.
      Ele pegou o Rondo de steal e só.
      Veio vários trash como o Fab Melo do outro lado.
      Alguns ainda continuam no time…

      Ainge é GM, foi ex-jogador, tem uma visão particular do jogo e, portanto, tendencioso, depende de um staff e de empresários.

      Draft depende, também, de sorte.

      []s verdes,
      Vamos perder hoje C’s!

    • Carambola

      Renato,

      Não me incluo entre aqueles que acham que o Ainge é incompetente, pelo contrário, acho que estamos bem servidos de GM. Agora, essa história de que ele é um mestre na arte de prospectar jovens talentos é pura balela. Acho que sua maior virtude é ser um bom negociador. O grande time montado por ele foi via trocas e não por escolhas de draft.
      Fiz um levantamento das escolhas de draft feitas pelo Ainge de 2008 em diante. Lá vai: 2008 – J.R. Giddens e Semih Erden; 2009 – Lester Hudson; 2010 – Avery Bradley e Luke Harangody; 2011 – JaJuan Johnson e E’twaun Moore; 2012 – Jared Sullinger, Fab Mello e Kris Joseph; 2013 – Kelly Olynyk e Colton Iverson; 2014 – Marcus Smart e James Young. São 14 escolhas e quase nada de aproveitável. Tem algum all-star em potencial aí nessa lista? Talvez o Sully, se conseguir entrar em forma algum dia. Com sorte Smart ou Young, ainda é muito cedo pra saber.
      Sou muito cético em basearmos nosso rebuild apenas em escolhas de draft. Acredito que se não conseguirmos atrair bons nomes na FA e/ou conseguir alguma troca envolvendo algum jogador de peso, que possa ser nosso franchising player por algumas temporadas, nosso rebuild será lento e doloroso. Teremos espaço CAP, muitas picks e exceções comerciais. Confio que o Ainge saberá usar esse monte de ativos para fazer alguma negociação vantajosa pra Boston. Acho que mais torço do que confio. Enfim, oremos.

  16. Renato

    Marcos,

    Concordo com seus argumentos, existe realmente um adicional de sorte, apenas considero que mais do que sorte existe critérios técnicos.

    O Ainge trouxe o Sullinger com a escolha 22 se não me engano.

    Trouxe o Young com a escolha 17.

    E mesmo o Fab Melo com a 20, também parecei ser uma boa aposta, mas não vingou infelizmente.

  17. drakes

    Dos GMs, eu prefiro o Ryan McDonough,já li até colocam ele como o principal responsável tanto pela escolha do Rondo quanto do AB.

    Quanto foi para Arizona ele trouxe dois jogadores que parece que ele queria no boston, Bledsoe (foi escolhido 1 antes do AB) e Dragic por muito pouco. Reergueu um time rapidamente, que estava destruído.

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *