Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Seria Green um stopper para LeBron?

Trade deadline de 2011, Celtics surpreende fãs e imprensa e anuncia troca de Perkins por Jeff Green.

Embora o gerente de operações celtas, Danny Ainge já tenha mostrado todo sua competência e versatilidade, ele é marcado e odiado por muitos, quase que somente por essa transação em si.

Ainge tinha 3 argumentos na ponta da língua para efetuar a troca:

1ª – O Celtics contava com Shaq, Jermaine, KG, Glen Davis, Erden em seu garrafão e esses jogadores foram capazes de levar o Celtics a liderança isolada da NBA no grande período onde Perkins esteve machucado.

2ª – Paul Pierce vinha atuando na casa dos 40 minutos e precisava urgentemente de um reserva que lhe desse mais do que meros 5 ou 10 minutos em jogos ganhos.

3ª – Jeff Green era jovem, tinha muito potencial pra ser titular em um futuro próximo e poderia ser o marcador perfeito para equipes que jogassem no “small ball”, como o Heat com Lebron James.
Certo, vamos ao ponto.
A primeira alternativa era verdadeira, o Celtics não sentiu em nada a ausência e Perkins e poderia (e deveria) ser campeão caso Jermaine e Shaq não tivessem se machucados.
Ainge pensou certo por um lado, mas esqueceu que ambos já estavam machucados quando a troca foi feita, e o resultado nós conhecemos bem.

A segunda justificativa é incontestável, nem precisamos discutir isso

Mas é a terceira justificativa que me colocou uma pulga na orelha nessa semana.
Jeff Green nunca foi conhecido por sua defesa em Oklahoma, pelo contrário, ele vinha aos poucos perdendo espaço no quinteto titular por conta do aparecimento do ótimo defensor, Ibaka.

Jeff Green também parece estar em um limbo, no meio da posição 4 e 3, sendo um pouco lento para atuar em uma e um pouco baixo pra atuar na outra.

Por todos esses motivos eu sempre fiz chacota dessa justificativa de Ainge.
Sempre achei que colocar Green para marcar Lebron não era solução e sim suicídio!
E eis que Green se machuca, ficamos um ano sem ver ele, e o tal encontro entre os dois atletas nunca veio a ocorrer de fato, mas isso mudou nesse ultimo sábado.

Pra ser sincero, eu não estava tão apreensivo para esse embate como estava a 2 anos atrás.
Isso porque Pierce vem fazendo uma temporada defensiva lamentável, o que por sí faz valer a pena ver Green tentando marca-lo e segundo porque Green vem melhorando sua defesa.

Quem acompanha meus comentários sabe que já alertei para que o pessoal observasse isso por varias vezes.

Green está voltando de um ano parado, uma cirurgia complicadíssima e pra mim era óbvio que ele levaria meses pra reencontra seu basquete e começar sua evolução.

No entanto essa evolução tem começado antes do que eu esperava, e pro meu espanto, ela esta sendo mais visível na parte defensiva.
Dito isso, voltamos ao jogo de sábado.

Lebron saiu de quadra com 34 pontos e um FG de 14/31 (45,2%) o que poderia indicar um fracasso de Green na marcação, correto?
Não, obviamente incorreto.

Quem viu a partida sabe muito bem que enorme parcela da vitória se deu conta graças a marcação feita por Jeff Green em Lebron. então porque os números de Lebron foram grandes.

Os motivos são óbvios. Green é um reserva, portanto nem sempre esteve em quadra e nem sempre foi o responsável por marcar Lebron.

Também tem o fato de o jogo ter tido 2 prorrogações, o que claro, aumenta os números de todo jogador.

Sendo assim, pra avaliar o desempenho de lebron contra Green, temos que separar apenas as jogadas onde os dois se enfrentaram e fazendo isso chegamos a números impressionantes.

Das 31 tentativas de conclusão de jogada de Lebron, 11 foram contra a marcação de Green. Nessa situação Lebron conseguiu seu objetivo em apenas 3 oportunidades, o que lhe rende um FG péssimo de 27%.

Para nível de comparação, contra outros marcadores, Lebron obteve aproveitamento de 56%.

E aí é que chegamos naquele estranho momento em que percebemos que Ainge estava certo e calou a minha boca e de muitos outros.

Jeff Green contra todas as probabilidades foi sim, um ótimo ajuste para Lebron e esperamos que assim seja daqui em diante.

Author avatar
Daniel Emiliano
https://danielemiliano.com.br
Daniel é publicitário, web designer e ilustrador residente em Campinas/SP. Em 2008 uniu paixão e profissão e deu vida a um Blog de notícias e opiniões sobre o Boston Celtics.Com ajuda de outros apaixonados o Blog foi tomando proporções inimagináveis e hoje é este Celtics Brasil, o maior site sobre uma equipe da NBA no Brasil.

24 comentários

  1. Daniel Ferreira

    Acho que todos nós devíamos perceber o nosso erro de ter raiva do Ainge nesse momento. Ele conseguiu mandar embora um Perkins que não vem rendendo o esperado em Oklahoma e adquirir um Jeff Green que já conhecia Boston e que mesmo perdendo uma temporada vem se recuperando de forma inigualável. Boa Ainge, espero que esse ano venha mais novidade por aí!

  2. Thiago Reis

    Eu devo ser o único visitante deste site que SEMPRE defendeu a troca feita pelo Ainge, foi uma cartada de mestre. Lembramos que Perkins estava em seu último ano de contrato e que suas exigências salariais eram altas, não tenho dúvidas que perderíamos Perkins na Free Agency, nada me faz acreditar no contrário. No primeiro ano do Green por aqui ele demorou bastante para se adaptar e ele, assim como todos, foi pego de surpresa naquela troca, ele fazia parte dos jovens de Oklahoma, provavelmente era muito próximo de Durant e Westbrook, foi um baque. No ano seguinte veio aquela fatalidade e isso era muito difícil de se prever, Ainge não tem culpa nessa!!E ele em breve será um dos pilares desse time, creio realmente nisso, é um cara habilidoso e com uma condição física privilegiada. Ainge, para mim, é um dos melhores GM’s da atualidade, ele trouxe as vitórias de volta, ele tirou o time do ostracismo que vivíamos, o cara é FODA!!!Sem contar que esse ano ele montou um elenco sensacional, se as peças não se encaixaram no sistema, não estão rendendo o esperado, é outra história, ele foi pontual nos reforços e coloco como único ponto negativo a falta de um armador puro para ser backup pro Rondo, algo que ele terá que fazer agora. Sem contar que apenas por escolha do Ray Allen ele não está no time. Toda a história da amizade com Perkins e de quanto isso influenciou naquela temporada é muito bonito, porém o buraco é mais embaixo, quando o Perkins saísse teria um monte de gente criticando esse fato.

  3. Gilian

    Concordo com o Thiago Reis, falou tudo!

    O Green ainda vai ajudar muito e o Perkins é passado, não adianta fica se lamentando pela troca.

  4. Vinicius Simões Bravo

    Apesar disso, é dono de um dos contratos mais Overpaids da NBA, e, sinceramente, não tem todo esse valor. Seria interessante tentá-lo utilizar como moeda de troca.

  5. Renato Lgb

    Thiago Reis me acrescenta ae junto!!!

    Sou fã do Green e tento imaginar como é ficar parado uma temporada inteira com um problema cardíaco, o quanto de ser complicado voltar jogar em alto nível.

    Eu particularmente torço muito por esse cara desde o começo da temporada, eu espero muito dele.

    Eu particularmente não entendo muito as variações que uma equipe pode realizar durante o jogo, ae eu pergunto pra quem entende um pouco mais:

    Por ex: seria “possível” uma final de partida jogar PP de 2, Green de 3, Sullinger de 4 e KG de 5?
    Pierce não deve aguentar a correria do 2 né?
    É que eu acho que PP vai bem armando, pq ele pode chutar á todo momento, então fica uma dúvida muito grande no marcador!

    • Vinicius Simões Bravo

      Acho inviável jogar Pierce e Green ao mesmo tempo sem que Green seja 4 e Pierce 3. Pierce não aguentaria jogar como 2. Acho que, hoje, seria um ou outro, temos variadas opções para jogar na 2.

      O meu medo é que Pierce seja trocado por causa do Green, aí sim completaria o desastre pós-lesão de Rondo.

  6. Vinicius Simões Bravo

    Ah, e eu sou contra a troca até hoje. Acredito que toda unanimidade é burra, e apesar de ter os meus motivos, vou usar essa justificativa para não dar (ainda mais) problemas.

  7. Sérgio Soares

    Ótima observação e matéria, Daniel. Já tinha visto em um site (não lembro se foi aqui no Celtics Brasil) que o Green estava apresentando um aproveitamento defensivo muito alto nos lances de isolation. Como ele é mais alto e mais leve que o James e que a maioria dos SF, da pra fazer uma boa marcação no perímetro.
    Mas acho que o Green tem altura de PF, David Lee e David West, por exemplo, são da mesma altura. Parece é que falta “jogada” ou físico de PF pra ele.

  8. Bruno Ferronato

    Eu fui contra a troca na época, mas agora vejo que está valendo a pena, ainda mais que Perk está cada vez mais decadente no Thunder.
    Green defendeu muitíssimo bem mesmo o Lebron, alí no fim do jogo e nas duas overtime Lebron errou jumpshots que normalmente não erra e todos com Green na cola dele. A envergadura do Green na marcação ajuda muito, e por ser leve consegue se recuperar mais rápido do drible sofrido tbm. Torcer pra continuar evoluindo essa defesa.
    Agora no ataque queria mais consistência dele, não cobro 15ppg, mas uns jogos ele parece desligado no ataque, com seu ótimo atleticismo deveria ser mais agressivo toda noite.

  9. Oberdan Gonzalez

    ..beleza de matéria!!!

    Parabéns!

  10. RICARDO CELTA-RJ

    Sempre essa desculpa que o cara ficou um ano parado e tal, sempre esse blá blá blá.

    Ele não passa de um bom jogador e PONTO! só isso nunca será o cara pra boston, não esperem dele a bola do jogo. Ganha muito pra bola q joga, precisamos de um cara pra ausencia de PP esse sim é o cara, o GREEN ta na liga a anos e nunca foi e nem será um grande Jogador, ja são 6 temporadas e nada. Ai venha as Madrinhas dele pra Dizer o cara ficou um ano parado, tá e ai?

    Espero que o GREEN possa um dia joga e ser um cara importante em um time menos em BOSTON.

  11. Matheus Poty

    Além de tudo que foi sitado, vale ressaltar que uma cirurgia desse porte gera uma questão psicológica no atleta, se me recordo bem ele talvez nem pudesse jogar mais.
    Esse fato deve ter um abalo psicológico grande, dado que uma cirurgia não tem garantias de 100% de sucesso.Acho que com o passar do tempo ele readquiriu confiança e vem melhorando cada vez mais.
    Vejo nele um grande potencial ofensivo que é mal explorado pelo do Doc, acho que com 25 minutos de quadra pode ter uma média de 15 ppj fácil, se bem utilizado.

  12. Vinicius

    O que eu sempre digo é, não sentimos falta do Perkins, e sim de um bom pivô.
    Depois dele ficou um buraco no nosso elenco, e a posição 5 jamais foi cobrida com qualidade, apenas quantidade. Mesmo porque o Perkins nunca foi um grande jogador tecnicamente, sua utilidade é incontestável, mais eu prefiro um jogador talentoso com enorme futuro do que um pivô defensivo. A falha do Ainge foi até hoje ainda não ter conseguido achar um pivô razoavel pro time. Nisso sim ele pecou e está pecando…

  13. Fernando Torres

    Prefiro esperar mais jogos entre os dois para chegar a alguma conclusão se o terceiro argumento é válido ou não. Somente com um jogo acho prematura tal análise.

  14. RFORNER

    olha aí, vai que da certo

  15. João Paulo

    Celtics convocou o MELOOO!!!

  16. Ailson

    Não julgo o Ainge por trocado perkins por green, mas por perdemos um Center de oficío. Sempre vi potencial no green e se ele ter mais minutos mais ele vai fazer.

  17. Fernando

    Jogador por jogador o Green é mais valioso que o Perkins. Não há dúvida. A questão é: hoje nos falta um center. Mas, como seria possível prever que perderíamos todos do elenco em curto período? Agora é correr atrás. Opções melhores que o Perkins existem, algumas…

  18. Luiz

    eu acho que o green ainda vai arrebentar

  19. Fábio Ribeiro

    bela matéria e ainda levo fé nele pq é um bom jogador.

  20. Sandro CRBB

    ou seja, na época a troca foi errada, mas agora a troca foi certa…nem o Ainge imaginou que seria assim…

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.