Trinta anos de Bird vs Magic

Hoje, 28/12/2009, completam exatos 30 anos do primeiro duelo entre as lendas Larry Bird, do Boston Celtics, e Earvin “Magic” Johnson, do LA Lakers, pela NBA, como profissionais.

Uma rivalidade que nasceu há trinta anos, exatamente no dia 28/12/1979, e durou bravamente por 13 temporadas.

Três finais da liga norte-americana de basquete e 37 confrontos mostram um pouco do que foi um dos maiores duelos da história da NBA e do basquete mundial.

Hoje é quase impossível pensar em um existir sem o outro, um garoto branco vestido de verde, e o outro, negro vestido de dourado.

Juntos fizeram com que a NBA fosse mais do que era, um fez com que o outro evoluísse cada vez mais, “Você me completa, disse Magic a Bird, que sorri”. Juntos fizeram duelos históricos e inesquecíveis.

Tudo começou há 30 anos, em uma segunda-feira a noite no “Fabulous Forum in Inglewood”, na Califórnia onde os membros do Hall da Fama se encontraram pela primeira vez, e o Los Angeles Lakers venceu o Boston Celtics nesse primeiro duelo, por 123 a 105. Nesta partida, Magic liderou o Lakers com 23 pontos, oito rebotes e seis assistências. Já Bird contribuiu ao Celtics com 16 pontos, quatro rebotes e três assistências.

Porém, esse não foi o primeiro duelo histórico entre os dois, antes mesmo de eles serem draftados para a NBA, juntos.

Também como rivais, fizeram as finais do basquete universitário de 1979 entre as universidades: Michigan State de Magic e Indiana State de Bird, e quem se deu melhor, foi Magic.

No total foram 37 confrontos entre os dois, 19 em finais e 18 em temporadas regulares. O Lakers venceu 22 vezes em duelos que ambos estiveram em quadra e o Celtics venceu 15. O Lakers venceu 2 dos 3 títulos disputados em que as duas estrelas duelaram.

Enfim, novas estrelas

A NBA atravessava uma fase difícil, perto da decadência.

Sem estrelas, com pouco público e sem despertar o interessa da imprensa, a liga vivia umas das piores fases de sua história.

Nem mesmo alguns espetaculares jogadores como Kareem Abdul-Jabbar, recordista de pontos da história da NBA, conseguia levar público aos ginásios.

No entanto, em 1979, a entrada de dois jovens talentos vindos do basquete universitário acabou mudando totalmente a cena. Larry Bird, com 23 anos, da Universidade de Indiana, havia sido selecionado pela equipe Celta na 6 posição do primeiro round do draft de 1978, mas decidiu ficar mais um ano na universidade, e em 1979 finalmente iria para a NBA, atuar pelo Boston Celtics. Já Earving “Magic” Johnson, com 20 anos, da Michigan State, era a primeira escolha do draft de 1979, pelo Los Angeles Lakers.

Com estas duas novas aquisições, um novo horizonte começava a raiar na decadente liga norte-americana. Magic e Bird já se conheciam bem, afinal, fizeram a final da Liga Universitaria (NCAA) daquele ano, sendo que Magic levou a melhor e conseguiu sua primeira vitória sobre Bird. Mas estes dois jogadores não estavam sozinhos, eles contavam com um elenco fortíssimo em suas equipes pra disputar, pouco a pouco, as finais da liga. Bird, já no seu primeiro ano tinha como companheiros Tiny Archibald, Dave Cowens e Cedric Maxwell, entre outros. “Tínhamos um bom elenco, mas eu não sabia que poderíamos chegar tão longe ainda naquele ano, era tudo muito novo para mim”, disse Bird.

Larry Bird, Robert Parish, Kevin MacHale e Danny Ainge formariam posteriormente uma verdadeira seleção. A principal característica de Bird era a qualidade do passe e o chute da linha dos 3. Bird era uma estrela, que contrariava a lógica do basquete. Branco e sem forma física privilegiada, ele tinha muita disposição para roubar a bola e fazer jogadas que deixavam o espectador boquiaberto. Até hoje, perece inacreditável, para aquela época, a cesta que ele converteu por trás da tabela. Reza a lenda que Bird costumava treinar chutes de 3 pontos com o olhos vendados (a cesta de três pontos começou a ser utilizada na temporada de 1979/80, exatamente a primeira de Bird e Magic na NBA).

Pelo time californiano, comandado por Magic Johnson, apareciam outros astros como Kareem Abdul-Jabbar, James Worthy, Sam Perkins, Byron Scott, Elden Campbell e Kurt Rambis. O jogo do Lakers era baseado em contra-ataque rápido, comandado pelas espetaculares jogadas do camisa 32. Em 1980 Magic se torna campeão com o Lakers em cima do Sixers. Johnson foi, e ainda é, o primeiro novato a ganhar o prêmio de MVP Finals (melhor jogador das finais), em 1979/80, sendo que na última partida da final ele jogou como pivô e marcou 42 pontos. Magic era mestre em doubles-doubles e conquistou muitos triple-doubles na carreira.

Em 1981 Bird dava o troco e sagrava-se campeão em cima do Houston. No ano seguinte, o Lakers novamente foi campeão e o Boston Celtics foi eliminado pelo Sixers nas finais do Leste. Em 1984, Bird e Magic chegavam juntos, pela primeira vez, as finais da NBA, este era o duelo mais esperado dos últimos anos. E deu Bird. Logo na temporada seguinte, o Lakers devolvia a derrota do ano anterior e ficava com o título, e após oito derrotas consecutivas, o Lakers vencia pela primeira vez uma série final de NBA contra o Boston Celtics. Em 1986 o Celtics de Bird, novamente foi o campeão, mas em cima do Houston Rockets. Nos dois anos posteriores, em 87 novamente em cima do Celtics e 88 contra o Detroit Pistons, o Lakers sagrava-se bicampeão.

Raio X

Larry Bird: jogou no Celtics de 1979 a 1992, com 12 aparições em playoffs e 5 em Finais (vencendo 3 vezes), ganhou 10 vezes a divisão Atlântico.

Bird participou de 10 All-Star Game, foi eleito por três vezes consecutivas o MVP da temporada, duas vezes MVP das finais e por nove vezes fez parte do primeiro time da NBA. Larry Bird conquistou a medalha de ouro em Barcelona juntamente com o “Dream team” (jogando ao lado de Magic Johnson) e entrou para o Hall da Fama do basquete, em 1998.

Larry foi eleito Rookie of the year (novato do ano) na temporada 79-80, quando jogou todos os 82 jogos da temporada regular, e liderou seu time em quase todos os quesitos, com médias de 21.3 ppg, 10.4 rpg, 4,5 ass (foi o 2° melhor do Celtics na temporada), e um aproveitamento de 58% nos chutes de 3 pontos. Bird liderou o percentual do chute dos três pontos por 4 vezes na NBA.

Depois de encerrar sua carreira como jogador, fazendo parte da seleção norte-americana que ficou conhecido como Dream Team , medalhista de ouro na Olimpíada de 1992, em Barcelona, Larry Bird não deixou as quadras, e passou a atuar como treinador.

Bird era um bom técnico, e montou um competitivo Indiana Pacers, comandado por Reggie Miller, mas eles tinham uma grande pedra no caminho: o Chicago Bulls de Michael Jordan. Bird levou os Pacers às finais do Leste nas temporadas 1997/1998 e 1998/1999. No ano seguinte, o Indiana foi campeão da Conferência, mas perdeu a final da NBA para o Los Angeles Lakers.

Atualmente, Larry Bird é diretor técnico do Indiana Pacers.

Carreira de Larry Bird em números:
Jogos : 897
Por jogo:Carreira
Minutos38,434,443
Pontos24,321,791
Rebotes10,08,974
Assistências6,35,695
Roubos1,71,556

Ficha de Larry Bird:

Nome: Larry Joe Bird

Apelido: Larry Legend

Nascimento: 7 de dezembro de 1956, em West Baden Springs (EUA)

Altura: 2,05m

Clubes: Boston Celtics

Número: 33

Posição: Ala

Títulos: Medalha de ouro na Olimpíada de Barcelona (1992); tricampeão da NBA (1980/81, 1983/84 e 1985/86); MVP da temporada regular (1983/84, 1984/85 e 1985/86), e das finais (1983/84 e 1985/86).

Magic Johnson: jogou no Lakers de 1979 a 1991 (Em 1996, Johnson voltou às quadras e atuou nos 32 últimos jogos do Lakers na temporada regular), com 13 aparições em playoffs e 9 em Finais, sagrando-se campeão 5 vezes.

Magic também conquistou por 10 vezes a divisão Pacífico, participou de 12 All-Star Game, foi eleito por três vezes o MVP da temporada, por outras três vezes o MVP das finais e fez parte do primeiro time da NBA em nove oportunidades. Johnson entrou para o Hall da Fama do basquete em 2002. Magic Johnson conquistou a medalha de ouro em Barcelona juntamente com o “Dream team”.

Em seu primeiro ano na NBA, Earvin “Magic” Johnson conquistou de cara, seu primeiro título, ele disputou 77 jogos da temporada regular, com médias de 18.0 ppg, 7.7 rpg, e 7.3 apg. Magic foi o primeiro Rookie a começar um jogo de um All-Star game desde Elvin Hayes 11 anos antes.

Uma notícia bombástica em outubro de 1991 mudou os rumos da carreira de Johnson e do basquete norte-americano. “Magic” descobriu ser portador do vírus HIV e, por recomendação médica, abandonou a NBA. Mesmo assim, ele ainda foi escolhido para participar do All-Star Game, em 92.

Fora das quadras, Johnson passou a colaborar com entidades assistenciais, como o Comitê Norte-americano de AIDS e o Fundo Colegial Negro Unido. Ele também escreveu um livro sobre sexo seguro e abriu uma série de cinemas nas cidades de Atlanta e Los Angeles. Mas Johnson não conseguiu ficar muito tempo afastado do basquete.

Na temporada 1993/94, foi o técnico dos Lakers nos últimos 16 jogos da competição. Porém, seguir a carreira de treinador nunca foi uma de suas ambições, deixando o cargo no término do campeonato. Já em 1996, decidiu voltar às quadras e nesse mesmo ano anunciou sua aposentadoria definitiva. Hoje, Magic cuida da Magic Johnson Foundation, que ajuda pessoas com HIV positivo, cuida de seus filhos e ainda arruma tempo para espalhar seu sorriso pelo mundo comentando jogos da NBA pela TNT.

Além de um exemplo dentro de quadra, onde mudou a história do basquete e se tornou um mito, Johnson virou também uma referência fora dela, ao mostrar como um portador do vírus da AIDS pode levar uma vida normal e feliz.

Carreira de Magic Johnson em números:
Jogos : 906
Por jogo:Carreira
Minutos36,433,245
Pontos19,517,707
Rebotes7,26,556
Assistências11,210,141
Roubos1,91,724

Ficha de Magic Johnson:

Nome: Earvin Johnson Jr.

Apelido: Magic

Nascimento: 14 de agosto de 1959, em Lansing (EUA)

Altura: 2,06m

Clubes: Los Angeles Lakers

Número: 32

Posição: Armador

Títulos: Medalha de ouro nas Olimpíadas de Barcelona (1992); cinco vezes campeão da NBA (1979/80, 1981/82, 1984/85, 1986/87 e 1987/88); MVP da temporada regular (1986/87, 1988/89 e 1989/90), das finais (1979/80, 1981/82 e 1986/87) e do All-Star Game (1990 e 92).

E ainda tem mais …

Pensa que o especial acabou? Está enganado, a melhor parte vem agora, com uma coletânea de vídeos destes dois gênios do basquete.

No primeiro vídeo temos uma compilação com os melhores momentos da carreira de Bird e Magic, com uma música de fundo chamada “Part of me, part of you”, em tradução livre: parte de mim, parte de você, que demonstra como era a relação de amizade entre os 2:

 

[youtube id=”8HT96azPZHs” width=”620″ height=”360″]

Abaixo outro vídeo com mais grandes momentos das carreiras de Larry Bird e Magic Johnson:

 

[youtube id=”Q2UcuvQUWu8″ width=”620″ height=”360″]

Logo abaixo você encontra os melhores momentos do Dream-Team de 1992, quando Bird e Magic jogaram juntos:

 

[youtube id=”ATvVtuf9I7g” width=”620″ height=”360″]

Lakers e Celtics voltaram a se enfrentar em uma final de NBA, após 21 anos, em 2008. A liga norte-americana realizou um vídeo especial para a final, com sua campanha de playoffs da temporada 2007/08, a “There can only be one”, em tradução livre: Só vai restar um. Adivinhe quais jogadores a NBA escolheu para o vídeo:

 

[youtube id=”PWHEv5yH2qU” width=”620″ height=”360″]

Por: Rafael Forner e Flávio Catandi

Flávio Catandi
Flávio Catandi
Jornalista e Radialista apaixonado por basquete. Participa do Celtics Brasil desde 2008. Já foi redator, colunista e hoje é editor do site. Nas horas vagas gosta de escrever roteiros e gravar curtas e documentários. Pode ser encontrado na cidade de São Paulo com uma camiseta Celta.

17 Comments

  1. Paulo H. G. Rosa disse:

    excelente trabalho de voces!

    Muito bom, relembrar momentos e fatos desses dois “monstros” da nba

    0

    0
  2. Mercius disse:

    FELAAAAAAAAAAA

    0

    0
  3. Não por acaso são meus dois maiores ídolos, não só no basket, mas em todos os esportes.
    Magic inclusive sempre foi minha inspiração quando eu comecei a treinar basquete.
    Achava o estilo de jogo dele lindo, e queria fazer igual.

    Além de tudo os dois eram pessoas incríveis e nos ensinavam que rivalidade só existe no momento do jogo e nada mais.
    Eram amigos pessoais, de um visitar a caso do outro.
    Eram como almas gêmeas, como Prost e Senna.
    Um precisava do outro pra viver.

    O próprio Magic num dos vídeo acima agradece ao Bird por este ter lhe dado motivação pra evoluir cada vez mais e mais seu jogo, e a recíproca é verdadeira.

    Esses dois são um exemplo para o mundo, e todos os torcedores de todos os esportes deveriam ver um pouco mais os vídeos deles e aprenderem o que é uma rivalidade de verdade. Forte porém leal e sadia !

    0

    0
  4. Igor Dantas disse:

    sensacional!

    que duelo..

    0

    0
  5. Engraçado é que quase todos esses videos que tem aí em cima, eu ja tinha visto.

    O video da despedida do Bird então, eu ja vi umas 10 vezes. Mesmo assim eu sempre me emociono.

    O basquete significava MUITO pra mim na minha infância. Eu queria ser Magic Johnson e sempre que eu vejo ele com a camisa do Celtics por baixo da do Lakers, eu admiro mais ainda, ele.

    Ver esses videos me tras muitas recordações do passado. Recordações que até tiram lágrimas de mim.

    Mas é sempre bom rever esses videos
    Sempre bom !!!

    0

    0
  6. RFORNER disse:

    Assisti só o primeiro até agora e é impossível n se emocionar com a compaixao que um sente pelo outro.

    0

    0
  7. RFORNER disse:

    Simplesmente fantástico …..

    0

    0
  8. Rafael disse:

    Muito bom o texto, pra quem viveu a época traz ótimas recordações e pra quem não a viveu é um ótimo aprendizado sobre o que foram esses dois monstros do Basquete Moderno…Parabéns!!!

    0

    0
  9. Guilherme Camillozzi disse:

    Muito doido o texto
    mto mesmo, parabéns a iniciativa e pelo conhecimento de NBA de vocês.

    0

    0
  10. Flávio Di Donato Catandi disse:

    Obrigado pelos elogios de todos.

    Vale lembrar também que no dia 14 de agosto deste ano, Magic Johnson completou meio século (50 anos) de vida.

    0

    0
  11. Schizo disse:

    EXCELENTE pessoal!
    Um trabalho sem igual, visto que voces
    foram os únicos a fazerem um especial
    dessa magnitude e excelencia sobre esse marco
    na história da liga.

    Magic e Bird pra quem cresceu nos ano
    90 como eu, era apenas mito só ouviamos
    os mais velhos comentarem, mas hoje com
    os recursos que temos de vídeos na internet
    podemos também ser testemunha desses
    dois não só deles, mas de todo o time do
    Celtis e Lakers dos anos 80.

    Magic com seus Bullet Pass de qualquer
    ponto da quadra, jogando de costas, Bird com seus arremessos, enfim dois dos maiores
    genios do jogo.

    Obrigado pessoal por esse presente.
    Continuem assim.

    Abraços.
    , jogando de costas, armando também

    0

    0
  12. Schizo disse:

    Saiu um erro aí a parte de jogar de costas e armar
    é referente ao Bird ahahaha.

    Abraços.

    0

    0
  13. Guilherme Braghetti disse:

    Sensacional !!!

    São 3 os jagadores que gostaria que o tempo pudesse voltar para eu assistir ao vivo, Magic, Bird e Jordan, felizmente, claro que sem nenhuma comparação, posso ver um jogador espetacular mas com caracteristicas distintas dos 3 jogar – Kevin Garnett.

    0

    0
  14. RFORNER disse:

    Obrigado pessoal, tudo isso é por amor ao Celtics …..

    0

    0
  15. anderson disse:

    Belo texto.
    Eu me tornei um fã do nosso time graças ao Bird.
    O primeiro jogo que vi da NBA foi a sexta partida das finais de 86/87, com uma excelente atuação do Magic.
    Bird se não me engano deixou de ser o técnico do Indiana por problemas na coluna.

    0

    0
  16. Gustavo Miglioretti disse:

    muito bom [:D]

    0

    0
  17. gustavo_taio disse:

    a+++++++++++++

    0

    0

Deixe um comentário