Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Atletas acreditam que Celtics possuem o necessário para serem campeões em Orlando

Após um longo hiato de pouco mais de quatro meses devido à Pandemia de Covid-19, a NBA retornará a temporada de maneira excepcional, no final do mês de julho, no complexo da Walt Disney World, na cidade de Orlando (Flórida). Embora muitas incertezas pairem sobre o ambiente da “Bolha” de Orlando, assim como os Celtics não figurem entre os favoritos para o título da temporada para a mídia e o público gerais da NBA, os jogadores do Alviverde de Boston estão confiantes que podem surpreender o mundo e levantar o 18º título da franquia em 2020.

O setorista Marc D’Amico, que cobre o Boston Celtics, esteve em contato com o ala Gordon Hayward e o armador Brad Wanamaker na última sexta-feira (3), que o asseguraram a confiança do elenco em surpreender na reta final da temporada, que se aproxima. Segundo Hayward, “é difícil de especular, porque eu nunca estive presente em uma situação como esta”, porém ele e Wanamaker confidenciaram a D’Amico a crença em importantes pilares da equipe: defesa, versatilidade, energia e amor pelo jogo.

Primeiro desses pilares, defesa de fato é um ponto forte para o Boston Celtics. Até a paralisação da temporada, o Alviverde ocupava o 4º lugar entre os times que menos cediam pontos a cada 100 posses, figurando atrás apenas de Milwaukee Bucks, Toronto Raptors e Los Angeles Lakers no quesito. Tanto Hayward, quanto Wanamaker acreditam que a defesa é o que carregará as equipes às vitórias.

“Haverá uma enorme ênfase na defesa, porque, sem dúvidas, eu penso que o ataque precisa vir depois da defesa (nesse contexto)”, disse Hayward. “Nós não jogamos juntos há muito tempo e, geralmente, requer-se uma temporada regular inteira para nos entrosarmos (no ataque), a fim de sabermos na pós-temporada quais jogadas funcionam e quais não funcionam, por exemplo, onde você converterá seus arremessos”, disse o camisa #20.

Sem saber das palavras do companheiro, Brad Wanamaker depois sustentou a teoria de Hayward sobre a importância de defender: “Será muito importante”, iniciou o armador. Ele prosseguiu: “Estando longe do basquete muito tempo, você não pode contar com arremessos caindo imediatamente. Você ainda está se acostumando com o ritmo de jogo (do ataque). Portanto, defesa será o ponto chave”.

O que pode ajudar Boston a defender em alto nível será a versatilidade dos atletas. Embora 10 dos 17 jogadores do elenco tenham menos de 2 metros de altura, o corpo de alas titulares do time, composto por Jaylen Brown, Gordon Hayward e Jayson Tatum, é um dos mais versáteis da liga, podendo defender múltiplas posições. Ainda, vindo do banco como o 6º homem da equipe, o ala-armador Marcus Smart alcançou o primeiro quinteto ideal de defesa na última temporada e se consolidou como um defensor de elite, podendo defender as cinco posições dentro de quadra, embora tenha pouco mais de 1,90 metro de altura.

Outro tópico discutido com D’Amico na sexta-feira foi como será jogar em um ambiente longe dos fãs. Para os Celtics, jogarem longe de sua barulhenta torcida será uma desvantagem. Dessa maneira, será necessário aos jogadores criar sua própria energia para se motivarem em quadra, o que Wanamaker garante já ter experiência fazendo, ao relembrar de sua carreira no basquete europeu e no high school.

“Isso era definitivamente diferente. Não podia me empolgar com certas jogadas, como costumo fazer. A energia do público era diferente, você precisa trazer à quadra sua própria energia”, disse o armador. Essa última informação, na visão de Wanamaker, é uma característica do elenco de Boston, graças à presença de Smart, Grant Williams e outros jogadores enérgicos no vestiário celta.

“É automotivação o tempo todo, porque você não possui os fãs para o motivar mais após uma grande jogada ou algo do tipo. Então você precisa ser forte junto do time e eu acho que temos um ótimo grupo aqui. Assim sendo, essa será nossa vantagem (no quesito energia)”, acrescentou o camisa #9.

Wanamaker ainda destacou o bom relacionamento entre os jogadores do grupo desde os primeiros treinamentos para a temporada, em setembro do ano passado. “É muito único. Nós todos vibramos. Nós todos queremos que todos joguem bem, mesmo se estamos jogando muitos minutos naquela noite ou não. Como vocês viram ao longo da temporada, nós estamos constantemente vibrando uns pelos outros ou dando conselhos uns aos outros ao longo das partidas. É especial ter isso dentro do grupo”, concluiu o armador, reserva imediato de Kemba Walker.

Segundo D’Amico, que cobre o dia a dia da equipe, é especial o amor dos jogadores pelo jogo. Ele destaca que Kemba Walker lidera o elenco nesse quesito e o jogador, contratado como agente livre na última offseason, “come, dorme e respira” basquete, sendo este o núcleo de sua vida. Ainda, segundo o setorista, seus companheiros compartilham da mesma mentalidade.

Wanamaker finaliza a entrevista dizendo: “Eu acho que tudo se resume ao amor por basquete no fim do dia. Se você realmente ama o jogo, uma vez estando lá, eu não acho que a ausência de torcedores nos impactará”.

A temporada para os Celtics retorna no dia 31/07, contra o Milwaukee Bucks, às 19h30 (horário de Brasília). Será o primeiro desafio da tentativa dos comandados do treinador Brad Stevens em chocar o mundo da NBA com um eventual título na “Bolha” de Orlando, a partir de defesa, versatilidade, energia e amor pelo jogo.

Author avatar
Lucas Pereira
Lucas é mineiro, natural e residente de Belo Horizonte. É estudante de Administração na UFMG. Acompanha NBA e o Boston Celtics desde 2007. É colaborador do Celtics Brasil desde 2016.

3 comentários

  1. Renato

    Eu acredito nessa equipe. Acho que perdemos a chance de nos reforçar, em especial no garrafao, mas ainda assim tem muito talento e versatilidade em quadra, o que precisa acontecer para o titulo e Tatum e Walker conduzirem a equipe em pontos, sendo constantes em todos os jogos, pq a nossa defesa ja e muito confiavel.

  2. Só de não ter Irving e Rozier sabotando… as chances já são maiores que no ano passado..rs

  3. Wesley Figueredo

    estou muito confiante em nosso elenco, acho que temos o necessário para sermos campeões já nesse ano.

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *