Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Bulls 77 x 133 Celtics

A pior derrota sofrida pelo Chicago Bulls, jogando no United Center, em toda a sua história. Este foi o feito atingido pelo Boston Celtics, ao bater o time de Illinois pelo espetacular placar de 133 a 77, na noite do último sábado (08). O começo irregular de temporada parece ter ficado para trás, já que o resultado representa a quinta vitória seguida da franquia de Massachusetts, maior sequência ativa na NBA. A batalha do time celta para escalar a Conferência Leste continua, ocupando agora a quinta colocação, a apenas meio jogo de distância do quarto colocado, o Indiana Pacers.

Para as duas equipes, a noite do dia 08 de dezembro foi de quebra de recordes. O massacre com a larga vantagem de 56 pontos representa a maior margem na história do time de Boston (o recorde anterior era de 51 pontos, em 1962, contra o Philadelphia 76ers). Ainda, a vitória expressiva empata a maior distância de placar conseguida na história da NBA por um time jogando fora de sua casa, sendo que o outro detentor do recorde é o extinto Seattle SuperSonics, conseguido em 1986. A vitória por mais de 115 pontos foi a quinta em sequência, sendo a maior desde 1988, quando o time conseguiu seis. Por fim, a derrota sofrida pelo Chicago Bulls foi a pior da história da franquia, sendo a oitava maior da NBA.

Com a rotação celta sofrendo na posição de pivô, já que Al Horford foi poupado com dores no joelho e Aron Baynes não jogou por ter torcido o tornozelo no jogo anterior, Daniel Theis foi o titular e também o nome do jogo. O alemão conseguiu seu career high em pontos e minutos jogados, terminando a partida com 22 pontos, 10 rebotes e 5 assistências, um duplo-duplo. Além disso, com a torção de tornozelo sofrida por Guerschon Yabusele e com a ausência do calouro Robert Williams (por motivos pessoais), Theis foi o atleta que mais atuou durante a vitória, terminando com 32 minutos jogados, o que lhe rendeu um impressionante plusminus de +50.

Além dele, Jaylen Brown marcou 23 pontos vindo do banco, atuando de forma madura e confiante, demonstrando ter deixado para trás a sua má fase do início da temporada. Por fim, Jayson Tatum e Terry Rozier combinaram para 33 pontos, tendo Tatum terminado o confronto com 100% de aproveitamento da linha dos três pontos, acertando os quatro arremessos que tentou. Por fim, os astros Kyrie Irving e Gordon Hayward tiveram atuação discreta e, por conta da grande vantagem conquistada, jogaram poucos minutos.

A vida do Chicago Bulls não está fácil. O time, além de muito jovem, carece de talento. Além disso, viu na semana passada a demissão do técnico Fred Hoiberg, tendo Jim Boylen assumido o comando da equipe. Jogando em casa, o torcedor do Bulls viu seu time sofrer 17 pontos seguidos no início da partida, sem conseguir marcar um sequer. O desespero é tão grande que, num determinado momento do jogo, Boylen resolveu trocar todo o seu time titular, colocando os 5 reservas da segunda unidade, todos de uma vez. O único destaque do time de Chicago nesta partida foi o armador Shaquille Harrison, que saiu do banco para anotar 20 pontos. Com a derrota, o Bulls passou a ter a segunda pior campanha de toda a NBA na temporada 2018/2019.

O próximo compromisso do Boston Celtics será contra o New Orleans Pelicans, de Anthony Davis, encontro que terá início às 22h30 (horário de Brasília) da próxima segunda-feira (10), no TD Garden, em Boston (MA). O desmoralizado Chicago Bulls também joga no próximo dia 10, quando receberá o Sacramento Kings.

Destaques do Celtics

Daniel Theis (22 pontos, 10 rebotes e 5 assistências – duplo-duplo)

Jaylen Brown (23 pontos e 5 rebotes)

Jayson Tatum (18 pontos e 3 rebotes)

Destaques do Bulls

Shaquille Harrison (20 pontos)

Zach LaVine (11 pontos e 3 rebotes)

Cameron Payne (10 pontos e 3 assistências)

Boxscore


Melhores Momentos

Author avatar
Eduardo Quirino
Eduardo, 32 anos, nascido em Niterói/RJ, mas é Resendense de coração. Bacharel em Direito, estudante de Administração e flamenguista, é apaixonado por esportes e envolvido com o basquete desde os 14 anos. Ex-pilar do Volta Redonda Rugby, ex-capitão do Resende Rugby e atual ala-pivô do Basquete Resende, tem como espelho a lenda Kevin Garnett, razão pela qual começou a torcer para o Boston Celtics em 2008. KG se foi, mas o amor pelo Celtics é pra sempre!

9 comentários

  1. Gustavo Arruda

    Que surra, meus amigos.

  2. Erondi Nunes

    A máquina está engrenando

  3. Lucas

    Que pena pro Willians teria jogado pelo menos uns 15 min nesse jogo

  4. Fernando Silva

    Cheguei a pensar que os Bulls poderiam terminar o Q1 zerados.

  5. Oberdan Gonzalez

    Que papo é esse de o calouro Robert Williams não jogou por motivos pessoais? Alguém sabe o que significa?

  6. Sander

    O Brown voltou infiltrando mais, com isso seu jogo melhorou bastante, antes ele ficava restrito ao arremesso de três. Espero que ele mantenha o ritmo.

  7. Marcos

    Parece que o time está encaixando. Nesse momento, Smart e Morris são titulares indiscutíveis.

    Abs verdes

  8. SERGIO

    Massacrando o freguês! Go Celtics!!!!

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.