Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Celtics 109 x 115 76ers

Depois de 10 jogos de invencibilidade, o Boston Celtics sofreu a sua primeira derrota em casa pela temporada 2019/2020 da NBA na noite de quinta-feira (12). Mesmo contando com o apoio da torcida verde e branca no TD Garden, a franquia de Massachusetts teve mais uma atuação de altos e baixos, não correspondeu às expectativas no último quarto e perdeu por 115 a 109 para o Philadelphia 76ers, tradicional rival da Divisão do Atlântico.

Com o apoio da torcida, jogo coletivo e Kemba Walker inspirado, o Boston Celtics dominou o Philadelphia 76ers nos dois primeiros quartos e abriu oito pontos de vantagem, mesmo com a dificuldade da partida. Na volta do intervalo, entretanto, a produção ofensiva da equipe celta teve uma queda e o Sixers aproveitou para assumir a liderança do placar. Já nos 12 minutos finais, concentrando suas jogadas em Joel Embiid, o time do 76ers confirmou a vitória em Boston.

Em grande fase, o armador Kemba Walker foi o destaque do Boston Celtics diante do Philadelphia 76ers. Além de cestinha celta, com 29 pontos, Walker chegou perto de um duplo-duplo, após distribuir oito assistências. O ala Gordon Hayward, por sua vez, contribuiu com 19 pontos e cinco assistências. Na rotação, o destaque foi o pivô turco Enes Kanter, que fez a sua primeira grande atuação pelo Celtics, contribuindo com 20 pontos e nove rebotes.

Pelo lado do Philadelphia 76ers, o pivô Joel Embiid mostrou o porquê de ser considerado um dos melhores de sua posição na NBA e registrou um duplo-duplo impressionante, com 38 pontos e 13 rebotes, além de distribuir seis assistências. O ala Tobias Harris também fez uma boa atuação em Boston, com 23 pontos e oito rebotes, enquanto o ala-pivô Mike Scott, substituto do lesionado Al Horford, fez 15 pontos, todos em arremessos de longa distância.

Com o tropeço em casa, o Boston Celtics caiu para a quarta colocação da Conferência Leste. O Alviverde venceu 17 das 24 partidas que disputou e tem 70,8% de aproveitamento na competição. Já o Philadelphia 76ers, com 20 vitórias em 27 partidas e 74,1% de aproveitamento, está na vice-liderança do Leste, atrás apenas do Milwaukee Bucks.

Derrotado por Indiana Pacers e Philadelphia 76ers em um back-to-back, o Boston Celtics terá um bom período de descanso e preparação para o duelo contra o Dallas Mavericks, que será disputado na próxima quarta-feira (18), às 23h30 (horário de Brasília), no American Airlines Center. Antes disso, no domingo (15), o Philadelphia 76ers visita o Brooklyn Nets no Barclays Center.

Destaques do Celtics

Kemba Walker (29 pontos e oito assistências)

Enes Kanter (20 pontos e nove rebotes)

Gordon Hayward (19 pontos e cinco assistências)

Destaques do 76ers

Joel Embiid (38 pontos, 13 rebotes e seis assistências / duplo-duplo)

Tobias Harris (23 pontos, oito rebotes e sete assistências)

Mike Scott (15 pontos e quatro rebotes)

Author avatar
Gustavo Arruda
Gustavo, 28 anos, é maranhense de São Luís, jornalista formado pela UFMA e repórter do Imirante.com. Fanático por esportes, principalmente futebol e basquete, é torcedor celta desde 2003, quando ouviu pela primeira vez o TD Garden lotado entoando "Let's go, Celtics!", e escreve no Celtics Brasil desde julho de 2011, com mais de 1.700 textos publicados. Nas horas vagas, é goleiro, armador, tio do João Gabriel e da Alice, e também dá seus pitacos sobre o maior campeão da NBA no Twitter: @gustavoarruda01.

6 comentários

  1. Raphael Ferraz

    Essa derrota doeu. Mas sem desespero pessoal. Ainda temos um time jovem. Pra quem quer uma trade, eu sinceramente não espero muito coisa do Danny esse ano. Acho que o nosso time eh esse mesmo daqui para o fim do ano. Torcer para o Stevens conseguir tomar melhores decisões no final dos jogos.

  2. Leo Gabriel

    Alem do problema de garrafão, temos uma 2a unidade que produz muito pouco, realmente muito pouco. Mas possiveis trades enxergo como bem pouco provavel, e unico jogador que sobraria para trocar seria GH, os demais são contratos baixos e seria trocar 6 por meia duzia.
    Meu alvo favorito seria A. Drummond, mas também é o menos provavel haha.
    Agora uma trade que seria viavel é interessante…
    GH + Wanamaker + R.Langford + picks ou esses outros perebas de javonte ojelye grant william…
    Stevem Adamns + Denis Schorooder
    Teriamos um bom pivo, e alguem para produzir na segunda unidade.
    Mas realmente, gosto do jogo do GH, ele joga um basquete muito fácil, lhe falta mesmo confiança para infiltração, rumo ao aro, geralmente termina em um stepback, mesmo quando pode enterrar vai la e faz uma bandeja. Mas tambem neh, a mentalidade deve estar, se eu pular me quebro…

    • Marcos

      Não entendo esse amor e piedade da diretoria/torcida pelo Hayward e a forma como I. Thomas foi tratado.

      É paradoxal.
      Por mim, trade no Gordon por Blake sem pensar assim como foi trade de Thomas por Irving.

      Abs verdes,

      • Leo Gabriel

        Blake é realmente um baita jogador… Quando saudavel. Estariamos trocando vidro por vidro. Alem de comprometer o cap até 21/22 39kk do blake, 31anos, que até la jah se quebrou mais umas 2x….
        Adams pode não ser um jogador nivel Blake, mas tem 26 anos e um contrato “saudavel”. e o Schorooder ajuda em alguns pontos…

        • Raphael Ferraz

          Concordo com o Marcos. Também não entendo esse apego com o Hayward. Mas sei que os torcedores celtas americanos adoram ele. Eu quase fui banido do Celticsblog por sugerir uma troca envolvendo o Hayward. Ainda tem muita gente por la que acredita que perdemos essas duas últimas partidas porque estávamos sem o Smart. Eu não acho. De qualquer forma, esse conceito Small Ball está acabando com a gente esse ano.

          Se a unica chance de melhorar o time eh trocando o Hayward, então eu faria. Eu penso que a troca dele pelo Adams eh a mais provável mesmo. Quem sabe conseguir o Gallinari no pacote também? Seria otimo. Não acho que o Blake Griffin encaixaria bem no time. Muito individualista. E uma troca pelo Drumond ou pelo Capela seria muito cara, teria que envolver a escolha de draft de Memphis.

  3. Guilherme Malouf

    Discordo. GH é subutilizado e tem mais potencial que Tatum. Chuta melhor, passa melhor, cria mais situações de cesta quando parte para o ataque. O time erra ao dar tanto protagonismo ao Tatum, que simplesmente não entrega o que se espera dele, pra
    Não falar quando resolve amassar a cesta.

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *