Visite nossas Redes Sociais
Curta e siga nossas redes para ter acesso a conteúdos exclusivos, além de manter-se sempre atualizado sobre novos artigos no site.

Celtics 91 x 102 Mavericks

Na noite deste domingo (9), duas invencibilidades estavam em jogo e uma teria que cair na quadra do TD Garden, em Boston. Em casa, o Celtics contava com o incentivo de seus fãs para faturar a sua quarta vitória consecutiva diante de um Dallas Mavericks embalado por uma invencibilidade que já durava quase duas semanas. No fim das contas, venceu a equipe de melhor campanha: com uma boa atuação ofensiva e diante da péssima pontaria dos Alviverdes, a franquia texana venceu por 102 a 91 e manteve a sua série invicta.

Ídolo maior da equipe de Dallas, o ala-pivô Dirk Nowitzki foi o grande responsável por mais uma vitória dos texanos, anotando 20 pontos e cinco rebotes. No Celtics, como tem sido costume nos últimos compromissos, brilhou a estrela da dupla Rajon Rondo e Jared Sullinger: o capitão anotou um duplo-duplo de 15 pontos e 12 assistências, ficando a dois rebotes de um triplo-duplo, enquanto Sully também fez dois dígitos em dois fundamentos, com 11 pontos e 12 rebotes.

O resultado em Boston foi fantástico para as pretensões do Mavericks: com 31 vitórias em 52 compromissos, o Dallas superou o Golden State Warriors e agora é dono da sétima colocação da conferência Oeste. Além disso, os comandados de Rick Carlisie abriram três vitórias de frente ao Memphis Grizzlies, primeiro time fora da zona de classificação para os playoffs. Já no Celtics, a derrota ampliou a marca negativa de 34 insucessos em 52 duelos disputados, um aproveitamento de míseros 34,6%. Na 11ª posição do Leste, a franquia de Massachusetts vê as suas chances de pós-temporada diminuírem dia após dia.

Após mais uma derrota em casa, o Celtics terá pouco tempo de descanso e já terá outro compromisso pela frente já nesta segunda-feira (10), quando enfrentará o lanterna Milwaukee Bucks, no BMO Harris Bradley Center. No dia seguinte, será a vez do Mavericks voltar a atuar fora de casa, diante do Charlotte Bobcats.

O jogo

Contando com as presenças de última hora de Rondo e Bradley no quinteto, o Celtics começou bem e assumiu a liderança nos minutos iniciais, mas viu o Mavs equilibrar as ações de maneira até rápida, graças aos bons lances de Nowitzki no ataque. Com muitos erros ofensivos dos dois lados, a mão do alemão e de seus coadjuvantes Calderon e Carter foi fundamental para que o time texano terminasse os primeiros 12 minutos em vantagem.

Já pelo segundo período, com mais reservas em quadra nos dois lados, o Dallas aproveitou para buscar mais pontos e consolidar uma maior folga no placar. De volta ao time, Rondo e Sullinger se destacaram e ajudaram o Celtics, mas estava difícil parar Nowitzki e também Calderon: o espanhol, com dois pontos e uma assistência no último minuto, garantiu a vitória do Mavericks para o início do segundo tempo.

Tradicional ‘período do horror’ para alguns celtas, o Q3 iniciou desastroso, com o Mavericks acertando quase tudo o que tentava e a ofensiva celta pouco inspirada, especialmente Avery Bradley. Com Bayless em quadra distribuindo o jogo, a franquia celta até esboçou uma reação, mas a pontaria certeira dos texanos impediu que essa raça se convertesse em aproximação no marcador.

Ainda no embalo do Q3, o Dallas não demorou a estabelecer mais de 20 pontos de frente, graças a um arremesso longo e preciso de Nowitzki, sempre ele. O Celtics, porém, não entregou os pontos e aproveitou-se de bons momentos de Rondo, Sullinger e de Chris Johnson para cortar o prejuízo a menos de dez pontos. Porém, restavam pouco menos de dois minutos e o Mavs mostrou frieza suficiente para impedir uma reação histórica dos mandantes, vencendo o jogo sem maiores sustos.

Destaques do Celtics

Jeff Green (18 pontos e cinco rebotes)

Rajon Rondo (15 pontos, 12 assistências e oito rebotes / duplo-duplo)

Jared Sullinger (11 pontos e 12 rebotes / duplo-duplo)

Destaques do Mavericks

Dirk Nowitzki (20 pontos e cinco rebotes)

Jose Calderon (18 pontos, cinco rebotes e cinco assistências)

Shawn Marion (11 pontos e 10 rebotes / duplo-duplo)

Author avatar
Gustavo Arruda
Gustavo, 28 anos, é maranhense de São Luís, jornalista formado pela UFMA e repórter do Imirante.com. Fanático por esportes, principalmente futebol e basquete, é torcedor celta desde 2003, quando ouviu pela primeira vez o TD Garden lotado entoando "Let's go, Celtics!", e escreve no Celtics Brasil desde julho de 2011, com mais de 1.700 textos publicados. Nas horas vagas, é goleiro, armador, tio do João Gabriel e da Alice, e também dá seus pitacos sobre o maior campeão da NBA no Twitter: @gustavoarruda01.

5 comentários

  1. Ross

    God bless our draft……

  2. Fernando C S

    Não tenho dúvidas que a decisão da administração do Celtics é tank. O que me preocupa é o time. Não sei se o time joga para tank ou se faltam pelo menos 3 atletas diferentes.

  3. […] Derrotado na noite de domingo (9) pelo Dallas Mavericks, em pleno TD Garden, o Boston Celtics terá pouco mais de 24h para pegar o avião, desembarcar, se concentrar e jogar novamente em busca de sua recuperação na tabela. Em seu 53º jogo na temporada 2013/2014 da NBA, a franquia de Massachusetts terá que encarar mais um back-to-back, desta vez contra o Milwaukee Bucks, no BMO Harris Bradley Center. […]

  4. […] da derrota por 102 a 91 diante do Dallas Mavericks, em pleno TD Garden, a noite de domingo (9) foi especial para o armador e capitão celta Rajon […]

  5. […] de Rajon Rondo e Avery Bradley, que ganharam um descanso após a derrota para o Dallas Mavericks, em Boston, o Celtics iniciou a partida lento, mesmo diante de um Milwaukee pouco determinado e com […]

Postar comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.